A explicação para o soluço

Aqui para nós, que coisa inconveniente é o soluço. Você está no meio de uma reunião de trabalho e, de repente, começa a soluçar. Você pode até pedir licença, mas os soluços irão de perseguir. Eles parecem que não vão cessar nunca, até que, de repente, desaparecem. Pior é que o soluço mexe com todo o nosso movimento corporal, de repente seus ombros sobem involuntariamente e um barulhinho esquisito foge da boca. Não tem como disfarçar. Um horror. E nem adianta colocar a mãozinha na boca para fazer de conta que nada está acontecendo. Soluço é daquele tipo de reação que todos percebem que está acontecendo com você, quer queira, quer não.

E ele não faz cerimônia para surgir. Você pode estar no meio de uma reunião de trabalho, em um bate-papo com amigos, em casa de maresia, no meio da aula, em um encontro… não tem ambiente certo. Uma hora ele vai acabar aparecendo e nos deixando, a depender da circunstância, em uma situação bem constrangedora. Fiquei me perguntando dia desses se não haveria uma forma de evitar um soluço, ou de curá-lo em meio à crise. Repentinamente percebi que eu nem sabia muito bem o que é que provocava o tal soluço e por que às vezes é tão difícil se livrar dele. Daí o motivo deste post. Agora todos nós saberemos exatamente o que é o soluço, por que ele acontece e se há alguma forma de inibi-lo nas situações em que ele parece ser bem inconveniente.

De acordo com o Dr. Dráuzio Varela, o soluço é uma “respiração com espasmos, provocada pelo súbito fechamento da glote (abertura localizada na laringe, que serve de passagem de ar para os pulmões) simultâneo à contração do diafragma (músculo respiratório situado entre o abdômen e o tórax)”. Normalmente, o soluço passa rapidamente. Bastam alguns minutos para que ele desapareça como se nada tivesse acontecido. Algumas vezes, a duração pode ser um pouco maior, e você passar algumas horas naquela situação incômoda. E outra coisa que só descobri nas pesquisas é que pode ocorrer de  o soluço se tornar crônico e durar anos. Esta última hipótese é bastante rara, vale ressaltar. No caso de as crises durarem mais de 24 horas, é preciso procurar um médico.

Em uma pesquisa rápida, encontramos diversas explicações para as causas do soluço. A ingestão de alimentos pode fazer com que seu diafragma entre em espasmo, causando o soluço. Além disso, a indigestão e o excesso de comida também podem causá-lo. Tudo porque acabamos ingerindo um pouco de ar, que é expelido do nosso organismo por meio do soluço. Às vezes, do nada, repentinamente, começamos a soluçar. As tais inspirações rápidas e em curtos espaços de tempo, que fogem completamente do ciclo respiratório normal, não é um fator de risco, não passando de um desconforto. Como as causas são as mais variadas e podem ter relação com a deglutinação de ar,  até uma gargalhada e um acesso de tosse podem acabar levando a uma crise de soluços.

Clique para ampliar a imagem

No caso do soluço persistente, claro que a procura por um médico é indispensável. pode ser que ele esteja associado a algum outro tipo de problema. Daí que  o problema pode não ser o soluço em si. E este representar apenas um sintoma de alguma coisa maior. Várias sugestões aparecem como manobras caseiras para interromper uma crise de soluços. Optamos por reproduzir as sugestões do site do Dr. Drauzio Varella, lembrando que não há como especificar a eficácia de tais medidas. Como não são danosas, vale experimentar e ver se funciona. Tudo para acabar com o incômodo de andar com espasmos por aí. Abaixo, a listagem de “remédios” caseiros:

# Prenda a respiração;
# Engula uma porção de açúcar cristal (uma colher de chá), miolo de pão ou gelo moído;
# Curve-se e beba água do fundo de um copo;
# Chupe uma fatia de limão;
# Respire repetidamente num saco de papel;
# Faça gargarejos com água;
# Puxe sua língua para provocar reações de vômito;
# Coce o céu da boca com um cotonete de algodão;
# Usando uma colher de chá, suspenda a úvula [campainha da garganta];
# Erga os joelhos até o peito e incline-se.

>> E se você tem uma receita infalível ou já experimentou algum dos métodos acima, deixe um comentário e ajude-nos a livrar-nos mais rapidamente do desconforto.

Um comentário em “A explicação para o soluço

  1. Você escreveu sobre soluços Lane e eu me lembrei de um caso engraçado de família. Quando eu era criança, minha avó, quando eu estava soluçando, pegava um pedaço de linha vermelha (ela dizia que só podia ser vermelha), mastigava um pouco e depois, grudava aquele bolinho de linha e saliva na minha testa. Como, por coincidência, o soluço naturalmente passava após algumas horas, eu ficava achando que era “a linha mágica” da minha avó.

    1. E eu acabei de lembrar da história do susto. Lembro que sempre escutava que a gente tinha de dar um susto em quem estava de soluço para que a crise passasse… rsrs… eu já dei vários sustos por causa disso… e já tomei outros tantos também…

  2. a fatia de limão realmente funciona rapidinho comigo agora queria enteder,como ela funciona no organismo pra q isso acontessa ..bjs!!!obrigada se me responder!!!

  3. Eu tive uma crise das 16h as 23h.. Nao sasabia mais o que fazer e tentei a dica de deitar curvado, em posição fetal.
    Fiquei preocupado porque ha casos em que o soluço pode ser um alerta d algo mais grave e eu estou com uma tosse forte. Pensei: ou eh uma lesão no pulmão ou entrada de ar pelo fato de tossir muito.. Mas irei ao médico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *