Conto: Somos Estrelas

Luna puxava o pai pela mão. É que a noite era de lua cheia e eles gostavam de levar uma toalha, esticar na areia da praia, deitar e olhar para o céu. Ficavam naquela posição durante horas… Desde que o vovô de Luna foi convocado para fazer companhia ao Papai do Céu, a menina criou a esperança de que, um dia, quando o céu estivesse bem iluminado, pudesse ver o avô acenando lá de cima.

– Cadê aquela estrela, papai? Aquela que brilhava ali.

[apontou para o céu, um lugar qualquer do céu]

– Vai ver ela está dormindo hoje. A estrelinha deve estar cansada de ter brilhado tanto nos últimos dias. Acho que ela decidiu dormir mais cedo…

– Mas papai, as estrelas dormem?

– Dormem, filha. As estrelas somos nós. É no que nos transformamos quando vamos para o céu. Quando deixamos as pessoas que amamos aqui, nós viramos estrelas e ficamos brilhando no céu para iluminar a noite.

– Ahhhhh… Então meu vô virou estrela?

[e deu um sorriso largo de felicidade]

– Virou, filha. Seu avô virou estrela, daquela que vai sempre brilhar pra você, que nunca vai dormir, e vai ficar acesa no céu todos os dias…

– Ah, pai, assim ele vai ficar cansadinho. Vou rezar para o vô dormir, né? Senão como vai ser? O vô já está tão velhinho, precisa descansar. Não pode ficar acordado todos os dias sem dormir.

– Reza, então, filha. Reza para o seu avô descansar bastante e poder brilhar intensamente nos dias em que estivermos aqui, deitados, olhando pra ele.

Luna não mais respondeu, apenas sorriu. O olhar perdido contando as estrelas no céu, tentando imaginar qual delas seria o seu avô, pensando no que as pessoas estariam fazendo lá em cima naquele momento. O céu estava tão iluminado, cheio de pontos de luz. Seria uma festa? Talvez as estrelinhas estivessem comemorando o aniversário de alguém…

Um comentário em “Conto: Somos Estrelas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *