Acupuntura sem mistérios

AcupunturaVerdade é que muitos de nós nos submetemos a vários tratamentos por modismo. Hoje em dia, então, que a medicina chinesa está em voga, quantos não acabam parando em consultórios porque acham “bacana”, ou até “exótico”? É importante conhecer os métodos, ler sobre eles, até para que você possa criar a sua concepção própria, para que saiba o que está fazendo e por quê. Eu tenho passado por sessões de acupuntura há algum tempo e sinto os resultados positivos. Não preciso mentir para vocês. No início estava bastante cética quanto aos efeitos do tratamento, até começar a perceber os primeiros resultados. Foi depois do início do tratamento que nasceu a curiosidade de compreender melhor o assunto. Aqui, divido os resultados da minha pesquisa sobre a acupuntura.

Historicamente, os primeiros escritos sobre a utilização da acupuntura como tratamento terapêutico são datados de 90 a.C. A sistematização, no entanto, foi trazida pelo “Nei Ching”, que falava de pontos específicos como locais de estímulo, dos canais, e das associações entre os canais e órgãos do corpo humano. O livro, no entanto, recebe algumas críticas por apresentar contradições e conceitos antagônicos. Os estudiosos acreditam que a publicação tenha sido resultado de um trabalho de vários autores de épocas diversas. Com o “Nan Ching”, regras e procedimentos são definidos, os mesmos utilizados até hoje. No Ocidente, desde 1255 já se falava Acupunturana “forma exótica de medicina praticada pelos chineses”. De lá para cá, houve a popularização da técnica, culminando com sua utilização corriqueira em clínicas e consultórios especializados. Hoje, inclusive, já tem até plano de saúde que cobre o tratamento médico pela acupuntura.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define a acupuntura como tratamento complementar. É a aplicação de agulhas em pontos específicos do corpo, com objetivos terapêuticos. A técnica consiste no estímulo de pontos e meridianos que percorrem o corpo, e pode ser adotada simultaneamente a qualquer outro tipo de tratamento médico, homeopático, alopático, fitoterápico etc.  No Brasil, a acupuntura começou a ser utilizada em meados do século XX, trazida por imigrantes orientais. No início da década de 50, passou a ter uso geral. Através da acupuntura é possível restaurar o bom funcionamento do organismo, por meio da manipulação da energia do corpo, sem uso de medicamentos. É uma forma de equilibrar, harmonizar a energia do corpo, para tratar a doença. O estímulo é feito com as agulhas porque os pontos são bastante específicos e para alcançar os objetivos é imprescindível que este estímulo seja preciso.

Ideograma do Qi
Ideograma do Qi

O Qi, conceito fundamental da cultura tradicional chinesa, é a energia que circula por nosso corpo. Essa energia comanda todo o funcionamento do nosso corpo. As doenças são desequilíbrios dessa energia. Então, para que possamos melhorar, precisamos reaver este equilíbrio. É o que a acupuntura faz. Os pontos da acupuntura estão dispostos sobre meridianos, que são os caminhos por onde percorre a energia Qi. Cada órgão possui seu próprio meridiano, e cada meridiano tem pontos cutâneos diversos, cada um com uma função específica. Inserir uma agulha em um destes pontos significa estimular a energia ali contida, provocando reações bioquímicas no organismo.

Normalmente os acupunturistas localizam estes pontos manualmente, através do toque. A tecnologia, no entanto, já avançou a ponto de hoje termos um aparelho eletrônico que identifica estes pontos. Ao ser encostado na região da pele correspondente a um ponto da acupuntura, o aparelho emite um som agudo. Se encostado em uma região que não seja meridiano da acupuntura, não há emissão de som. Hoje em dia há até tratamento de acupuntura sem agulhas, com o uso de um laser. Neste último caso, o estímulo é feito através da absorção da radiação luminosa pelas células do ponto cutâneo trabalhado.

Sementinhas – Várias pessoas se perguntam o que são as tais sementinhas que os acupunturistas colocam na orelha dos pacientes. Para esclarecer, são sementes de mostarda, e integram a acupuntura auricular. Ela deve ser trocada uma vez por semana, também sendo colocadas em pontos estratégicos, a depender da doença a ser tratada nas sessões. Só na orelha, são mais de 200 pontos correspondentes a partes específicas do corpo. Além das sementes, o estímulo dos pontos na acupuntura auricular pode ser feito também com esferas e com as próprias agulhas.

É importante ressaltar que o tratamento não é doloroso. A gente não sente as agulhadas, apenas uma pontadinha muito fraca, e é bastante relaxante. O mais incrível de tudo é que, para mim, que entrei meio cética no processo, acabei virando uma fã de carteirinha do procedimento. Particularmente senti muita melhora nos pontos que foram tratados, principalmente em relação a uma rinite alérgica que me perseguiu por toda a vida. Agora, claro, é preciso ter muito cuidado na escolha do médico. Até porque não dá pra achar que colocar agulhas pelo corpo não traz riscos. Uma matéria publicada pela Folha Online fala justamente sobre isso, já que o procedimento envolve a inserção de agulhas em locais onde há terminações nervosas.

Portanto, é de suma importância buscar um profissional que seja gabaritado, antes de qualquer coisa. Conversar com ele sobre a técnica, tirar todas as dúvidas, e só a partir daí, dar início ao tratamento. E para quem já fez ou faz acupuntura, mandem seus relatos pra gente. Essa troca de informações acaba sendo fundamental também.

Para os mais curiosos:
>> Sobre acupuntura tradicional
>> Sobre acupuntura com raio laser
>> Medicina tradicional na OMS (em inglês)
>> Associação brasileira de acupuntura
>> Acupunturabrasil. org (blog com tudo sobre as teorias, tratamentos, diagnósticos etc)
>> Conheça os meridianos (canais de energia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *