Confira o que chega às livrarias nesta sexta

Para quem gosta de uma boa ficção baseada em fatos reais – e de onde é que os autores tiram inspiração senão da vida? – três lançamentos chegam às livrarias nesta sexta, 22. Dois dos livros falam de dramas femininos vividos em meio a conflitos políticos e sociais que marcaram o século XX e o terceiro, em memória dos 70 anos do início da II Guerra Mundial, narra a história do confronto pelos olhos de um menino.  Confiram:

A chuva antes de cair

a chuva antes de cair

A chuva antes de cair, novo romance de Jonathan Coe, consagrado escritor britânico da nova geração e também autor de A casa do sono, conta a história de três gerações de mulheres de uma mesma família,  cujos destinos são traçados desde o interior da Inglaterra durante a II Guerra Mundial, passando por Londres, Toronto e o sul da França na virada do novo século. O livro retrata a natureza fugaz do amor e da felicidade e traz uma interessante investigação sobre o legado de caráter passado de uma geração à outra.

À beira da morte, uma mulher de 73 anos decide deixa de herança para uma menina cega, a descrição de 20 fotos do álbum de família que quando reunidas contam a história de uma tragédia do passado que entrelaça três gerações de mulheres.

Ficha técnica:

A chuva antes de cair

Autor: Jonathan Coe

Tradução:  Christian Schwartz

Editora Record

256 páginas

Preço sugerido: R$ 29,00

========================

Lago sem nome

o-lago-sem-nomeNa autobiografia Lago sem nome, Diane Wei Liang dá seu testemunho dos acontecimentos históricos e pessoais vividos por ela durante o movimento pela democracia que terminou com o massacre da Praça da Paz Celestial, em Pequim, fornecendo um inestimável retrato social e político da China contemporânea. Trata-se do relato de uma jornada pessoal, uma história sobre amor e política, que vai da Revolução Cultural ao cenário definidor do país no fim da década de 1980. A autora Diane Wei Liang, que nasceu em 1966, narra sua vida antes do Massacre de Tiananmen – que completa 20 anos no dia 4 de junho –, quando precisou se mudar para os Estados Unidos. Da infância em um campo de trabalho numa região remota da China e sua ida para a universidade ao engajamento em questões políticas, que mudaram sua vida e a de seus amigos, culminando no terrível massacre de estudantes na Praça da Paz Celestial.

Ficha técnica:

Autora: Diane Wei Liang

Tradução: Ana Quintana

Editora Record

400 páginas

Preço sugerido: R$ 49,00
==============================

O menino de Burma

o-menino-de-burmaBiyi Bandele, um dos cinquenta maiores autores da África, apresenta a comovente história de um menino africano tentando sobreviver à II Guerra. No inverno de 1944, a Grande Guerra entra em seu estágio decisivo. Ali Banana, ex-aprendiz de ferreiro, está atrás das linhas inimigas, cruzando a selva de Burma, como soldado da Brigada Thunder. Mas a selva é um lugar traiçoeiro, dominado por atiradores japoneses, emboscadas e doenças. Quando chuvas torrenciais transformam o cenário em uma mortífera armadilha de lama, as baixas se acumulam. Exaustos e longe de casa, os homens se veem cercados…

Burma, hoje Mianmar, se tornou ponto estratégico no cenário do sudeste asiático durante a guerra. A administração britânica ruiu frente ao avanço das tropas japonesas, prisões foram abertas e a capital, evacuada — com exceção dos anglo-burmaneses e indianos que permaneceram em seus postos. Mais de 300 mil pessoas fugiram pelas selvas até a Índia. Biyi Bandele é filho de um veterano da campanha de Burma. E é nas memórias do próprio pai que buscou a inspiração para contar a história da retomada do país.

Ficha técnica:

O menino de Burma

Autor: Biyi Bandele

Tradução: Heloísa Mourão

Editora Record

Preço sugerido: R$ 29,00

Leia Mais

A nós, “as poderosas rainhas”

Amy, a filha Emily e o gato Pumpking, personagens da vida da escritora
Amy, a filha Emily e o gato Pumpking, personagens da vida da escritora

Semana passada li o livro “As Poderosas Rainhas”, de Amy Dickinson, para fazer uma nota que será publicada no Jornal A TARDE desta quarta-feira, 13. O título caiu em minhas mãos por acaso. Confesso, na hora não pensei que a publicação poderia tratar do universo feminino. Ela foi retirada de uma estante cheia de outras obras e me foi entregue. Apenas peguei o livro e guardei, sem nem mesmo ler a orelha para saber do que se tratava. Tive uma grata surpresa ao descobrir que o volume era a autobiografia da autora, uma jornalista que assina uma coluna sobre aconselhamento familiar, publicada em uma série de jornais pelo mundo e lida por cerca de 22 milhões de pessoas por dia, de acordo com as estimativas.

O que o livro tem de especial? Para mim, o fato de tratar da história de uma mulher que enfrentou uma série de dificuldades emocionais, mas conseguiu superar os traumas e vencer na vida. Não é um livro de autoajuda. É um livro que traz uma história de vida. Amy renunciou à Amy e a filha Emilyprofissão para seguir a carreira de esposa e mãe. Repentinamente, seu casamento se desfaz e ela se vê no mundo sozinha e com uma filha pra criar. Decide, então, voltar à cidade natal, sem perspectiva de como recomeçar. Não há muitos planos, nem ideias. Mas há uma família unida e uma filha que precisa ser criada. São doze capítulos da história de Amy, que vai desde sua infância com a família na fazenda à volta por cima, quando conquista o trabalho dos seus sonhos e o reconhecimento profissional.

O texto é gostoso, leve e muito bem escrito. As palavras são carregadas de emoção, mas sem apelo. A sensação é que você está sentada em algum lugar, batendo papo com uma amiga. No final das contas, não deixa de ser uma lição de vida. Aliás, o livro de Amy chega a ser um incentivo. Tantas vezes deixamos de acreditar, e isso é normal. Tentamos dar um rumo à vida, e às vezes ela segue outro. Mas isso não significa que não podemos recomeçar. Significa apenas que precisamos recomeçar. E uma das coisas mais bacanas na leitura é acompanhar todo o processo de superação, que contou com a participação ativa de uma série de mulheres, as mulheres da família dela, as que ela chama carinhosamente de “poderosas rainhas”.

A história é de Amy Dickinson, mas poderia ser a história de qualquer uma de nós, mulheres, que muitas vezes Capa de As Poderosas Rainhasficamos diante de situações complicadas, desacreditadas, sem esperanças. Amy consegue narrar sua história sem se colocar como vítima. Ela é, naquelas linhas, apenas uma mulher em busca de um lugar ao sol.

============
SERVIÇO
============
>> As Poderosas Rainhas
>> Amy Dickinson
>> 208 páginas | R$ 34,90
>> Acesse o site do livro

Leia Mais