Ainda o estereótipo da mulher como presa fácil

*Texto e reflexões de Andreia Santana

Esse texto vai pular a fila e passar à frente da Carol de Camila Pitanga (preciso comentar essa personagem, gente, é ponto de honra!), porque a urgência do fato se sobrepõe e, como se diz no jargão jornalístico, o tema está na ordem do dia.

Recebi a dica de uma amiga, via G-Talk: “pra você que gosta de refletir sobre as representações da mulher”. Ela deu RT no Twitter, igualmente chocada com o conteúdo. Detalhe: o RT foi do Twitter de um amigo, para vocês verem que os homens de bom-senso também se sensibilizam com essas coisas. Trata-se de um post num dos blogs da NOVA On Line (Taça em Y). A revista, considero abertamente machista tanto na versão impressa quanto na virtual, mas, infelizmente, engana meia dúzia de incautas. Se você pensa que as dicas de “como enlouquecer seu gato na cama” ou “como conseguir ter mais orgasmos que suas amigas” te tornam super poderosa, lamento informar, companheira, a NOVA vende as velhas “amelinhas” de outrora, submissas, objetos de decoração e dispostas a tudo para “agradar” o macho alfa, competitivas e nada solidárias com outras mulheres, de uma forma que considero negativa e que não ajuda em nada a imagem coletiva que se faz do feminino. A diferença é que as novas “amelinhas” estão embaladas para presente em fashionismo fake. Mulheres de atitude, de verdade, passam longe da intenção editorial da revista, do contrário, não se justificaria um post desses, em pleno Carnaval.

O título sugestivo: “Como descolar um gringo no Carnaval”, já mostra por quais caminhos vai a minha análise. Felizmente, ao acessar a página novamente, vi que tiraram o conteúdo do ar, provavelmente porque repercutiu mal nas redes sociais (280 RTs no Topsy -Twitter Trackbacks) e a ira de outros blogueiros em portais grandes como o Uol, mas o título continua registrado, para provar que não foi delírio coletivo (acesse aqui). Além disso, na internet, já ficou provado, a palavra dita e publicada é igual a tatuagem, pode até apagar, mas a cicatriz fica (aqui a versão salva pelo São Google).

Fico exultante de felicidade quando vejo a twittosfera e a blogosfera descendo o sarrafo nesse tipo de conteúdo que em nada ajuda a diminuir os índices de desrespeito e violência contra a mulher e que fazem questão de nos rotular sempre pejorativamente e de preferência como presas fáceis da lascívia masculina. Inclusive, o tema da representação feminina, como lembrou minha amiga, é corriqueiro por aqui, porque me irrita profundamente ver que esse tipo de visão distorcida é vendida como “ideal feminino”.

Como assim dar conselhos para que as brasileiras solteiras na folia arranjem um gringo “com cara de perdido” para “chamar de seu” durante o Carnaval? Estamos no século XXI, mas essa tendência de achar que as mulheres abaixo da linha do Equador são todas lanchinho fácil remonta há pelo menos 200 anos. Quem me conhece sabe que sou fascinada por crônicas de viagem e que os cronistas do século XIX, entre eles membros da realeza como o arquiduque Maximiliano da Áustria, já incentivavam o turismo sexual ao descrever, embasbacado e com artes literárias, o efeito devastador nos seus nervos, que exerciam os ombros à mostra das “belas mulatas baianas”. O príncipe esteve em Salvador lá pelos idos de 1800 e escreveu um livro inteiro sobre suas impressões da visita, dedicando um capítulo à beleza e ao “sangue quente” das mulheres daqui.

O mínimo que o post da NOVA faz é aconselhar as moças dispostas a fisgar o gringo “a pegar um bronze e ficar da cor do pecado”. Movimento Negro Unificado, por favor, manifeste-se!

Que no século XIX se tivesse essa visão limitada de mundo e de respeito ao feminino – principalmente às mulheres negras – , eu entendo, embora não aceite, porque existe toda uma construção histórica milenar por trás dos aparentes elogios à sensualidade tropical. Entendo também  que o texto tenha sido escrito, naquela época, por um homem, da realeza, ou seja, não era qualquer homem, sabemos o que um europeu, branco e da nobreza, era capaz de fazer naqueles tempos. Agora, que nos dias de hoje, uma mulher se dê ao trabalho de montar um manual que ensina outras mulheres a “caçar” e vender-se como banana na feira para um estrangeiro no Carnaval me envergonha demais.

Esse é o arquiduque Maximilian, que pelo visto fez escola

Além disso, o texto é racista – tanto no que diz respeito a empurrar as “morenas” brasileiras para cima de “gringos” que, não todos, mas uma parte, chegam por aqui atrás  dessa promessa de Sangri-la do sexo; quanto racista e xenofóbico em relação à figura dos estrangeiros que visitam o país no verão e ao qual os órgãos de turismo nos dizem com todas as letras, o tempo todo, massivamente, para tratar bem. Tratar bem significa, inclusive, dormir com eles, coitados, tão carentes e sozinhos desse lado do oceano!

É xenofóbico pois reúne os visitantes num pacote único: “gringo otário que pode ser seduzido e explorado” nos dias de reinado de Momo. Cadê o respeito, não ao fato de serem visitantes que deixarão dólares (ou euros) na nossa economia, mas por serem estrangeiros que recebemos em casa e a quem, infelizmente, mostramos nosso pior lado, quando poderiamos aproveitar a oportunidade para desfazer equivocos que perduram há 200 anos! Mas que nada, Maximiliano da Áustria deixou sucessores (e sucessoras)…

Escrever, todo mundo pode escrever o que bem quer, até porque a liberdade de expressão existe para isso. Mas é temerário publicar qualquer coisa, mesmo que sob a desculpa do “estávamos apenas zoando ou tentando ser engraçadinhos no clima momesco”. Mais temerário ainda se torna quando o texto é publicado em site ou veículo impresso de grande repercussão, que forma opinião e que acaba moldando padrões de comportamento, como todo conteúdo de cultura faz. Da novela ao blog, sempre vai ter quem “leia” a mensagem e assuma aquilo como verdade absoluta, disseminando ideias que boa parte das vezes escondem (pre)conceitos absurdos. A ideia aqui não é exercer patrulha ideológica e nem bancar a moralista, porque abomino as duas coisas, mas apenas alertar para que se pense com calma antes de escrever e publicar coisas desse tipo.

Em nada ajuda a diminuir o desrespeito, violência, humilhações e estereótipos dos quais nós mulheres somos vítimas em potencial ou rotuladas diariamente. Ainda existe uma onda machista que se renova e disfarça em várias formas, perigosa e à espreita, pronta para nos engolir e levar de enxurrada tudo o que conquistamos até agora, após décadas de tentativa de conseguir sermos tratadas como seres humanos que merecem tanto respeito quanto qualquer outro, independente do sexo biológico, da orientação sexual, da cor da pele ou da conta bancária. Vamos acordar por favor e usar o poder da mídia – quanto o temos em nossas mãos – para disseminar uma cultura positiva de feminilidade e não para nos expor na prateleira como a mercadoria mais pitoresca do Carnaval brasileiro.

Era por isso que a Simone de Beauvoir dizia que ninguém nasce mulher, torna-se uma. Só que essa construção do feminino não pode ser de uma mulherzinha vendida em revistas e cartazes de cervejaria com a falsa promessa de liberdade sexual e ser dona do próprio nariz se quem dita as regras do jogo são os machinhos que ainda nos dividem em “para casar” e “para passar o tempo”, como o integrante do reality show da moda tanto alardeia.

Engana-se tremendamente quem pensa que bancando a femme fatale para “gringo” ver é que se conquista espaço e se afirma uma identidade de mulherão.  Mulher retada, na real, não é a que assume atitude masculina na caçada. O exercício pleno e livre da nossa sexualidade tão demonizada ao longo dos séculos não passa por esse caminho de degradação. Um recado para quem ainda compactua com esse tipo de ilusão: “acordem e pensem na frase da Simone – que tipo de mulher vocês querem se tornar?”

*Andreia Santana, 37 anos, jornalista, natural de Salvador e aspirante a escritora. Fundou o blog Conversa de Menina em dezembro de 2008, junto com Alane Virgínia, e deixou o projeto em 20/09/2011, para dedicar-se aos projetos pessoais em literatura.

Leia Mais

SOS Carnaval 2 – Mais dicas de look e alimentação saudável

E agora que faltam menos de 24 horas para o fuzuê começar, o blog recebeu mais algumas dicas de looks (para quem ainda não sabe o que vestir e abalar na folia), sugestões de cuidados com a pele durante os dias de intensa atividade física e, para repor as energias, orientações de como manter a alimentação saudável durante o Carnaval. Confiram a segunda versão do nosso “Kit de Primeiros Socorros Momescos” e divirtam-se!

===================================

Não deixe de ler também:

>>SOS Carnaval: dicas para arrasar no look e na atitude

>>Artigo: Sexo frágil e a prevenção da AIDS no carnaval

>>Guia do Carnaval de Salvador 2011

>>Entrudo, festa para Dionisio, confete e serpentina

==================================

“ENJOY” THE PARTY!

Começo o SOS Carnaval com as dicas de beleza e essa grife não podia ter nome mais significativo! A Enjoy indica para quem vai cair na gandaia os modelos da coleção de alto-verão 2011. São peças que unem conforto e colorido, além de serem confeccionadas em tecidos leves, ideais para as altas temperaturas da capital baiana. Por aqui, tem loja Enjoy no Salvador Shopping. E para falar com o SAC da marca: 0800-236569.

SMARTBAG SUGERE MINI BAGS

Vou dar a dica da Smartbag, até porque, a marca não é de Salvador e o Carnaval de rua daqui não se parece em nada com o de outras paragens desse imenso Brasil, mas seria uma leviandade não alertar que em se tratando da capital baiana, bolsa nenhuma é mil vezes melhor que as mini bags. Nessa época de ano os assaltos crescem muito e bolsa, mesmo pequena, chama a atenção que é um horror. E nada de sair toda trabalhada no ouro minha gente, uma prima deu vacilo essa semana, caminhando no Farol da Barra, e teve a correntinha arrancada do pescoço! Mas, para quem vai curtir uma folia vip, a Smartbag recomenda as mini bags, bolsinhas que se destacam pela funcionalidade.”Cabe o cartão de crédito, documentos, iphone,  lipstick e uma graninha”, diz o release da marca. Mas honestamente, por aqui, dispense o cartão e o iphone, leve só a graninha necessária, um batom (que somos filhas de Deus!) e uma xerox autenticada do RG. Deixe o resto dos documentos em casa. A polícia alerta todo ano. As bolsinhas, como vocês veem nas fotos acima, são uns encantos e servem perfeitamente para outras ocasiões, em festas menos tumultuadas que a folia baiana. Para ver mais peças da marca, visite o site: www.smartbag.com.br ou ligue (11) 2092-4666 para saber preços e locais de venda.

CÍLIOS COLORIDOS SÃO A APOSTA DA KLASS VOUGH

A Klass Vough, marca de itens para maquiagem, apresenta algumas opções de cílios coloridos para quem quer ousar no look durante o Carnaval. Com cores fortes e pelos longos, os cílios artísticos fazem uma divertida combinação com fantasias e acessórios, prometendo valorizar o olhar. O preço sugerido é R$ 23,00 cada e para saber detalhes, ligue no SAC Klass Vough (11) 3276-2566 ou acesse: www.klassvough.com.

PARA COMBATER A PELE OLEOSA DURANTE A FOLIA

Atenção meninas que tem a pele acneica (sofro desse mal, como vocês sabem), a dica agora é da minha dermatologista: o calor intenso, a poluição, a suadeira na rua, a maquiagem pesada e cenográfica durante o Carnaval, tudo isso aumenta a oleosidade da pele e favorece o surgimento ou inflamação das famigeradas espinhas. Não descuidar da higienização adequada do rosto é a norma e até escrevi um post enorme sobre a limpeza da make outro dia (relembre aqui), portanto, nada de dormir com a cara cheia de pintura e ácaros! Minha dermato, para tratar a oleosidade, me indicou há uns dois meses atrás, o Dermotivin Control, sabonete líquido com substâncias que auxiliam a regularizar a atividade das glândulas sebáceas (que são as que produzem o óleo da pele), eliminando o desconforto provocado pelo excesso de oleosidade e a aparência brilhosa e grudenta. Vende em qualquer boa farmácia, não requer receita para comprar, porque é um cosmético, e pode ser usado para lavar o rosto de quem tem pele mista e oleosa, de duas a três vezes ao dia (ou mais vezes, a depender do seu grau de oleosidade). Há também uma linha soft, para peles sensíveis e ressecadas (que descamam muito) e a versão também em espuma. Indico até mesmo fora do período de Carnaval. O preço é salgadinho, mas pesquisando, dá para encontrar por uma valor justo e a durabilidade compensa, porque o frasco tem 130 ml e você só vai usar no rosto, pescoço e colo. Custa em média R$ 45 a R$ 60 reais, a depender de onde você vai comprar. Aqui em Salvador, já comprei na Farmácia Santana e pela internet, entrei em contato também com a  Galderma, a fabricante, que tem email: sac@galderma.com e SAC: 0800 0155552.

ALIMENTAÇÃO BALANCEADA PARA AGUENTAR A MARATONA

Ano passado, também publicamos algumas dicas de nutricionistas sobre como manter uma alimentação saudável durante o Carnaval (relembre aqui e aqui também. Este ano, as orientações são dos profissionais da rede Mundo Verde.

“A alimentação deve privilegiar os alimentos integrais, para ajudar na desintoxicação, tais como arroz integral, feijão azuki, hamburguer de tofu/quinua grelhado, pratos com almôndega de soja, quibe com tofu, quiche de legumes e as leguminosas (lentilhas, ervilha, grão de bico, soja)”, orienta a nutricionista Flávia Morais.

Para fartar a mesa antes ou depois da festa, prefira alimentos fonte de carboidratos, como pães, massas com molhos leves, batata, arroz, cereais integrais. Eles são responsáveis pela formação de energia, que facilmente serão disponíveis para o gasto energético da folia. Os cereais integrais são fonte de vitaminas do complexo B e fibras, que ajudam a diminuir a taxa de colesterol do sangue e melhoram o funcionamento intestinal, além de causar a sensação de saciedade, sendo um coadjuvante na perda de peso.

Evite alimentos gordurosos, como carnes gordas, frituras, salgadinhos e doces, pois além de muito calóricos, têm digestão lenta e difícil. O ideal é trocar por frutas que têm digestão fácil e são ricas em vitaminas, minerais e substâncias antioxidantes.

Outra opção é salada, abusar de verduras e legumes, principalmente crus. Este tipo de alimento fornece nutrientes importantes e ajudam na reposição de água e sais minerais perdidos pela transpiração.

Além de se alimentar bem, para suportar o desgaste físico, o folião não deve esquecer-se de beber bastante líquido, principalmente pelo fato do feriado coincidir com o verão. “Água de coco e sucos de frutas naturais bem gelados são opções para refrescar e repor os principais sais minerais perdidos. As bebidas alcoólicas devem ser evitadas, já que além de calóricas, facilitam a diurese”, esclarece Flávia, que alerta: “O álcool em excesso provoca ressaca, sede, dor de cabeça e náuseas, além de outras conseqüências mais sérias, acarretando prejuízos de estômago, fígado, hipertensão arterial, etc.

Uma opção é aderir aos sucos naturais como os de clorofila, que além de hidratar e fornecer vitaminas e minerais, ajuda a desintoxicar o organismo. Outro aliado é o chá verde, seus polifenois ativam o sistema imunológico, e a presença de manganês, potássio, ácido fólico e as vitaminas C, K, B1 e B2 ajudam a prevenir doenças cardíacas e circulatórias. O consumo diário desse chá ajuda a diminuir as taxas do LDL (colesterol que faz mal à saúde). O suco de uva orgânico com polpa de clorofila além de antioxidante, repõe minerais, vitaminas e aminoácidos necessários para combater o desgaste físico.

Um serviço bacana é que a rede Mundo Verde oferece um serviço de Alô Nutricionista, disponível em todo o Brasil, de segunda a sexta-feira, das 9 às 17 horas, pelo telefone pelo 0800-0222528 ou e-mail: alonutricionista@mundoverde.com.br.

MITOS E VERDADES SOBRE A BEBEDEIRA

E para fechar o SOS, algumas informações valiosas sobre a combinação perigosa álcool e folia, enviadas ao blog pela assessoria do Image Memorial/DASA:

Café, azeite, leite. Qual é o melhor remédio para curar a bebedeira? O senso comum costuma usar essas técnicas para amenizar os efeitos da embriaguez, mas será que algum deles funciona de fato? “O consumo de álcool em excesso pode gerar diversos riscos e não há nada que possa diminuir os efeitos que ele acarreta”, afirma Francis Fujii, médico de família e patologista clínico do Image Memorial.

Um dos perigos do consumo abusivo de bebidas alcoólicas está relacionado à hipoglicemia, baixa na taxa de glicose sanguínea, que pode levar uma pessoa a desmaios ou ao coma alcoólico. “O uso do álcool, principalmente em momentos festivos, como o Carnaval, pode ser agradável. Mas as consequências, principalmente se houver abusos, podem ser graves”.

Ficar alcoolizado está relacionado à ingestão (quantidade) e metabolização do álcool, ou seja, sua eliminação do organismo. Isso acontece principalmente pelos rins, que fazem 90% do trabalho, mas também pelos pulmões e pele. Segundo o patologista clínico, costumes como o de beber muita água antes do álcool, ingerir azeite, leite ou refrigerantes não ajudam a diminuir os efeitos do consumo excessivo de álcool.

“A ingestão dessas substâncias podem ajudar a combater os sintomas como desidratação e hipoglicemia, mas não corta a embriaguez”, afirma o Dr. Fujii. No entanto, tomar uma xícara de café forte ajuda a deixar o corpo mais alerta, fazendo com que, aos poucos, os efeitos do álcool diminuam.

*Informações atualizadas de acordo com os resultados do 3T10 Proforma.

 

Leia Mais

Artigo: Sexo frágil e a prevenção da AIDS no carnaval

Para reforçar a campanha sobre sexo seguro no Carnaval, que este ano tem como foco o público feminino jovem, o blog abre espaço para mais um artigo de autoria de Maria Helena Vilela, diretora do Instituto Kaplan. Além de falar da campanha e trazer dados sobre o avanço do HIV/Aids entre as mulheres, Maria Helena dá dicas importantes sobre a sexualidade e autoestima femininas. Mas, embora o foco sejam as garotas na faixa dos 15 aos 24 anos, os conselhos sobre autopreservação valem para as mulheres maduras e também para todos os casais, independente da orientação sexual. Cuidar de si e de quem se ama não é questão restrita a um determinado gênero. Boa leitura!

Sexo frágil e a prevenção da AIDS no Carnaval

*Maria Helena Vilela

A campanha de Carnaval de 2011 terá como público as mulheres de 15 a 24 anos.  O público feminino foi escolhido porque a infecção entre as mulheres está em constante crescimento. Apesar de haver mais casos da doença nos homens, essa diferença diminui ao longo dos anos. Segundo o Ministério da Saúde – Departamento de DST/Aids, em 1989, a razão de sexos era de cerca de 6 casos de aids no sexo masculino para cada 1 caso no sexo feminino. Em 2009, chegou a 1,6 caso em homens para cada 1 em mulheres.

As mulheres lutaram por seus direitos sexuais, pelo direito de estudar, desenvolver uma carreira profissional e conquistar sua autonomia econômica e pessoal. Mas, quando a questão é amor e sexo, a garota volta no tempo, e ainda se comporta de forma submissa aos desejos do namorado e, presa a mitos e tabus que colocam sua vida em risco, como por exemplo, a virgindade. A virgindade ainda é muito valorizada na mulher. Sabendo disso, muitas garotas acabam cometendo equívocos incríveis para não romper o hímen – fazer sexo anal; prática sexual que quando realizada sem preservativo é a de maior risco de infecção pelo HIV. Na contra mão dos fatos, pesquisas mostram a dificuldade de a garota negociar o uso da camisinha por medo de perder o namorado, de ser julgada “galinha”, ou ainda pior: não usar preservativo em nome do amor, acreditando que “quem ama confia”. Tais comportamentos fazem da mulher o verdadeiro sexo frágil.

A infecção pelo HIV se dá pelo contato direto com o sangue, o sêmen e as secreções vaginais, e isto pode acontecer no sexo oral, mas principalmente, na relação vaginal e no sexo anal. O ânus e a vagina são órgãos muito vascularizados, revestidos por um tecido delgado chamado de mucosa. Na relação sexual, especialmente durante a penetração, o pênis provoca atrito na vagina ou no ânus, causando micro-fissuras nas paredes das mucosas, aumentando o risco de que o HIV presente no esperma entre na corrente sangüínea.

Outro fator que aumenta a vulnerabilidade da mulher à Aids é a menstruação. Quando a mulher está menstruada, a descamação da parede do útero o deixa completamente exposto ao HIV. Fazer sexo menstruada é “entregar o ouro para o bandido”, pois o vírus atinge a corrente sangüínea sem precisar fazer esforço.

Como se não bastasse tudo isso, o canal vaginal é um órgão interno, o que dificulta à mulher perceber qualquer alteração na vagina. Muitas vezes, ela só descobre que tem uma infecção, ou mesmo uma DST, se consultar um ginecologista, ou quando a doença já está bastante adiantada. Uma infecção agrava ainda mais a fragilidade da parede vaginal, aumentado a vulnerabilidade da mulher à Aids.

Meninas sejam espertas e fiquem fora desta estatística da Aids. Se existe sexo frágil, estes são o sexo anal e o vaginal, quando o assunto é Aids. Portanto, alguns cuidados são fundamentais na sua vida, e especialmente, no carnaval:

>> Nunca delegue o cuidado com o seu corpo. O corpo só tem um dono, e este é você. Quando você delega, o outro pode não priorizar os seus interesses.

>>Só se previne quem tem convicção dessa necessidade. Busque informações sobre razões para se prevenir, sexualidade, prevenção, DST/Aids e métodos contraceptivos.

>>Não faça qualquer negócio sexual no Carnaval. A auto-estima da mulher está condicionada a sua capacidade de despertar o interesse nos homens, principalmente, em festas como o Carnaval. Se achar que está invisível, mesmo assim, não faça nenhum acordo que possa lhe colocar em risco.

>>Antes de cair na folia escreva uma lista com os nomes das pessoas que você considera importantes e que lhe amam. Isto ajudará você a não esquecer que é amada

>>Sei que é difícil, mas se for transar não beba. A bebida atrapalha o prazer e faz você esquecer seus limites.

>>Nunca negocie o uso da camisinha na hora da transa. O tesão embriaga e lhe deixa entregue a sorte, ou azar!

>>Conheçam a camisinha feminina. Ela é uma opção, e já existem modelos mais simples que facilita a sua colocação.

>>Na falta da camisinha, você não precisa abrir mão do prazer sexual. O casal pode realizar práticas sexuais que não sejam de risco, como a masturbação simultânea entre os parceiros

>>Existem camisinhas de vários tipos e qualidades. Portanto, sempre haverá uma que se adeque ao seu parceiro.

>>Sexo é uma brincadeira de verdade. Quando a gente se machuca, a cicatriz fica para sempre.

*Maria Helena Vilela é diretora do Instituto Kaplanwww.kaplan.org.br

**Conteúdo enviado pela Vera Moreira Comunicação e publicado com autorização, mediante citação da autoria e respeito à integridade do texto.

Leia Mais

Carnaval nas Obras Sociais Irmã Dulce começa mais cedo com os Terapeutas do Riso

O Carnaval começou nas unidades das Osid (Obras Sociais Irmã Dulce) nesta segunda, às 14h, com um cortejo festivo nas enfermarias do Hospital Santo Antonio. Até o dia 02, quarta-feira, a trupe dos Terapeutas do Riso é quem comanda a festa que, além dos cortejos, terá também arrastões e o bloco do Riso Frouxo, criado há três anos.

O objetivo é levar a alegria que toma conta da capital durante a folia de Momo para as unidades das Osid, que possuem cerca de mil pacientes em tratamento.

A festa dos adultos, que começou agora à tarde, acontece em três etapas, com cortejo carnavalesco nas enfermarias do Hospital Santo Antonio. Na tarde desta terça, 1º de março a folia chegará à UTI e só terminará na tarde de quarta, com o cortejo no Centro Médico Social Augusto Lopes Pontes.

Haverá ainda programação especial no Hospital da Criança, no dia 02, pela manhã. A unidade foi toda decorada com máscaras, colombinas e pierrôs. Cada andar do hospital recebeu ainda o nome de um circuito do Carnaval de Salvador.

Confira o roteiro da alegria nas Osid:

Dia 28 (14h) – Cortejo carnavalesco nas enfermarias do Hospital Santo Antonio.

Dia 01 (14h) – Cortejo carnavalesco na UTI do Hospital Santo Antonio.

Dia 02 (9h30) – Carnaval do Bloco Riso Frouxo no Hospital da Criança.

Dia 02 (14h30) – Cortejo carnavalesco nas enfermarias do Centro Médico Social Augusto Lopes Pontes.

Leia Mais

SOS Carnaval: dicas para arrasar no look e na atitude

O Carnaval em Salvador começa, extra-oficialmente, na próxima quinta-feira, embora a cidade já viva “dias de Momo” desde o começo do Verão. Para ajudar quem está atrás de uma inspiração para compor o look da folia, listei algumas dicas de maquiagem e figurino enviadas ao blog por marcas e make up artists que trabalham propostas diferentes, do nude ao clássico, passando pela funny make (assim dá para atender todos os gostos). Além disso, no final do post, enumero algumas recomendações do Instituto Kaplan para a prevenção da AIDS e das DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) durante a semana de “Carnevale“. Tá bem grandinho, mas como é um SOS, para facilitar, dividi por temas:

Divirtam-se, aproveitem as dicas e curtam o espírito de liberação da festa com sabedoria!

Vá de Lady Gaga

MUITO GLITTER COM DAILUS COLOR
A maquiagem é um item indispensável para dar um up  no rosto e deixar todo mundo mais colorido na avenida ou em bailes carnavalescos. Muito glitter, sombra neon e gloss são as opções da marca de cosméticos Dailus Color. A linha Glitter, por exemplo, com brilho intenso e textura fina, pode ser aplicado no rosto e no corpo. São oito cores diferentes que ajudam no momento de compor o visual mais irreverente. Para ressaltar o olhar dentro do espírito da festa, a pedida são as sombras flúor, que garantem um look contemporâneo. É importante ainda usar um fixador de sombra. O glitter também dá maior aderência e fixa de maneira uniforme, evitando que a sombra saia com o passar das horas. Complete a maquiagem com o Gloss Labial Shine, com perolas refletoras de luz. A maquiadora oficial da Dailus Color, Mirian Costa, dá uma dica importante para o dia seguinte: “A maquiagem no Carnaval é essencial para a diversão, mas nada de dormir com a maquiagem, é fundamental limpar bem a pele antes de dormir para não entupir os poros e deixar a pele com aspecto cansado e envelhecido” . Mais informações através do site www.dailus.com.br.

BELEZA NATURAL INDICA FLORES NOS CACHOS
Adriana Lobão, coordenadora técnica das cabeleireiras do Instituto Beleza Natural, sugere que as foliãs apostem em sombras em tons fortes como pink, amarelo, laranja, azul, turquesa e limão. A maquiagem neon, porém, deve ser usada com cuidado para não carregar o look.  Ela segue a tendência do equilibrio entre os contrastes, por exemplo, se você preferir destacar mais os olhos, indica evitar batons de cores vibrantes. “A melhor opção neste caso é o batom nude”, destaca Adriana. Nos cabelos, a tendência é usar flores ou headband para alegrar o visual. Outra opção são as tranças ou coques que também podem ser incrementados com as flores de tecido. Caso opte pelas tranças, use gel nos fios secos para fixar o penteado. Quem tem cabelo crespo ou ondulado e deseja deixá-lo solto na avenida, deve reforçar o uso de creme de pentear para definir os cachos, ensina.

PASSO A PASSO DE CARNAVAL COM NATÁLIA ANTUNES
A make up artist oficial da LUMI Cosméticos indica um passo a passo simples e com efeito sofisticado para os dias de folia, usando produtos da marca. Vai na mesma linha do BN, de olho tudo e boca nada, mas o olho não é colorido para constratar. A dica da make é para festa glamourosa:
1- Prepare a pele com base cremosa, corretivo e pó.
2- O blush  usado nessa make é o Verão Bronze.
3- Nos olhos, com a cor Marrom Siena, do Duo de Sombras, marque toda a pálpebra superior fazendo uma diagonal para dar o efeito mais puxado.
4- Com a Sombra Sol, do Duo, ilumine o canto interno dos olhos e sobre a Sombra Sol aplique a Sombra Brilho Dourada.
5- Use a sombra Bronze do Duo para iluminar embaixo das sobrancelhas.
6- Esfume o canto externo dos olhos com a cor Preta também do Duo de sombras.
7- Aplique o Delineador Preto em todo contorno dos olhos e capriche nas camadas de Máscara para Cílios Alongadora e à Prova d`água.
8- Nos lábios aplique o Brilho Labial Rosa Bailarina.
9- Faça uma trança nos cabeços a arrase no Carnaval!

Para saber detalhes dos produtos, acesse o site www.lumicosmeticos.com.br ou ligue no SAC da marca: (11) 3246 4664

LOOKS DA LIMITS PARA A FOLIA MASCULINA

A bermuda é a peça preferida dos homens para compor o visual e se diferenciar no mar de camisetas de camarotes e abadás de blocos no Carnaval. Em promoção nas lojas da Limits, as bermudas ganham novas propostas e releituras em tecidos leves e formas que priorizam o conforto, não aquecem e dão maior liberdade aos movimentos. Nas lojas da marca carioca no Shopping Iguatemi e Salvador Shopping, as bermudas ganham descontos progressivos: 10% na compra de uma peça; 20% em duas peças, 30% em três peças e 40% em quatro peças. Na linha surf, os preços reais vão de R$139,00 a R$159,00; nos modelos cargo os valores vão de R$179,00 a R$269,00; e as de surf sarja R$209.00.  Na linha surf, as bermudas ganham listras e estampas geométricas em tecidos acqualight que respiram e secam rápido. Já na linha Cargo, as bermudas são criadas com puro algodão, ganham bolsos utilitários e cores modernas. Para combinar com as bermudas, a Limits apresenta na sua coleção camisetas e regatas confortáveis e com estampas exclusivas, além de batas e camisas em tecidos leves e fluidos. Fechando as dicas, tênis, que também estão em promoção nas lojas da marca, com peças em diversas cores e modelos.

ROUPAS LEVES SÃO AS SUGESTÕES DA BRIX

A marca catarinense Brix traz diversas opções para quem quer curtir os dias de Carnaval, na avenida ou numa viagem de descanso durante o feriadão, sem perder o estilo. O clima quente e o agito da comemoração pedem roupas leves e super coloridas. A coleção de Verão 2011 da Brix oferece peças estampadas, lisas, com detalhes… É forte a presença do jeans e das cores alegres e vibrantes para homens e mulheres. Para os homens, as bermudas cargo em sarja de algodão, com bolsos laterais, nos tons preto, cinza, marrom ou estampa em xadrez são excelentes para aproveitar o dia-a-dia e o período de folia. Pólos listradas, camisetas com corte em V ou arredondado em tons de rosa, salmão, azul, cinza, branco e preto são as apostas da Brix. O portfólio feminino é composto por diversos modelos de shorts e saias. Seguindo as tendências, o jeans vem nas versões rasgadinho, com barra dobrada, boyfriend, cintura alta e algumas peças em sarja. Em cores fortes e vibrantes, como pink, azul e verde, há regatas e batinhas estilosas e versáteis. Vestidos curtos, tomara que caia, com mangas, lisos ou estampados completam as alternativas para festas privadas.
E para saber onde encontrar as peças, ligue no SAC BRIX: (11) 3073-1066

BERMUDA E SANDÁLIA, COMBINAÇÃO PERFEITA DA TIMBERLAND

A sugestão da Timberland é muito conforto para agüentar o pique dos dias de folia. A marca separou opções de sandálias outdoor e bermudas para serem usadas tanto de dia quanto à noite, na praia, campo ou atrás do trio. As bermudas de corte reto ou cargo, de sarja nas lavagens estonada, estão descoladas e ganham destaque na cores branca, areia, caqui escuro, azul marinho e cinza escuro. Já as famosas sandálias outdoor da marca, chegam nos modelos Nekkol e Trailray, que possuem diversas tecnologias que ajudam em atividades ao ar livre e também para o dia a dia, como palmilha anatômica em EVA para conforto dos pés, três pontos de ajuste em velcro e forração interna de neoprene. Apenas para os homens, o modelo River Dog, se diferencia pelo cabedal confeccionado em couro sintético, que não retém água. Todos as sandálias têm solado em borracha com tecnologia BSFP, o que aumenta a segurança e performance em terrenos acidentados ou molhados. Para detalhes e saber pontos de vendas visite o site www.timberland.com.br.

FANTASIAS PARA OS PETITS VIA CHICLETARIA

As opções de fantasias infantis da Chicletaria Moda Infantil para os petits que vestem até o numero oito incluem princesa, pirata, palhaço e até uma joaninha. As fantasias também possuem sapatos e acessórios, que são vendidos a parte. Os preços variam R$ 85 a R$ 170. E para saber detalhes e ver outros modelos, acessem o site www.chicletaria.com.br.

MAKE ALEGRE E DIVERTIDA É A APOSTA DE O BOTICÁRIO

O make up artist Sadi Consati, consultor da linha Intense, de O Boticário, dá dicas de cores intensas para brincar na rua e nos salões. Azul, roxo, vermelho e pink são os destaques da produção. “A maquiagem para o Carnaval pede uma intensidade de cores maior que o habitual. Minhas apostas são os olhos coloridos com azul e roxo dividindo a atenção com a boca vermelha ou pink. Você pode brincar com as cores da make sem ficar ‘over’. Tipo tudo ao mesmo tempo agora.”, define. Abaixo, um passo a passo do look criado por Sadi:

Para iniciar, faça uma preparação suave da pele com base, corretivo e pó.

Passo 1 (olhos fechados)

Aplique a sombra Cor 27 (roxa) em toda a pálpebra móvel, esfumando de dentro para fora e de baixo para cima até o côncavo. Deixe mais suave no côncavo do que na base dos cílios.

Passo 2 (olhos fechados)

Esfume com pincel de cerdas a sombra Cor 35 (azul) nos cantos externos dos olhos fazendo um ‘<’ ‘>’ de fora para dentro. Aplique a Máscara Para Cílios à Prova d’Água Preta na parte superior dos olhos e depois coloque cílios postiços. Faça um risco bem fino com Lápis Preto Cor 1 na base dos cílios.

Passo 3 (olhos abertos)

Na parte inferior, por fora (abaixo dos cílios, na pele) esfume com pincel de cerdas umedecido na água, a sombra Cor 35 (azul) de fora para dentro e a Cor 27 (roxo) de dentro para fora. Finalize com a Máscara Para Cílios à Prova d’Água Preta.

Passo 4 (rosto)

Nas maçãs do rosto esfume o blush Cor 1 (rosado) subindo com movimentos circulares em direção às têmporas. Faça uma aplicação suave, apenas para dar um ar de saúde. Para finalizar essa make super colorida aplique o batom Cor 27, um vermelho com fundo rosa/pink.

No site de O Boticário www.boticario.com.br, há o vídeo do passo a passo do look de Carnaval, bem como os nomes dos produtos usados, preços e tal. Mais informações podem ainda ser obtidas pelo telefone do Centro de Relacionamento com o Cliente O Boticário – 0800-413011 (chamada gratuita).

ALERTA SOBRE A RESPONSABILIDADE SEXUAL:

E depois da seleção de truques e beleza e dicas de adereços e adornos para o corpo durante o Carnaval, publico também as orientações do Instituto Kaplan, que lança um alerta aos jovens para que se previnam e tenham responsabilidade na hora da relação sexual. O Instituto, fundado desde 1991, oferece serviços de orientação e capacitação para adolescentes, jovens, educadores e profissionais que lidam com educação sexual. Além do uso da camisinha, que é o método mais eficaz na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis e de uma gravidez indesejável, a diretora do Instituto Kaplan, Maria Helena Vilela, dá alertas sobre cuidados que não devem ser esquecidos durante a festa:

– “Nunca delegue o cuidado com o seu corpo. O corpo só tem um dono, e este é você. Quando você delega, o outro pode não priorizar os seus interesses;
– Só se previne quem tem convicção dessa necessidade. Busque informações sobre razões para se prevenir, sexualidade, prevenção, DST/Aids e métodos contraceptivos;
– Não faça qualquer negócio sexual no Carnaval. A auto-estima da mulher está condicionada a sua capacidade de despertar o interesse nos homens, principalmente, em festas como o Carnaval. Se achar que está invisível para os homens, mesmo assim, não faça nenhum acordo que possa te colocar em risco;
– Antes de cair na folia escreva uma lista com os nomes das pessoas que você considera importantes e que te amam. Isto ajudará você a não esquecer que é amada;
– Sei que é difícil, mas se for transar não beba. A bebida atrapalha o prazer e faz você esquecer seus limites;
– Nunca negocie o uso da camisinha na hora da transa. O tesão embriaga e lhe deixa entregue a sorte, ou azar!
– Conheçam a camisinha feminina. Ela é uma opção e já existem modelos mais simples que facilitam a colocação;
– Na falta da camisinha, você não precisa abrir mão do prazer sexual. O casal pode realizar práticas sexuais que não sejam de risco, como a masturbação simultânea entre os parceiros;
– Existem camisinhas de vários tipos e qualidades. Portanto, sempre haverá uma que se adeque a você;
– Sexo é uma brincadeira de verdade. Quando a gente se machuca, a cicatriz fica para sempre”.

Leia Mais

“Maior Carnaval de participação popular” deve ser repensado

*Texto da jornalista Giovanna Castro

Nesse dia totalmente anti-climático, pós Quarta-Feira de Cinzas, fim de festa, fim de carnaval, li uma notinha num renomado site noticioso que informava sobre os cachês dos artistas que comparecem à folia de Momo de Salvador. Acredito que não seja novidade para ninguém que a grande maioria dos artistas que batem ponto na folia baiana vêm para cá com todas as suas despesas pagas, hotel, transporte daqui pra ali e de lá pra cá, alimentação e mordomias, muitas mordomias.

Crédito Rita Barreto | Setur
Maior Carnaval de participação popular do mundo" atrai foliões de várias partes do Brasil e do planeta

Claro que há aqueles que vêm porque gostam mesmo, mas estes são exceções. A notinha a que me refiro dava conta de que o valor da “presença” de um artista desses em um camarote chega a R$50 mil. Creiam, R$50 mil para ficar dando pinta em frente às câmeras e emprestando a imagem que atrai trocentos fotógrafos ao camarote e, por conseguinte, às marcas patrocinadoras.

Fiquei impressionada com a quantia, em boa parte por acreditar que a festa por si só poderia atrair essas “celebridades”, muitas delas, personagens de si mesmos, celebridades de segunda ordem. Tenho a tendência a acreditar que ainda resta esperança para o mundo, apesar de me dar mal quase sempre com esses pensamentos otimistas. Imagine só, um ator iniciante de Malhação, que não deve cobrar R$ 50 mil, logicamente, mas tem seu preço. Seu sorriso para as lentes e a dancinha em muitos momentos desengonçada, custa caro.

Considero importante observar a que ponto chegou a estrutura que gira em torno da festa. Não sou do tipo nostálgica, que acredita que o que passou é sempre melhor do que está sendo ou do que está por vir, mas sou daquelas que acreditam que o Carnaval de Salvador perdeu a sua essência democrática que, ironicamente, continua sendo vendida pelos quatro cantos do mundo sem contestação por órgãos governamentais de fomento ao turismo.

Aqui dentro, conforme atesta pesquisa divulgada recentemente pela Secretaria de Cultura e a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia, no ano passado, nada menos do que 77% dos soteropolitanos não deram as caras na rua, nos quase sete dias de festa. O principal motivo alegado é a violência, mas cá com meus botões, percebo que a superficialidade das “presenças” nos camarotes e a intensa comercialização da festa, antes espontânea e produto da inventividade do povo, influencia nesta escolha.

Crédito Patrick Silva | Setur
Dentro das cordas dos trios elétricos, os turistas são grande maioria

Sem falar no fato de que o espaço delimitado pelas cordas, em cada um dos blocos e especialmente nos mais caros, está repleto de turistas predominantemente de outros estados como São Paulo, Rio de Janeiro,  Minas Gerais e Brasília. Ótimo para nossa economia, mas será ótimo para o Carnaval que se auto-entitula “o de maior participação popular do mundo”?

Com o passar dos anos, fui percebendo que o nosso Carnaval fica cada vez mais parecido com o do Rio de Janeiro, só falta o sambódromo e o tal circuito privado, tão propalado pelo cantor Durval Lélys, para sacramentar de vez a lógica comercial. É no mínimo emblemático que, nos últimos anos, o Rio tenha trabalhado para resgatar sua folia de rua, apontando para uma solução alternativa ao sambódromo e aos camarotes, ambos pagos.

Meca das “presenças”, o Rio de Janeiro apresenta cifras bem diferentes. Madonna, por exemplo, recebeu de uma empresa brasileira de bebidas como doação para a sua Ong que ajuda crianças, nada menos do que US$ 1 milhão e, não por acaso, deu as caras no camarote da cervejaria no sambódromo juntamente com os filhos e o namorado, Jesus Luz. Me questiono se é esse o modelo que queremos de Carnaval para Salvador. Um modelo que segrega, que empurra o folião local pra longe da festa e oferece louros para quem é de fora. Até por isso é necessário trazer presenças vips para os camarotes, para dar um algo a mais para o folião que paga caro para sair de seu estado e se jogar na folia por aqui.

crédito Rita Barreto | Setur
Afoxé Filhos de Ghandy é uma tradição genuína que resiste bravamente às mudanças impostas à folia

Mas o fato é que muito deve ser repensado em relação ao nosso Carnaval que cresceu muito e não espalhou divisas e divertimento para todos. O que se vê, fora dos holofotes das emissoras de TV, é o baiano se esfolando de trabalhar como vendedor de churrasquinho, curtindo apertado nas ruas transversais, crianças catando latinhas na rua colocando em risco a própria vida e outras delas se perdendo dos pais como foi o caso de um garoto que acompanhava a mãe que trabalhava como cordeira e acabou se separando dela no meio da confusão.

Mais do que um Estatuto de Festas Populares que defina sobre o uso ou não de espetinhos nos circuitos da folia ou regule a atuação dos cordeiros – nada mais justo, afinal eles sofrem grande exploração -, deve-se pensar no Carnaval que se deseja para a cidade com um planejamento de longo prazo. Aquele baseado nas raízes do soteropolitano que muito bem soube construir sua festa a fim de torná-la atraente para muitos, ou aquele que aposta nas “presenças” totalmente desconectadas do sentido da folia local e que daqui só levam regalias e nada deixam como contribuição para a riqueza e manutenção da festa?

Leia Mais

Uma conversa sobre Aids, Carnaval e juventude

Durante estes dias de cobertura carnavalesca pela mídia, ouve-se muito falar em Aids e fala-se muito da importância da camisinha, principalmente porque o Carnaval é uma festa que tem fama de mais permissiva. Toda a ênfase no beijar na boca, na “ficação”, no curtir o momento, todo o mito da máscara e do não saber como e com quem, é excitante, sem dúvida. Existe um fetiche na “festa da carne”, isso é inegável e a intenção aqui não é ser moralista. Sexo é bom sim, mas quando feito com consciência, ainda fica melhor. Quando digo consciência, quero enfatizar o conhecimento do próprio corpo, das próprias necessidades e também das necessidades da pessoa com quem compartilhamos esse momento, seja parceiro (a) fixo ou não.

Embora se divulgue mais a escalada da epidemia de Aids entre os brasileiros em datas especiais, perto do Carnaval ou no Dia Mundial dedicado a conscientização sobre a doença, por exemplo, os números não são fantasia e nem estratégia de marketing para comover. Eles refletem a condição de milhares de pessoas reais. Liberar a informação perto ou durante o Carnaval, acredito, tem intenção de aproveitar sim que as pessoas estão focadas no sexo, mas ainda assim, os fatos existem, a epidemia existe, continua a crescer silenciosamente e atinge uma faixa etária cada vez menor.

Segundo o último boletim que recebemos (via email) do Ministério da Saúde, na faixa etária de 13 a 19 anos, o número de casos de Aids é maior entre as mulheres.  Dos 20 aos 24 anos, a divisão por gênero é semelhante e atinge tanto eles quanto elas (independente da orientação sexual) em percentagens iguais. Já entre os homens jovens, ainda segundo o MS, há maior incidência de infecção nas relações homossexuais. Vê-se com isto que a Aids nunca foi uma doença restrita a um gênero ou opção sexual, mas é alarmante o fato de tanta gente jovem adquirir o vírus. É falta de campanha? Acredito que não é só isso. Ainda assim, este ano, o foco da campanha pró-camisinha do MS durante a folia de Momo tem como alvo os jovens.

Acredito que, além da necessidade de se divulgar com mais frequência os números e as estratégias de prevenção, existe também uma falta de consciência corporal, um excesso de fé no outro (principalmente daqueles que tem parceiro (a) fixo), uma grande subserviência das mulheres (que ainda não aprenderam a agir de igual para igual com seus parceiros na relação) e, diante de tantos jovens ainda em tenra idade contaminados, um desejo até meio mórbido de desafiar a morte e dizer: “comigo não acontece”. Só que pode acontecer. E, até o momento, ainda não inventaram método mais simples de prevenção do que a camisinha.

Outro dia, respondi um comentário de alguém que dizia não gostar de sexo com camisinha. Ela revelava que não conseguia sentir prazer com a camisinha, mas acredito que sentir ou não prazer em uma relação está além da camisinha, porque está além da penetração. Cada casal deve buscar nas suas preferências e práticas, fazer o joguinho de sedução, caprichar nas preliminares, descobrir outras zonas de excitação no corpo do parceiro (a), para não limitar o sexo só ao ato da penetração. Ser criativo na vida é fundamental e o sexo faz parte disso. Então, para mim, esse aumento do número de casos de Aids entre gente jovem demais, ou de HPV, ou de outras doenças sexualmente transmissíveis (e aqui vale lembrar que a Aids se transmite por outros meios que não apenas o sexo), tem um pouco também de relação com falta de maturidade para gerenciar uma vida sexualmente ativa.

Os jovens se iniciam no sexo mais cedo, mas não estão preparados para administrar a situação, negociar o uso do preservativo, ainda não possuem aquela consciência corporal que já falei acima, as meninas mais novas são ainda mais vulneráveis à vontade do parceiro, sobretudo nas relações heterossexuais, que é onde a carga machista da sociedade traz toda aquela ideia de que a iniciativa é deles e só deles e que elas devem se submeter, espera-se até que se submetam. Creio que tudo isto ocorre porque a adolescência (e são pessoas de 13 a 19 anos se contaminando), é uma idade de tantas incertezas em tantas áreas da vida, porque não seria neste fator, o sexo?

Os pais, a escola, a sociedade, todos precisam atentar para o fato de que existe um alerta (e não é dos números do Ministério da Saúde) quando tantos jovens se contaminam em tão grande proporção com o vírus da Aids. Existe um alerta que perpassa a educação recebida em casa, a educação recebida na escola, a falta de diálogo, a erotização precoce de crianças que sequer foram alfabetizadas ainda mas estão expostas a letras de música e programas na tv acima da sua capacidade de compreensão. É uma cruzada social impedir que tantas vidas precoces se comprometam com algo tão complexo quanto ser portador de HIV. Todos, de alguma forma, temos de contribuir!

===================================================

Confira a íntegra do Boletim do Ministério da Saúde divulgado em fevereiro:

*Epidemia de Aids atinge jovens entre 13 e 19 anos

Mariângela Simão, do Ministério da Saúde. Crédito da imagem: Agência Brasil

Os números mais recentes da Aids no Brasil mostram que a epidemia, na década de 2000, comporta-se de forma diferente entre os jovens. Na população geral, a maior parte dos casos está entre os homens e, entre eles, a principal forma de transmissão é a heterossexual.

Considerando somente a faixa etária dos 13 aos 24 anos, a realidade é outra. Na faixa etária de 13 a 19 anos, a maior parte dos registros da doença está entre as mulheres. Entre os jovens de 20 a 24 anos, os casos se dividem de forma equilibrada entre os dois gêneros. Para os homens dos 13 aos 24 anos, a principal forma de transmissão é a homossexual.

Diversos fatores explicam a maior vulnerabilidade dos jovens para a infecção pelo HIV. Entre as meninas, as relações desiguais de gênero e o não reconhecimento de seus direitos, incluindo a legitimidade do exercício da sexualidade, são algumas dessas razões.

No caso dos jovens gays, falar sobre a sexualidade é ainda mais difícil do que entre os heterossexuais. “Eles sofrem preconceito na escola e, muitas vezes, na família. Isso faz com que baixem a guarda na hora de se prevenir, o que os deixa mais vulneráveis ao HIV”, explica Mariângela Simão, diretora do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde.

Feminização – O aumento de casos de Aids entre as mulheres se deu em todas as faixas etárias. Em 1986, a razão era de 15 casos em homens para cada um caso em mulheres. A partir de 2002, a razão de sexo estabilizou-se em 15 casos em homens para cada 10 em mulheres. Na faixa etária de 13 a 19 anos, o número de casos de Aids é maior entre as mulheres jovens. A inversão apresenta-se desde 1998, com oito casos em meninos para cada 10 casos em meninas.

Entre 2000 e junho de 2009, foram registrados no Brasil 3.713 casos de Aids em meninas de 13 a 19 anos (60% do total), contra 2.448 em meninos. Na faixa etária seguinte (20 a 24 anos), há 13.083 (50%) de casos entre elas e 13.252 entre eles. No grupo com 25 anos e mais, há uma clara inversão – 174.070 (60%) do total  de 280.557 de casos são entre os homens.

A Pesquisa de Conhecimentos, Atitudes e Práticas da População Brasileira, lançada pelo Ministério da Saúde em 2009, também ajuda a explicar a vulnerabilidade das jovens à infecção pelo HIV. De acordo com o estudo, 64,8% das entrevistadas entre 15 e 24 anos eram sexualmente ativas (haviam tido relações sexuais nos 12 meses anteriores à pesquisa). Dessas, apenas 33,6% usaram preservativos em todas as relações casuais, que são as que apresentam maior risco de infecção.

Nos homens, 69,7% dos entrevistados eram sexualmente ativos. Entre eles, porém, o uso da camisinha é maior: 57,4% afirmaram ter usado em todas as relações com parceiros ou parceiras casuais.

Homossexuais – Na faixa etária de 13 a 19 anos, entre os meninos, houve mais casos de Aids por transmissão homossexual (39,2%) do que heterossexual (22,2%), no ano de 2007. Essa tendência é diferente do que ocorre quando se observa todos os casos de Aids adquiridos por transmissão entre homens – 27,4% homossexual e 45,1% heterossexual.

Nas escolas – O carro-chefe das ações de prevenção à Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis é o programa Saúde e Prevenção nas Escolas (SPE), uma iniciativa dos Ministérios da Saúde e da Educação. Criado em 2003, o SPE tem como objetivo central desenvolver estratégias para redução das vulnerabilidades de adolescentes e jovens. As ações se dão de forma articulada entre escolas e unidades básicas de saúde. Hoje, 50.214 escolas de todo o país participam do programa.

A iniciativa trabalha a inclusão, na educação de jovens das escolas públicas, dos temas saúde reprodutiva e sexual. O SPE reúne ações que envolvem a participação de adolescentes e jovens (de 13 a 24 anos), professores, diretores de escolas, pais dos alunos, e gestores municipais e estaduais de saúde e educação. É no âmbito deste programa que se disponibiliza preservativos nas escolas.

*Fonte: Assessoria de Comunicação do Ministério da Saúde – Brasília

Saiba mais:

Para ver material da campanha do MS durante o Carnaval, que este ano está focada nos adolescentes, visite: www.aids.gov.br.

Leia Mais

Saiba o que comer para sobreviver ao Carnaval II

Recebemos mais dicas de receitas para manter uma alimentação saudável durante e após o gasto de energia do Carnaval. Desta vez, o cardápio foi preparado pelas nutricionistas de rede Mundo Verde, especializada em alimentos naturais e orgânicos. O bacana é que a equipe oferece também dicas de alimentos para crianças, além de algumas sugestões de comidinhas práticas de carregar, que podem ser levadas para reabastecer as forças em plena folia:

=================================

>>Saiba o que comer para sobreviver ao Carnaval

=================================

*Carnaval Saudável

Quem quer fazer bonito na avenida, nos blocos, nos clubes e na praia neste Carnaval deve começar a se preparar. Para cair na folia, sem esquecer da saúde, as nutricionistas da rede MUNDO VERDE prepararam um desfile de sugestões para animar qualquer folião, sem deixar que tudo se acabe em cinzas na quarta-feira. “Antes de sair para o carnaval, prefira alimentos  energéticos e de digestão mais fácil. Barra de cereais, frutas secas e sanduíches de pão integral com folhas e queijo branco são uma ótima opção”, explica a nutricionista Flávia Morais.

Ela também sugere alimentos energéticos que podem ser levados sem culpa para manter a alegria e a disposição durante a festa. “São alguns alimentos práticos e saudáveis, que cabem em qualquer bolsa e podem ser levados para a folia, como barras de cereais, carboidrato em gel, água de coco em caixinha, bananadas sem açúcar, frutas desidratadas, como a uva-passa ou damasco”, explica.

A nutricionista da rede adverte que é preciso ter cuidado com o abuso de bebidas energéticas e isotônicas. “Os energéticos, por terem cafeína, se usados em excesso podem causar taquicardia. Já os isotônicos podem sobrecarregar a função renal”, esclarece. Algumas sugestões de energéticos naturais são Açaí com Guaraná e Suco de Frutas com Clorofila.

“A regra é moderação, consumo razoável, sem exageros. Os principais problemas que ocorrem durante as festas de fevereiro são decorrentes do excesso de álcool e da má alimentação. Por isso, o ideal é manter-se hidratado, beber muita água, suco natural ou água de coco, antes durante e depois da folia. A água de coco, além de nutritiva, hidrata e tem baixo valor calórico”, explica Flávia.

Se optar por bebida alcoólica, é preciso procurar intercalar cada copo de bebida com um copo de água. “Assim o corpo ficará hidratado e dificilmente a pessoa irá se embriagar e ter ressaca no dia seguinte”, acrescenta a nutricionista. Ela também alerta: alimentos gordurosos devem ser evitados, já que podem causar indisposição.

>>Confira dicas de alimentos que podem ser levados sem culpa para a folia:

– Barras de cereais – possuem carboidratos, fibras, vitaminas e sais minerais e ajudarão o folião a manter a energia;

– Carboidratos em gel – uma forma prática de consumo de carboidratos, que são o combustível ideal para o corpo. “Não pesam no estômago e possuem rápida absorção, além de ser ótimos para manter o rendimento do organismo durante a folia”, afirma a nutricionista;

– Bebidas isotônicas – ricas em sais minerais e carboidratos de rápida absorção, além de hidratar a refrescar o corpo, ajudam a repor os sais minerais perdidos pelo suor e ainda fornecem energia extra para o folião; Prefira a água de coco, uma opção de isotônico natural;

– Frutas desidratadas, como a banana passa – uma forma prática e saborosa para proporcionar carboidratos, vitaminas e sais minerais ao organismo;

– Guaraná – um fitoterápico estimulante, ajudará o organismo a recuperar a energia. “Mas é preciso evitar o consumo de guaraná associado a bebidas alcoólicas e os hipertensos devem evitar o uso”, destaca a nutricionista.

– Ginseng –  uma raiz tonificante, dá mais disposição e energia. Em pó pode ser adicionado a sucos e vitaminas.

>>Veja sugestões para desintoxicar o organismo:

A principal dica é alimentar-se com sucos, frutas e sopas leves e beber bastante líquido. A alimentação deve privilegiar os alimentos integrais, para ajudar na desintoxicação, como arroz integral, feijão azuki, hambúrguer de tofu/quinua grelhado, panqueca de ricota com espinafre ou de cenoura, quibe com tofu, quiche de legumes e leguminosas (lentilhas, ervilha, grão de bico, soja).

“Incluindo no cardápio esses alimentos, os foliões poderão repor os nutrientes – minerais, vitaminas e aminoácidos – necessários para combater o desgaste físico e desintoxicar o organismo”, afirma Flávia Morais. Ela dá algumas sugestões de alimentos que não podem faltar na mesa do folião após a festa:

– Chá Verde – Com seu efeito estimulante e antioxidante, ativa o sistema imunológico e ajuda a prevenir doenças cardíacas e circulatórias. O consumo diário desse chá diminui as taxas do LDL (colesterol que faz mal à saúde) e fortalece as artérias e veias;

– Quinua Real – Originário dos Andes bolivianos, é um cereal selecionado pela Nasa para alimentar os astronautas em vôos de longa duração. Seu valor nutritivo só se compara ao leite materno, como um dos alimentos mais balanceados e completos do planeta;

– Suco de uva orgânico – A bebida 100% natural, encontrada na rede Mundo Verde, fornece energia e combate o desgaste físico.

– Suco de clorofila – Excelente fonte de antioxidantes, repõe minerais e vitaminas necessários para combater o desgaste físico. Batido com água de coco, além de saboroso, ajuda na hidratação.

CARDÁPIO PRÉ-FOLIA PARA HOMENS E MULHERES:

Café da manhã
Salada de frutas com granola e mel

Lanche da manhã
Castanha-do-pará com amêndoas

Almoço
Salada de vegetais folhosos, temperada com um fio de azeite de oliva extravirgem
Arroz integral
Feijão azuki
Filé grelhado de peixe ou frango temperado com ervas finas

Lanche da tarde
Vitamina energética
Ingredientes
1 copo duplo (250ml) de extrato de soja já pronto
1 unidade de banana prata
1 colher (sopa) de aveia em flocos finos
1 colher (chá) de guaraná em pó
Mel orgânico a gosto

Modo de Preparo
Bater todos os ingredientes no liquidificador. Servir com cubos de gelo.

Rendimento: 1 porção
Valor calórico: 245 Kcal

Comentários nutricionais: O guaraná em pó é rico em cafeína, um potente estimulante do sistema nervoso central. É altamente energético, deixando o organismo em estado de alerta. Condição importante para aproveitar a folia e driblar o cansaço.

Jantar
Sanduíche Natural
Ingredientes:
– 2 fatias de pão de forma integral
– 50g de queijo minas
– 1 colher (sobremesa) de maionese vegetal
– 1 pepino pequeno em conserva, de preferência orgânicos
– ½ cenoura pequena, de preferência orgânica
– 1 colher (chá) de pimentão vermelho, de preferência orgânico
– 1 colher (chá) de cebola picada, de preferência orgânica
– 1 colher (sopa) de azeite de oliva extravirgem orgânico
– 1 colher (chá) de salsinha desidratada
– 1 colher (chá) de cebolinha desidratada

Modo de preparo:
Cozinhar a cenoura, o pimentão e a cebola. Escorrer os vegetais e deixar esfriar. Bater no liquidificador o azeite, a salsinha, a cebolinha e a maionese vegetal. Passar esta mistura nas fatias de pão e rechear com os vegetais, o pepino em rodela e o queijo minas.

Rendimento: 1 porção
Valor calórico: 364 Kcal por porção

Comentários nutricionais: O pão de forma integral é fonte de carboidratos que fornecem o principal combustível para fornecimento de energia para nossas células, a glicose. O azeite de oliva extravirgem, além de fornecer calorias extras, é fonte de gorduras monoinsaturadas.

CARDÁPIO PRÉ-FOLIA PARA CRIANÇAS:

Café da manhã
Pão de forma integral
Tahine (creme de gergelim)
Suco de soja
Fruta

Lanche da manhã
Barra de cereais

Almoço
Macarrão integral ao molho de proteína texturizada de soja
Salada bicolor (cenoura e beterraba raladas)

Lanche da Tarde
Suco de frutas
Ingredientes
– 4 rodelas de abacaxi
– ½ unidade de maçã
– 1 colher (sopa) de mel orgânico

Modo de Preparo:
Bater todos os ingredientes no liquidificador. Servir com cubos de gelo.

Rendimento: 1 porção
Valor calórico: 115 Kcal

Comentários nutricionais: O mel é um alimento altamente energético. Possui propriedades estimulantes do sistema de defesa do organismo. Fonte de vitaminas do complexo B e de sais minerais.

Jantar
Sanduíche Colorido
Ingredientes
– ½ pão sírio integral
– 2 rodelas de tomate, de preferência orgânico
– 1 folha de alface, de preferência orgânica
– 1 colher (sopa) de tofu temperado com ervas em cubos
– 1 colher (sobremesa) de pasta de soja sabor cenoura
– 1 colher (chá) de semente de gergelim branco

Modo de preparo
Abrir o pão sírio em duas partes. Em uma parte passar a pasta de soja, acrescentar a alface, o tomate, o tofu e a semente de gergelim. Enrolar o sanduíche para dar a forma de cone.

Rendimento: 1 porção
Valor Calórico por porção: 135 calorias

Comentários nutricionais: A semente de gergelim branco é uma excelente fonte de energia e cálcio, mineral importante para a contração muscular, crescimento e desenvolvimento dos ossos e dentes em crianças. O tofu é um queijo à base de soja, sendo pobre em gordura e rico em fibras, vitaminas e minerais.

*Fonte: Natalia Lautherbach – nutricionista da rede Mundo Verde

CARDÁPIO PÓS-FOLIA PARA HOMENS E MULHERES

Café da manhã
Suco Verde
Ingredientes:
– 1 copo (200ml) de água de coco
– 1 folha de couve, de preferência orgânica
– ½ pepino, de preferência orgânico
– ½ maçã, de preferência orgânica
– ½ cenoura, de preferência orgânica
– 1 colher (sobremesa) de semente de linhaça, de preferência orgânica

Modo de Preparo:
Bater no liquidificador a água de coco, o pepino, a maçã e a cenoura picados. Acrescentar a couve e a semente de linhaça. Bater novamente no liquidificador.

Rendimento: 1 porção
Valor calórico: 60 calorias

Comentários nutricionais: O suco verde auxilia na desintoxicação do organismo. A semente de linhaça, rica em fibras e em ômegas 3 e 6, auxilia na melhora do funcionamento intestinal e promove a sensação de saciedade, reduzindo o apetite.

Lanche da manhã
Suco de uva orgânico

Comentários nutricionais: Bebida 100% natural, fornece energia e combate o desgaste físico

Almoço
Salada de alface, agrião, cenoura e beterraba raladas, pode ser temperada com azeite de oliva extra virgem
Arroz integral
Lentilha
Panqueca de soja com cenoura

Lanche da tarde
Salada de frutas com amaranto em flocos

Jantar
Salada de Quinua
Ingredientes
– 4 tomates cortados em cubos, de preferência orgânicos
– 4 xícaras (chá) de água filtrada
– 2 xícaras (chá) de quinua em grãos, de preferência orgânica
– ½ xícara (chá) de salsa picada, de preferência orgânica
– ¼ xícara (chá) de folhas de hortelã picada, de preferência orgânicas
– 4 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem orgânico
– 3 colheres (sopa) de semente de linhaça
– sal marinho a gosto

Modo de Preparo:
Colocar em uma panela os grãos de quinua e a água, acrescentar sal a gosto. Levar ao fogo por cerca de 15 a 20 minutos, até dobrar de volume. Esperar esfriar. Misturar todos os ingredientes e deixar na geladeira por 2 horas. Antes de servir temperar com azeite de oliva extravirgem e sal.

Rendimento: 8 porções
Valor calórico: 110 calorias

Comentários nutricionais: A quinua é um cereal Originário dos Andes bolivianos. Possui elevado valor nutritivo, sendo rica em vitaminas, minerais, fibras e proteínas, nutrientes que precisam ser repostos após a folia.

CARDÁPIO PÓS-FOLIA PARA CRIANÇAS:

Café da manhã
Pão sírio integral
Pasta de soja
Extrato de soja (já pronto) batido com frutas

Lanche da manhã
Frutas secas ou sementes oleaginosas

Almoço
Salada de alface, tomate e milho, pode ser temperada com azeite de oliva extravirgem
Cenoura cozida
Arroz integral
Feijão azuki

Almôndegas de soja

Lanche da tarde
Suco Energia

Ingredientes
– Suco de 1 laranja, de preferência orgânica
– 1 kiwi sem casca em cubos, de preferência orgânico
– ½ cenoura em cubos, de preferência orgânica
– 1 colher (sobremesa) de aveia em flocos
– agave a gosto

Modo de Preparo:
Bater todos os ingredientes no liquidificador e servir em seguida.

Rendimento: 1 porção
Valor calórico: 68 calorias

Comentários nutricionais: A aveia é um cereal rico em fibras, que ajuda a repor a energia após a folia. O agave é uma opção 100% natural, orgânico, saudável, saboroso e nutritivo para adoçar os alimentos. É fonte de minerais como: cálcio, ferro, potássio e magnésio. O agave pode ser substituído por açúcar mascavo ou açúcar demerara.

Jantar
Quiche Integral de Legumes
Ingredientes da massa:
– ½ xícara de farinha de trigo
– ½ xícara de farinha de trigo integral
– 1 gema de ovo orgânico
– 3 colheres (sopa) de óleo de canola
– sal marinho a gosto

Ingredientes do recheio:
– 1 xícara (chá) de vagem, de preferência orgânica
– 1 xícara (chá) de brócolis picado, de preferência orgânico
– ½ xícara (chá) de cenoura, de preferência orgânica
– 2 claras de ovos orgânicos
– 3 colheres (sopa) de tofu em cubos
– 1 colher (sopa) de cebola picada, de preferência orgânica
– 1 colher (chá) de alho amassado, de preferência orgânico
– 1 colher (chá) de óleo de canola
– 1 colher (chá) de manjericão fresco e picado, de preferência orgânico
– sal marinho a gosto

Modo de Preparo:
Em uma tigela grande misturar delicadamente os todos os ingredientes da massa. Colocar a massa nas laterais e no fundo de uma forma untada e polvilhada. Cozinhar separadamente todos os legumes no vapor, até que fiquem al dente e reservar. Em uma panela aquecer o óleo e refogar a cebola e o alho. Acrescentar os legumes, o manjericão e o sal, refogar. Desligar o fogo, acrescentar o tofu e misturar. Colocar o recheio. Bater as claras em neve e jogar por cima da massa. Levar ao forno pré-aquecido (180º C) por cerca de 20 minutos.

Rendimento: 8 porções
Valor Calórico: 185 calorias

Comentários nutricionais: O tofu é preparado a partir do grão de soja, água e um coagulante natural. É fonte de vitaminas do complexo B, E, ferro, potássio, fósforo, proteínas e cálcio. É de fácil digestão e livre de colesterol.

*Fonte: Thais Souza – nutricionista da Rede Mundo Verde

Serviço:
Alô Nutricionista: 0800-0222528 (segunda a sexta, das 9 às 17 horas)

Site: www.mundoverde.com.br

Leia Mais

Saiba o que comer para sobreviver ao Carnaval

O Carnaval começa nesta quinta-feira, pelo menos aqui pelos lados da Soterópolis. Lembro que na infância, ouvia minha avó e minha mãe conversarem sobre os antigos carnavais, que só começavam no sábado e duravam até a meia noite da terça-feira. Quarta de Cinzas de manhã era para ir à missa, carinha compungida, arrependido dos excessos cometidos. Hoje em dia, o Carnaval dura exatos sete dias na capital baiana. Começa na quinta-feira e bomba até o fim da tarde de quarta, com o arrastão de Carlinhos Brown. Haja fôlego para aguentar 168 horas de farra. Bom, tudo bem, descontando as horinhas de descanso, digamos que sejam umas 110 horas de farra. Não sou assim nenhuma grande baladeira, muito menos foliã inveterada (depois dos 30 nem dá mais para fazer tanta festa assim, sabe como é, o corpo já não responde com a mesma prontidão de dez anos atrás), mas, por força da profissão, acabo tendo uma maratona tão desgastante quanto a de qualquer carnavalesco. São sete dias de plantões que duram dez, 12 horas seguidas, na cobertura jornalística do evento. Natural que me interesse por técnicas que ajudem a sobreviver ao estresse dos dias por vir. Da ioga a dietoterapia, já falei para vocês em outras ocasiões do meu gosto por terapias alternativas, qualidade de vida, estilo natureba urbano. Pois bem, o email, essa invenção muito útil da vida moderna, sempre acaba revelando alguma coisa boa e em momentos providenciais. O time das assessorias de imprensa é perfeito, graças a Deus, porque recebi um manual SOS Carnaval dos bons, dia desses. Tratam-se de dicas sobre como se alimentar adequadamente para chegar ao final da folia com a saúde em ordem e o que é mais interessante, a pele radiante e não toda acabada após dias mal-dormidos:

=============================================

*Carnaval anti-aging

Alimentação para a pele sobreviver ao Carnaval / Crédito: senado.gov.br

É possível prevenir e reverter alguns dos processos de envelhecimento, até mesmo no Carnaval. Segundo a Dra. Edith Horibe, cirurgiã plástica e pesquisadora da Gestão Antievelhecimento, é possível prevenir e reverter alguns dos processos de envelhecimento, até mesmo no Carnaval. “Uma vez que desenvolvemos o Programa Gestão da Idade, que propõe uma mudança de estilo de vida  supervisionado por médicos que querem preservar a saúde de seus pacientes por uma vida inteira, porque não começar no Carnaval?”

Algumas medidas são essenciais, por exemplo: comer adequadamente, cuidar da hidratação e da ansiedade para não cometer todos os excessos concomitantemente,  aumentando os radiciais livres e acelerando o processo de envelhecimento. Assim, é importante evitar dormir pouco, fumar, ingerir grande quantidade de bebida alcoólica, exagerar na exposição solar e na atividade física, principalmente para quem está fora de forma e só fazer sexo de maneira consciente e segura, com o uso da camisinha.

Para Dra Edith Horibe as bases para uma alimentação adequada incluem proporções equilibradas de proteínas, carboidratos e fibras, lipídeos (gorduras), vitaminas, minerais, e água. “É importante lembrar que as diversas fases da vida merecem cuidados especiais, só assim pode-se obter saúde, beleza, prazer e longevidade”.

Uma orientação preciosa está em evitar os fast foods, que geralmente são mais gordurosos e calóricos. Para tanto, a equipe multidisciplinar da Clínica Horibe recomenda uma dieta balanceada para garantir a energia dos foliões.

Cardápio para Carnaval

1. Peixe e frango (proteína magra)

Salmão / Crédito: cozinhajaponesa.com.br

Possuem baixas calorias, mantenedores da massa magra e de um sistema  imunológico saudável. As proteínas são fundamentais em ocasiões agitadas como o Carnaval que exige muito samba no pé. Assados, cozidos ou grelhados são indicados. Outras opções são: peito de frango ou de peru, salmão, atum, sardinha, truta, cação, linguado, pescada branca e omelete que deve ser feito com 1 gema e 2 claras.

2. Vegetais crus ou cozidos no vapor

Brócolis

Eles são ricos em fibras, importantes para a reposição de minerais, que são eliminados pelo suor e pelo consumo de bebida alcoólica. A reposição de minerais é importante, pois hidrata e mantém o pique na hora da folia. Algumas indicações: abobrinha, aipo, alface romana, rúcula, agrião, alho, pimentão, broto de feijão, aspargos, brócolis, cebola, cogumelos, tomate, couve de bruxelas, abóbora, couve-flor, berinjela, escarola, couve, gengibre (raiz) e pepino.

3. Frutas pouco calóricas

Prefira as de baixo índice glicêmico, ou seja, as que alcançam a corrente sanguínea de forma lenta e contínua. Desta forma, fica mais fácil gerar energia durante um prolongado período de tempo. As frutas devem ser ingeridas cruas. Além de hidratar são excelentes fontes de carboidrato. Algumas opções: ameixa, frutas cítricas, maçã com casca, melão amarelo e melão cantalupo, pêra com casca, pêssego.

Lentilhas

4. Grãos sempre integrais

Eles são fontes de fibra, garantem uma sensação de saciedade e auxiliam o funcionamento intestinal. Alguns exemplos: aveia, feijões, incluindo lentilha, soja.

5. Bebidas permitidas

Água, água de coco, sucos de frutas naturais, chá verde gelado e chá de erva cidreira devem ser consumidos sem adoçante e sem açúcar. O açúcar é considerado alimento pró-inflamatório, rouba energia e vai deixar o folião cansado no meio da folia.

Azeite de oliva/ Crédito: belezaesaude.org

6. Gorduras do Bem – Use com moderação.

Azeite de oliva extra-virgem, castanha do Pará, nozes e amêndoas (sem sal) são alimentos com atividades antioxidante e anti-inflamatória, ajudam o organismo a ter resistência nos dias de muito gasto calórico prevenindo infecções.

Manjericão

7. Ervas e temperos antioxidantes

Eles devem ser usados preferencialmente frescos, mas pode-se optar pela versão desidratada. Tipos de temperos: açafrão, manjericão, canela, cominho, erva-doce, pimenta vermelha, gengibre (fresco), hortelã, louro, orégano, páprica, tomilho, mostarda (dê preferência à versão sem açúcar). Alimentos antioxidantes equilibram o organismo de maneira geral.

Cuidado com bebidas alcoólicas e refrigerantes, eles desidratam. É importante sempre estar acompanhado por uma garrafinha de água.

Cuidados à serem observados:

-Evitar beber diariamente a medida de 1 lata de refrigerante. Além de não possuir valor nutricional, interfere na ingestão de outros líquidos mais saudáveis;

-Dar preferência aos sucos vendidos quando registram “100% suco”. Os vendidos em supermercados que escrevem “fabricados com verdadeiro suco de frutas” podem conter menos de 10% do verdadeiro suco de fruta;

-Ingerir iogurtes magros e leite;

-Bebidas energizantes são calóricas e não devem estar acompanhadas de bebidas alcoólicas; uma vez que um copo de vinho tem cerca de 100 calorias, uma lata de cerveja tem 150 calorias e drinks tipo daiquiris tem 500 ou mais;

Sucos Diferenciados

Revigorante muscular:

Laranja com morango:

Suco de 2 laranjas

5 morangos pequenos

1 copo de água

Bata no liquidificador o suco das 2 laranjas e coloque os morangos e a água. Adoce com mel se necessário.

Abacaxi, laranja e limão:

1 rodela de abacaxi preservando o miolo

1 laranja (descascada preservando a parte branca) picada

1 copo e ½ de água

suco de 1 limão

Bata no liquidificador e adoce com 1 colher  (chá) de mel.

Sucos para serem tomados pela manhã ou antes da atividade física

Para hidratar a pele e manter o bronzeado:

Frutas vermelhas:

3 framboesas

3 morangos

1 copo de água de côco

Bata no liquidificador e adoce com 1 colher (chá) de mel.

Alaranjados:

1 pedaço pequeno de abóbora

½ cenoura

½ mamão papaia ou 1 fatia pequena de mamão formosa

1 copo e ½ de água

Bata no liquidificador e adoce com 1 colher (chá) de mel.

“O ideal é não deixar de comer nenhum tipo de alimento, beber bastante líquido e cuidar da pele, com protetor solar e hidratante. Para não prejudicar seu corpo, descanse bastante após os dias de folia, relaxe e tome um longo banho (de preferência morno para não prejudicar a elasticidade da pele) e dê uma folga para seus pés, pois eles merecem”, aconselha Edith Horibe.

Serviço:

Para saber mais, visite o site: www.clinicahoribe.com.br

*Material preparado e encaminhado ao blog através da assessoria de comunicação da Clínica Horibe, em São Paulo.

Leia Mais