Homenagem: sobre exemplo, incentivo e motivação

roque jorgeSabe o bom de escrever um blog? Ter a liberdade de postar sobre o que queremos, o que achamos importante, o que nos motiva. Por isso, o post de hoje, por exemplo, é uma homenagem. Admiro muito aquelas pessoas obstinadas, que buscam seus objetivos com foco, com disciplina, com amor. E hoje, após ler um post emocionado dele, em seu instagram pessoal, decidi vir aqui escrever essas palavras sobre ele, para vocês. E quem é ele? Roque Jorge, vulgo “a máquina”, meu instrutor de krav maga e, mais pessoalmente, posso garantir, meu amigo. Porque toda história de sucesso, de alguém que realizou um sonho com muita persistência, que nos motive e nos faça acreditar que tudo é possível, merece ser compartilhada. E, nesse caso, merece mesmo uma homenagem.

Conheço Roque há alguns bons anos. Eu diria, há quase duas décadas. Nos conhecemos no ambiente de trabalho, éramos funcionários da mesma empresa, trabalhávamos para o mesmo produto desenvolvido por essa empresa. Ele era programador, eu era jornalista. Ele fazia a roque jorgeprogramação do sistema que eu utilizava para alimentar os sites da empresa com conteúdo. Ou seja, trabalhávamos diretamente, em contato frequente. Roque saiu da empresa anos antes de mim, e perdemos o contato pessoal, mas seguíamos nos acompanhando em redes sociais. Na época, ele ainda não treinava krav maga. Era um profissional da zorra, competente pra caramba. Não tinha um problema que eu apresentasse para ele, que ele não achasse uma solução.

E, quer saber, porque eu estou falando dele aqui agora? Pra mostrar a cada um de vocês que lê esse texto que, realmente, não existe problema que não tenha solução. E que muitas vezes precisamos apenas buscar essa resposta com mais dedicação e afinco, que um dia ela chegará. Ontem, quando vi a imagem postada por ele no instagram, deitado no chão, emocionado por ter se transformado em um ultramaratonista, por ter corrido 21 km no sábado, na Meia Maratona Olympikus do Rio de Janeiro, e ter corrido mais 42km no domingo, na Maratona Caixa da Cidade do Rio de Janeiro, me deu vontade de vir aqui e escrever esse texto, porque isso é uma lição de vida.

Nós, que acompanhamos o dia a dia de Roque, seja na qualidade de aluno ou de amigo, temos ele como um verdadeiro exemplo de vida. Sabe aquela pessoa que luta para alcançar suas metas, que não desiste, que não se deixa abater por nenhum obstáculo? Ele é esse tipo de pessoa, um incentivador, um motivador nato. Acompanhamos todo esse percurso em busca dos melhores tempos, do melhor desempenho, do melhor que ele é capaz de dar. Assistimos de camarote, sua luta roque jorgepara evoluir, para chegar ao topo. E ele consegue ser uma pessoa tão agregadora para nós, seus alunos, que viramos mesmo uma família, daquela que torce e vibra por cada uma de suas vitórias.

Quando vi a imagem de Roque deitado no chão e o depoimento do quanto ele chorou na linha de chegada, me deu um orgulho tão grande de ser sua aluna, de fazer parte da vida de alguém assim. Me lembrei de Roque com o braço imobilizado, resultado de uma cirurgia, sem poder treinar. Me lembrei que sua dedicação permitiu que ele voltasse aos treinos muito antes da previsão médica. Lembrei também de ele chegar à academia com o pé inchado, falando da dor, mas garantindo que participaria da prova de corrida no dia seguinte. Me lembrei de quando ele conquistou a faixa preta do krav maga, depois de 15 anos de treinos intensos.

A faixa preta

Aliás, a faixa preta merece um parágrafo apartado. Li certa vez uma frase que dizia que só não realizava seus sonhos quem desistia deles no meio do caminho. E Roque é um grande exemplo dessa frase. Quinze anos treinando em busca da tão sonhada faixa preta. E, nós, seus alunos, não tínhamos a menor dúvida de que ela chegaria lá. Roque é aquela pessoa que valoriza cada passo até chegar à conquista, que vive cada etapa, que acredita ser capaz e se superar. Conquistar a faixa preta foi um momento de muita emoção não apenas para ele, mas para todos nós, seus alunos.

roque jorge

Quando recebemos a notícia pelo whatsapp, direto do Rio de Janeiro, foi uma chuva de mensagens positivas, de comemoração, uma energia boa sem fim. A primeira aula dele com a faixa preta foi emocionante, porque é um sonho que muitos de seus alunos de krav maga também almejam. E nós, que estamos no caminho, vivenciamos todas as dificuldades de se chegar à técnica perfeita. E o nosso grande incentivo é, sem dúvida alguma, Roque. Porque ele é perfeccionista, porque ele não desiste da gente. Porque ele corrige 15 mil vezes se necessário, até a hora que vai dizer que “está bom”.

roque jorge homenagem

Quando entrei no krav maga, me senti completamente perdida. Achei que nunca aprenderia, que nunca conseguiria concatenar os golpes. E ele corrigia daqui, corrigia dali, cobrava a presença nos treinos. Mandava repetir uma, duas, 400 vezes. Até que fui pro exame pra faixa amarela. E quer saber? Me senti muito confortável ali. Eu sabia que tinha treinado com o melhor. Não tinha como dar errado. E não deu mesmo. Os golpes saíram com naturalidade no exame de faixa. O resultado não podia ter sido diferente. Porque sou aluna dele.roque jorge homenagem E se você quiser, vai se tornar o melhor que puder ser, dentro de suas limitações, basta treinar. E eu tenho certeza de que se você pode perguntar a qualquer um de seus alunos se ele mudaria de treinador, a resposta seria um sonoro e intenso não.

São anos de treino e dedicação, de comprometimento com a realização de um sonho. E aqui fica o exemplo pra gente: vamos treinar. Frequentar as aulas, treinar, corrigir as falhas, ouvir as orientações, insistir. Em relação ao krav maga, especialmente, ele existe para que a gente coloque nossa segurança em primeiro lugar. Sejamos persistentes, que o resultado só chega com a persistência nos treinos. A lição é essa: Quer a técnica perfeita? Treine. Sem mistério, sem segredos. Simples assim, treinem!

Sobre acreditar, incentivo e afins

Eu não tenho nenhuma dúvida de que Roque é daquelas pessoas capazes de realizar qualquer sonho que queira. Inclusive, acho que nenhum de seus alunos tem. O tipo de pessoa que precisamos admirar e nos inspirar. Que faz a gente perceber que tudo na vida é possível, é só dedicarmos esforço, buscarmos a superação. No final das contas, presenciar tantas de suas vitórias só me faz acreditar ainda mais, acreditar que posso ir além também, em qualquer de meus objetivos. roque jorgeAcreditar que tudo está ao alcance de nossas mãos, basta que a gente erga essa mão e corra no sentido do objetivo.

Eu não moro perto da academia que treino krav maga. Esses dias estava sem carro, e ele me mandou mensagem na véspera da aula, dizendo que era pra ir pra aula. Era a véspera do dia da prova dele no Rio de Janeiro. Ele me disse que era para ir, que ele estaria no Rio, mas Cris, sua esposa e a melhor monitora de krav maga do universo (de verdade, eu sou a maior fã dela), daria aula. Eu coloquei umas três dificuldades para conseguir chegar à academia. Em um momento da conversa ele me disse: “para cada problema que você apontar, eu vou te dar uma solução. Você não terá desculpa para faltar a aula amanhã. Quando a conversa parou, fiquei pensando exatamente nisso, porque Roque Jorge é isso, um exemplo de que tudo é possível, desde que você queira. Eu fui à aula. Realmente não tinha desculpas para não ir.

Parabéns, mestre! Muito orgulho de poder conviver com uma pessoa como você.

Leia Mais

Krav maga para mulheres, sim!

Uma coisa que aprendi na vida é que você pode ser bom em qualquer coisa, basta se dedicar. A frequência, intensidade e esforço farão a diferença. Aliás, seu desempenho será diretamente proporcional ao tamanho de sua entrega. No krav maga é a mesma lógica. Quando comecei as aulas, me achava um horror. Me questionava se um dia conseguiria ter a agilidade necessária, se conseguiria concatenar os golpes… E aí fui treinando, aproveitando as oportunidades extras de treinos que apareciam. Uma das coisas boas da Federação Sul Americana de Krav Maga (FSAKM) é que ela está sempre oferecendo oportunidades de treino aos alunos: são seminários, cursos, oficinas, eventos. E o melhor da Academia Haganá é que nosso instrutor, Roque Jorge, potencializa essas oportunidades e sempre nos oferece mais. E daí que já faz um tempo que eu cheguei à conclusão: Krav Maga para mulheres, sim! Nós precisamos.

krav maga para mulheres

Anualmente, a Federação proporciona um seminário gratuito em comemoração do Dia Internacional da Mulher. Normalmente, é um treinamento aberto às mulheres, alunas ou não. Este ano foi diferente, montaram um evento específico para nós, alunas. Pense aí você ter a oportunidade de participar de uma atividade durante quatro horas e gratuita? Pois é. Ganhamos esse presentão, e o que posso dizer é que foi muito bom. O Krav Maga para mulheres tem se fortalecido no mundo, e aqui no Brasil não tem sido diferente. Como o treinamento foi fechado para as meninas que já possuem contato com o krav maga, os instrutores puderam direcionar o seminário, corrigir cada detalhe e foram muito além. Isso porque esses eventos abrem as portas para que eles se aprofundem ainda mais, para que abram nossos olhos para outras possibilidades que podem ocorrer na rua. E nós saímos ganhando muito.

krav maga para mulheres

E, gente, sério! Quando o que está em jogo é nossa segurança, não dá para vacilar. Cada detalhe conta. É como a gente sempre ouve falar durante as aulas: ninguém quer passar por uma situação de perigo. Nós treinamos, nos dedicamos, mas, efetivamente, é claro que não queremos passar por nenhuma situação que coloque nossa integridade física e mental à prova. Mas não somos donas do mundo, não temos bolinha de cristal e, infelizmente, vivemos em um mundo violento que não respeita a mulher. As estatísticas da violência contra a mulher são assustadoras. Dados do 11º Anuário Brasileiro da Segurança Pública mostram que, em 2016, foram registradas 49.497 ocorrências de estupro no País. Gente, são 135 estupros por dia! São 5,6 estupros por hora!!! Vocês têm noção do que esse número representa? E sabem o pior? Esses foram os estupros registrados! Muitas pessoas sequer procuram uma delegacia para denunciar.

krav maga para mulher

E não é só isso! A cada duas horas, uma mulher foi assassinada em 2016. É uma realidade frustrante, dura, triste. Mas é realidade. Estamos sujeitas a isso e somos naturalmente vulneráveis. Como estava falando antes, claro que ninguém quer passar por uma situação de violência. Mas se ela acontecer, honestamente, eu prefiro estar preparada para enfrentá-la. Nós que treinamos não somos loucas, nem defendemos a violência gratuita. Aliás, não somos treinadas para disseminar a violência, nem para reagir a qualquer custo. Mas, se eu precisar reagir em alguma situação, eu prefiro, um milhão de vezes, saber o que devo fazer, como devo fazer e que técnica posso usar para me defender. Eu quero que meu corpo já tenha repetido aquele movimento milhões de vezes nos treinos e que, automaticamente, ele repita mais uma.

Sim, é o krav maga para mulheres. Graças a ele, hoje estou muito mais atenta, mas observadora. Olho ao meu redor com mais cuidado, presto atenção na rua, não ando mais distraída. Ainda tenho uma longa caminhada pela frente, só sei o básico, mas quero mais. E por isso eu treino, sim. Por isso acordo cedo em um domingo para treinar. krav maga para mulherPor isso, várias mulheres no Brasil inteiro levantaram cedo no último domingo para treinar. Por isso várias mulheres estão se unindo nesse propósito do autocuidado, da preservação. Nós defendemos a importância e eficiência do krav maga para mulheres. A gente se une, se ajuda, observa uma à outra, se dedica. E a gente conta com um monte de homem bacana nos treinos, que nos auxiliam nessa caminhada em busca da melhor técnica.

Krav Maga para Mulheres

As mulheres que ainda não treinam ganharam um mega presente da nossa Federação este ano, pelo Dia Internacional da Mulher e aniversário de 50 anos de Krav Maga do nosso mestre Kobi, que trouxe a arte de defesa pessoal para o Brasil. Qualquer mulher pode treinar durante todo o mês de março gratuitamente em uma das academias de Krav Maga de todas as Américas.

Sim, é só se dirigir à academia e informar que quer participar da promoção do mês da mulher. Para quem se interessar em treinar aqui em Salvador, em Brotas, é só deixar uma mensagem que explico direitinho como funciona ou pode entrar em contato diretamente com meu instrutor pelo whatsapp, no número que segue logo abaixo. É aquela velha máxima do: todas as mulheres nasceram iguais, mas depois algumas entraram para o Krav Maga. Junte-se a nós.

Contatosacademia hagana
Academia Haganá (Krav Maga Brotas)
Instrutor: Roque Jorge
Tel: 71 99964-5948 (whatsapp)
Facebook: https://www.facebook.com/AcademiaHagana/

Leia Mais

Krav maga: meu primeiro exame de faixa

exame de faixa krav maga | foto: conversa de meninaQuem me acompanha por aqui sabe que eu pratico krav maga na Academia Haganá há alguns meses, inclusive já escrevi posts sobre isso (tem os links no meio desse texto). E pela primeira vez na vida passei por um exame de faixa. Quem faz luta que possui níveis de graduação sabe do que estou falando. Dá um misto de ansiedade e de expectativa. Cheguei ao local cedo.

Fiquei observando os colegas que também fariam exame, uns treinavam comigo, outros eram de outras academias. Imagino que havia cerca de cem pessoas ali. Engraçado como cada um reage diferente… Alguns batiam papo tranquilamente, outros demonstravam um pouco de nervosismo, havia ainda aqueles que preferiam revisar os golpes. Eu estava no grupo dos que batiam papo tranquilamente (mas que no fundo guardava um pouco de ansiedade).

====================================================
Leia também:
>>Krav Maga: como a arte da defesa pessoal pode mudar a sua vida
>>Krav Maga para mulheres
>>Meu primeiro contato com o Krav Maga
====================================================

exame de faixa krav maga | foto: conversa de meninaExiste toda uma ritualística no exame de faixa. É fechado para o público externo, ali ficamos diante apenas dos instrutores e do mestre Kobi, que trouxe o krav maga para a América Latina (leia sobre a história do krav maga). Como meu nome começa com a letra A, fiquei na primeira fila. Para ser mais precisa, fui a terceira. Mas quando coloquei o pé no tatame, me veio uma onda intensa de serenidade. Eu tinha consciência de que havia treinado exaustivamente nos últimos meses. E de que havia treinado sob a supervisão de sem dúvida alguma um dos melhores instrutores do País, Roque Jorge, um exemplo de força, disciplina e determinação. Ou seja, não tinha como dar errado! Se tem um ditado que é certo nessa vida é que todo esforço traz sua recompensa. Se você quer alguma coisa, batalhe. Só não vence quem desiste. Persistir é o segredo.

O exame de faixa

A parte física foi puxada, mas foi de boa para mim. Afinal, eu treino muito. Estou bem, condicionamento físico em dia. Deu pra suar bastante, exige muito. Mas eu estava pronta para aquele exame, tanto física quanto psicologicamente. Na hora da parte técnica, tentei me manter concentrada, lembrar das orientações de Roque durante os treinos e realizar os movimentos dando o máximo de mim naquele momento. Não olhei o que os colegas estavam fazendo. Estava confiante. Meu instrutor é o cara. Depois do exame, vieram aquelas sensações maravilhosas de orgulho e de privilégio de tê-lo como mestre. Roque treina seus alunos para serem os melhores dentro de suas possibilidades, para superarem suas limitações. Ele nos treina para nos deixar seguros, é aquele cara que não desiste do aluno. Ele corrige, insiste, repete… isso até que a gente dê o máximo. E isso traz uma autoconfiança muito boa. Traz determinação.

exame de faixa krav maga | foto: conversa de meninaQuando eu terminei o exame, antes mesmo de ter recebido o resultado, eu sabia que tinha ido bem. Eu tinha certeza de que tinha ido bem. Não era só a percepção de que eu iria passar e conquistar a faixa amarela. Era uma aura de que eu tinha dado o meu melhor. E isso para mim era o suficiente. Logo depois que decidi entrar no krav maga, tive uma lesão séria no ombro esquerdo, que acabou me afastando das atividades físicas por muitos meses. Quando voltei ao tatame, tive de começar do zero e aceitei o desafio de encarar logo o primeiro exame de faixa que apareceu. Esse resultado pra mim é motivo de muito orgulho. Superei uma lesão, voltei aos treinos, encarei o exame de faixa… E agora é um novo desafio, treinar mais forte ainda.

A cerimônia de entrega de faixa do krav maga

entrega de faixa krav maga | foto: conversa de meninaEsse é o nosso momento. Depois de deixarmos nossos instrutores orgulhosos do trabalho que fizeram no dia do exame, a cerimônia da entrega de faixas é aquele momento em que a gente simplesmente relaxa e aproveita. Em que nos sentimos orgulhosos de nós mesmos, em que bate aquela realização de termos feito um bom trabalho. Ali temos a certeza de que estamos evoluindo, de que subimos mais um degrau na escada dos desafios que nos propomos a encarar. Ali estamos nós, nossos instrutores, os parceiros de treinos, todos numa vibe tão gostosa e numa sintonia tão massa, que nem dá para explicar.

Graduação no krav maga

Para mim, a graduação é o momento em que você decide que quer realmente levar aquela prática para a sua vida. Decidir passar pela graduação é uma decisão que vai além de mudar de cor de faixa. É uma decisão de continuidade, é o momento em que você resolve abraçar aquela arte, se dedicar a ela. É quando você escolhe progredir, avançar, desenvolver, melhorar. Toda rotina de treino é dura e intensa. E quando eu me proponho a fazer alguma coisa, quem me conhece já sabe, eu quero fazer o melhor. Eu me cobro, eu exijo de mim, eu me dedico. Com essa vida louca que a gente leva hoje em dia, nem sempre é possível manter 100% da rotina em dia, mas dentro do que é viável, eu exijo 100% de mim.

exame de faixa krav maga | foto: conversa de menina

E no krav maga não tem sido diferente. Tenho feito o meu melhor, dentro do que é possível. Então, que venham os novos aprendizados e treinos. Que venham os novos degraus, porque eu quero subir todos!

Leia Mais

Krav Magá: a graduação e seu ritual

Não, eu não mudei de faixa no Krav Magá. Ainda. Então por que motivo eu escreveria sobre a graduação? Depois que vi imagens e vídeos do evento de entrega das faixas a vários de meus amigos que passaram pelo último exame, senti vontade de falar sobre isso. E aqui estamos. Muitos já sabem que sou praticante do Krav Magá, na Academia Haganá, em Brotas, aluna do instrutor Roque Jorge.Para quem ainda não conhece, é uma arte defesa pessoal, já falei sobre meu primeiro contato com a arte aqui no blog (clique para ler).

Entrei para a família em março desse ano, mas uma lesão no ombro me deixou longe dos treinos por cinco meses. E foi por isso que não fiz o exame de faixa que ocorreu no último mês. Mas convivi com toda a tensão e preparação de meus amigos e essa é até uma forma de homenageá-los.

A primeira graduação do Krav Magá é para a faixa amarela. Seguida pela laranja, verde, azul, marrom e preta. O aluno precisa ficar cerca de seis meses para fazer o primeiro exame. Tudo depende de sua evolução. Esse tempo pode ser um pouco menor ou maior. E por que fazer os exames? Porque precisamos evoluir, progredir. Porque precisamos dominar os golpes básicos para começar a treinar os mais avançados. Porque a sensação de estar apto a avançar é muito boa. São muitas as razões. Da faixa branca à azul, os alunos vão aperfeiçoando as técnicas de defesa pessoal. A partir da faixa azul, começa o aprendizado das técnicas de combate corpo a corpo, técnicas de combate militar e exercícios mais complicados.

A visão de quem estava lá

A aluna Mônica Santana, com o instrutor Roque Jorge

Mônica Santana é uma dessas minhas amigas que enfrentaram pela primeira vez o exame de faixa. E foi a ela que recorri, pra saber como tudo funcionou, entender as emoções envolvidas e partilhar com vocês. “O Krav Magá entrou em minha vida como uma válvula de escape da vida estressada e virou uma grande paixão”, foram as primeiras palavras dela, que é turismóloga e coordenadora EAD fora do tatame.

O Krav Magá vicia, isso é um fato. É apaixonante todo o processo de aprendizado, cada novo golpe, os exercícios para torná-los precisos. Tudo isso nos envolve demais. Mas o assunto é graduação (eu sempre me empolgo hahaha),voltemos a ele.

Convivi com Mônica durante toda a fase de treinamento. E é uma fase bem intensa. “O processo do exame foi um pouco tenso, cheio de mistério, porque era a primeira vez que eu participava e que estaria de frente com o nosso grande mestre Kobi. Precisei vencer o medo, a insegurança e as dúvidas. Cada semana de treino era um avanço. Meu mestre Roque Jorge colaborou muito nessa fase, com motivação e disciplina, trabalhando a minha autoconfiança. Lógico que ser avaliada deu aquele frio na barriga, mas a adrenalina foi o suficiente para a aprovação. No fundo, eu sabia que tinha sido bem preparada”, conta Mônica, relembrando como foram os dias até o exame.

exame de faixas krav magá

O resultado vem com o treino

O que percebi nesse período todo e acompanhando os últimos dois exames é que o preparo é fundamental. “O importante é treinar, treinar e treinar. Repetir os golpes, executá-los com precisão. Prestar atenção no movimento, impor a força e agilidade necessários”, explica Roque Jorge, instrutor da academia Haganá. Ele também dá aulas em uma academia em Lauro de Freitas. No último exame, foram cerca de 40 alunos de Roque que prestaram o exame. No total das academias aqui de Salvador, foram cerca de 15o alunos buscando a graduação.

treino de krav magá academia haganá

Entrega de faixas do Krav Magá

O evento de entrega de faixas é lindo, é emocionante. Dava pra ver no rosto de cada um dos que ali estavam presentes a satisfação e a realização. “A mudança de faixa representou uma batalha vencida, uma sensação maravilhosa de vitória, o orgulho de meu mestre e o reconhecimento de meus colegas. Dá aquela sensação de missão cumprida. Todo o protocolo, as regras e organização do evento foram maravilhosos. Na hora que ouvi meu nome, foi uma felicidade. Ali nasceu uma guerreira, essa faixa obtida com tanto suor foi só o primeiro degrau que subi na família Krav Magá, pois estou disposta a muito mais”, conta Mônica.

entrega de faixas krav magá

Missão cumprida

Por isso, resolvi falar sobre isso. Tem a ver com superação, com vitória, com realização. No final das contas, a gente pode tudo o que quer. Porque os desafios estão aí para serem superados. Porque treinar é o segredo para progredir em qualquer área. E porque o Krav Magá entrou em minha vida para ficar e, quem sabe, não acabe entrando na sua também? É muito boa a sensação de segurança que a gente ganha. É reconfortante saber que se algum dia for realmente necessário reagir, estarei preparada. Nesse mundo em que vivemos, estar preparado para qualquer situação é importante. E eu não vejo a hora de chegar o meu dia de fazer exame. Mas tudo tem seu tempo, e eu tenho paciência. E é certo que vou contar tudo aqui, podem aguardar. E aos meus amigos e colegas graduados, meus parabéns! Vocês jogaram duro! Rumo aos próximos degraus.

entrega e faixas krav magá

Contatos

Para quem se interessa pelo Krav Magá ou tem curiosidade de conhecer um pouco mais, a Academia Haganá fica localizada em Brotas. O telefone de lá é o (71) 3017 – 3402. Eles também passam informações pelo Whatsapp (71) 99964-5948 e pelo e-mail contato@academiahagana.com.br. Minhas aulas são às segundas e quartas, às 17h, mas eles têm uma variedade imensa de horários. E é possível fazer uma aula experimental gratuita, é só agendar pelo whatsapp.

Leia Mais