Conto: Engasgada

Crédito da Ilustração: Clarissa Pacheco

-Eu… não sei o que te dizer… Só queria saber por que você está me falando isso agora…

-Não aguentava mais guardar tanto sentimento dentro de mim. Já esperava essa sua reação, a surpresa. Quer dizer, cheguei a achar que podia ver um sorriso no seu rosto… Mas pelo visto…

-Não, não é isso… É que você tinha razão, quanto à surpresa. Eu realmente não sei o que dizer, não sei o que fazer…

-Mas você não precisa dizer nada. Não precisa fazer nada também. Sei lá. Se quiser dizer o que exatamente está pensando nesse momento, eu aceito ouvir.

[Suspiro. Silêncio]

-Olha, eu não estou conseguindo ordenar meus pensamentos. Estou me sentindo meio engasgada…

-O que te falei foi tão ruim assim? Pra te deixar engasgada?

-Já falei que não é isso…

-E é o que, então?

-Não sei… Me leva pra casa?

-Tem certeza que é isso que você quer?

-Tenho sim.

-Está bem.

[Silêncio. Adeus]

Um comentário em “Conto: Engasgada

  1. Kkkk…
    …Da forma como eu interpretei e imaginei, é bem do jeito que é, na realidade! Acho que ‘ela’ ficou sem respostas à uma avalanche de coisas que acabara de ouvir. O ‘engasgo’, com certeza, foi bem típico de quem não sabe reagir às emoções inesperadas.
    Muito bom texto. Rápido, rasteiro e preciso!
    Parabéns, mais uma vez, Alane!
    Att.: Benê Menezes – SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *