Eventos de fotografia agitam o mês de agosto em Salvador

Mais um post sobre mulheres que fazem a diferença no cenário cultural baiano e dessa vez, o foco é em fotografia. Dois eventos promovidos por fotógrafas marcam o mês de agosto (de finzinho de inverno) em Salvador. Um é o curso de teoria e prática fotográfica que Tássia Novaes (minha ex-repórter, eita orgulho!) e Fernanda Sanjuan vão promover no Ciranda Café. O outro evento é o workshop que precede o lançamento do livro de Alice Ramos. Citei esses eventos no Twitter no fim de semana, mas agora dou os detalhes:

Alice Ramos lançará o 1º livro autoral

Por ordem de data, começo com o evento da fotógrafa baiana Alice Ramos, que realiza, dia 12 (nesta sexta-feira), no Teatro Eva Herz, Livraria Cultura do Salvador Shopping, o workshop Fotografando gente – Como você olha e registra. Com duração de três horas, das 15h às 18h, o curso é voltado para iniciantes e profissionais de fotografia que não sabem como interagir com modelos ou que querem ampliar as suas possibilidades de direção de pessoas. Para participar, os interessados devem comparecer à Livraria Cultura do Salvador Shopping, a partir das 13h do dia 12, e trocar um quilo de alimento por uma senha. São só 200 vagas, a capacidade de lotação do teatro.

No mesmo dia, após o workshop, a partir das 18h, acontece o lançamento do livro Alice de Passagem, primeiro livro autoral de fotografias de Alice Ramos, que reúne registros de quatro anos em viagens por nove países: Bélgica, Brasil, Espanha, França, Holanda, Inglaterra, Itália, Panamá e Tailândia. A publicação foi vencedora de edital de incentivo à publicação de ensaios fotográficos, do Governo da Bahia.

E aqui algumas das fotos de Alice Ramos

Fotógrafa especializada em gente, cores e texturas, Alice recebeu o Prêmio Nacional de Fotografia da Funarte em 1997, com o projeto Redondamente Enganado, no qual desafiou padrões da moda mostrando a sensualidade dos corpos volumosos de gordinhas nuas. Além disso, em 2010, ela teve projeto aprovado pelo Programa de Intercâmbio e Difusão Cultural (Sefic/MinC) e representou o Brasil na 4ª Bienal Internacional de Fotografia/Grid 2010, na Holanda. Suas fotografias foram ainda selecionadas para o acervo particular de Gilberto Chateaubriand, Coleção Pirelli/MASP, Museu Afro-Brasil e Museu da Fotografia da América Latina.

Curso de fotografia:

E agora, o segundo evento, o curso Teoria e prática fotográfica: Treinamento do olhar, ministrado pelas fotógrafas Fernanda Sanjuan e Tássia Novaes, que está com inscrições abertas. As aulas iniciam dia 25 de agosto, às 19h, no auditório do Ciranda Café Cultura & Artes (Rio Vermelho). A matrícula custa R$ 490 e dá direito a um módulo exclusivo.

Folder de divulgação do curso de fotografia

Ao todo, serão dez encontros de duas horas de duração (20 horas de aula). Desse total, quatro aulas serão destinadas a saídas fotográficas – prática em locais públicos, monitorada por um professor. É necessário ter equipamento próprio (analógico ou digital) para participar. Para saber informações completas sobre o conteúdo programático, objetivos, metodologia e perfil das fotógrafas, acesse: www.camarasolar.blogspot.com.

