Nas Unhas: Tomara que caia 023 (Mohda)

Depois de algumas “aventuras” com esmaltes que não me agradaram, peguei minha caixinha com a intenção de acertar. Quando olhei o Tomara que caia, já sabia que não havia a menor chance de me decepcionar com ele, ou de a cor me surpreender negativamente e não funcionar. Ele muito me lembrou o Forró (Ana Hickmann), que já até passou por aqui.

Comparando as duas cores, elas realmente se parecem. Ambos possuem uma tonalidade coral, com um brilho bem natural. E não é só nisso que eles se assemelham. A consistência do Tomara que caia é bem cremosa, assim como ocorre com o Forró. Para limpar é super fácil com ambos, nada de manchas exageradas ou cor grudando que nem cola Super Bonder na pele. Gostoso de passar, simples de limpar, lindo nas unhas… Melhor, impossível!

Esses tons corais moram no meu coração e não pagam aluguel. Eu gosto tanto daqueles puxados para o laranja, quanto dos que possuem um fundo mais rosado. A cor é bonita, tem cadeira cativa em qualquer estação, seja verão ouo inverno. Em minha opinião, é daquelas tonalidades consideradas “coringas” nos casos de dúvidas sobre o que usar (por falar em coringas, lembram do Figo – Impala? É outro coringa, para as horas de interrogação).

Vocês já devem ter percebido que me empolgo quando gosto de um esmalte! Uns me deixam elétrica, como aconteceu com o Garota da Capa (Avon), outros conquistam o meu amor de forma mais sutil, como este e o irmão gêmeo Forró. Deve ser coisa de quem roeu unha por muito tempo e descobre o que é ter unhas pintadas. 

E, gente, nada como um esmalte bonito e charmoso, depois de duas decepções seguidas, com o Tubinho (Risqué) e com a combinação Filó + Sonho (Impala). Ah, acabei de lembrar que incluí o Tomara que caia na enquete do esmalte rosa que deveria usar, em que o vencedor foi o Rosa Pitanga (Risqué). O esmalte da Mohda não fez feio na votação à época, ele ficou em segundo lugar, com três votos a menos que o ganhador.

Uma das coisas mais produtivas da empolgação com as unhas é que acaba rendendo um monte de foto. Fico tão admirada com a cor que começo a fazer imagens diversas sobre várias cores diferentes, para mostrar o máximo de variações da cor possível. Eu gosto, porque dá uma noção maior, com luzes diferentes. Vocês gostam, meninas, quando trago esse exagero de fotos também?

Está aí algo que nunca perguntei, mas é até importante saber, não é? Se vocês preferem assim ou se acreditam que uma quantidade menor de imagens é melhor. Fica aí o espaço aberto à opinião de vocês. Eu particularmente adoro o processo de buscar ambientes e texturas em casa para fotografar as unhas. 🙂

Antes, fazia tanta foto que ficava perdida na hora de escolher quais usar nas montagens. Hoje em dia já sou mais prudente com isso, até para reduzir o trabalho de seleção de imagens e agilizar a produção dos textos. Nesta correria louca do dia a dia, não dá para desperdiçarmos qualquer minutinho que seja. Bem, meninas, por hoje é só! Abaixo seguem mais algumas montagens que fiz. Gostaram?  

Um comentário em “Nas Unhas: Tomara que caia 023 (Mohda)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *