Artigo: De volta ao começo do ciclo

Recebi um artigo muito interessante, nesta quinta, via email, e que de certa forma tem relação com o último “texto filosófico” que escrevi aqui para o blog, sobre como a TPM é tratada de maneira rasa por um programa de TV. No artigo, a coach Melissa Setubal relata uma experiência pessoal. Ao divulgar o texto, não estou dizendo que todas as mulheres devem ou precisam seguir o mesmo caminho que ela escolheu. Mas creio que o depoimento sincero rende uma reflexão. As questões que Melissa levanta são sobre os benefícios e os malefícios da pílula. Ela, porém, não deixa de ressaltar que, ao abrir mão da pílula, precisou buscar outro método contraceptivo. Vale lembrar ainda para quem estiver lendo, que além de evitar gravidez indesejada, os contraceptivos como a camisinha, por exemplo, protegem das DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e do vírus da Aids. Boa leitura!

De volta ao começo do ciclo

*Melissa Setubal

Acabo de ter um dos melhores resultados que eu aguardava da minha caminhada na alimentação e estilo de vida saudáveis: meu primeiro ciclo menstrual natural em 16 anos!

Foi há cerca de um ano que comecei meu desafio de retomar as rédeas do meu sistema reprodutivo. Iniciei um tratamento que usa apenas comida e suplementos naturais para limpar o organismo feminino de problemas típicos de nossa era.

Não vou dizer que é moleza, mas para mim, que já estava mudando muita coisa no meu estilo de vida, foi quase natural. Comecei aprendendo a como comer para dar suporte ao meu sistema endócrino, depois comecei a tomar algumas ervas e suplementos vitamínico-minerais para dar aquele apoio extra, e finalmente conversamos muito sobre energia feminina.

Foi então que tomei uma decisão que jamais imaginei que iria acontecer nessa vida: parar de tomar a pílula anticoncepcional depois de usá-la initerruptamente desde os 15 anos. Para quem tem Ovário Polimicrocístico, isso é quase como uma condenação, pois logo cedo aprendi que, para controlar suas manifestações temidas (acne, pelos, excesso de peso, menstruação irregular, resistência à insulina, etc), a única saída é a pílula, e não há cura.

Ainda mais porque eu passei a tomá-la sem parar para menstruar por cerca de 7 anos, na tentativa de controlar uma TPM forte e enxaquecas excruciantes, sem muito sucesso.

Aprendi que a pílula causa coisas ainda piores, como predisposição a trombose, doenças cardíacas, derrame, entoxicação do fígado, e muitas outras coisas assustadoras. Eu que já vinha com bronca da indústria farmacêutica convencional, fiquei mais revoltada ainda por nunca ter sido devidamente orientada sobre tudo isso.

Mas e o medo de largar essa muleta que me “sustentava” há tanto tempo? Como será que meus ovários iriam se comportar? Minha cara ia voltar a ficar cheia de espinhas? Eu iria continuar tendo os sintomas terríveis antes e durante a menstruação das quais eu tentava fugir? Como eu iria evitar a gravidez?

Sabia que exigiria da minha paciência, que me desafiaria a cada instante, e que volta e meia eu teria vontade de desistir e usar alguma “pílula mágica” para fazer parar qualquer sofrimento que eu estivesse sentindo no momento. E assim foi: passei 7 meses sem menstruar, com episódios de depressão, irritação, rosto e corpo cobertos por acne, cabelo caindo, dentre outras coisas “divertidas”. Minha impressão era, naquele momento, que minha vida era melhor com a pílula. Mas volta e meia alguma coisa acontecia para me lembrar o porque escolhi esse caminho.

Uma das mais incríveis foi a melhora em 90% da minha enxaqueca, algo que jamais imaginei que me livraria. Isso vinha atrapalhando minha vida tão profundamente, que há algum tempo atrás eu tinha crises fortíssimas de não conseguir sair do quarto pelo menos uma vez por semana. Agora, fiquei sem nenhuma manifestação por mais de 3 meses, e quando ela veio no dia antes da menstruação, não passava de um pequeno desconforto e uma leve dor de cabeça, que não me impediu de continuar minha atividades normais.

Hoje, tenho apenas poucas e pequenas espinhas, meu cabelo está nascendo novamente, minha energia e humor estão mais estáveis, meu fígado funciona melhor do que nunca, a glicose no meu sangue estável, e um sorriso no rosto ao ver que a menstruação está descendo.

Essa para mim é a maior vitória de todas: me sentir confortável no meu corpo de mulher, celebrar cada etapa do meu ciclo e usá-lo ao meu favor no meu dia-a-dia, e abraçar o feminino em mim que esteve reprimido por tantos anos, aprendendo a usar seu grande poder de transformação no mundo.

*Melissa Setubal é coach de Saúde Integrativa especialista em saúde da mulher

**Texto enviado ao blog pela SBPNL e publicado mediante citação da autoria e respeito à integridade do conteúdo.

Leia Mais

Artigo: “Galera” pé no chão

O artigo selecionado para esta quarta-feira explica um pouco da função do coach (o termo vem da palavra em inglês para treinador desportivo – técnico -, mas no mundo corporativo é aplicada aos “treinadores” de pessoas, que auxiliam os profissionais a eleger prioridades e traçar metas na realização de projetos pessoais e/ou de carreira). No texto abaixo, a administradora Joanna D´Arc Carneiro P. Sales também dá dicas de como buscar a realização dos sonhos sem tirar os pés do chão, mas mantendo a criatividade. Confiram!

**“Galera” pé no chão

*Joanna d´Arc Carneiro P. Sales

Após a fase de adolescência, caracterizada pela irreverência, conflitos, emergência da consciência de si mesmo, paixão e amor, surge uma nova necessidade de suporte aos jovens para encontrar o caminho do adulto comprometido com a vida, com a profissão, consigo mesmo e com a preservação de valores essenciais da conduta humana. Nesta nova etapa de descoberta e amadurecimento, surgem os sonhos em especial da futura carreira profissional, que precisam ser planejados e estruturados de forma que possam ser viabilizados dentro do contexto da autoresponsabilidade pessoal e da experiência da ordem como princípio universal, para que possam trilhar com os próprios recursos.

A “galera” pé no chão, é aquela que vai aprender a definir sonhos utilizando a bússola que indica a direção baseada em valores e propósito, recorrendo sempre aos seus talentos e uma boa dose de organização, disciplina, planejamento e a sabedoria para administrar o tempo. Assim, o velho ditado será bem vindo: devemos pensar bem alto indo até as estrelas, porém com os pés no chão.

Assim como o "treinador" traça estratégias e mantém o foco do time, o coach ajuda os profissionais a traçar metas e eleger prioridades e passos que vão ajudá-los na realização de projetos

O trabalho pessoal começa com a identificação por parte do jovem de quais os líderes passados ou presentes que admira e quais suas qualidades e qual é o impacto na sua concepção de vida. Relacione em seguida quais as qualidades que já possui e outras que você gostaria de desenvolver. Aprofunde na descoberta do seu autêntico Eu, conhecendo suas principais forças, fraquezas e áreas pouco desenvolvidas, ampliando o seu nível de percepção e compreensão dos pontos cegos e área de vulnerabilidade. Faça sua lista de valores, elegendo os cinco valores mais significativos, seus princípios e limites éticos.

Com estes elementos, você pode traçar as metas que vão viabilizar seus sonhos, lembrando  que nesta definição devem ser considerados alguns critérios para facilitar a obtenção dos resultados esperados: as metas deverão ser específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e  com  prazos estabelecidos. A partir daí, a “galera” pode iniciar       o Plano de Ação Pessoal(PAP), que vai funcionar como um roteiro detalhado  contendo o como fazer nas diversas etapas  e o prazo  estimado para cada uma delas, acrescido de muita disciplina e determinação.

Como a maioria das pessoas não está acostumada a planejar suas próprias vidas, torna-se necessária uma assessoria pessoal para que o foco seja mantido, e aí está o papel do coach, como um profissional que leva o cliente a adotar ferramentas para ampliar o nível de realização das pessoas pelo aprendizado em transformar sonhos em realizações.

*Joanna d´Arc Carneiro P. Sales é administradora, coach, psicodramatista, facilitadora do Pathwork, terapeuta e consultora organizacional.

**Material enviado por email pela jornalista Najara Souza e publicado com autorização, mediante citação da autoria e respeito a integridade do texto.