Serviços:

>>Workshop Fotografando gente – Como você olha e registra, com Alice Ramos
Dia 12 de agosto, das 15h às 18h
Teatro Eva Herz, Livraria Cultura – Salvador Shopping (Av. Tancredo Neves)
Entrada: Um quilo de alimento não perecível trocado a partir das 13h por uma senha

>>Lançamento do livro Alice de Passagem (Editora Romanegra, R$ 40)
Dia 12 de agosto, das 18h às 22h, com sessão de autógrafos
Livraria Cultura – Salvador Shopping (Av. Tancredo Neves)

>>Curso Teoria e prática fotográfica: Treinamento do olhar
De 25 de agosto a 24 de setembro
Carga horária: 20 horas
Encontros: quintas-feira (19h às 21) e sábados (8h às 10h)
Local: Auditório do Ciranda Café Cultura & Artes (R. Fonte do Boi, 131, Rio Vermelho)
Mais informações: (71) 9173-6500 – segunda a sexta, das 8h às 20h e sábado, 8 às 14h
E-mail: camarasolar@gmail.com / Site: www.camarasolar.blogspot.com

Leia Mais

Making off: saiba como se monta um editorial de moda

Tem um tempo que estou para publicar esse material muito bacana que a jornalista Jane Fernandes preparou para vocês, com todo o carinho, mostrando os bastidores de um editorial de moda. Corre daqui, corre dali, às vésperas de encarar a maratona de plantões carnavalescos, tiro da gaveta, para deleite das fashionistas e pesquisadoras deste vasto mundo da beleza feminina. Os bastidores de uma produção de moda sempre rendem uma curiosidade enorme. Nesse caso, o texto e as fotos tratam da realização de um ensaio da revista europeia ModaCycle, que movimentou as ruas do Centro Histórico de Salvador, em meados de fevereiro. A produção de maquiagem contou com a experiência de Valeria Meier, make up artist baiana radicada na Suiça, que também em fevereiro, deu curso de automaquiagem e foi convidada especial do encontrinho do blog (relembrem aqui).

Em tom de crônica, de quem observa a cena, Jane une jornalismo e subjetividade. As fotos, também de sua autoria, só ajudam a compor o cenário montado na nossa imaginação a partir da sua narrativa. Deu vontade de estar lá, mas como não estávamos, saibam o que está por trás do glamour que vemos nas revistas e divirtam-se! Eu me diverti…

Por trás da cena fashion

*Jane Fernandes

Quando vemos fotos maravilhosas que nos fazem desejar a roupa da modelo, o sapato que ela usa ou a maquiagem perfeita que exibe, mal podemos imaginar a trabalheira por trás de um editorial de moda. No último dia 14 estive nos bastidores de um editorial produzido em Salvador para a revista europeia ModaCycle e aproveito o espaço para dividir essa experiência com vocês.

Tudo começou com um imprevisto, a van alugada para servir de camarim, armário, transporte e o que mais fosse preciso teve um problema mecânico. Assim que a locadora enviou uma van substituta, a maquiadora Valéria Meier partiu para buscar a modelo Bruna Cabral e seguirem para a sede da D’Malicuia. O relógio marcava 10h quando Valéria e a prima Andressa começaram a arrumar o cabelo de Bruna. O calor era escaldante e a modelo a cada instante ganhava mais volume no cabelo, formando um moicano pra lá de estilizado.

O clima era de colaboração, o fotógrafo Fábio Abu-chacra definia com a modelo que a linha era natural, enquanto seus assistentes ajudavam a segurar o material de maquiagem, as meninas da D’Malicuia (Diane Lima e Mari França) ajudavam a definir os detalhes da make up e Andressa bancava a manicure. Eu, me limitava a observar, fotografar e, às vezes, perguntar. Como fiz quando Valéria colou um fita crepe na testa da modelo após preparar a pele da menina com base, corretivo e todos os produtinhos mágicos que usa para esse fim. Me assustei por não saber detalhes da proposta, mas a fita era para delimitar bem a área dos olhos a ser pintada, assim como se faz com as paredes, hehehe.

A tarde já tinha começado quando saímos em direção ao Santo Antônio Além do Carmo. Primeira parada: Antoniu’s Bar. Hora de descarregar todo o equipamento, medir a luz e fazer todos os ajustes para as primeiras fotos. A modelo vai entrando no clima de não fazer pose e logo está “esbarrando” no balcão deste bar com ares de armazém das antigas. Lembrei de Seu Elias, do Sítio do Pica-pau Amarelo, claro que foi viagem minha, mas fazer o quê se eu lembrei?

Sequência concluída e hora de trocar de roupa, sapato e acessórios, enquanto Fábio e equipe preparam tudo para o cenário de rua, que inclui uma parede que mescla grafite e pichação. As trocas de roupa são feitas na van, tarefa facilitada por um figurino composto de vestidos, saias e blusas. Ao longo do ensaio a modelo usou seis looks diferentes e era para carregar todas essas peças que a van fazia as vezes de armário.

Nessa locação,  a ideia é colocar a modelo em movimento, então ela caminha em direção aos rebatedores, enquanto o fotógrafo a enquadra em diferentes ângulos. Bruna vem direto, vem e gira, vem e pula, vem, vem e vem inúmeras vezes, e o cabelo começa a exigir os primeiros retoques: um grampinho (ou vários) no lugar certo e muito laquê para segurar o topete. Para compensar, na próxima parada, uma pousada cheia de charme, a modelo fica o tempo todo sentada numa rede. Aí, o trabalho maior foi de Fábio e seus assistentes às voltas com todos os ajustes necessários para conseguir um perfeito jogo de luz e sombra.

Ao escurecer, fizemos um pequeno lanche em frente à igreja do Boqueirão. O dia começou com sanduíches, coxinhas e refrigerantes ainda na D’Malicuia, passou por pastéis bem recheados e neste momento estava no sanduíche de padaria. Nada de parada para almoço ou qualquer refeição mais substancial. Para matar a sede, além de refrigerante tinhamos bastante água na caixa térmica, mas com a temperatura nada amena de Salvador, no final do dia a água estava longe de ser gelada.

Mas ninguém sofria, claro que depois das fotos na escadaria e na ladeira do Passo (últimas locações) estávamos todos exaustos, mas o saldo era super positivo, pois o dia também teve muita diversão e todos estavam super instigados.  Não acompanhei a seleção das fotos, então só verei o resultado quando a ModaCycle publicar o material, mas a mistura daqueles looks, com o cenário do Santo Antônio e a competência da equipe só pode resultar num editorial sensacional.

*Jane Fernandes é jornalista e proprietária da Quarta Via

**O texto foi cedido pela autora para o blog Conversa de Menina e publicado mediante citação da autoria e respeito à integridade do conteúdo. Todos os direitos são reservados à Jane Fernandes/Quarta Via.

Leia Mais

Inscrições abertas para o Talentos da Maturidade

Até o próximo dia 30 de setembro, quinta-feira, estarão abertas as inscrições para o concurso “Talentos da Maturidade Santander”, que premia a criatividade das pessoas com idade a partir de 60 anos. Esta é a 12ª edição do concurso criado em 1999. São analisados trabalhos nas categorias artes plásticas, fotografia, literatura, música vocal e programas exemplares. Para saber como inscrever sua obra e o regulamento do concurso, é só acessar o site oficial do concurso. Vocês que conhecem alguém com mais de 60 anos e que tem um trabalho bacana, está aí a chance de dar visibilidade!!

Leia Mais

Em homenagem ao Dia Internacional do Meio Ambiente

Em maio de 2000, viajei para Rio de Contas, na Chapada Diamantina (BA), atrás de remanescentes de antigos quilombos. Encontrei o que buscava e encontrei-me com a exuberância da natureza...
Não lembro o nome desse rio, faz tanto tempo... Mas para todo canto que se olha é água. Bom de ir em Rio de Contas é no inverno, quando os rios estão todos cheios e a vegetação em matizes diversos de verde
Pena que foto não registra som, porque o barulho dessa cachoeira supera em muito meus desajeitados cliques de amadora
"Na natureza selvagem". Flagrada em momento de puro deleite

Leia Mais

Cultura: Exposição de imagens sobre festa do Bonfim

Baiana com jarra de flores. Ao fundo, as fitinhas do Bonfim que os fieis amarram no gradil da igreja com pedidos. Crédito: Ricardo Prado / Exposição Megumi

Nesta quinta-feira, dia 14, acontece a tradicional Lavagem do Bonfim, uma das festas populares mais antigas e importantes do calendário de Salvador. Mistura de rituais católicos e do candomblé com crenças populares, a lavagem acontece há quase 200 anos e é precedida de um cortejo de oito quilômetros, a pé ou em carroças, entre a igreja da Conceição da Praia (no bairro do Comércio) até a Colina Sagrada, onde fica a igreja do Bonfim. O fascínio pelas cenas que acontecem durante o cortejo e no ato da lavagem, quando as baianas despejam água de cheiro nas escadarias da igreja, é o tema da exposição de fotos do mineiro radicado na Bahia, Ricardo Prado.  Intitulada “Megumi”, expressão japonesa que significa “benção”, a exposição reúne sete olhares com registros peculiares da Festa do Bonfim e estará aberta ao público a partir desta quinta-feira. Entre as imagens que compõem a exposição, está o olhar sobre o Pagador de Promessas, que partiu do bairro de Brotas até a Colina Sagrada, seguindo à risca a máxima popular que diz que “quem tem fé vai a pé”. A mostra fotográfica fica em cartaz durante o mês de janeiro na Yorumaki – Temaki Bar.

S E R V I Ç O:
O quê: Exposição “Megumi”
Quando: Aberta ao público a partir de  quinta-feira, 14 de janeiro
Onde: Av. Octávio Mangabeira, Nº 1.709 – B,  Pituba, em frente ao antigo Clube Português
Horários: Dom – Quart, das 17h30 à 0h, Quint – Sáb, das 17h30 às 5h

Leia Mais

Verger nos anos 30 em exposição

Abertura da mostra Verger anos 30 no Palacete das Artes. Crédito da Foto: Genilson Coutinho - Divulgação
Abertura da mostra Verger anos 30 no Palacete das Artes. Crédito da Foto: Genilson Coutinho - Divulgação

Uma boa dica para quem está em Salvador neste final de semana é conferir a exposição De um mundo ao outro – Pierre Verger nos Anos 30, no Palacete das Artes – Rodin Bahia. A exposição inédita trouxe para a capital baiana cerca de 180 fotos, 30 documentos originais, 11 reproduções e um audiovisual que mostram como era o ambiente cultural-artístico vivido por Verger naquela época, quando começou a fotografar.

Para que não sabe de quem se trata, Pierre Verger é um importante fotógrafo e etnólogo françês que fixou residência na Bahia em 1946, depois de 14 anos viajando pelo mundo e registrando costumes dos mais diversos povos. Com forte ligação à cultura africana e depois afro-baiana, Verger é autor de importantes obras como Fluxo e Refluxo e Notícias da Bahia – 1850, ambas referência nos estudos culturais sobre baianidade e afrodescendência. Leia a biografia completa de Verger aqui no site da Fundação que leva seu nome.

Crédito: Reprodução da foto do convite da mostra Verger 30 anosNos anos 30 Pierre Verger tem os primeiros contatos com a fotografia e descobre um outro modo de viver e ver o mundo, bem diferente da vida que levava junto à sua família, em Paris, onde nasceu em 1902. Esse contato se dá através de amigos engajados no meio cultural efervescente da época e de sua própria curiosidade.

Na exposição será possível ver as primeiras fotos das viagens à Polinésia, assim como a viagem ao redor do mundo, a primeira como fotógrafo profissional; além dos trabalhos realizados por ele em revistas e jornais e os materiais produzidos pelos seus amigos Pierre Boucher, René Zuber, Emeric Feher e Roger Parry. A exposição também apresenta um audiovisual com trechos da entrevista cedida por Verger ao programa Conexão Internacional, na década de 1980.

