SOS Carnaval 2 – Mais dicas de look e alimentação saudável

E agora que faltam menos de 24 horas para o fuzuê começar, o blog recebeu mais algumas dicas de looks (para quem ainda não sabe o que vestir e abalar na folia), sugestões de cuidados com a pele durante os dias de intensa atividade física e, para repor as energias, orientações de como manter a alimentação saudável durante o Carnaval. Confiram a segunda versão do nosso “Kit de Primeiros Socorros Momescos” e divirtam-se!

===================================

Não deixe de ler também:

>>SOS Carnaval: dicas para arrasar no look e na atitude

>>Artigo: Sexo frágil e a prevenção da AIDS no carnaval

>>Guia do Carnaval de Salvador 2011

>>Entrudo, festa para Dionisio, confete e serpentina

==================================

“ENJOY” THE PARTY!

Começo o SOS Carnaval com as dicas de beleza e essa grife não podia ter nome mais significativo! A Enjoy indica para quem vai cair na gandaia os modelos da coleção de alto-verão 2011. São peças que unem conforto e colorido, além de serem confeccionadas em tecidos leves, ideais para as altas temperaturas da capital baiana. Por aqui, tem loja Enjoy no Salvador Shopping. E para falar com o SAC da marca: 0800-236569.

SMARTBAG SUGERE MINI BAGS

Vou dar a dica da Smartbag, até porque, a marca não é de Salvador e o Carnaval de rua daqui não se parece em nada com o de outras paragens desse imenso Brasil, mas seria uma leviandade não alertar que em se tratando da capital baiana, bolsa nenhuma é mil vezes melhor que as mini bags. Nessa época de ano os assaltos crescem muito e bolsa, mesmo pequena, chama a atenção que é um horror. E nada de sair toda trabalhada no ouro minha gente, uma prima deu vacilo essa semana, caminhando no Farol da Barra, e teve a correntinha arrancada do pescoço! Mas, para quem vai curtir uma folia vip, a Smartbag recomenda as mini bags, bolsinhas que se destacam pela funcionalidade.”Cabe o cartão de crédito, documentos, iphone,  lipstick e uma graninha”, diz o release da marca. Mas honestamente, por aqui, dispense o cartão e o iphone, leve só a graninha necessária, um batom (que somos filhas de Deus!) e uma xerox autenticada do RG. Deixe o resto dos documentos em casa. A polícia alerta todo ano. As bolsinhas, como vocês veem nas fotos acima, são uns encantos e servem perfeitamente para outras ocasiões, em festas menos tumultuadas que a folia baiana. Para ver mais peças da marca, visite o site: www.smartbag.com.br ou ligue (11) 2092-4666 para saber preços e locais de venda.

CÍLIOS COLORIDOS SÃO A APOSTA DA KLASS VOUGH

A Klass Vough, marca de itens para maquiagem, apresenta algumas opções de cílios coloridos para quem quer ousar no look durante o Carnaval. Com cores fortes e pelos longos, os cílios artísticos fazem uma divertida combinação com fantasias e acessórios, prometendo valorizar o olhar. O preço sugerido é R$ 23,00 cada e para saber detalhes, ligue no SAC Klass Vough (11) 3276-2566 ou acesse: www.klassvough.com.

PARA COMBATER A PELE OLEOSA DURANTE A FOLIA

Atenção meninas que tem a pele acneica (sofro desse mal, como vocês sabem), a dica agora é da minha dermatologista: o calor intenso, a poluição, a suadeira na rua, a maquiagem pesada e cenográfica durante o Carnaval, tudo isso aumenta a oleosidade da pele e favorece o surgimento ou inflamação das famigeradas espinhas. Não descuidar da higienização adequada do rosto é a norma e até escrevi um post enorme sobre a limpeza da make outro dia (relembre aqui), portanto, nada de dormir com a cara cheia de pintura e ácaros! Minha dermato, para tratar a oleosidade, me indicou há uns dois meses atrás, o Dermotivin Control, sabonete líquido com substâncias que auxiliam a regularizar a atividade das glândulas sebáceas (que são as que produzem o óleo da pele), eliminando o desconforto provocado pelo excesso de oleosidade e a aparência brilhosa e grudenta. Vende em qualquer boa farmácia, não requer receita para comprar, porque é um cosmético, e pode ser usado para lavar o rosto de quem tem pele mista e oleosa, de duas a três vezes ao dia (ou mais vezes, a depender do seu grau de oleosidade). Há também uma linha soft, para peles sensíveis e ressecadas (que descamam muito) e a versão também em espuma. Indico até mesmo fora do período de Carnaval. O preço é salgadinho, mas pesquisando, dá para encontrar por uma valor justo e a durabilidade compensa, porque o frasco tem 130 ml e você só vai usar no rosto, pescoço e colo. Custa em média R$ 45 a R$ 60 reais, a depender de onde você vai comprar. Aqui em Salvador, já comprei na Farmácia Santana e pela internet, entrei em contato também com a  Galderma, a fabricante, que tem email: [email protected] e SAC: 0800 0155552.

ALIMENTAÇÃO BALANCEADA PARA AGUENTAR A MARATONA

Ano passado, também publicamos algumas dicas de nutricionistas sobre como manter uma alimentação saudável durante o Carnaval (relembre aqui e aqui também. Este ano, as orientações são dos profissionais da rede Mundo Verde.

“A alimentação deve privilegiar os alimentos integrais, para ajudar na desintoxicação, tais como arroz integral, feijão azuki, hamburguer de tofu/quinua grelhado, pratos com almôndega de soja, quibe com tofu, quiche de legumes e as leguminosas (lentilhas, ervilha, grão de bico, soja)”, orienta a nutricionista Flávia Morais.

Para fartar a mesa antes ou depois da festa, prefira alimentos fonte de carboidratos, como pães, massas com molhos leves, batata, arroz, cereais integrais. Eles são responsáveis pela formação de energia, que facilmente serão disponíveis para o gasto energético da folia. Os cereais integrais são fonte de vitaminas do complexo B e fibras, que ajudam a diminuir a taxa de colesterol do sangue e melhoram o funcionamento intestinal, além de causar a sensação de saciedade, sendo um coadjuvante na perda de peso.

Evite alimentos gordurosos, como carnes gordas, frituras, salgadinhos e doces, pois além de muito calóricos, têm digestão lenta e difícil. O ideal é trocar por frutas que têm digestão fácil e são ricas em vitaminas, minerais e substâncias antioxidantes.

Outra opção é salada, abusar de verduras e legumes, principalmente crus. Este tipo de alimento fornece nutrientes importantes e ajudam na reposição de água e sais minerais perdidos pela transpiração.

Além de se alimentar bem, para suportar o desgaste físico, o folião não deve esquecer-se de beber bastante líquido, principalmente pelo fato do feriado coincidir com o verão. “Água de coco e sucos de frutas naturais bem gelados são opções para refrescar e repor os principais sais minerais perdidos. As bebidas alcoólicas devem ser evitadas, já que além de calóricas, facilitam a diurese”, esclarece Flávia, que alerta: “O álcool em excesso provoca ressaca, sede, dor de cabeça e náuseas, além de outras conseqüências mais sérias, acarretando prejuízos de estômago, fígado, hipertensão arterial, etc.

Uma opção é aderir aos sucos naturais como os de clorofila, que além de hidratar e fornecer vitaminas e minerais, ajuda a desintoxicar o organismo. Outro aliado é o chá verde, seus polifenois ativam o sistema imunológico, e a presença de manganês, potássio, ácido fólico e as vitaminas C, K, B1 e B2 ajudam a prevenir doenças cardíacas e circulatórias. O consumo diário desse chá ajuda a diminuir as taxas do LDL (colesterol que faz mal à saúde). O suco de uva orgânico com polpa de clorofila além de antioxidante, repõe minerais, vitaminas e aminoácidos necessários para combater o desgaste físico.

Um serviço bacana é que a rede Mundo Verde oferece um serviço de Alô Nutricionista, disponível em todo o Brasil, de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas, pelo telefone pelo 0800-0222528 ou e-mail: [email protected]

MITOS E VERDADES SOBRE A BEBEDEIRA

E para fechar o SOS, algumas informações valiosas sobre a combinação perigosa álcool e folia, enviadas ao blog pela assessoria do Image Memorial/DASA:

Café, azeite, leite. Qual é o melhor remédio para curar a bebedeira? O senso comum costuma usar essas técnicas para amenizar os efeitos da embriaguez, mas será que algum deles funciona de fato? “O consumo de álcool em excesso pode gerar diversos riscos e não há nada que possa diminuir os efeitos que ele acarreta”, afirma Francis Fujii, médico de família e patologista clínico do Image Memorial.

Um dos perigos do consumo abusivo de bebidas alcoólicas está relacionado à hipoglicemia, baixa na taxa de glicose sanguínea, que pode levar uma pessoa a desmaios ou ao coma alcoólico. “O uso do álcool, principalmente em momentos festivos, como o Carnaval, pode ser agradável. Mas as consequências, principalmente se houver abusos, podem ser graves”.

Ficar alcoolizado está relacionado à ingestão (quantidade) e metabolização do álcool, ou seja, sua eliminação do organismo. Isso acontece principalmente pelos rins, que fazem 90% do trabalho, mas também pelos pulmões e pele. Segundo o patologista clínico, costumes como o de beber muita água antes do álcool, ingerir azeite, leite ou refrigerantes não ajudam a diminuir os efeitos do consumo excessivo de álcool.

“A ingestão dessas substâncias podem ajudar a combater os sintomas como desidratação e hipoglicemia, mas não corta a embriaguez”, afirma o Dr. Fujii. No entanto, tomar uma xícara de café forte ajuda a deixar o corpo mais alerta, fazendo com que, aos poucos, os efeitos do álcool diminuam.

*Informações atualizadas de acordo com os resultados do 3T10 Proforma.

 

Leia Mais

Promoção tripla do Dia Internacional da Mulher

O Conversa de Menina lança uma nova promoção para as suas leitoras, em homenagem ao Dia Internacional da Mulher, 8 de março. Dessa vez, para a brincadeira ficar mais animada, será um sorteio 3×1. Ou seja, sortearemos três brindes, para três leitoras diferentes. Os kits – todos da Avon – foram enviados ao blog pela Santa Clara Comunicação, assessoria  de imprensa da marca de cosméticos aqui em Salvador.

Atenção aos brindes:

A promoção contempla três tipos de leitoras diferentes do blog.

1 – Mães de Meninas e Avon – valendo o kit Princesas Disney das fotos acima, formado por maletinha, três colônias e um hidratante;

2 – Mães de Meninos e Avon – valendo o kit Carros das fotos acima, formado por maletinha, um shampoo, um gel para cabelo e uma colônia;

3 – Você e as essências femininas de Avon – valendo kit com quatro colônias da foto acima.

Confira as regras para participar:

Para concorrer ou ao kit 1 (Princesas Disney) ou ao kit 2 (Carros) é preciso:

1- *Ser mãe de uma menina ou ser mãe de um menino;
2 – Ter endereço no Brasil;
3 – Enviar para o e-mail do blog ([email protected]) uma foto que mostre você e a sua filha ou você e o seu filho em um momento carinhoso;
4 – Autorizar a publicação da foto em um post especial do blog sobre o Dia da Mulher. Basta escrever no corpo do e-mail, quando for enviar a foto, que gostaria de vê-la publicada.

ATENÇÃO: Os vencedores terão 48 horas para responder nosso e-mail comunicando o resultado do sorteio, sob pena de perder o brinde e ele ser ressorteado entre os demais participantes;

*Uma mãe que tenha mais de um filho, sendo um menino e uma menina, só poderá concorrer a um dos brindes e deverá sinalizar no e-mail para qual dos dois quer concorrer. Não será permitido uma mãe de menino e menina concorrer a dois sorteios.

Todas as mães que cumprirem as regras acima terão seus nomes colocados em um programa de sorteio eletrônico, que escolherá aleatoriamente os nomes de duas vencedoras, sendo uma mãe de menina e a outra, mãe de menino. Todas as fotos enviadas e autorizadas, mesmo das mães que não vencerem, serão publicadas no blog.

ATENÇÃO 2: Repetindo, só irão concorrer aos kits Princesas ou Carros, as mães que enviarem e-mail para o endereço do blog ([email protected]), conforme as regras especificadas acima. Não concorrem aos kits Princesas ou Carros as mães que comentarem no post.

Para concorrer ao kit 3 (Essências de Avon), as regras são:

1 – Ter endereço no Brasil;
2 – Postar na caixa de comentários do post a seguinte frase: “Revelo minha verdadeira essência feminina com as colônias Avon”;
3 – Preencher o campo de nome e e-mail da caixa de comentário, para facilitar que entremos em contato com a vencedora.

ATENÇÃO: A vencedora terá 48 horas para responder nosso e-mail comunicando o resultado do sorteio, sob pena de perder o brinde e ele ser ressorteado entre as demais participantes. O sorteio do kit de colônias será feito exclusivamente entre todas as meninas – independente de serem casadas, solteiras ou mães -, que postarem na caixa de comentários deste post da promoção a frase pedida acima. Não concorre ao kit 3 quem enviar inscrição via e-mail.

As datas de validade da promoção:

A promoção entra no ar neste domingo, dia 20/02/2011.

As inscrições ocorrem até o dia 06/03/2011, às 23h59. Portanto, ficam automaticamente desclassificados os e-mails enviados após esta data e horário; bem como a caixa de comentários do post será bloqueada após este horário.

Os sorteios dos três kits ocorrerão no dia 07/03/2011 – véspera do Dia da Mulher, com divulgação dos resultados no blog e redes sociais do Conversa de Menina.

No dia 08/03/2011, entra no ar a galeria de fotos das mães com seus filhotes e/ou filhotas.

Os vencedores terão até o dia 09/03/2011 para responder nosso e-mail de contato – que será enviado no dia 07/03 (data do sorteio e divulgação dos vencedores) -, sob pena de perder o brinde e ele ser ressorteado entre os demais inscritos não contemplados da primeira vez. Quem foi sorteado e não respondeu, não concorre ao ressorteio.

Os brindes dos vencedores serão enviados via Correios entre 15/03/2011 e 01/04/2011.

Leia Mais

Pesquisa mostra o perfil dos consumidores baianos às vésperas do Natal

Basta circular pelos principais centros de compras de Salvador para constatar na prática que o Natal (ao menos no seu aspecto de consumo) já chegou: é um tal de gente andando para lá e para cá que me lembra aquelas formiguinhas cortadeiras. Confesso, me divirto muito observando o entra e saí das lojas. Mas me irrito também, porque não sou muito fã de multidões e nem de correrias.

Mas, para quem é chegado a gravitar nesse universo de shopping center (pessoalmente, só vou quando tenho algum motivo, nunca apenas para “bater perna”) e gosta de números e dados (jornalista é doido por um percentual), a Potencial Pesquisas realizou um estudo com 413 pessoas maiores de 18 anos, de todas as classes sociais e regiões administrativas de Salvador e constatou que as compras natalinas serão realizadas a partir deste início de dezembro para 47,98% das pessoas. Apenas 3,63% já compraram seus presentinhos. O motivo, acredito, é o décimo terceiro, cuja segunda parcela deve ser paga até 20 de dezembro pela maioria das empresas, ao menos as privadas.

E quem não gosta de ganhar presentinho?

O levantamento verificou que para as compras de Natal, os soteropolitanos pretendem gastar em média R$ 311,55, sendo a classe A1 R$ 694,12, A2 R$ 550,00 e classe D R$ 83,90. O pagamento será realizado à vista por 48,43%, enquanto 36,32% pagarão com cartão de crédito.

Segundo o diretor e estatístico da Potencial, José Carlos Martins, esse é o período em que as pessoas mais consomem. Não é à toa que entidades como a CDL (Câmara dos Dirigentes Lojistas) definem o Natal como a melhor data do ano para o comércio, seguida de Dia das Mães.

A pesquisa mostrou ainda que 46,2% dos consumidores ainda não sabem o que comprar. Já para quem sabe, roupas e brinquedos lideram a preferência com 42,1% e 20,3%, respectivamente. Imagino que “mulheres e crianças primeiro” é uma máxima válida também na hora de dar presentes.

E os dados não negam minha teoria. Entre os futuros presenteados, pais e mães somam 50%, os filhos 47,2% e maridos e esposas 29,8%. Enquanto 9,4% ainda não sabem para quem vão comprar o presente e 2% não vão presentear neste Natal.

...ou de festejar com os amigos?

A pesquisa revelou também que 59% das compras são realizadas nos shoppings e 30,5% em lojas encontradas nas ruas. Acredito que o fator segurança influencie a decisão dos consumidores, sem contar na praticidade do shopping concentrar diversos outros serviços. Quando faço minhas compras de Natal, por exemplo, que sempre antecipo antes do início da temporada oficial, aproveito para resolver coisinhas no banco e usar outros servicinhos disponíveis no shopping, como assistências têcnicas, alfaiataria e etc.

Ainda sobre os dados do estudo da Potencial Pesquisas, entre os entrevistados, 83,54% dizem que vão comemorar o Natal em Salvador, enquanto 13,80% vão viajar e 2,66% ainda não decidiram.  Entre os que pretendem viajar, 10,53% irão para a Ilha de Itaparica. Não fui ouvida na pesquisa, mas estou entre os que passarão o Natal na capital, trabalhando.

Além do Natal, a pesquisa também analisou o comportamento no Reveillon e verificou que 76,27% vão passar a virada do ano na cidade. Dos 21,79% que vão viajar para a virada do ano, 21,11% irão também para a Ilha de Itaparica e 11,11% ainda não se decidiram.

Para ler os detalhes da pesquisa, acesse o site: www.potencialpesquisa.com.br.

*Com informações da Cibermídia Comunicação.

Leia Mais

Foco sobre a saúde feminina: osteoporose e pilates

Finalizando a série Foco sobre a saúde feminina, Cristina Abrami, do CGPA Pilates, explica de que forma esse método pode ajudar pacientes com osteoporose e quais exercícios são indicados e contra-indicados para quem tem a doença. Confiram!

OSTEOPOROSE E A PRÁTICA DE PILATES

O aumento da expectativa de vida do brasileiro tem sido acompanhado por uma epidemia silenciosa, que pode ganhar maiores proporções nas próximas décadas. A vilã, conhecida como osteoporose, compromete a qualidade de vida de uma em cada três mulheres acima de 50 anos. Segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) 10 milhões de brasileiros sofrem de osteoporose. Uma a cada três mulheres com mais de 50 anos tem a doença. 75% dos diagnósticos são feitos somente após a primeira fratura. No Brasil, a cada ano ocorrem cerca de 2,4 milhões de fraturas decorrentes da osteoporose. 200 mil pessoas morrem todos os anos no país em decorrência destas fraturas. Os dados estão disponíveis em: dez coisas que você precisa saber sobre a osteoporose.

Exercícios físicos são recomendados e o Pilates tem se mostrado aliado para o combate à osteoporose. A diretora técnica do CGPA Pilates, Cristina Abrami, comenta como a prática do método pode ajudar quem quer evitar o desgaste dos ossos e quem já tem a doença.

1- O que é osteoporose?

Segundo a OMS – Organização Mundial da Saúde – osteoporose é uma desordem esquelética caracterizada por redução da massa óssea, com alterações da microarquitetura do tecido ósseo, levando a redução da resistência e ao aumento da suscetibilidade a fraturas. A perda óssea pela osteoporose acontece de maneira gradual e silenciosa, não apresenta – na maioria dos casos – nenhum sintoma. Normalmente a diminuição da densidade óssea só é percebida quando há perda de estatura, aumento da cifose torácica ou em alguns casos quando aparecem dores na linha da cintura.

A osteoporose pode atingir: mulheres, homens, crianças, jovens, adultos e idosos. Não deve ser considerada como um processo normal de envelhecimento, por isso foi considerada como doença em 1994, pela OMS. Nos Estados Unidos a osteoporose é considerada epidêmica. Uma a cada duas mulheres e um a cada quatro homens, com idade superior a 50 anos, sofrerá ao longo de suas vidas uma fratura de coluna, quadril  ou punho por osteoporose.

2- Os professores de educação física e o pessoal de academia estão preparados para lidar com esse portador?

Portadores de osteoporose, na maioria das vezes, não sabem que foram acometidos pela doença. Os portadores de osteoporose correm grande risco de sofrerem fratura durante as suas atividades físicas.  Grande parte dos professores de ginástica e até fisioterapeutas desconhece a doença e como desenvolver programas seguros para os alunos portadores de osteoporose. Muitas vezes por falta de informação, aplicam exercícios que podem – gradativamente – causar micro-fraturas, agravando o quadro. A maioria dos exercícios deve ser modificado para  alunos portadores de osteoporose. O Pilates é indicado para pessoas que possuem osteoporose, desde que aplicado por um professor que tenha amplo conhecimento – tanto da técnica como da doença – para poder adaptar os exercícios sem oferecer risco de fratura ao aluno com osteoporose.

3- Como o Pilates pode ajudar quem sofre de osteoporose?

É importante informar que o “Método Pilates tradicional”  necessita ser modificado para ser aplicado em alunos com osteoporose. Algumas posições são totalmente contra-indicadas, podendo causar fraturas principalmente na coluna vertebral. O Método Pilates desenvolve grande consciência corporal, força e equilíbrio, condições indispensáveis para portadores de osteoporose. Os equipamentos oferecem comodidade e assistência ao aluno, permitindo que o professor faça as correções necessárias para obter melhores resultados com maior segurança.  Pessoas com osteoporose têm a tendência ao aumento da cifose torácica e por conseqüência a cabeça tende a ficar em uma posição mais protrusa. Os exercícios do Método Pilates visam à correção desta postura errada e trazem o aluno o mais próximo possível da posição ereta. Além do trabalho resistido, o aluno com osteoporose precisa treinar o seu equilíbrio para evitar quedas, motivo de grande parte das fraturas ósseas em indivíduos da terceira idade.

4- Quais os exercícios mais comuns para combater a osteoporose?

Os exercícios mais comuns são para fortalecimento abdominal (sem flexão da coluna),  o desenvolvimento de equilíbrio, o fortalecimento da musculatura posterior do tronco, dos flexores e extensores dos quadris e para os membros superiores e inferiores.

5- Os médicos indicam o pilates para estes casos?

Sim, cada vez mais os médicos reconhecem os benefícios do Pilates e recomendam a prática do método aos seus pacientes.

6- Dicas para portadores de osteopenia ou osteoporose:

>>Não executar exercícios que exijam a flexão da coluna, como os abdominais tradicionais.
>>Dê preferência aos exercícios de extensão de coluna no lugar dos de flexão.
>>Trabalhe os exercícios de equilíbrio, para evitar quedas.
>>Execute exercícios que fortaleçam a musculatura e que trabalhem por compressão e impacto, estes ajudam a aumentar a DMO (densidade mineral óssea)
>>Hidroginástica não é indicada para aumentar a DMO; não trabalha a ação da gravidade
>>Procure variar o treino, especialistas dizem que os ossos gostam de surpresas!

*Fonte: Cristina Abrami é formada em Educação Física pela USP, certificada no Método Pilates pelo Physicalmind Institute dos EUA como professora de instrutores e possui o selo internacional de Certified Pilates Teacher pela PMA – Pilates Method Alliance – que atesta a qualificação de profissionais em todo o mundo. Para saber mais, visite o site: www.cgpapilates.com.br

==============================

Confira os outros posts da série:

>>Testes para saber quando a mulher entrará na menopausa

>>Prevenção à osteoporose

>>Tratamento alternativo para menopausa

>>Foco sobre a saúde feminina no mês de outubro

Leia Mais

Foco sobre a saúde feminina: teste para saber quando a mulher entrará na menopausa

A reportagem abaixo fala de uma pesquisa desenvolvida no Irã que tem como objetivo predizer a idade em que uma mulher entrará na menopausa, ajudando desta forma aquelas que querem primeiro realizar projetos pessoais para só depois dedicarem-se à maternidade. O teste ainda não existe, mas já causa expectativa na área de reprodução humana. Além disso, o material também explica um pouco sobre a menopausa precoce, que atinge mulheres na faixa dos 30 anos e que pode ter causas genéticas ou médicas.

Irã cria teste para medir idade em que mulheres entrarão na menopausa

Estudo no futuro será instrumento útil para mulheres que querem adiar a maternidade

Pesquisadores iranianos desenvolveram um teste capaz de prever quando as mulheres vão entrar na menopausa. Ramezani Tehrani, professor associado da Shahid Beheshti Faculdade de Ciências Médicas de Teerã, autor do estudo, apresentou os resultados preliminares de sua pesquisa durante a 26 ª reunião anual da Sociedade Européia de Reprodução Humana e Embriologia, realizada em Roma, em junho passado.

Tehrani explicou que por meio de um exame de sangue é possível prever com antecedência quando as mulheres entrarão na menopausa. Os resultados do estudo podem representar o primeiro passo na criação de um instrumento útil para ajudar as mulheres a decidirem qual o melhor momento para ter um bebê.

A pesquisa, iniciada em 1998, ainda se encontra em andamento. Para chegar às conclusões divulgadas durante o evento, o pesquisador iraniano explicou como os testes foram feitos: os cientistas retiraram amostras de sangue de 266 mulheres, com idade entre 20 e 40 anos, e mediram a quantidade de hormônio AMH (anti-muleriano) – produzido pelas células do ovário da mulher – em seus corpos.

O teste de AMH revela quantos óvulos a mulher ainda tem no ovário. Duas outras amostras de sangue foram retiradas nos seis anos seguintes e exames físicos também foram realizados para comprovar os resultados obtidos por meio do exame de sangue.

Com base no AMH medido, os cientistas usaram um modelo matemático para estimar quando as mulheres entrariam na menopausa. Para as 63 mulheres do estudo que entraram na menopausa, a previsão dos cientistas se mostrou correta dentro de uma margem de quatro meses.

Mesmo diante dos resultados promissores, o próprio Tehrani mostrou-se cauteloso ao afirmar que o AMH é capaz de indicar o status reprodutivo de uma mulher mais acuradamente do que sua idade cronológica, mas considerando o pequeno universo de mulheres que participaram do seu estudo, ele mesmo defende que devem ser feitos estudos mais longos com mulheres na casa dos vinte anos e acompanhá-las durante vários anos. “Aí, sim, somente com a exata concentração sérica de AMH, será possível predizer com absoluta certeza quando a menopausa se dará”, defende o cientista iraniano.

Menopausa precoce – O exame iraniano não prevê quando a mulher perderá a fertilidade – o que tipicamente acontece cerca de uma década antes da menopausa – mas se os médicos souberem quando a menopausa começará poderão calcular uma aproximação da data do fim dos óvulos. “Com o aprofundamento das pesquisas, este exame poderá ser muito útil na identificação de mulheres que podem ter uma menopausa precoce, antes dos 50 anos”, defende o Prof° Joji Ueno, ginecologista, diretor da Clínica GERA.

Segundo o médico, a menopausa precoce é o quadro clínico que se apresenta quando a mulher entra na menopausa antes dos 32 anos, ou seja, período em que ela fica um ano ou mais sem menstruar com sintomas específicos. “A menopausa precoce não é um distúrbio hormonal, é a falência ovariana em uma mulher jovem. A falência ovariana prematura (FOP) é a perda temporária ou definitiva da função gonadal que acontece após a menarca e antes dos 40 anos de idade. Ela é caracterizada pela diminuição do número de folículos ovulatórios e é exatamente essa condição que vai gerar alteração hormonal”, explica Ueno.

Não existe uma causa determinante para o surgimento do problema. A menopausa precoce pode ocorrer por vários fatores, como o histórico familiar, por exemplo. “Há também outros fatores externos que podem antecipar a menopausa, como a remoção dos ovários ou de grande parte deles e os tratamentos contra o câncer. A radioterapia e a quimioterapia têm como objetivo impedir o crescimento celular canceroso. Porém, estes tratamentos não atingem apenas as células malignas, mas as sadias também. Dentre outros efeitos colaterais, os tratamentos contra o câncer podem levar a uma falência prematura dos ovários”, esclarece Joji Ueno, responsável do setor de vídeo-histeroscopia ambulatorial do Hospital Sírio Libanês.

Menopausa precoce e gravidez – A determinação da causa da menopausa prematura é importante para as mulheres que desejam engravidar. O exame físico é útil, seguido por exames complementares, como o de dosagem hormonal e o ultra-som ovariano. “Exames de sangue podem ser realizados para se investigar a presença de anticorpos que acarretam danos às glândulas endócrinas – exemplo de doenças auto-imunes. Para as mulheres com menos de 30 anos de idade, uma análise dos cromossomos é geralmente realizada”, explica Joji Ueno.

Confirmado o diagnóstico, a regra para tratamento é a Terapia de Reposição Hormonal, a TRH. O uso da TRH é imprescindível nos casos de menopausa de origem cirúrgica ou provocada por quimioterapia, em virtude da intensidade destes sintomas. “A menopausa precoce é indicação precisa de Terapia de Reposição Hormonal, pois essas mulheres apresentam um risco quatro vezes maior de desenvolver doenças cardíacas e sete vezes maior de desenvolver osteoporose”, alerta o médico.

A mulher com menopausa precoce apresenta uma chance inferior a 10% de conceber. “Suas chances aumentam em até 50% quando é realizada a implantação de óvulos de outra mulher no seu útero – a ovodoação -, após uma fertilização in vitro”, explica o Prof° Dr. Joji Ueno, ginecologista, diretor da Clínica GERA.

Para saber mais sobre o assunto:
Visite o site: www.clinicagera.com.br
Visite o blog: Medicina Reprodutiva
Siga o Twitter do Dr. Joji Ueno
Tire dúvidas pelo email: [email protected]

*Material elaborado pela jornalista Márcia Wirth, da MW Comunicação

============================

Confira os outros posts da série:

>>Prevenção à osteoporose

>>Tratamento alternativo para menopausa

>>Foco sobre a saúde feminina no mês de outubro

Leia Mais

Foco sobre a saúde feminina: prevenção à osteoporose

Osteoporose e menopausa estão interligadas, pois a perda de massa óssea característica da doença está intimamente ligada às alterações hormonais da fase do climatério feminino e também da andropausa masculina. Na reportagem abaixo, vocês conferem explicações sobre a doença, formas de prevenção e tratamento. Ah e quem pensa que osteoporose só afeta idosos, engana-se. Jovens que se submetem a dietas radicais perseguindo o corpo da top capa de revista também correm sérios riscos de desenvolver o problema. Confiram!

Dia 20 de outubro: Dia Mundial da Osteoporose
A data é relevante para destacar ações preventivas contra o mal

“Osteoporose é uma doença de velho…”. Durante muito tempo, esta crença impediu que a população tivesse acesso a informações e ao tratamento apropriado da doença. Na verdade, cerca de 85% dos homens e 70% das mulheres que têm osteoporose sofrem com fraturas, mas desconhecem que possuem a doença. A nutrição deficiente em cálcio e vitamina D é uma das grandes responsáveis pelo problema. Esses dados constam do estudo Brazos (Brazilian Osteoporosis Study), uma ampla pesquisa sobre a osteoporose no Brasil. Um trabalho científico sobre o assunto foi apresentado durante o 28º Congresso Brasileiro de Reumatologia, em Porto Alegre.

Quando falamos em osteopenia e osteoporose, o melhor é conhecer os causadores destas doenças para prevenir seu aparecimento, pois o tratamento médico das mesmas é caro e difícil.

A osteoporose é a doença óssea mais comum em homens e mulheres, após a quinta década de vida. Pode surgir antes, mas o seu desenvolvimento é mais comum com o avançar da idade. “Apostar na orientação e na disponibilização de informações sobre a doença é muito importante. É papel do médico esclarecer e alertar seus pacientes sobre a osteoporose. Em minha experiência clínica, constatei que quando os pacientes não são bem orientados sobre a doença, logo, abandonam o tratamento”, diz o reumatologista Sérgio Bontempi Lanzotti, diretor do Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares (Iredo).

Ameaça após a menopausa – As quedas de pessoas com mais de 60 anos assumiram dimensão de epidemia no Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde. No ano passado, o Sistema Único de Saúde contabilizou R$ 57,6 milhões de gastos com internações de idosos. Em 2006, o total foi de R$ 49 milhões. As mulheres representaram a maioria de idosos internados, em 2009, somando 20.778 contra 10.029, em 2006. As mulheres sofrem mais fraturas porque têm uma massa óssea menor e perdem muita massa óssea depois da menopausa. Por volta dos 50 anos, há um declínio muito rápido por causa da perda do estrogênio.

Entenda o que é a osteopenia?

A osteopenia é a redução progressiva do cálcio dos ossos, que ao evoluir para graus maiores de gravidade leva à osteoporose. Ocorre por uma infinidade de causas, sendo as mais freqüentes: o climatério e a progressiva redução do hormônio feminino; o uso, a médio e longo prazos, de medicamentos, entre eles os glicocorticóides, os hormônios tireoideanos e alguns anticonvulsivantes; o alcoolismo; a imobilização prolongada e algumas doenças reumatológicas e endócrinas. Há ainda uma forte incidência familiar.

“Embora mais freqüente na mulher, a osteoporose também acomete o sexo masculino. A osteoporose é absolutamente prevenível e esta prevenção envolve alimentação saudável; exercícios físicos regulares; exposição ao sol; proteção medicamentosa dos ossos durante o uso prolongado de glicocorticóides e anticonvulsivantes; a polêmica terapia de reposição hormonal na menopausa; a correta reposição de hormônios tireodeanos; o consumo de álcool com moderação; a interrupção do fumo e a implementação de exames médicos de rotina e de procedimentos que evitem quedas”, explica o reumatologista.

Com os tratamentos disponíveis, atualmente, estima-se que seja possível elevar a qualidade de vida e prevenir em até 75% as fraturas vertebrais e até 50% as fraturas não vertebrais, incluindo o fêmur, que tem maior taxa de mortalidade (25 a 30%).

“Cada vez mais, a osteoporose tem chamado a atenção de diferentes especialidades médicas e se torna muito importante o diagnóstico correto para abordar a doença. Devemos nos preocupar em preservar a qualidade de vida do paciente, tratando o problema, buscando novos tratamentos e, sobretudo, o diagnóstico precoce”, defende o diretor do Iredo

Simulação comparando a coluna vertebral de mulher saudável e com osteopenia

Pacientes portadores do HIV, em tratamento – Um levantamento realizado pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo aponta que 17% dos pacientes em tratamento contra o vírus HIV desenvolve algum tipo de complicação óssea. Diversos fatores podem ser responsáveis pelas alterações osteoarticulares em pacientes soropositivos, como a presença de vírus nos ossos, o uso do coquetel de tratamento, o sedentarismo ou questões genéticas. Dentre os principais problemas ósseos apresentados pelos soropositivos que usam antirretroviral há mais de dez anos estão a osteopenia, a osteoporose e a osteonecrose, principalmente do quadril.

Saiba como prevenir a doença?

A alimentação é uma arma poderosa no combate à osteoporose. Ela garante um aporte adequado de cálcio para a mineralização óssea durante praticamente toda a vida. Após a menopausa, a redução do hormônio feminino causa a perda de cálcio e pode haver necessidade de suplementação do mineral.

Além disso, em ambos os sexos, há uma progressiva redução na absorção de cálcio com o avançar da idade e a suplementação deste mineral pode prevenir a perda óssea e aumentar a densidade mineral óssea. “Entretanto, se já houver osteoporose manifesta, essa medida deve se associar ao uso de medicamentos para evitar a perda progressiva ou até mesmo propiciar o ganho de massa óssea”, explica Sérgio Lanzotti.

De uma maneira geral, a suplementação de cálcio deve ser de 1000 a 1500mg de cálcio elementar/dia, após a menopausa, na mulher, e após os 60 anos, no homem. Na impossibilidade da suplementação de cálcio, os laticínios são as melhores fontes de cálcio da dieta. O iogurte (400mg em 200ml), o leite (300mg em 200ml) e o queijo (400mg em 150g) devem fazer parte do cardápio destas pessoas.

Além dos problemas com a absorção do cálcio, com o avançar da idade há redução dos níveis de vitamina D no sangue, fator que agrava ainda mais a absorção de cálcio pelo organismo. “Por vivermos num país com abundância de sol, usamos protetores solares, roupas que cobrem os braços, chapéus e, muitas vezes, evitamos tomar sol. Todos estes cuidados dificultam a capacidade do organismo de produzir a vitamina D na pele”, explica Lanzotti.

Pessoas com mais de 60 anos, geralmente, se beneficiam com a suplementação da vitamina D, principalmente se cronicamente enfermos ou se vivem em “casas de repouso”. Pesquisas recentes revelam a redução do risco de fraturas com a suplementação de 700 a 800UI de vitamina D, ao dia, entretanto, alimentos ricos em vitamina D, como as gemas dos ovos e o fígado não podem ser consumidos rotineiramente devido ao alto nível de colesterol.

Importância dos exercícios – Os exercícios de carga são efetivos para manter ou aumentar a densidade mineral óssea na coluna lombar e no quadril. “As recomendações médicas incluem também caminhadas, exercícios aeróbicos de pequeno e médio impacto e de resistência, quando tolerados”, diz o reumatologista.

Exercícios regulares também aumentam a massa e a força muscular, melhoram a coordenação e o equilíbrio e têm sido responsáveis pela redução em 25% do risco de quedas em idosos.

Os exercícios que não utilizam a força da gravidade como os realizados na água – hidroginástica e natação – apesar de muito bons para o condicionamento físico e cardiovascular não são benéficos para a prevenção e o tratamento da osteoporose.

Ameaça aos adolescentes que seguem dietas rígidas

As adolescentes que se submetem a rígidas dietas para emagrecer correm o risco de sofrer, a longo prazo, graves problemas ósseos, como a osteoporose, indica um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Bristol. A pesquisa inglesa destaca o importante papel que a gordura desempenha no desenvolvimento dos ossos e, de forma particular, nos das meninas. Para tirar suas conclusões, os especialistas se concentraram em mais de 4 mil adolescentes de 15 anos nos quais usaram técnicas de scanner para calcular a forma e a densidade dos ossos desses jovens, bem como a quantidade de gordura corporal que tinham. Com essa pesquisa, o grupo Children of the 90s Project constatou ossos maiores e mais grossos nos jovens que mostraram um maior nível de gordura.

Anatomia do fêmur

Prevenção de quedas – A prevenção de quedas é importante na redução do risco de fraturas e inclui medidas que interferem em algumas incapacitações como alterações visuais; hipotensão postural e tonturas; fraqueza muscular; e o excesso de medicamentos que podem alterar o estado cognitivo e o equilíbrio. “A adequação dos ambientes com iluminação adequada, a instalação de corrimões em escadas e banheiros e o uso de calçados adequados auxiliam o tratamento preventivo”, defende o médico.

“Além da suplementação de cálcio e vitamina D e das demais medidas preventivas descritas anteriormente, contamos também com vários medicamentos que, na maioria das vezes, tornam possível a melhora da massa óssea e, mais importante do que isso, a redução do risco de fraturas”, explica Sérgio Bontempi Lanzotti. Os medicamentos disponíveis devem ser usados, a longo prazo e, geralmente, apresentam preços elevados.

O controle da doença é feito por meio de exames laboratoriais e da densitometria óssea, que consegue medir exatamente a quantidade de cálcio perdida e a evolução da recuperação óssea. “Apesar da possibilidade do tratamento da osteoporose, a prevenção ainda é o melhor negócio”, conclui o médico, que também é especialista em Densitometria Óssea pelo Colégio Brasileiro de Radiologia.

Para pesquisar mais sobre o assunto:

Visite o site do Iredo: www.iredo.com.br

Acesse o blog: Vivendo Sem Dor

Siga o Twitter de Sergio Lanzotti

No Youtube, assista o canal de reumatologia

Para tirar dúvidas, envie email para: [email protected]

*Material elaborado pela jornalista Márcia Wirth, da MW Comunicação

===============================

Confira os outros posts da série:

>>Tratamento alternativo para menopausa

>>Foco sobre a saúde feminina no mês de outubro

Leia Mais

Foco sobre a saúde feminina: tratamento alternativo para os sintomas da menopausa

O texto que publicamos abaixo apresenta uma pesquisa recente com um suplemento alimentar desenvolvido para auxiliar no tratamento dos desconfortos da menopausa. O blog não está dizendo que o produto é realmente eficiente ou condenando a terapia de reposição hormonal, que é o tratamento mais comum dos sintomas desse fenômeno pelo qual todas as mulheres vão passar com a chegada da maturidade. Achamos interessante divulgar porque o material traz outras explicações importantes sobre o climatério e porque existe seriedade na abordagem do assunto e na apresentação desta terapia alternativa, inclusive com a citação de dois centros de pesquisa de universidades importantes do país. Vale porém, o lembrete de sempre: quem prescreve tratamento é o médico e só ele saberá dizer qual é a terapia que mais convém para cada tipo de paciente. Confiram e cuidem-se!

Tratamento alternativo auxilia a nova fase da vida da mulher

Estudos da USP e Unicamp comprovam eficácia de alimento à base de soja

No próximo dia 18 é comemorado o Dia Mundial da Menopausa. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que até 2030 mais de 1 bilhão de mulheres estarão nesse período, um número três vezes maior do que em 1990.

Somente no Brasil são mais de 13,5 milhões que passam pelo período do climatério, e é por isso que há muito tempo a menopausa deixou de ser vista como uma doença, mesmo porque o número de mulheres que chegam e superam bem esse período aumentou consideravelmente comparado às últimas gerações.

No século XVII apenas 28% das mulheres chegavam no período de climatério, sendo que 5% atingiam a faixa dos 75 anos. Atualmente 95% delas chegam a menopausa e 50% atingem os 75 anos. Isso significa que com o aumento da longevidade a perspectiva é de que as mulheres passem pelo menos um terço de sua vida na menopausa.

Não existe idade predeterminada para a mulher que entra nesse ciclo. Geralmente ocorre entre os 45 e 55 anos, mas é muito comum também em mulheres a partir dos 40 anos sem que isso seja um problema.

Ondas de calor, suores noturnos, insônia, perda da libido, ressecamento vaginal, diminuição da atenção e memória são alguns dos principais sintomas sofridos pelas mulheres neste período. Apesar de a menopausa ser considerada um fenômeno natural, esses efeitos podem interferir muito na maneira de viver. Por isso o tratamento para minimizar esses sintomas aliado ao acompanhamento de um profissional qualificado é ideal. É sempre o ginecologista de confiança que deve decidir, em conjunto com a paciente, o melhor tratamento.

Princípios ativos da soja auxiliam no tratamento dos sintomas da menopausa, diz pesquisa

A terapia de reposição hormonal é o mais comum, porém a busca por opções alternativas tem sido cada vez mais procurada pelas mulheres que já realizaram reposição ou que possuem alguma contra-indicação, principalmente porque apesar de ser o mais indicado, o tratamento que inclui diferentes combinações de hormônios geralmente é interrompido pelas usuárias após um ano, a maior parte por conta de sangramentos irregulares, medo de câncer ou doença tromboembólica e ganho de peso.

