Estética corporal: eletrolipólise, heccus, carboxiterapia e corrente aussie doem?

Hoje eu decidi falar sobre uma pergunta recorrente por aqui. Desde que comecei a fazer posts sobre os procedimentos estéticos que estou fazendo, tenho recebido muitas perguntas a respeito de dor. Até hoje eu já fiz eletrolipólise, heccus, carboxiterapia e corrente aussie e posso falar de minhas sensações com cada um deles. O que mais importante destacar é que cada pessoa tem um nível diferente de sensibilidade e de resistência à dor. Isso significa que um procedimento que pode ser tranquilo pra mim, pode ser super doloroso pra outra pessoa e assim vai. Estética tem disso também, meus amores.

Primeiro vou reforçar o que é cada um dos procedimentos que citei acima, de forma bem resumida, viu gente, e fazer minhas considerações específicas sobre cada um deles, certo?

eletrolipõlise | foto: conversa de menina1. Eletrolipólise – é a aplicação de uma descarga elétrica de baixa frequência em regiões específicas do corpo, com o objetivo de promover a queima da gordura, facilitando sua expulsão do corpo. A corrente gera calor, que quebra a célula de gordura. São colocadas agulhas na região (as mesmas usadas para acupuntura), que se conectam a fios ligados no aparelho. De tempo em tempo, vai aumento a intensidade. Eu já fiz o tratamento no abdômen, flancos e posterior da coxa. A sensação inicial é que você está tomando vários choques simultâneos até se tornar um formigamento constante. Eu não sinto dor. Sinto um incômodo logo quando liga e imediatamente quando aumenta a intensidade. Depois eu relaxo total. É um procedimento que eu faço super tranquilamente. A sensação foi a mesma nas três regiões que fiz, não senti diferença.

heccus | foto: conversa de menina

2. Heccus – é indicado para gordura localizada, flacidez e até celulite. Ele é um gerador de ultrassom combinado com corrente Aussie, que proporciona estímulos elétricos, ativando o sistema linfático, aumentando o metabolismo local e promovendo a quebra das células de gordura. Ele também melhora a musculatura da região. Não é um método invasivo, nem usa agulhas. Ela coloca um gel condutor na região e vai deslizando o aparelho por cima. A corrente elétrica vai dando choque e causa um formigamento muito maior que a eletrolipólise. Só que ele dá o choque e para, continuamente. Eu sinto muito incômodo, dor mesmo. Tanto que toda minha musculatura contrai cada vez que a corrente elétrica é liberada. Acho ele o pior. Só fiz heccus no abdômen até agora, e é horrível. Mas eu faço e vou continuar fazendo as próximas sessões. Então, embora sinta dor, pra mim dá pra suportar. Mas sei de caso de gente que acabou desistindo, por não suportar o incômodo.

carboxiterapia | foto: conversa de menina3. Carboxiterapia – consiste em injetar gás carbônico na região, para combater celulite, flacidez, estrias e gordura localizada. O gás dilata os vasos sanguíneos, estimula a formação de novos vasos, melhorando a irrigação do sangue nos tecidos e a oxigenação. O gás rompe as fibroses e estimula a formação de colágeno e elastina. É utilizada uma agulha pra injetar o gás, só que uma agulha menor que a de acupuntura. Ela vai injetando o gás em vários lugares da região que você está tratando. Eu não senti absolutamente nada, gente. Nenhum incômodo, nenhuma dor. Fiquei até meio ressabiada e cheguei a perguntar a Taize, fisioterapeuta que atende lá na SpaFisio, porque eu tinha ouvido falar que algumas pessoas sentiam dores horríveis. Ela me explicou que realmente algumas pessoas sentem bastante dor, mas que diversas outras nada sentem, vai depender da sensibilidade de cada um.

corrente aussie | foto: conversa de menina4 – Corrente Aussie – é utilizada para tonificar os músculos, enrijecendo-os e combatendo a flacidez. Como o aparelho melhora a circulação sanguínea local, também é bom para diminuir a celulite. São aplicados eletrodos (plaquetas de borracha) na pele do paciente e um gel condutor. Eles produzem um estímulo elétrico que geram contrações musculares na região. A sensação é que ele provoca contrações sabe? Contrai a musculatura e relaxa. Volta a contrair e relaxa. Aos poucos ela foi aumentando a intensidade e as contrações ficaram mais fortes. Esse tratamento eu só fiz, por enquanto, na posterior da coxa. Achei tranquilo de fazer, sinto um pequeno incômodo quando contrai, mas nada que se compare como heccus (hahaha).

É isso, meninas e meninos! Espero que tenham curtido o post. Como já mencionei em vários posts, faço meu tratamento com as fisioterapeutas Taize e Tamara, lá na SpaFisio, no Edifício CEO SSA Shop, em frente ao Hospital Sarah, no Caminho das Árvores. O telefone de lá é o 3345-1963 | 9324-1762 (whatsapp). Ah, lembrando que isso aqui não é um publieditorial, ok? Decidi compartilhar com vocês minha experiência e super indico quando eu gosto de alguma coisa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *