As meninas no “spa Avon”, com Alan Rios

*Textos e fotos de Andreia Santana, Alane Virginia e Giovanna Castro

Na última terça-feira, dia 18, o trio de blogueiras aqui do Conversa de Menina aceitou o convite do make up artist e stylist Alan Rios para experimentar uma noite de mini spa Avon, no stand que a marca montou até o final deste mês lá no Shopping Iguatemi. Fomos super bem tratadas pelo Alan, que é um encanto de pessoa. Abaixo, numa blogagem a seis mãos, vocês conferem os detalhes da experiência:

Estas imagens são do stand da Avon no Iguatemi e também dos produtos usados no nosso "mini spa". Ai gente, que tentação ver tantos cosméticos assim, de uma vez, haja coração!

O spa de Alane:

Fui a primeira a experimentar o spa. E enquanto Alan me aplicava os produtos, ía explicando para que cada coisa servia. O bacana é que ele nos contou direitinho como funcionam os anti-sinais. Eles não rejuvesnescem, gente, ainda não criaram um produto que faça o tempo voltar atrás, mas eles atuam no sentido de retardar as marcas do avanço da idade e claro, pele tratada é outra coisa, exibe viço, brilho e firmeza por mais tempo. No caso da Rejuvenate 25+, a linha usada em mim e nas meninas, os primeiros resultados de pele hidratada, mais brilhante e sedosa começam a aparecer com no mínimo sete dias de tratamento. Então, o spa que fizemos não podia operar milagres, antes foi uma demonstração dos itens da Avon e uma boa chance de compartilhar um momento divertido entre amigas e com uma pessoa incrível como o Alan.

Uma coisa importante de dizer é o cuidado que a marca e o maquiador tiveram ao preparar esse espaço e convidar as blogueiras para o spa, todos os aplicadores usados em nós foram descartáveis.

Depois de limpar minha pele com o gel de limpeza, aplicar o creme de tratamento e o creme para área dos olhos da linha Renew. Foi a vez de experimentar a manteiga hidratante da linha Naturals e um creme clareador para mãos também da Renew, que até estou usando no momento e tinha na bolsa no dia do spa. Em breve coloco um Test Drive específico aqui no blog. O creme para mãos, segundo Alan, tem a vantagem de também ajudar a fortalecer as unhas. Já a manteiga hidratante, tem boa absorção – vocês já sabem que não gosto de cremes grudentos – e um cheiro bem suave. Até pensei em adotar essa manteiga, principalmente porque a pele ficou macia, com textura aveludada e sequinha, muito prático para quem precisa se hidratar e vestir a roupa para trabalhar no dia a dia.

Na maquiagem, Alan se inspirou no batom vermelho que eu estava usando quando cheguei ao spa para criar um visual bem pin-up. Primeiro, preparou minha pele com base mousse, em bastão, na cor bege natural. Aplicou a base com pincel, que o acabamento fica muito melhor. O pó escolhido foi o Ideal Shade na cor bege, a máscara dos cílios foi a Curly Mega Impact, para deixar bem curvados. E para dar aquele ar de saúde, mas sem pesar, até porque o batom era vermelho, um blush caramelo. O batom foi aplicado de pincel, desenhando o contorno dos lábios com perfeição.

Fizemos quiz para descobrir nossas fragrâncias indicadas pela Avon. Muito divertido!

O spa de Giovanna:

Fiz minha estreia no mundo dos cuidados femininos, digamos assim, guiados. Obviamente, que pelo menos há 30 anos eu tenho lidado com cuidados desde o hidratante, até o melhor shampoo para o cabelo, o perfume e a maquiagem. Mas tudo feito de maneira um tanto intuitiva e com base em muita leitura, nada com o auxílio de um profissional experiente na área, como aconteceu no Spa de Alan Rios, com os produtos da Avon. Me senti mesmo uma “mulher rica”, como ele gosta de brincar. Foi um momento para parar e entender como determinados produtos podem contribuir para a gente se sentir mais bonita e disposta a enfrentar a correria do dia a dia.

Alan começou com a aplicação da Linha Renew Rejuvenate 25+, que inclui o Gel de Limpeza Facial; o Creme Dia/Noite e o Gel/Creme para Olhos. Todos produtos muito leves que não deu nem para perceber que passei tantas coisas diferentes na pele. Infelizmente, como apliquei apenas desta vez, não dá para falar sobre resultados na minha pele, já que a aplicação não teve continuidade.Vou precisar conversar com minha dermatologista sobre a aplicação da Linha Renew, recomendação do próprio Alan, quando perguntei se poderia usar tranquilamente a linha, já que eu utilizo um ácido que, mesmo com concentração baixinha, pode interagir com os cosméticos da Avon e dar resultados indesejáveis. Por enquanto, decidi não arriscar.

A fase seguinte, a da aplicação do hidratante, foi bem legal. Eu devo confessar que não gosto dos aromas dos hidratantes da Avon e já tava imaginando ficar com aquele cheirinho chato na minha pele, quando Alan massageou meus braços com a Manteiga Hidratante de Pêssego, da Linha Naturals. Para minha surpresa, mesmo, o cheiro é super agradável e me fez mudar os conceitos em relação a este produto específico, apesar de uma das consultoras da Estação de Cosméticos da Avon ter dito que exatamente esse cheirinho saiu de linha. Enfim, foi bom enquanto durou.

Minhas mãos são um problema a parte. São ásperas de nascença e até hoje ninguém conseguiu me apresentar um produto que resolvesse a questão. Nem mesmo diferentes dermatologistas tiveram sucesso em suas recomendações. Estou sempre com as palmas das mãos secas e esbranquiçadas. Já tive mais stress com relação a isso, mas já relaxei. É do meu organismo que minhas mãos sejam assim, logo, o resultado nas minhas mãos do Iluminador Renew Clinical, foi nulo. Volto a ressaltar, obviamente, que em uma única aplicação não poderia mesmo obter nenhum resultado mais interessante. A menos que fosse a fórmula revolucionária para o meu caso, mas esta, eu ainda não encontrei.

Agora, a parte que mais gostei mesmo foi a da maquiagem. Maquiagem não é exatamente uma novidade para mim. Não uso no dia a dia, apenas quando dá aquela vontade irresistível de ficar lindíssima, mas consigo obter bons resultados quando me aventuro nos pincéis. Sempre li sobre o assunto e de uma forma ou de outra as cores e texturas sempre estiveram por perto, ainda que eventualmente. Mas nada como um profissional aplicando os produtos no seu rosto para que o resultado seja visto com mais atenção. A Base Magix Mel e o Pó Compacto Ideal Shade são muito levinhos e o resultado é que não senti nenhum efeito reboco.

Aqui uma brincadeirinha para descontrair. Alane e eu, pelo teste de fragrâncias da Avon, temos o mesmo perfume, o JF, que já é o que uso habitualmente. A disputa é só cenográfica, lógico!

Era como se minha pele estivesse ao natural, só que com cor e textura muito mais uniformes. As cores que ele usou em mim são as cores nas quais eu sempre aposto, os tons marrons e terrosos, logo, ficou muito bom. O que eu não esperava é que o delineador apresentasse um aspecto tão bonito. Já tentei delineador de vários tipos, líquido ou em lápis, e gostei muito. Vou usar a dica que ele deu, de aplicar o delineador na parte superior da pálpebra e também na parte inferior do olho, esfumaçando um pouco com o pincel. O pulo do gato foi a cor: marrom.

A sombra preta, ele aplicou com um pincel chanfrado nas sobrancelhas para ressaltá-las, mas o aspecto ficou o mesmo que já uso em casa, com leves toques de lápis de sobrancelha. O efeito não ficou nem mais leve, nem mais pesado, em relação ao meu velho truque. O rímel que usei destacou o meu olhar de uma forma muito delicada e marcante ao mesmo tempo. Muito interessante!

O blush rosa, eu não tenho muita certeza se vou adotar, porque sempre achei que na minha pele, os tons de pêssego ficam muito melhor. Mas enfim, se é para experimentar, vamos em frente! Para finalizar, ele aplicou Condicionador Labial Renew e Batom Renew Cor de Boca, que também ficou muito bem no meu tom de pele, coisa que não é muito fácil de encontrar.

O trio de blogueiras com o make básico by Alan Rios. Alane com boca de Pin-up (tendência!), Gio com os olhos em destaque e eu, que usei delineador líquido pela primeira vez. O batom é o rosa queimado, de #ricah gente!

O spa de Andreia

“Se cuidem, se amem, tirem um tempo na frente do espelho para se curtirem”. Pronto, Alan Rios me ganhou logo de cara com a filosofia de botar a autoestima da mulherada lá para o alto, na lua. Além disso, quando ele disse que a minha pele, apesar dos 36 anos de vida e das marcas de acne, ainda tinha viço e brilho suficientes para minha linha de cuidados adequada ser a Rejuvenate 25+ da Renew, virei fã de carteirinha. A dica para escolher o produto certo, segundo o especialista, é ver o estado da pele, mas nada impede que a escolha siga a cronologia, conforme a própria Avon indica nas embalagens. “O brilho da pele, a firmeza e o viço vão indicar se a necessidade é apenas de uma boa hidratação ou se é preciso um anti-sinais mais potente”, detalha o maquiador.

A consistência dos produtos também segue essa lógica. Para peles mais jovens, que tem mais oleosidade, sérum e gel. Para peles mais ressecadas e já com perda de colágeno, a textura é em creme. Tenho a pele oleosa e ainda por cima, com acne, então, Renew na minha rotina só depois de perguntar à minha dermatologista. Já usei uma vez, nos primórdios da linha, e na ocasião, não deu tão certo. Dessa vez, experimentei o serúm do Rejuvenate 25+ e gostei bastante da consistência. Mas o que valeu ainda mais no dia desse spa foi a massagem facial e o carinho de Alan, além claro das orientações dele para fazer movimentos circulares na hora de aplicar os produtos de limpeza e movimentos retos, para cima, na hora de colocar o produto de tratamento. No pescoço, o movimento é reto e para baixo. Nas pálpebras, com o delo anelar (menos vascularizado, menos inchaço, lembram?), movimentos circulares até a absorção do creme. O gel/creme para os olhos da linha Rejuvenate 25+ tá aprovadíssimo!

Nos braços, ele me fez uma massagem com hidratante de mel e guaraná da linha Avon Naturals (outra surpresa boa, porque não gosto de cheiro adocicado, mas esse não fica, é suave). Por coincidência, estou usando um creme para mãos dessa mesma linha e fragrância e estou gostando bastante do resultado. Meninas, ganhar uma massagem nos braços depois de um dia inteiro diante do computador é o céu. God bless you, Alan!

Daí chegamos na parte da minha make e ele escolheu para mim um visual de #ricah do Iate: batom rosa queimado da linha Ultra Color Rich e delineador líquido Ideal Shade, à prova d´água. E aqui abro um parêntese: geralmente, quando faço maquiagem, só uso sombra e iluminador na pálpebra superior, evito lápis, delineador e rímel, ou seja, tudo o que pode borrar. Não tenho canais lacrimais, porque num processo alérgico que tive anos atrás, a cicatrização obstruiu meus canais. Logo, minhas lágrimas escorrem – porque não possuo os canais de drenagem – e os cílios ficam sempre úmidos. Alan conseguiu a proeza – profissional é outra coisa! – de me aplicar delineador e o dito ficar sequinho no lugar. Também me colocou máscara, a spectra lash, a mesma usada em Gio, mas em quantidade mínima. No rosto, nada de blush, para não ressaltar os pontinhos vermelhos da acne, que estava atacada justo no dia do spa (sabotadora essa acne!). Mas ele aplicou uma boa base mousse cor natural e pó compacto bege médio para finalizar. Adorei!

Ah, e ainda fiz um quiz para descobrir qual o perfume da Avon que mais combinaria comigo. “Só perfume de #ricah”, brincou Alan.  Três fragrâncias combinam com o meu “jeitinho” de ser: o Today, o Eternal Magic e o In Bloom Eau de Parfum, aquele da atriz Reese Whiterspoom. Ou seja, todos com toques florais modernos, suaves e envolventes. Faltou um nada para eu ficar me achando!

E para fechar com chave de ouro: Andreia, Alane, Alan Rios e Giovanna

*Andreia Santana, 37 anos, jornalista, natural de Salvador e aspirante a escritora. Fundou o blog Conversa de Menina em dezembro de 2008, junto com Alane Virgínia, e deixou o projeto em 20/09/2011, para dedicar-se aos projetos pessoais em literatura.

Leia Mais

Marca internacional Sebastian é lançada em Salvador

A marca internacional de cuidados com os cabelos Sebastian definiu nova fase de atuação no mercado adotando o lema “Fearless Hair Fashion” (moda para cabelos sem medo, em tradução livre). A nova linha de produtos da marca será lançada em Salvador nesta terça, 23, na rede Barber Beauty, com uma demonstração show feita pelos profissionais da própria multinacional. A equipe do Conversa de Menina foi convidada para conferir as novidades in loco no evento de amanhã e claro, contaremos para vocês as novidades.

Para desenvolver os produtos, a marca levou dois anos entrevistando mais de dez mil consumidores e estilistas e, depois de muitos testes, dividiu a nova linha em três categorias: Foundation (xampus e condicionadores), Flow (styling e tratamento) e Form (transformação artística como ceras, gel e sprays). Há ainda serviços exclusivos para salões, como o tratamento de brilho Cellophanes, a restauração com o Penetraitt e a hidratação Hydre. No Brasil, o reposicionamento da Sebastian incluiu a escolha dos salões que representem as linhas. Em Salvador, a rede Barber Beauty é que tem a exclusividade.

A Sebastian agora está sob o comando da Procter & Gamble.  Para o lançamento desta terça-feira, além da linha tradicional Sebastian Professional, o Barber Beauty apresentará  a linha Flaunt, formada por quatro produtos multifuncionais que prometem proteção, modelagem, movimento e brilho intenso aos fios. Os produtos – Shine Define, Liquid Gloss, Halo Mist e Trilliant – estarão à venda no salão por preços que variam de R$ 60 a R$ 98.

Ainda não testamos nenhum produto da marca, mas prometemos contar por aqui nossas impressões caso a gente vá experimentar. Mas, caso alguma leitora já conheça e queira compartilhar opiniões, a caixa de comentários do post é de vocês!

SERVIÇO:

Unidades Barber Beauty em Salvador

>>Pituba – Av. Manoel Dias da Silva, 2219
Tel.: (71) 3344-8600
Funcionamento: 08h às 20h

>>Shopping Iguatemi 2º Piso
Tel.: (71) 3114-7400
Funcionamento: 9h às 22h

>>Shopping Barra 3º piso
Tel.: (71) 3263-7400
Funcionamento: 09h às 22h

Leia Mais

Foco sobre a saúde feminina: tratamento alternativo para os sintomas da menopausa

O texto que publicamos abaixo apresenta uma pesquisa recente com um suplemento alimentar desenvolvido para auxiliar no tratamento dos desconfortos da menopausa. O blog não está dizendo que o produto é realmente eficiente ou condenando a terapia de reposição hormonal, que é o tratamento mais comum dos sintomas desse fenômeno pelo qual todas as mulheres vão passar com a chegada da maturidade. Achamos interessante divulgar porque o material traz outras explicações importantes sobre o climatério e porque existe seriedade na abordagem do assunto e na apresentação desta terapia alternativa, inclusive com a citação de dois centros de pesquisa de universidades importantes do país. Vale porém, o lembrete de sempre: quem prescreve tratamento é o médico e só ele saberá dizer qual é a terapia que mais convém para cada tipo de paciente. Confiram e cuidem-se!

Tratamento alternativo auxilia a nova fase da vida da mulher

Estudos da USP e Unicamp comprovam eficácia de alimento à base de soja

No próximo dia 18 é comemorado o Dia Mundial da Menopausa. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que até 2030 mais de 1 bilhão de mulheres estarão nesse período, um número três vezes maior do que em 1990.

Somente no Brasil são mais de 13,5 milhões que passam pelo período do climatério, e é por isso que há muito tempo a menopausa deixou de ser vista como uma doença, mesmo porque o número de mulheres que chegam e superam bem esse período aumentou consideravelmente comparado às últimas gerações.

No século XVII apenas 28% das mulheres chegavam no período de climatério, sendo que 5% atingiam a faixa dos 75 anos. Atualmente 95% delas chegam a menopausa e 50% atingem os 75 anos. Isso significa que com o aumento da longevidade a perspectiva é de que as mulheres passem pelo menos um terço de sua vida na menopausa.

Não existe idade predeterminada para a mulher que entra nesse ciclo. Geralmente ocorre entre os 45 e 55 anos, mas é muito comum também em mulheres a partir dos 40 anos sem que isso seja um problema.

Ondas de calor, suores noturnos, insônia, perda da libido, ressecamento vaginal, diminuição da atenção e memória são alguns dos principais sintomas sofridos pelas mulheres neste período. Apesar de a menopausa ser considerada um fenômeno natural, esses efeitos podem interferir muito na maneira de viver. Por isso o tratamento para minimizar esses sintomas aliado ao acompanhamento de um profissional qualificado é ideal. É sempre o ginecologista de confiança que deve decidir, em conjunto com a paciente, o melhor tratamento.

Princípios ativos da soja auxiliam no tratamento dos sintomas da menopausa, diz pesquisa

A terapia de reposição hormonal é o mais comum, porém a busca por opções alternativas tem sido cada vez mais procurada pelas mulheres que já realizaram reposição ou que possuem alguma contra-indicação, principalmente porque apesar de ser o mais indicado, o tratamento que inclui diferentes combinações de hormônios geralmente é interrompido pelas usuárias após um ano, a maior parte por conta de sangramentos irregulares, medo de câncer ou doença tromboembólica e ganho de peso.

Um estudo recente publicado na revista Climateric (2008) com 230 participantes mostrou que 70% das mulheres que optaram por tratamentos alternativos no climatério ao invés da TH (Tratamento Hormonal), o fizeram por medo do desenvolvimento do câncer. O ideal é enfrentar essa condição de forma saudável.

Entre os tratamentos alternativos disponíveis, um se destaca por ter sua eficácia comprovada em dois estudos conduzidos com mulheres na menopausa. Trata-se do alimento Previna®, desenvolvido por uma equipe de especialistas em nutrição e tecnologia de alimentos do Centro de Pesquisa Sanavita, que reúne em uma única porção os benefícios das proteínas e isoflavonas de soja, além do cálcio, nutriente importante para a manutenção da massa óssea.

O alimento foi avaliado inicialmente em um estudo no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP com 78 mulheres na menopausa e mostrou-se eficiente no tratamento dos sintomas, especialmente ondas de calor, na mesma magnitude que o hormônio sintético utilizado para comparação.

Posteriormente, a Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp, por intermédio do médico Lucio Carmignani, com orientação da ginecologista Adriana Orcesi Pedro, concluiu um rigoroso estudo com 60 mulheres que comparou os efeitos da ingestão diária do Previna ® com o uso da terapia hormonal de baixa dosagem e placebo.

Os resultados mostraram que a ingestão do produto foi eficaz em aliviar em 65,4% sintomas como ondas de calor e 40% dos problemas musculares e de articulações. Além disso, o grupo que fez o uso do alimento apresentou melhora considerável na secura vaginal e não apresentou nenhuma reação adversa.

Ao final do estudo, os médicos concluíram que o alimento composto à base de soja é uma excelente opção para muitas mulheres que não podem utilizar a famosa TH para o controle dos sintomas relacionados ao climatério. Os profissionais da saúde tem indicado nesses casos o uso combinado do Previna® com uma dieta equilibrada, associada a um estilo de vida saudável que envolve a prática de atividades físicas regulares.

Mais informações sobre o estudo no site: www.estudosojamenopausa.com.br

*Material elaborado pela Máxima Assessoria de Imprensa.

=============================

Confira a apresentação da série:

>>Foco sobre a saúde feminina no mês de outubro

Leia Mais

Promoção Kit Beleza Natural de Restauração Intensiva

O Conversa de Menina vai sortear um kit de produtos do Beleza Natural, instituto especializado no tratamento de cabelos cacheados e crespos. O kit é composto por shampoo, condicionador e máscara da linha Restauração Intensiva da marca. Os produtos são indicados para reestruturar o interior da fibra capilar, além de tratar a quebra, desnutrição, ressecamento, opacidade e pontas duplas.

 

O kit do BN é formado por shampoo, condicionar e máscara de hidratação. Boa opção para cuidados básicos de manutenção com os cabelos

 

Para concorrer ao kit, basta responder à pergunta: “Por que meus cabelos merecem os produtos do Beleza Natural?” até o dia 20 de outubro. As respostas devem ser postadas unicamente na seção de comentários deste post. A frase mais criativa, que deve ter no máximo 140 caracteres, será premiada com o kit que vocês veem na foto. A escolha será feita pelas três editoras do blog, e o resultado será divulgado no dia 25 de outubro, também aqui no blog e via Twitter.

O kit sorteado foi enviado para mim pelo Instituto Beleza Natural. Como eu já tenho os três produtos, resolvi sorteá-los entre os leitores. E, meninos, se animem também a participar da promoção. Eu já uso os produtos do Beleza Natural e super aprovo. Breve, inclusive, a menina Andreia vai publicar o Test Drive deste kit.

Participem!!!

Leia Mais

Saúde & Fitness: Por que é tão difícil mudar o estilo de vida dos pacientes hipertensos?

Essa semana, um colega de trabalho, na casa dos vinte e poucos anos, teve uma crise hipertensiva e precisou voltar mais cedo para casa. Quando ele me contou que sofria de “pressão alta”, e nem tem 25 anos ainda, não acreditei! A verdade é que a doença ataca cada vez mais cedo e requer cuidados. Pensando nesse conhecido, que tão jovem já precisará adotar um novo estilo de vida, selecionei para a coluna Saúde & Fitness deste domingo, uma reportagem sobre a hipertensão. Confiram:

*Por que é tão difícil mudar o estilo de vida dos pacientes hipertensos?

“Mas eu nunca tive pressão alta…”,  afirmam muitos pacientes, como se nascessemos hipertensos… E não o contrário, como se não nos tornássemos hipertensos, ao longo de nossas vidas.

“Saber-se hipertenso pode trazer consigo uma sensação de fragilidade e desamparo diante de uma condição incurável, onde teremos que tomar medicamentos para o resto de nossas vidas”, afirma a endocrinologista Ellen Simone Paiva, diretora do Citen, Centro Integrado de Terapia Nutricional, em São Paulo.

É compreensível que o ser humano se sinta extremante inconformado com as limitações impostas pelas doenças crônicas. Isso ocorre com o diabetes, com a obesidade e também com a hipertensão arterial.

“Há um estágio inicial, após o diagnóstico, em que as pessoas até tentam seguir as orientações médicas. Mas, com o passar do tempo, o ânimo inicial cede lugar para o cansaço, a dieta restrita em sal, tão importante para o tratamento eficaz, já não é seguida à risca, o uso comedido do álcool sucumbe ao abuso. A prática de atividade física e a suspensão do tabagismo parecem muito difíceis de serem implementadas. “Há uma rebeldia ou uma total negligência aos detalhes já bem reconhecidos como protetores ou facilitadores do tratamento”, diz a endocrinologista.

“Nesse momento, é muito importante que esse paciente possa contar com um médico que possa ser acolhedor o bastante e esclarecedor o suficiente para dar a esse paciente a chance de optar pelo tratamento de maneira bem amadurecida”, alerta Ellen Paiva.

Mudanças que não assustam – Realmente, devemos ser realistas. A vida não poderá mais ser como antes… Mas ela pode ser muito melhor do que antes, se formos maduros e estivermos engajados no nosso próprio tratamento. “Além disso, quando um paciente, na faixa dos  45 – 55 anos fica hipertenso, já não seria em boa hora para ele começar a cuidar melhor do seu peso e da sua ingestão de sal? Já não está na hora de parar de fumar, beber menos, se exercitar mais e finalmente adotar um estilo de vida mais adequado à sua idade?”, questiona a médica.

Os medicamentos para o tratamento da hipertensão arterial estão numa fase de avanço tecnológico que dificilmente não conseguimos normalizar a pressão de um paciente. “Entretanto, mesmo com uma pressão arterial normal, com o uso de vários medicamentos hipotensores, um paciente obeso, sem atividade física, que beba muita bebida alcoólica e/ou fume, poderá não se livrar das complicações crônicas da hipertensão, como o infarto e o derrame. Assim, essas mudanças de hábitos do paciente hipertenso são tão importantes para o tratamento da doença como os medicamentos hipotensores disponíveis no mercado”, destaca a diretora do Citen.

Hoje, para enfrentar qualquer doença crônica que exija mudanças de hábitos, ninguém vai encontrar facilidades. “Mas, o que esses pacientes, muitas vezes, não sabem é que o tratamento eficaz das condições clínicas associadas a estas doenças crônicas é o que garante a normalidade da vida, a coexistência pacífica com a doença”, destaca a endocrinologista.

Saiba mais:

No site – www.citen.com.br

Via Twitter – @Citensp

Por email – faleconosco@citen.com.br

*Texto de Márcia Wirth, enviado ao blog pela MW- Consultoria de Comunicação

Leia Mais

Cultura: Gacc e Cabriola Cia. de Teatro estreiam espetáculo “É Meu, É Seu, É Nosso!”

Uma boa dica para quem está em Salvador neste fim de semana é a estreia, neste sábado, dia 03, do musical É MEU, É SEU, É NOSSO!, produção do Gacc (Grupo de Apoio a Criança com Câncer) e Cabriola Cia. de Teatro, que conta a história de um menino que luta para vencer um problema de saúde e conta com a força da família e dos amigos. O texto do espetáculo é do dramaturgo Deolindo Checcucci (O Vôo da Asa Branca, Raul Seixas, Irmã Dulce) e a direção é de Heraldo Souza, que também assina a trilha sonora. A peça terá ainda a participação do ator e músico Elinaldo Nascimento, ex-paciente do GACC, aluno do curso de Artes Cênicas na Escola de Teatro da UFBA (Universidade Federal da Bahia).

A Cabriola Cia de Teatro ganhou o prêmio Braskem de Teatro (importante reconhecimento na cena teatral baiana) de melhor espetáculo infanto-juvenil com a peça Os prequetés. O diretor Heraldo Souza, por sua vez, foi indicado na categoria revelação da mesma premiação, pela composição e arranjos musicais de Os prequetés.

Já o Gacc é uma instituição filantrópica fundada em 1988, para dar suporte as crianças de baixa renda baianas e suas famílias, evitando o abandono do tratamento do câncer infanto-juvenil, pois muitos pacientes mirins, sobretudo no interior do Estado, acabavam largando o tratamento médico por falta de condições de se deslocar para a capital, custear hospedagem, transporte e mesmo uma alimentação mais substancial, principalmente para quem precisa de quimio ou radioterapia. Fiz algumas reportagens com o Gacc ao longo da vida de repórter  e o trabalho dessa entidade, além de belíssimo, é muito respeitado na Bahia. Ao todo, a instituição assiste cerca de 300 pacientes por mês, juntamente com seu acompanhante, totalizando mais de três mil famílias em 22 anos  de atuação. Graças ao trabalho das equipes multidisciplinares do Gacc, as chances de cura dos pacientes assistidos alcançam mais de 70% e nenhum paciente abandona o tratamento por falta de condições financeiras.

Ficha Técnica do espetáculo:
Direção: Heraldo Souza
Texto: Deolindo Checcucci
Elenco: Aline Lopes, Elinaldo Nascimento, Isaque Pires, Josevaldo Fortes, Julio Cesar Mello, Lucy Castro, Lika Ferraro, Mariana Damásio.
Assistente de direção: Etiene Bouças
Figurinos, coreografias e cenografia: Heraldo Souza
Direção Musical: Heraldo Souza
Iluminação: Luiz Guimarães
Preparação corporal para cena: Lika Ferraro
Cenotécnico: Evando Cézar
Assistente de produção: Aline Lopes
Músicos: Elinaldo Nascimento (violão), Josevaldo Fortes (Flautas, Escaleta), Lucy Castro (percussão)
Costureira: Angélica da Paixão
Fotos: Aldren Lincoln

Serviço:

É MEU, É SEU, É NOSSO! – Musical para todas as idades
Onde: Teatro ISBA  – Av. Oceânica, 2717, Ondina. Telefone: (71) 4009-3689
Quando: 03 a 25 de julho de 2010, sábados e domingos, às 16h. Haverá sessão extra nos dias 18 e 25 de julho, às 10h
Quanto: 10,00 e 5,00 (meia entrada) – toda renda será destinada ao trabalho assistencial do GACC
Realização: GACC-BA e Cabriola Cia de Teatro
Para entrar em contato: cabriola.ciadeteatro@hotmail.com

Leia Mais

Saúde & Fitness: E por falar em dor…

Aproveito o tema do post recente sobre a moda de adotar mochilas como acessório fashion, evitando assim a sobrecarga nos ombros proporcionada pelas bolsas femininas, e publico na série Saúde & Fitness da semana, uma esclarecedora reportagem sobre a fibromialgia, síndrome caracterizada por dores generalizadas e, muitas vezes, incapacitantes. A fonte é o médico reumatologista Sergio Lanzotti (lá no final do post tem links para o twitter e o blog do especialista), diretor do Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares (Iredo). Confiram:

*Fibromialgia: como conviver com uma dor que não passa?
No rol de combate à doença não podem faltar acompanhamento médico especializado, atividade física e uma boa alimentação

Dor nos ombros, nos braços, nas costas, nas pernas, na cabeça, nos pés. Quem tem fibromialgia conhece bem o corpo, pois todo ele reclama… Antigamente, as pessoas que apresentavam este quadro clínico sofriam duplamente, pois a doença demorou a ser reconhecida como um mal físico. “A fibromialgia já foi confundida com depressão e estresse. Por falta de informação — e diagnóstico —, os pacientes ainda tinham que sofrer na alma o transtorno que a dor já impingia ao corpo”, explica o reumatologista Sergio Bontempi Lanzotti, diretor do Iredo (Instituto de Reumatologia e Doenças Osteoarticulares).

A fibromialgia é classificada como uma síndrome porque se caracteriza por um conjunto de sintomas. “O que está presente em todos os quadros é a dor difusa pelo corpo inteiro, presente na maior parte do dia”, diz Sérgio Lanzotti. Em geral, a dor vem acompanhada de algumas outras manifestações como formigamento, irritabilidade, enxaqueca, cólon irritável, pernas inquietas e distúrbios do sono. “Os pacientes que apresentam  fibromialgia geralmente dormem mal, têm sono leve, entrecortado, não reparador. Ao despertar, a pessoa fica com a sensação de que não descansou”, explica o especialista em Reumatologia.

É comum ainda que os fibromiálgicos apresentem alterações de humor, com quadros de depressão ou de ansiedade. De acordo com pesquisas, 25% dos portadores apresentam sintomas de depressão junto com dores difusas, enquanto 50% relatam aos médicos que já tiveram crises depressivas, antes de surgir o quadro doloroso.

Com o avanço dos estudos e pesquisas sobre a doença, as evidências comprovam que a fibromialgia é uma doença física, sim. Não se trata de uma síndrome invisível. Há trabalhos científicos mostrando que o portador apresenta alterações na anatomia cerebral. Um desses estudos foi apresentado no final de 2008, na França. Graças a um exame por imagem chamado Spect –  tomografia computadorizada por emissão de fóton -, os médicos do Centro Hospitalar Universitário de La Timone, em Marselha, constataram que no cérebro de 20 mulheres com esse tipo de hipersensibilidade havia um fluxo maior de sangue em regiões que identificam a dor. Paralelamente, notaram uma queda de circulação na área destinada a controlar os estímulos dolorosos. Nas dez voluntárias saudáveis que participaram da pesquisa, nenhuma alteração foi detectada. Este trabalho soma-se a outros dados consagrados sobre a presença do distúrbio, como o aumento dos níveis de substância P, o neurotransmissor que dispara o alarme dolorido e a menor disponibilidade de serotonina, molécula que avisa ao sistema nervoso que a causa da dor já passou.

Confirmada que a fibromialgia está longe de ser uma doença psíquica, a pergunta que ainda não foi respondida é por que a doença surge. “Quando soubermos a sua origem, conseguiremos acabar com a causa e encontrar a cura”, diz o médico. Por enquanto, o que se conhece são os gatilhos do terrível incômodo — fatores que desencadeiam a crise, como o estresse pós-traumático —, além dos meios de minimizar o quadro e devolver qualidade de vida aos pacientes.

Para diagnosticar a doença  – Para diagnosticar adequadamente a fibromialgia é preciso estar atento aos seus vários sintomas. “O diagnóstico da doença é clínico, pois os exames complementares, na maioria das vezes, são absolutamente normais. É preciso basear-se na presença do quadro característico de dor e no reconhecimento de pontos pré-definidos que sejam dolorosos à pressão dos dedos do especialista”, explica Sérgio Lanzotti.

Para estabelecer o diagnóstico definitivo é preciso conhecer em detalhes a história do paciente, escutar suas queixas e procurar fatores emocionais ou quadros de depressão ou ansiedade. “Embora não sejam as causas diretas, as condições emocionais estão intimamente ligadas à enfermidade”, destaca o médico.

Tratamento melhora a qualidade de vida – Não existe uma terapêutica única para livrar o paciente de uma vez por todas das dores no corpo, problemas de sono, irritabilidade ou depressão associados. Mas a intensidade dolorosa poderá diminuir. Com a evolução do tratamento, a qualidade de vida pode melhorar. “O tratamento da fibromialgia precisa ser individualizado. Se houver alguma doença associada, ela deverá ser tratada para eliminar mais essa causa de sofrimento. E assim se procede com cada uma das doenças associadas. Procuramos equilibrar este paciente, sugerindo alterações no seu estilo de vida. Por exemplo, aconselhamos o paciente a não ficar parado. Atividades físicas aeróbicas e de baixo impacto, como uma caminhada; e/ou um trabalho de musculação bem dosado são benéficos, pois aumentam os níveis de endorfinas, melhoram o bem-estar e ajudam no relaxamento”, informa Lanzotti.

O médico destaca que, em alguns casos, juntamente com os exercícios, é necessário empregar medicamentos para manter a dor sob controle. “São prescritos medicamentos que atuam sobre os níveis de serotonina, melhorando o processo de inibição da dor e as mudanças de humor”, explica.

Os medicamentos utilizados no tratamento da fibromialgia abrangem desde analgésicos até anti-convulsivantes estabilizadores do Sistema Nervoso Central. “Dentre os tratamentos que estão sendo pesquisados para alívio das dores, destacamos a estimulação magnética transcraniana, que consiste na aplicação diária de  ondas elétricas em um local específico do crânio. O tratamento ainda é experimental, encontra-se em avaliação, tanto no Brasil, como em centros especializados do mundo, como o Centro de Neurociência da Universidade de Harvard, Boston, nos Estados Unidos”, informa Lanzotti.

Já as drogas como os opióides, com exceção do tramadol, não são muito eficazes no tratamento de pessoas fibromiálgicas. “O consenso é que no rol de cuidados não podem faltar remédios, atividade física aeróbica e uma boa alimentação. Um exemplo: caminhar de três a quatro vezes por semana, durante 30 minutos, libera substâncias prazerosas como as endorfinas e relaxa a musculatura. Alguns portadores de fibromialgia que seguem esse receituário chegam até a dispensar a medicação”, diz o reumatologista.

Por fim, Sérgio Lanzotti destaca que durante o tratamento, é preciso “ensinar ao paciente algumas artimanhas para evitar os fatores estressantes, que são gatilhos para a dor. Técnicas de respiração e de relaxamento podem ser caminhos para o alívio do sofrimento também”, defende.

Para saber mais:

Site: www.iredo.com.br

Blog: vivendosemdor.wordpress.com

Rede Social: twitter.com/sergiolanzotti

*Material elaborado e encaminhado ao blog para divulgação, pela jornalista Márcia With, da MW Comunicação.

Leia Mais

Saúde: O que é Síndrome dos Ovários Policísticos?

Selecionei para publicação nesta quinta aqui no blog, uma reportagem enviada para nós, via email, pela jornalista Márcia Wirth, da MW Consultoria – empresa especializada em assessoria na área de saúde -, sobre a Síndrome dos Ovários Policísticos. O texto explica o que é a SOP, quais os sintomas mais comuns e quais as consequências para a mulher portadora deste problema. Faz ainda um alerta sobre a necessidade do diagnóstico e tratamento para a manutenção da qualidade de vida. Vale a pena conferir:
========================================

*Síndrome dos Ovários Policísticos: Sintonia entre ginecologista e endocrinologista facilita diagnóstico e tratamento

Para muitas pacientes, não é nada esclarecedor quando elas são informadas que tem a Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP). A começar pelo nome, pois a Síndrome dos Ovários Policísticos pode ocorrer sem que o exame de ultra-sonografia revele cistos nos ovários. Além disso, 20% das mulheres normais podem apresentar ovários policísticos, sem nenhuma manifestação clínica ou alteração hormonal, não sendo classificadas como portadoras da Síndrome dos Ovários Policísticos. O diagnóstico da SOP é feito quando pelo menos 2, dos 3 critérios abaixo forem positivos em uma adolescente ou mulher adulta:

(1) infertilidade devido a falta de ovulação;
(2) evidências clínicas (acne, excesso de pelos corporais, seborréia, queda de cabelos) e/ou laboratoriais de excesso de hormônios masculinos;
(3) múltiplos pequenos cistos ovarianos vistos através da ultra-sonografia pélvica.

Sinais de alerta – Alterações menstruais constantes constituem-se num sinal de alerta para as mulheres, pois podem indicar a presença da Síndrome dos Ovários Policísticos ou de endometriose. “A mulher que apresenta a Síndrome dos Ovários Policísticos menstrua a cada dois ou três meses e, freqüentemente, tem apenas dois ou três episódios de menstruação por ano. Outros sintomas da doença são o hirsutismo (aumento de pelos no rosto, nos seios e na região do abdômen); a acne; a obesidade e uma dificuldade para engravidar”, explica o ginecologista Aléssio Calil Mathias, diretor da Clínica Genesis.

A Síndrome dos Ovários Policísticos surge, normalmente, na puberdade e vai até a menopausa. Geralmente, tudo começa por volta dos 10 ou 12 anos, quando os ovários da menina, até então inativos, passam a produzir hormônios em grande quantidade, desencadeando a puberdade e com ela a menarca, nome dado a primeira menstruação. “Nessa época, já se nota uma maior tendência ao ganho de peso. No rosto, os efeitos dos hormônios sob a forma de acne e seborréia, características que dão à pele da adolescente aquela aparência oleosa, se fazem notar. Tudo isso pode ser normal e desaparecer lentamente, assim que a turbulência hormonal dá lugar às secreções hormonais cíclicas e regulares da mulher adulta”, explica Silvia Mizue, endocrinologista da Clínica Genesis.

Mas em alguns casos, estes sintomas não desaparecem…  Por isso, é comum a mulher com ovários policísticos procurar vários especialistas, ao longo da vida, em busca de tratamento apropriado. Nos consultórios dos endocrinologistas e ginecologistas, elas se queixam de grande dificuldade de perder peso e das alterações clínicas secundárias ao excesso de hormônios masculinos que seus ovários fabricam.

Distúrbios hormonais – É importante dizer que todas as mulheres produzem fisiologicamente hormônios masculinos. Na mulher, uma importante função dos andrógenos é aumentar a libido. Mas, o principal problema que a Síndrome dos Ovários Policísticos provoca está relacionado com a ovulação. “A testosterona interfere nesse mecanismo e, ao mesmo tempo, aumenta a possibilidade da incidência de cistos. Os cistos representam a parada do desenvolvimento dos folículos para ovular. Nesta situação, a mulher não ovula porque lhe faltam condições endócrinas para tanto”, explica Silvia Mizue.

As queixas ginecológicas mais importantes das mulheres com SOP são a irregularidade menstrual e a infertilidade. “Além disso, várias complicações podem ocorrer com essas mulheres, quando elas conseguem engravidar, como maior índice de abortamentos, diabetes gestacional, hipertensão arterial na gestação e pré-eclâmpsia. Para todas estas complicações, o tratamento adequado reduz a incidência dessas complicações e quase as igualam às mulheres normais”, diz o ginecologista Aléssio Calil Mathias.

Possibilidades terapêuticas – O tratamento da Síndrome dos Ovários Policísticos depende essencialmente da fase de vida da mulher. O que é mais importante em determinado momento e qual o sintoma que mais  incomoda esta mulher são perguntas que os especialistas que assistem esta paciente devem se fazer. Como se trata de uma doença crônica, não há cura da síndrome, e sim, tratamento dos sintomas.  “Uma adolescente de 15/16 anos, obesa, com pelos, acne e perturbações menstruais, precisa tentar emagrecer. Às vezes, perder peso já pode ser suficiente para reverter o quadro, porque a obesidade gera resistência à insulina e essa resistência produz o aumento de andrógenos, os hormônios masculinos”, explica a endocrinologista da Clínica Genesis.

“Se ela não for obesa, torna-se necessário diminuir a produção dos hormônios masculinos e uma das maneiras mais simples de fazê-lo é por meio da pílula. O anticoncepcional atua também na unidade pilossebácea, reduzindo o crescimento dos pelos e a produção de sebo. Dessa forma, melhoram os quadros de hirsutismo, acne e as alterações menstruais, uma vez que a pílula regulariza os ciclos”, explica o ginecologista Aléssio Calil Mathias.

Infertilidade e SOP – Até os 23 anos de idade, mais ou menos, mulheres com a Síndrome podem ovular esporadicamente. Sabe-se que nem todas as menstruações que ocorrem espaçadamente são ovulatórias, mas algumas são, e a mulher consegue engravidar. “É muito comum a referência de que antes dos 23 anos, elas tiveram um ou dois filhos. Depois, não conseguiram mais engravidar. Essa é uma das patologias mais simples de serem tratadas porque as mulheres, em geral, respondem ao indutor da ovulação. Ele é administrado por via oral, cinco dias por ciclo, a partir do primeiro dia, e é capaz de corrigir as anomalias endócrinas e provocar ovulação. Grande parte das mulheres responde bem ao tratamento e engravida”, diz Mathias. Para as que não conseguem engravidar com o indutor de ovulação, resta, ainda, o estímulo dos ovários com gonadotrofinas, o que se faz normalmente na fertilização in vitro.

Obesidade x SOP – Apesar da obesidade não entrar nos critérios diagnósticos da SOP, ela é muito frequente. A grande maioria das pacientes tem sobrepeso, obesidade ou uma grande dificuldade de manter o peso ideal. “Além disso, a SOP se associa a um tipo especial de obesidade, aquela que se acumula no tronco, principalmente no abdômen. É a obesidade visceral, que traduz o excesso de insulina que acompanha essas pacientes e, muitas vezes, dificulta a perda de peso”, destaca Silvia Mizue, endocrinologista da Clínica Genesis.

O excesso de insulina no sangue é a marca de uma obesidade mais resistente à perda de peso. A insulina é um hormônio anabolizante e favorece o estoque de calorias, em detrimento da queima. “Logo, todas as formas de se reduzir o excesso de insulina são válidas, mas a mais importante é a melhora da sensibilidade à ação do hormônio. Assim que possibilitamos uma maior eficácia do hormônio, ele passa a ser produzido em menor quantidade e seus níveis sangüíneos caem. Isso pode ser conseguido com atividade física, dieta adequada, perda de peso e alguns medicamentos”, defende Silvia Mizue.

Para saber mais sobre a Síndrome:

Site: www.clinicagenesis.com.br

Rede Social: http://twitter.com/dralessio

Blog Gestação Saudável

*Material elaborado por Márcia Wirth, da MW Consultoria de Comunicação em Saúde

Um lembrete importante: O blog não prescreve tratamentos e nem faz diagnósticos. As fontes da reportagem acima, por exemplo, são dois médicos. Faço um alerta para que as leitoras que queiram mais esclarecimentos, que  busquem marcar consultas presenciais com as suas ginecologistas e endocrinologistas. As reportagens de saúde publicadas aqui no Conversa tem a função apenas de alertar, informar e disseminar uma cultura do cuidado de si. Sempre selecionamos com muito cuidado as fontes de pesquisa e também os textos prontos e os artigos enviados para nós e só publicamos material de boa procedência e elaborado por quem entende do assunto.  Batemos tanto na tecla da saúde, porque é um tema muito caro a nós mulheres, mas combatemos a auto-medicação e como não somos médicas, não fazemos diagnósticos e nem damos consultas ou indicamos remédios. Cuidem-se meninas, para si mesmas e para as pessoas que amam vocês!

Leia Mais

*Beleza Natural abre vagas em Salvador

Quem pretende começar carreira na área de beleza, tem uma oportunidade em Salvador para entrar o ano novo já empregada.  A rede Beleza Natural, de tratamento para cabelos crespos e ondulados, inicia processo seletivo para preencher 60 vagas em sua primeira unidade na Bahia, que iniciará atividades em janeiro, na capital baiana. Os currículos dos interessados podem ser entregues na Praça Luiz Gama, no 640, 3º Andar, sala 302, Largo do Tanque, ou enviados para o e-mail recrutamento@belezanatural.com.br.

A maior parte dos postos de trabalho oferecidos (70%) é para auxiliar de cabeleireira e para consultoras de beleza. Há vagas também para supervisora, recepcionista, atendente, manicure e cabeleireira. As auxiliares de cabeleireira recebem R$ 550,00. Já as consultoras, ganham o mesmo salário, mas também recebem comissão, que pode triplicar a remuneração. Entre os benefícios, além do vale-transporte, vale-refeição e assistência médica, a empresa oferece uniforme e tratamento gratuito de beleza. Todos os contratados recebem, ainda, treinamento especial sobre as técnicas exclusivas de tratamento aplicadas na rede.

Atenção às exigências dos cargos:

•        Supervisora – experiência/vivência em liderança;
•        Recepcionistas – experiência em atendimento;
•        Atendentes – vivência em atendimento ao cliente;
•        Cabeleireiras – experiência prévia e curso profissionalizante;
•        Manicures – experiência prévia e curso profissionalizante;
•        Auxiliares de Cabeleireira – sem experiência prévia.

*Fonte: Assessoria de Comunicação da Rede Beleza Natural

**O blog está apenas divulgado a informação, por considerar serviço de utilidade pública.Não temos qualquer vínculo empregatício ou comercial com a Rede Beleza Natural e nem fazemos parte de agências de Recrutamento e Seleção. Os contatos para enviar seu currículo estão logo acima, no início do post. Boa sorte aos que tentarem uma vaga!

Leia Mais

Uma conversa sobre Hepatite B

Meninas e meninos, recebemos o alerta abaixo do Grupo Otimismo, que reúne pacientes e familiares dos portadores de Hepatite B. Trata-se de um assunto muito importante e de uma tentativa de acabar com o preconceito e os tabus em torno da doença, que não ajudam em nada no tratamento dos portadores, além de uma tentativa da sociedade civil organizada em cobrar do poder público que cumpra seu papel no desenvolvimento de políticas de saúde inclusivas e justas. Confiram:

=============================

Hepatite B – Um problema de políticas públicas de saúde

Vírus da Hepatite B
Vírus da Hepatite B

Falar da hepatite B sem colocar números assustadores é tarefa impossível. Um terço da população mundial, dois bilhões de pessoas, já teve contato com o vírus B, sendo que 350 milhões estão doentes, infectados cronicamente com uma doença traiçoeira por ser silenciosa e que lentamente leva a cirrose ou ao câncer do fígado.  Estima a Organização Mundial da saúde que mais de 1 milhão de pessoas morrem a cada ano por causas diretamente relacionadas à hepatite B.

No Brasil a situação também é dramática.  O Ministério da Saúde estima que aproximadamente dois milhões de brasileiros estejam infectados cronicamente, o que representa um número três vezes maior que os infectados com HIV/AIDS, duas doenças muito parecidas já que ambas são de fácil transmissão sexual e os tratamentos não conseguem a cura, somente o controle da sua progressão, evitando ainda a transmissão a outros indivíduos.

Mas, diferentemente da AIDS, na hepatite B existem dois graves problemas.  Noventa e cinco por cento dos doentes ainda não foram diagnosticados, os quais perambulam no Brasil evoluindo para a perda total da sua saúde, transmitindo a doença e, pior ainda, se diagnosticados enfrentam o problema de poucos locais especializados no tratamento e de medicamentos caros ainda não disponibilizados no sistema único de saúde.

mapa_hepatite_b

Existem várias opções de tratamento aprovadas pela ANVISA para comercialização no Brasil, mas a Portaria que regulamenta o tratamento pelo SUS foi emitida no ano de 2002, não incluindo os quatro autorizados nos últimos sete anos.  Quem pode pagar R$. 800,00 por mês por tempo indeterminado é tratado corretamente. Quem depende do SUS não pode dispor de medicamentos realmente efetivos no controle da doença.  Temos assim cidadãos de primeira e de segunda classe em dissonância com a Constituição Federal.

Segundo Carlos Varaldo, presidente do Grupo Otimismo de Apoio ao Portador de Hepatite, é grande a pressão da sociedade civil e das sociedades médicas nos últimos três anos para a publicação de uma portaria atualizada, recebendo inúmeras promessas nunca cumpridas. O ministro da saúde José Gomes Temporão afirmou que a mesma será publicada agora em setembro.

Varaldo não perde a esperança, mas espera não se sentir desiludido com mais uma promessa, afirmando que não é possível continuar perdendo tempo, já que durante a leitura desta matéria pelo menos duas pessoas infectadas com hepatite B acabam de falecer no mundo, inclusive no Brasil.

Contato:

Carlos Varaldo
Presidente do Grupo Otimismo
Rio de Janeiro (21) 4063.4567 – São Paulo (11) 3522.3154
hepato@hepato.com
Visite o site do grupo: www.hepato.com

===========================

>>Saiba mais sobre a Hepatite B

>>Mais informações sobre Hepatite B no blog de Drauzio Varella

>>Orientações sobre Hepatite no site da Anvisa

Leia Mais