Pesquisa mostra relação das brasileiras com os cabelos

Segundo a pesquisa, o padrão de beleza ideal entre as brasileiras ainda é ser loira...

Uma pesquisa realizada em parceria pela Unilever (fabricante das marcas Dove e Seda, entre outras) e o Ibope mostra a relação das brasileiras e suas madeixas. O objetivo do estudo Brasileiras e os Cabelos é entender os hábitos e costumes das consumidoras e o resultado comprova o que o senso comum já sabe: os cabelos são a parte do corpo que merece mais tempo e esforço no ritual de beleza entre as brasileiras. Das práticas mais comuns adotadas estão o alisamento e a coloração.

De acordo com os dados prévios divulgados pela Unilever, mais da metade das mulheres entrevistadas (58%) está com o cabelo diferente do natural, principalmente as casadas. Ainda segundo a pesquisa, nove em cada dez mulheres dizem que se sentem mais confiantes se os cabelos estão em ordem. Das entrevistadas, 74% disseram que um cabelo bonito e bem tratado eleva a autoestima e 37% revelaram que quando o cabelo não está “bom” não têm vontade de sair de casa. Na pergunta sobre cuidados, 72% afirmam gostar de cuidar dos cabelos e para 37% delas, ir ao salão é uma necessidade.

...e lisa

Transformações nos cabelos – Entre as principais constatações, a pesquisa aponta que as mulheres ainda buscam cada vez mais ter os cabelos lisos. Das entrevistadas que têm cabelos transformados, 45% disseram ter realizado algum tipo de procedimento para alisar os fios. E os alisamentos, como a escova progressiva, são feitos na maioria das vezes (93%) com cabeleireiros.

As mudanças de cor dos fios também são muito comuns, sendo que 86% das entrevistadas já tingiram os cabelos. Das que tingiram, 45% fazem o processo mensalmente, sendo a cor loira a mais procurada (74%).

A pesquisa Brasileiras e os Cabelos foi realizada com 400 mulheres, de 25 a 45 anos, das classes A, B e C, nas regiões Sudeste, Sul e Nordeste do Brasil.

Meu dedinho nesse angu – O resultado da pesquisa não me surpreende, dado o apelo midiático por um padrão que a meu ver não abre espaço nenhum às muitas formas de beleza existentes no Brasil, um país multiétnico. Fiz progressiva uma vez na vida e não gostei. Durante os três primeiros meses, ficou legal, mas depois de um tempo, senti falta de ser eu mesma. Prefiro meus cachos naturais, é fato. Quanto à pesquisa, ela é feita por amostragem, e dá uma ideia dos gostos e costumes das mulheres na faixa etária e classes sociais ouvidas, mas não significa que quem não tem cabelos lisos e loiros não seja igualmente deslumbrante e tampouco significa que todas as brasileiras pensam como as 400 moças ouvidas no estudo. Diversidade é a palavra da vez, não esqueçam!

*Os dados foram enviados ao blog pela assessoria da Unilever.

Um comentário em “Pesquisa mostra relação das brasileiras com os cabelos

  1. Eu faço parte desse time: já fiz/faço uso de química no cabelo, desde processo de alisamentos à tintura!!! Hoje em dia busco um cabelo mais natural, cansei do efeito chapado! Saudades imensas dos meus cachinhos!
    Mas, diversamente da maioria não suporto ir à salão de beleza, queria, se pudesse que todos esses procedimentos fosse feitos em casa. E tenho – admito – preguiça de cuidar do cabelo, apesar de saber que quando estou com os cabelos arrumados, me sinto melhor comigo mesma!

    beijos

  2. Oi Mari, a única química que mantenho nos meus é tintura. Mas aqui no blog, Alane é adepta da escova e fica super linda alisada. Salão tb eu tenho ido bem menos e tentado cuidar em casa, mas te entendo, às vezes dá um trabalhooo e uma preguicinha, rsrsrsrs. Beijos

  3. Detesto esse padrão imposto. Você não sabe o quanto luto para convencer minha filha de que os nossos cachos são lindos e feitos na medida para nós! Ela, que tem oito anos, tem pelo menos três colegas de sala cujas mães, numa atitude insana (ao meu ver) submetem as meninas ao alisamento. E o pior: elas gostam (?). Mas, vamos lá, vou na contramão, pois acredito na diversidade e acredito que será mais saudável para minha filha se gostar do jeito que é!

    1. E está certíssima, Paty. Primeiro porque esses produtos podem provocar reação alérgica em adultos, imagina em crianças! E segundo, porque prejudica sim a autoestima, ainda mais em meninas tão novinhas, que já crescem se achando feias se não seguirem o padrão. Nada de padrão, viva a diversidade de belezas femininas que há no mundo! Beijos e saudades enormes de você 🙂

  4. Adorei seu comentário!!! É por isso q o blog está entre os meu favoritos, é muito bom saber q há vida inteligente na net. Sou uma mulher negra e é díficil lidar constantemente com um padrão de beleza q está longe do q eu sou. É um trabalho constante para manter uma certeza de q meus cabelos crespos podem ser, sim, lindos. E realmente, temos de apreciar a diversidade no conceito do que é belo

    1. Oi Raquel, obrigada pelo comentário e por colocar o blog entre os seus favoritos 🙂 Com certeza mais gente precisa entrar nessa campanha de valorização das muitas belezas femininas, sem forçar as mulheres a adotar um padrão que não é o delas. Grande beijo!

    2. Com certeza, Rachel. Os meios de comunicação, quaisquer que sejam, precisam dar mais espaço à diversidade, aceitando que as diferenças existem, são importantes e precisam aparecer! Obrigada pelo elogio ao blog. Beijo grande!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *