Grávidas também podem praticar o pilates

Ana Carolina Ventura
Ana Carolina Ventura

Estes dias cheguei lá na aula de pilates no Fit Studio Salvador e me deparei com uma barrigudinha toda linda, se exercitando por lá! Sim, uma grávida, com a barriguinha saliente, pilateando lindamente, como se nada estivesse acontecendo! Achei tão lindo e tão curioso ao mesmo tempo que pedi a minha fisioterapeuta, Adriana Oliveira, para me falar um pouco sobre o pilates para grávidas e aproveitei para conversar com duas alunas que estão mantendo as atividades no pilates mesmo grávidas. Acho um tema bem bacana para tratar por aqui. Primeiro, é importante ressaltar que o pilates pode ser feito pela gestante desde o início da gestação, desde que haja liberação médica.

111
Alice Viana

Então, meninas, o primeiro passo é a indicação de seu médico. É fundamental, portanto, fazer seus exames e conversar com o obstetra, que é quem vai avaliar o seu estado clínico na gravidez e liberar a prática da atividade. “O pilates promove uma série de benefícios à gestante, melhorando consideravelmente a capacidade funcional, a consciência corporal, a irrigação sanguínea, a flexibilidade e a respiração. Além disso, o programa de exercício específico para a gestante diminui a tensão durante o parto, previne inchaços, promove o relaxamento, melhora a incontinência urinária, além de proporcionar bem estar físico e emocional”, explica Adriana.

Ao chegar ao estúdio de pilates, o fisioterapeuta vai conversar com a gestante, para captar como ela se sente, quais suas necessidades, se existe alguma queixa específica e quais seus objetivos e expectativas. Nesta fase da vida da mulher, é muito importante a prática de exercícios voltados para o fortalecimento da musculatura abdominal e pélvica, o que pode ser alcançado com o pilates. A engenheira ambiental Alice Viana, 31 anos, é adepta do pilates já há algum tempo e após a gravidez manteve a prática da atividade. “Como tenho hérnia de disco, faço pilates já há um tempo. No início da gravidez, tive de me afastar um pouco por causa dos enjoos e mal estar. Mas assim que esses sintomas pilates para grávidaspassaram, eu retornei”, conta.

Alice está com nove meses de gestação e ainda frequenta as aulas. “Minha médica super recomendou, principalmente pelo meu problema de coluna. E confesso que, graças ao pilates e à orientação (e carinho) da fisioterapeuta Adriana, não tive uma única dor de coluna. Logo que contei que estava grávida, ela adaptou os exercícios de imediato, sempre com muito cuidado e atenção. E até hoje, com nove meses, continuo fazendo. E vou continuar até quando conseguir. Super indico o pilates para as grávidas, pois me trouxe muito bem estar e me permitiu uma gravidez com muita disposição, sem contar a convivência com uma turma super do bem que rende muitas risadas e bons momentos”, conta Alice.

A enfermeira Ana Carolina Ventura, de 33 anos, também tem uma experiência bem positiva com os exercícios. Grávida de 38,5 semanas, ela já fazia pilates há cerca de um ano e meio quando descobriu que estava gestante. “Como eu já praticava, minha obstetra orientou que mantivesse a atividade. Fazer pilates tem contribuído muito para que eu tenha uma gravidez saudável e tranquila”, destaca. E complementa: “Manter a atividade do corpo, flexibilidade e tonicidade dospilates para grávidas | foto: conversa de menina músculos foram essenciais para eu continuar com disposição, executando com facilidade as atividades do dia a dia. Dificilmente sinto alguma dor, tipo as dores lombares que são comuns às grávidas. Além disso, o Pilates tb contribuiu para meu ganho de peso saudável, sem exageros”.

Ela também pretende manter os exercícios até o finalzinho da gravidez.

“Pretendo fazer aulas até a semana em que for dar à luz! Enquanto não sentir incômodo, eu vou!”, comemora.

Para ela, o papel da fisioterapeuta tem sido fundamental na condução das atividades. “Os exercícios que pratico são adequados para o meu estado. Não faço exercícios abdominais, por exemplo. Mas não sinto dificuldade alguma, aqui somos muito bem assistidas e orientadas pela instrutora. O papel da fisio é

A fisioterapeuta Adriana Oliveira
A fisioterapeuta Adriana Oliveira

essencial. Ela orienta sobre os exercícios, qual a forma correta de executá-los, a respiração, sempre cuidadosa e respeitando os limites de cada aluna”, elogia Ana Carolina.

Ela ainda garante: “Eu acho que é uma das melhores atividades físicas que uma gestante pode fazer. Não é à toa que muitos médicos recomendam. Além de trabalhar força e flexibilidade, ajuda a executar melhor atividades do dia a dia que podem ficar mais difíceis para gestantes, como sentar, levantar, agachar, carregar objetos. Além de contribuir e muito no preparo da mulher para o tão esperado momento do parto, seja ele natural ou cesariana”.

Para quem tiver interesse em obter mais informações sobre o pilates voltado para grávidas aqui em Salvador, é só entrar em contato com a fisioterapeuta Adriana Oliveira, pelo telefone/whatsapp (71) 99138-9754.

No Fit Studio Salvador, é possível agendar uma aula experimental, sem qualquer custo, para que a pessoa possa fazer uma aula antes de decidir praticar o pilates. Lá eles atendem todos os públicos e também fazem um trabalho específico voltado para cardiopatas, idosos etc. Minha experiência por lá tem sido maravilhosa, melhorei muito meu condicionamento, postura, respiração e, inclusive, perdi peso!!!!!!!

E alguém faz pilates por aí??? Me conta!! Beijos.

Leia Mais

Saúde & Fitness: Atividade física para grávidas

A série Saúde & Fitness desta semana traz um material elaborado pela Clínica Genesis sobre atividade física para gestantes: mitos, tabus, indicações e cuidados. Como sabemos que muitas mamães e futuras mamães são leitoras assíduas do Conversa, publicamos abaixo o material:

===================

*Estou grávida. Posso fazer atividade física?
– A grávida pode participar de maratonas?
– É recomendável para uma adepta do boxe, que ela continue a praticar este esporte, durante a gestação?
– O que traz mais benefícios à saúde da gestante e do bebê: andar ou correr?

Se as dúvidas sobre a gestação já são muitas… Imaginem quando o assunto é a prática de exercícios durante a gravidez… A avó recomenda repouso absoluto à neta… A mãe acha que só depois do terceiro trimestre a filha deve retomar suas caminhadas diárias… Já a manicure comenta que todas as suas clientes estão fazendo pilates durante a gravidez… “Para combater a desinformação e prevenir a adoção de condutas inapropriadas durante a gravidez, aconselhamos que a gestante converse com o seu obstetra sobre a prática de exercícios durante a gravidez. Ele  a conhece, sabe sobre sua condição clínica, com certeza, fará a recomendação médica mais apropriada”, defende o ginecologista e obstetra Aléssio Calil Mathias, diretor da Clínica Genesis.

De uma maneira geral, os especialistas não contra-indicam a prática de atividades físicas durante a gestação. E dentre todos os benefícios que já conhecemos, um estudo do Instituto de Saúde Pública da Noruega, em Oslo, apontou que a prática de exercícios durante a gravidez diminui o risco da mulher de dar à luz a um bebê com excesso de peso ao nascer. Para chegarem ao resultado, os pesquisadores avaliaram dados de 36.869 mulheres que tiveram gestações a termo. Os autores também ajustaram informações que poderiam interferir no excesso de peso, como idade materna, número de filhos, hipertensão, diabetes e pré-eclâmpsia, dentre outros.

As grávidas que participaram do estudo responderam a dois questionários sobre hábitos de atividade física entre a 17ª e a 30ª semana de gravidez. A análise dos dados revelou que quem se exercitava regularmente – pelo menos três vezes por semana em atividades como natação, caminhada, bicicleta e dança – teve um risco entre 23% e 28% menor de gerar um bebê com sobrepeso. “O dado mais interessante da pesquisa norueguesa reforça que a prática de atividades físicas é recomendada durante a gestação e oferece benefícios tanto para a mulher, quanto para o bebê”, reforça o obstetra Aléssio Calil Mathias.

Para a futura mamãe, os benefícios são muitos: a gestante ganha menos peso, melhora sua atividade cardiocirculatória, prevenindo, inclusive, quadros como diabetes gestacional e doença hipertensiva específica da gestação. “A atividade física durante a gravidez contribui também para que a mulher adquira melhor conscientização corporal, melhore sua auto-estima, sua resistência física para o parto, além de proporcionar uma recuperação pós-parto mais rápida”, destaca o médico.

De acordo com Mathias, a realização de exercícios físicos só é contra-indicada “quando a gestante não é praticante de atividades físicas antes da gestação, e, em virtude da gravidez, decide mudar sua rotina de forma agressiva, sem respeitar os limites de seu corpo. Casos em que a futura mamãe tem placenta baixa, descolamento placentário, sangramentos e trabalho de parto prematuro também são desaconselhados”, diz.

Que recomendações seguir? – “A gestante pode realizar atividades físicas durante os nove meses. Quando a paciente já é habituada a praticar exercícios, não há nenhum inconveniente em dar continuidade durante a gravidez. Se ela decidir iniciar a atividade física durante o pré-natal, precisa receber orientação e acompanhamento apropriados”, diz Franz Paganini Burini, médico especialista em medicina esportiva, que também integra o corpo clínico da Genesis.

A orientação para as gestantes é realizada sempre em conjunto com as recomendações do obstetra responsável. Não há uma fórmula única. “Alguns obstetras consideram a necessidade de descanso da gestante durante as 12 primeiras semanas de gravidez. Outros permitem que aquelas já praticantes mantenham o ritmo, porém com uma intensidade reduzida, principalmente no contexto de impacto. Alguns especialistas defendem, ainda, a necessidade de interromper a prática de exercícios no último mês de gestação”, explica Burini.

“Acompanhamos e orientamos, inclusive, aquelas mulheres que eram sedentárias e que decidiram se exercitar, a partir da notícia da gravidez”, conta Franz Burini.  Segundo um estudo publicado no Jornal da Academia Americana de Cirurgiões Ortopedistas (JAAOS), essa atitude de não ficar parada na gravidez aumenta a probabilidade da mulher incorporar a prática de exercícios no seu dia-a-dia, depois que o bebê nascer. Os cientistas acreditam que, ao se tornar mãe, a mulher reavalia seu estilo de vida, motivada por cuidar não só da própria saúde, como também do bebê.

“O ideal, no entanto, é que a mulher que pretende engravidar comece a fazer algum tipo de exercício físico, principalmente os de característica aeróbica (caminhar) a fim de melhorar o condicionamento cardiovascular. Os benefícios desta atitude vão desde a prevenção de doenças, como diabetes gestacional e pré-eclâmpsia, até um menor ganho ponderal, no período gestacional”, conta Burini.

“Após a avaliação das condições de saúde da gestante, podemos orientá-la a fazer o melhor exercício conforme o seu perfil  – algumas gestantes preferem caminhadas, outras hidroginástica ou até mesmo ioga, atividades muito indicadas por não se tratarem de exercícios de impacto e que trabalham mente e corpo de um modo equilibrado. Na verdade, o melhor exercício é o que é feito! É importante que a gestante pratique algo que lhe proporcione, além de saúde, prazer, e que preferencialmente, seja supervisionada por um profissional capacitado”, destaca o especialista em Medicina do Esporte.

Sobre a  frequência da realização dos exercícios, Franz Burini destaca que “a atividade física praticada durante a gestação também deve ser praticada de maneira regular, na maioria dos dias da semana, mas sempre respeitando o descanso do corpo”.

Para realizar exercícios com segurança durante a gestação, é essencial que a praticante seja orientada sobre vestimenta e alimentação apropriadas. “É importante que a gestante seja orientada quanto à importância de uma alimentação saudável e equilibrada. Ela nunca deve se exercitar em jejum. A hidratação, antes e depois dos exercícios, também é fator considerável”, recomenda Franz Burini.

“É essencial que a futura mamãe utilize roupas confortáveis e leves que permitam a evaporação do calor. Também recomendamos o uso de um tênis confortável e a utilização de um top que possa sustentar de maneira confortável os seios”, destaca o médico.

Saiba mais:
Site: www.clinicagenesis.com.br
Twitter: twitter.com/dralessio
Blog: Gestação Saudável

*Material elaborado e encaminhado ao blog via email pela assessoria de comunicação da Clínica Genesis

============================

Acompanhe os outros posts da série:

>>Saúde e Fitness: As vantagens da caminhada para a beleza

Leia Mais