Reprodução do convite da mostra Verger 30 anosNa Aliança Francesa, onde também acontece uma outra etapa da mostra, são exibidas fotografias feitas em Paris por ocasião da Exposição Universal de 1937. Ainda na Aliança, No dia 24 de setembro, às 19:30h, os curadores da exposição conversarão com o público sobre Pierre Verger e os anos 30.

De um mundo ao outro – Pierre Verger nos anos 30 é uma realização da Aliança Francesa de Salvador, Fundação Pierre Verger e Palacete das Artes – Rodin Bahia, com apoio financeiro do Fundo de Cultura do Estado da Bahia e Cultures France. O evento faz parte da programação do Ano da França no Brasil.

Serviço:

De um Mundo ao Outro – Pierre Verger nos anos 30
DATA: 17/09 até 18/10
LOCAL: Palacete das Artes Rodin Bahia e na Aliança Francesa de Salvador
ENDEREÇO: Rua da Graça, n° 292 (Rodin Bahia) e Ladeira da Barra (Aliança Francesa)
HORÁRIO: terça a domingo das 10h às 18h (Palacete das Artes – Rodin Bahia) e segunda a sábado das 8h30 às 21h e domingos e feriados das 14h às 21h (Aliança Francesa de Salvador).
Entrada gratuita
MAIS INFORMAÇÕES: (71) 3117-6910
>>Visite o site da Fundação Pierre Verger

Leia Mais

Chapada Diamantina em exposição

Essa é uma dica cultural que recebemos via email e que se adequa para quem pretende viajar para a região da Chapada Diamantina em período junino e das férias de julho.

Crédito da imagem: Rui Rezende / Divulgação
Crédito da imagem: Rui Rezende / Divulgação

A exposição itinerante Eu Também Sou da Chapada, de Rui Rezende, percorre até agosto, as cidades de Morro do Chapéu, Mucugê, Lençóis, Piatã e Rio de Contas. As imagens retratam as belezas, o povo, a fauna e a flora da região.

Ao todo, 67 fotos coloridas trazem imagens de flores silvestres, pássaros, borboletas, paisagens, pinturas rupestres, gente e cultura da Chapada Diamantina. Em cada cidade por onde a exposição passar, algumas das imagens irão destacar as belezas naturais do local.

Rui Rezende decidiu fazer uma exposição fotográfica itinerante para apresentar aos moradores da Chapada as belezas que circundam suas casas, e assim, estimular o interesse em conhecer e preservar as atrações naturais que trazem turistas do mundo inteiro até essa parte da Bahia.

As cidades que recebem a mostra foram escolhidas pela distribuição geográfica, com o objetivo de ter um amplo alcance na região.

O artista fotografa a Chapada Diamantina desde 1996. Rui Rezende já percorreu grande parte dessa região explorando recursos naturais e culturais pouco conhecidos. Registrou as paisagens e a sua degradação, assim como a cultura e o povo. Percorreu também os Estados da Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Tocantins e Pará, onde produziu fotos aéreas registrando o avanço do desmatamento na região amazônica.

A mostra é uma realização do Projeto Vencedor do Edital Matilde Matos/2008 da Fundação Cultural do Estado da Bahia – FUNCEB, unidade vinculada a Secretaria de Cultura do Estado.

Confira o roteiro da mostra e se você é ou está na Chapada, vá lá ver:

Junho – Mucugê

Quando: até 27 de junho

Local: Clube Social de Mucugê – Bahia

Julho e Agosto – Lençóis

Quando: de 04 a 18 de julho

Local: Mercado Cultural de Lençóis – Bahia

Julho e Agosto – Piatã

Quando: 25 de julho a 01 de agosto

Local: Clube Social de Piatã – Bahia

Agosto – Rio de Contas

Quando: de 08 a 22 de agosto

Local: Clube Rio-contense – Bahia

=================

Visite também o site Fotos da Chapada

Leia Mais