Um estudo recente publicado na revista Climateric (2008) com 230 participantes mostrou que 70% das mulheres que optaram por tratamentos alternativos no climatério ao invés da TH (Tratamento Hormonal), o fizeram por medo do desenvolvimento do câncer. O ideal é enfrentar essa condição de forma saudável.

Entre os tratamentos alternativos disponíveis, um se destaca por ter sua eficácia comprovada em dois estudos conduzidos com mulheres na menopausa. Trata-se do alimento Previna®, desenvolvido por uma equipe de especialistas em nutrição e tecnologia de alimentos do Centro de Pesquisa Sanavita, que reúne em uma única porção os benefícios das proteínas e isoflavonas de soja, além do cálcio, nutriente importante para a manutenção da massa óssea.

O alimento foi avaliado inicialmente em um estudo no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP com 78 mulheres na menopausa e mostrou-se eficiente no tratamento dos sintomas, especialmente ondas de calor, na mesma magnitude que o hormônio sintético utilizado para comparação.

Posteriormente, a Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, por intermédio do médico Lucio Carmignani, com orientação da ginecologista Adriana Orcesi Pedro, concluiu um rigoroso estudo com 60 mulheres que comparou os efeitos da ingestão diária do Previna ® com o uso da terapia hormonal de baixa dosagem e placebo.

Os resultados mostraram que a ingestão do produto foi eficaz em aliviar em 65,4% sintomas como ondas de calor e 40% dos problemas musculares e de articulações. Além disso, o grupo que fez o uso do alimento apresentou melhora considerável na secura vaginal e não apresentou nenhuma reação adversa.

Ao final do estudo, os médicos concluíram que o alimento composto à base de soja é uma excelente opção para muitas mulheres que não podem utilizar a famosa TH para o controle dos sintomas relacionados ao climatério. Os profissionais da saúde tem indicado nesses casos o uso combinado do Previna® com uma dieta equilibrada, associada a um estilo de vida saudável que envolve a prática de atividades físicas regulares.

Mais informações sobre o estudo no site: www.estudosojamenopausa.com.br

*Material elaborado pela Máxima Assessoria de Imprensa.

=============================

Confira a apresentação da série:

>>Foco sobre a saúde feminina no mês de outubro

Leia Mais

Foco sobre a saúde feminina no mês de outubro

Outubro Rosa é o nome da campanha mundial – originalmente nascida nos Estados Unidos e de lá adotada em outros países – de conscientização e prevenção sobre o câncer de mama. Mas o mês também é dedicado a outras questões ligadas à saúde feminina. Na segunda-feira, dia 18, é o Dia Mundial da Menopausa e no dia 20, quarta, Dia da Osteoporose.

Independente do calendário já andar lotado de datas comemorativas, algumas inclusive sem o menor sentido (ao menos para mim), estes dois dias são tão importantes quanto o Outubro Rosa, pois falar de saúde é sempre importante, principalmente para nós mulheres.

Não que o câncer de mama não atinja os rapazes, ou que eles também não possam ter a osteoporose. Sei que entram na menopausa, nesse caso, o nome é andropausa. Mas a ideia aqui é focar na saúde das meninas e, com exceção das baixas hormoniais características da menopausa e da andropausa, tanto o câncer de mama quanto a osteoroporose têm maior incidência entre as mulheres. Além disso, a quantidade de mulheres que não se cuidam ainda é muito grande, seja por desconhecimento, falta de acesso aos serviços básicos ou mesmo por machismo. Sim, ainda existem locais no chamado Brasil profundo em que maridos – por desinformação ou ciúmes – não permitem que as mulheres vão ao ginecologista!

Para ajudar a informar as mulheres e aproveitando as datas de conscientização e o clima de Outubro Rosa, o Conversa de Menina selecionou um bom material sobre Menopausa e Osteoporose para publicar entre este domingo e a quarta-feira. Diariamente, um texto informativo elaborado por quem entende de saúde, com dados e orientações, será publicado no blog, juntamente com os demais conteúdos que já apresentamos no dia-a-dia.

Esperamos que aproveitem as informações e ajudem a disseminar a ideia de que temos de cuidar de nós mesmas e também umas das outras. Essa história de que as mulheres não são unidas é papo de machão enciumado.

Solidariedade feminina existe, taí uma boa oportunidade de provarmos!

Leia Mais

Especial Dia da Criança: hábito de leitura

O sexto artigo – terceiro publicado nesta terça – escolhido para a série Especial Dia da Criança é de Lourdes Magalhães, fundadora e presidente da Primavera Editorial. No texto, a autora fala sobre a importância de se cultivar o hábito da leitura desde a infância e desmistifica a suposta guerra: ipads x livros em papel. “Não importa qual o suporte, o importante é que as crianças leiam cada vez mais”. Apreciem sem moderação!

Lembranças “criadas” para o futuro do pretérito

*Lourdes Magalhães

Hipoteticamente, como e onde são confeccionadas as lembranças para o futuro do pretérito? Embora a pergunta pareça estapafúrdia, creio que seja legítima – afinal, a desinência “ria”, que caracteriza esse tempo verbal, é empregada também quando não se tem certeza da informação, a exemplo da frase “…ele disse que leria toda a obra de Lewis Carroll”. Trocando em miúdos, estou usando uma alegoria para questionar em que momento de nossas vidas damos “corpo” às lembranças que evocaremos futuramente. Qual é o átimo em que criamos uma boa lembrança relacionada aos livros; ao ato de participar de uma “aventura” literária? Essa reflexão se refere, especificamente, à criação de uma nova cultura em relação ao hábito da leitura em tempos de iPad e de presentes eletrônicos para o Dia das Crianças.

Não por acaso, o primeiro livro disponível para o iPad foi Alice no país das maravilhas – uma delícia para a imaginação infantil e um espanto para os adultos que ainda tentam entender as funcionalidades do aparelho. A despeito do debate sobre o livro impresso versus o eletrônico, o que tem real relevância é incentivar nossas crianças a criar, inovar, arrojar e aprender por meio da experiência da leitura. O número de leitores no Brasil será crescente à medida que toda a sociedade invista em fomentar o hábito entre as crianças. É na infância que a leitura se desenvolve e se consolida. No meu caso, por exemplo, o primeiro livro que eu realmente lembro de ter lido – e que fez a diferença na minha vida – foi Dom Casmurro. O impacto foi tanto que convenci meus irmãos e meu pai a batizar nossa cadelinha de Capitu que, diferente da personagem de Machado de Assis, viveu muito tempo. Creio que desde aquele tempo já era vidrada em livros bem escritos.

Pensando nesse futuro, fiz um exercício de pedir aos autores da Primavera Editorial que relatassem qual foi a primeira experiência que tiveram com os livros. O meu intuito era exatamente “investigar” em qual momento esses escritores se tornaram leitores; saber se foram presenteados com livros e o quanto esse presente determinou o futuro pessoal e profissional. Os relatos de Caco Porto, Edna Bugni, Luis Eduardo Matta, Gilberto Abrão, Joseph Gelinek e Márcio Kroehn fundamentam a certeza pessoal que tudo começou na infância. Embora não publique livros para o público infantil, o tema me é muito caro, porque enxergo nele o futuro do mercado editorial mundial.

Diante da profunda certeza que os livros são capazes de nos levar a outro patamar da civilização – sejam impressos ou eletrônicos – gostaria de sugerir aos pais, tios, padrinhos e avós que deem livros como presente no Dia das Crianças. Ou melhor, que deem boas lembranças para o futuro! Para tornar essa sugestão mais contundente, indico a leitura dos relatos de alguns autores da Primavera Editorial.

Boas descobertas!
Estive nas Guerras Napoleônicas, na Rússia, com Leon Tostói
“Antes de começar a ler qualquer livro, lia revistas em quadrinhos. Já fui Roy Rogers e, posteriormente, Tarzan – época em que a minha professora da segunda série era  Jane. Tempos mais tarde, tornei-me o Fantasma e transformei uma prima dois anos mais velha em minha doce Diana… Aos 13 anos, ganhei o meu primeiro livro. Na ocasião, estava estudando no Líbano e tinha tirado o terceiro lugar nos exames finais da minha classe. O diretor da escola me premiou, dando um livro escrito em árabe, cujo título seria, em português, “Animais pré-históricos”. A partir de então, tomei gosto e não parei mais de ler. Acompanhei Karl May nas viagens e nas aventuras dele – via-me dormindo no deserto do Saara e conversando com os índios no meio-oeste americano. À medida que fui crescendo, participei de outras viagens e aventuras. Estive nas Guerras Napoleônicas na Rússia com Leon Tolstói – escritor cuja morte completa 100 anos em 20 de novembro deste ano. Thomas Mann me mostrou a diferença entre o alemão protestante, rígido, e o católico, meio latinizado. Sentei longas horas com Gabriel Garcia Marquez sob a luz tênue de uma lamparina de querosene, ouvindo-o contar a saga dos descendentes de José Arcádio Buendía.” – Gilberto Abrão, autor de Mohamed, o latoeiro

Um tesouro azul
“Era inverno; os anos eram os cinquenta; a casa era antiga; a cidade era uma vila e a menina era pequena. Em uma tarde desse tempo, a menina ganhou um presente: seis pequenos livros de capa azul. Cada um com uma história familiar: Branca de Neve, Chapeuzinho Vermelho, Cinderela, João e Maria, Rapunzel e Sapatinhos Vermelhos. A menina os pegou, alisou a capa, cheirou-os e os apertou contra o peito. Tinha consigo um tesouro e sabia disso: seus primeiros livros! Um presente por ter aprendido a ler. Cinquenta anos se passaram e hoje a mulher se recorda de todas as emoções e sensações daquela tarde fria: o calor do fogão de lenha na cozinha, o barulho da água fervente caindo na chapa, o banco onde se sentou para ler, a textura do papel, o cheiro das páginas e o mundo que se abriu a partir daí…” – Edna Bugni, autora de Solstício de verão.

Um parque de diversão particular
Marcelo Marmelo Martelo, de Ruth Rocha. Como esquecer meu primeiro companheiro? Andava com o livro para cima e para baixo. Gostava da repetição dos “emes” e brincava de trocar para Márcio Marmelo Martelo, porque dava certo e me deixava feliz da vida. Em capa dura, colorido, uma grande história sobre amizade. Quem desconhece o mundo mágico das palavras perde a felicidade de estar no seu parque de diversão particular. Mas essa felicidade só existiu porque meus pais foram meus grandes incentivadores. Foram eles que colocaram a leitura em minhas mãos. E tudo no seu tempo certo, na idade certa: primeiro os infantis, depois os juvenis e as grandes obras. Eles me presenteavam com livros, eu gosto de dar livros de presente. Algumas crianças já me olharam feio, porque queriam um brinquedo qualquer. Mas foi antes da história arrancar o maior sorriso do mundo. – Márcio Kroehn, autor de Onde o esporte se reinventa: histórias e bastidores dos 40 anos de Placar

Uma conta na livraria de Copacabana
“Foi, em grande parte, graças à escola que me tornei um leitor. Tive a sorte de contar com boas professoras de português e literatura que adotaram em sala de aula livros como A inspetora e o fantasma dançarino, de Santos Oliveira, nome usado pelo escritor Ganymedes José – a primeira história com mais texto do que ilustração que li. Eu tinha, então, nove ou dez anos. Na época, meu pai, vendo meu crescente interesse pela leitura, deu-me de presente uma conta em uma livraria perto da minha casa, em Copacabana. Eu podia gastar semanalmente até uma determinada quantia e aproveitei para ler muitos livros policiais juvenis como os de Marcos Rey e João Carlos Marinho; e principalmente toda a série da Inspetora. Essas são obras que permanecem como a lembrança mais marcante daqueles meus primeiros passos no mundo da literatura.” – Luis Eduardo Matta, autor de O véu
O fim dos momentos mortos, apáticos

“Acredito que o primeiro romance completo que li em minha vida foi Os três mosqueteiros, de Alexandre Dumas. Com esse livro, aprendi que é importante para um romance ter em seu enredo diversos acontecimentos para que não existam momentos mortos, apáticos.” Joseph Gelinek, autor de A décima sinfonia

A imaginação de um pequeno príncipe
“Aos sete ou oito anos recebi de presente O pequeno príncipe, de Antoine De Saint-Exupéry. Lembro que foi uma experiência marcante, pois o livro incitava minha imaginação. Com massa de modelar criei de monstros até casas, pessoas, carros, trens e árvores. Com papel e lápis de cera desenhei rabiscos, balões de São João e bandeirinhas ao estilo Alfredo Volpi. Com papelão colorido, cola e tesoura, montei objetos tridimensionais de todos os tipos e até hoje consigo imaginá-los planificados no papelão e depois de colados, vejo-os girando em três dimensões diante de mim. Hoje sou uma pessoa grande – o narrador bem diz, no livro, as pessoas grandes não conseguem ver o elefante dentro da jiboia, apenas um chapéu – e não me lembro de detalhes da leitura, mas lembro que fiquei orgulhoso de ter o meu primeiro livro, pois afinal, eu já sabia ler. Nas páginas de O pequeno príncipe me diverti muito com as figuras e com a fertilíssima imaginação do habitante do pequenino planeta. Creio que desenvolver a imaginação tenha sido o meu grande aprendizado com esse livro. Digo isso, deslocando para fora do corpo a pessoa grande e incorporando a criança que fui no primário. A leitura desse livro foi significativa para o meu aprendizado, socialização e sobretudo para o desenvolvimento da imaginação.  É certo que captei a mensagem do livro de uma forma há 45 anos; agora tenho que fazer uma releitura para captar a mensagem como a pessoa grande que hoje sou.” – Caco Porto, autor de As duas faces da abóbora

*Lourdes Magalhães é fundadora e presidente da Primavera Editorial. Graduada em Matemática pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), com mestrado em Administração (MBA) pela Universidade de São Paulo (USP) e especialização em Desenvolvimento Organizacional pela Wharton School (Universidade da Pennsylvania, EUA). a executiva possui experiência como consultora de gestão por 20 anos,  tendo atuado no mercado editorial nacional e internacional desenvolvendo parcerias e contratos com agentes literários na avaliação de obras para a compra de direitos autorais. Antes de fundar a Primavera Editorial, atuou durante cinco anos em grandes editoras – período em que estudou o mercado editorial nacional e internacional.

**Material encaminhado ao blog pela Printec Comunicação.

====================

Leia os textos já publicados pela série:

>>Especial Dia da Criança: Preservação ambiental

>>Especial Dia da Criança: Avós e netos

>>Especial Dia da Criança: “ser” criança

>>Especial  Dia da Criança:  consumismo infantil

>>Especial Dia da Criança: o cuidador

Leia Mais