Leia Mais

“Ano Novo, Vida Nova”. Prometa o que pode cumprir

Receita de sucesso existem várias. Cada um tem a sua ou adota uma em livros. Ou ainda, depois de fazer anos de terapia e contratar um coach (espécie de personal trainer para o desenvolvimento pessoal). Venha de onde vierem as receitas de sucesso, o importante é que todas visam um único objetivo: melhorar o nosso ser e estar no mundo e nos fazer encontrar um caminho para a felicidade, que mesmo que não seja plena -, uma vez que estamos sempre desejando alguma coisa e não conseguindo todos os desejos -, ao menos que nos faça conciliados conosco, com os outros e com a vida. Como 2009 está acabando e chegou aquele momento clássico do exame de consciência e das listinhas de promessas de ano novo, “promessas de uma nova vida”, acredito que valha a pena publicar o artigo da coach Lygya Maya, ela mesma uma mulher que passou por várias dificuldades na vida, até encontrar o caminho para o seu sucesso, pelo menos para aquilo que a faz feliz. Mesmo correndo o risco de algumas pessoas interpretarem as palavras da autora como auto-ajuda ou filosofia de almanaque, recomendo a leitura. Até porque, a psicologia, a psicanálise, as investigações fisolóficas, se for reparar bem, servem todas de apoio para que, uma vez conciliados, centrados, possamos nos auto-ajudar. Pensem nisso e aproveitem as lições de Lygya Maya:

Como ser bem sucedida nas resoluções de Ano Novo

*Lygya Maya

Hora de começar a pensar na faxina de ano novo

Por que algumas pessoas são mais bem sucedidas que outras nas resoluções de Ano Novo? Por que, entra ano e sai ano, as pessoas não cumprem as promessas de fazer academia, perder peso, estudar ou de mudar determinados hábitos?

Comecei a vida com poucas vantagens. Não cheguei a cursar faculdade, passei fome na infância, fiquei sem pai aos nove anos e era limitada em minha autoconfiança e nas finanças. Até que um dia, cansada dos desafios para sobreviver, me perguntei por que algumas mulheres são mais bem sucedidas que outras.  A resposta desta pergunta mudou minha maneira de entender como obter sucesso na vida.

Comparecendo a seminários em diversos países sobre sucesso profissional e pessoal, pude constatar que as razões para se alcançar o sucesso já foram descobertas e vem sendo discutidas e divulgadas há mais de dois mil anos.  E descobri que há algo comum entre os antigos filósofos e os professores e especialistas da atualidade: todos concordam que, para obtenção do sucesso, é necessário autodisciplina.

Um dos maiores especialistas no assunto, o norteamericano M. R. Kopmeyer, autor de quatro livros com dicas de sucesso, disse uma vez que “há milhares de fórmulas de sucesso que descobri em meus estudos e experiência, mas nenhuma vai funcionar se você não tiver autodisciplina”.

A autodisciplina é a chave da nossa vitória pessoal. É a qualidade mágica que abre todas as portas para nós e faz tudo se tornar possível. Com autodisciplina, uma pessoa comum pode se tornar extraordinária, desde que tenha talento e inteligência suficientes que o guiem para frente. Já uma pessoa sem autodisciplina, mesmo que tenha tudo nas mãos, como educação, oportunidades e dinheiro, dificilmente conseguirá alcançar mais do que mediocridade.

Pode ser que você pense que será difícil ter autodisciplina, já que não tem tempo, energia ou dinheiro. E essas são desculpas que podemos usar para NÃO fazer algo. Então aqui vão três dicas para que não haja sabotagem neste assunto:

1.    Combine com uma amiga para que, uma vez por semana, ela questione sobre suas resoluções, por e-mail ou telefone.

2.    Antes de dormir, escreva suas decisões em um papel e no dia seguinte cumpra o que escreveu.

3.    Conte para os amigos que está progredindo, assim fica mais difícil voltar atrás e sabotar o que seu coração deseja.

Também é bem-vinda a ajuda de profissionais no ramo de autodesenvolvimento para obter os melhores resultados possíveis nas áreas profissional e pessoal. Todos os grandes líderes mundiais têm um ou mais especialistas de estratégia mental e emocional, que os guiam em direção à vitória de forma rápida e eficiente, assim como os personal trainers  ajudam as pessoas a se prepararem fisicamente, sem prejuízos à saúde.

Caso você já tenha autodisciplina e esteja pronto para conquistar seus desejos em 2010, serei sua fã e adoraria saber de suas vitórias.

Espero que este artigo tenha ativado sua consciência e paixão para desenvolver um trabalho de autodisciplina divertido, envolvido e compartilhado com seus amigos e concentrado na direção do sucesso em suas resoluções de Ano Novo.

Ano Novo, Vida Nova!

* Lygya Maya é coach e autora do e-book Ame as Emoções que Você Odeia, disponível em www.lygyamaya.com.br.

Leia Mais