Serviço: Tenho um recém-nascido em casa. E agora?

O material que separei para publicar aqui no blog neste domingo segue a linha prestação de serviço. Foi produzido pela assessoria da Bayer Health Care e acredito que ajudará muitas mães e pais de primeira viagem. Trata-se de uma mini entrevista pingue-pongue com a enfermeira Eneida Bittar, consultora em aleitamento materno pela UCLA – CA (University of California) e Terapeuta Familiar. No bate-papo, ela orienta as famílias sobre o que é necessário fazer – e o que não se deve fazer – para receber bem o novo membro.

Segundo a especialista, até os 28 dias de vida, todos os bebês são considerados recém-nascidos e precisam receber alguns cuidados especiais. De acordo com Eneida Bittar, é quando os pais chegam em casa com o bebê que começam a surgir as primeiras dúvidas. “As mães, em especial, podem ficar mais inseguras, elas querem cuidar de seus bebês da melhor forma possível, compreender as necessidades deles e saber qual é o momento ideal para mamar, dormir, dar banho e trocar fraldas”, afirma.

Ainda de acordo com Eneida, não há parâmetros para julgar o que é certo ou errado quando se trata de cuidados com os bebês. “O que precisa ser criado é uma rotina em que a mãe possa se sentir confortável para fazer tudo da melhor forma possível, a habilidade irá surgir naturalmente. O único fator que deve ser observado constantemente é a segurança”.

1. Como os pais podem se preparar para a chegada do bebê?
Eneida Bittar: O primeiro filho é um marco na vida do casal, por isso, é importante que ambos estejam preparados para receber as grandes mudanças que estão por vir. É comum que os pais se preocupem em preparar o quarto, o enxoval, decidam se terão ou não a ajuda de terceiros para os primeiros meses e ainda, em qual maternidade o bebê irá nascer. Estas mudanças estruturais são importantes para garantir todo o conforto do bebê, no entanto, ainda durante a gravidez, os pais precisam se preparar emocionalmente para receber o novo membro da família que está por vir.  Ambos precisam saber que irão assumir novos papéis, o de pai e mãe, mas que não devem perder as suas identidades, se lembrando ainda de sempre fortalecerem o seu relacionamento, com base em conversas francas sobre as expectativas de cada um para a educação e formação do filho.

2. Como a mãe pode se preparar para amamentar o bebê?
Eneida Bittar – A amamentação é um processo de aprendizado entre mãe e bebê nos primeiros dias de vida. Existem diferentes orientações e condutas referentes à amamentação e o mais importante é seguir a orientação do seu médico, pediatra ou profissional capacitado no atendimento à amamentação. É recomendada a amamentação exclusiva por 6 meses e, após esse período deve-se introduzir, paralelamente, novos alimentos. Se for necessário optar por outra forma de alimentar seu bebê, procure conhecer as vantagens e desvantagens de cada opção para sentir-se segura.

3. Como tornar o momento da troca de fraldas tranquilo para pais e bebê?
Eneida Bittar – A primeira questão é sempre trocar a fralda quando ela estiver molhada ou suja, para evitar o aparecimento de assaduras e garantir que o bebê fique confortável. Para que a troca de fraldas seja segura, é fundamental que o local esteja organizado com todos os materiais necessários, e se faltar algo, nunca deixar o bebê sozinho. Desde as primeiras trocas, crie o hábito de falar com o bebê sobre o que será feito com ele, passo a passo, isso o deixará mais tranquilo.

4. Quais são as etapas para uma troca de fraldas ideal?
Eneida Bittar – Como um recém-nascido troca entre 8 e 12 fraldas ao dia, com o tempo os pais terão habilidade para cumprir todas as etapas facilmente. A primeira delas é escolher produtos de boa qualidade e sem perfumes, corantes e conservantes, para evitar possíveis alergias. Limpe a pele em movimento único, de cima para baixo (ou de frente para trás), para evitar a contaminação da uretra com resíduo de fezes. Use água morna e algodão, limpando bem as dobrinhas do bebê. Na hora de enxugar, utilize uma toalha macia e faça movimentos delicados, sem esfregar a pele do bebê. Para evitar assaduras, opte por um creme que auxilie no fortalecimento e nutrição da delicada pele do bebê, com consistência suave e de fácil remoção. Finalize a troca ajustando a fralda na cintura do bebê com uma folga de um dedo, assim ele fica sequinho e confortável por mais tempo.

5. Como evitar as temidas assaduras?
Eneida Bittar – A asssadura é uma das dermatites mais comuns na infância, sendo mais frequente entre os 7 e 12 meses de vida. Tem como causa uma combinação de fatores que incluem o ambiente úmido e abafado proporcionado pelo uso da fralda, atrito com a pele e, principalmente, o contato prolongado com fezes e urina. Desta forma, para prevenir o seu aparecimento, troque a fralda com regularidade; remova os resíduos (fezes, urina e cremes) com água morna e algodão, e ao secar, utilize um pano macio, sem esfregar; sempre aplique um creme antiassaduras e não deixe a fralda exageradamente apertada ou folgada.

6. Como dar banho em um recém-nascido?
Eneida Bittar – Não existe uma técnica para a hora do banho, o importante é a segurança e o prazer da mãe e do bebê. Escolha um horário em que possa dedicar alguns minutos a esta tarefa, sem preocupações ou pressa. Antes de tirar a roupa do bebê, prepare e deixe à mão todos os materiais necessários (sabonete neutro, hastes flexíveis de algodão, algodão, toalha, escova macia, creme antiassaduras, fralda e roupas limpas). Lembre-se ainda de prender os cabelos e retirar pulseiras, relógios e anéis para evitar machucar a pele do bebê, que é muito delicada. O local do banho deve ter a temperatura ambiente e sem correntes de ar. Comece o banho pelo rosto, lavando somente com água e, a seguir, a cabeça e o resto do corpo com sabonete neutro, incluindo o coto umbilical, que deve ser secado com cuidado e suavidade. Ao final do banho, com o bebê já vestido e tranquilo, lembre-se de higienizar a banheira.

7. Homens também podem ajudar a trocar fraldas, dar banho, ninar?
Eneida Bittar – Claro que podem! Nos dias atuais, os homens participam, cada vez mais, de todos os processos – gestação, parto e cuidados com o bebê. E a hora do banho e da troca de fraldas são momentos em que eles podem interagir com o bebê. É comum que o homem fique inseguro nas primeiras vezes, este é o momento de aprendizado para ambos, portanto, ajudem-se sempre.  E mamães, segurem a ansiedade, cada um tem um jeito de cuidar e isso deve ser respeitado. O pai pode ter uma forma diferente de trocar ou pegar o bebê, mas nem por isso é errada. Não se esqueça que você precisará descansar nas pausas das mamadas, elogie-o e ganhe um companheiro para os momentos em que mais precisar.

*Material elaborado pela Bayer Health Care, enviado ao blog via email e publicado mediante a citação da autoria e fontes de informações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *