Foi assim: estreando na autoprodução

Fui pega de surpresa pelo telefonema de uma amiga no meio da tarde de um sábado, seguido de um convite irrecusável para uma formatura naquele mesmo dia, poucas horas depois. Aceitei a proposta imediatamente e logo ao encerrar a ligação, caí na real de que não havia tempo hábil para ir ao salão de beleza cuidar dos cabelos, unhas, maquiagem e me transformar na diva que todas nós merecemos.

Eu sei que a mulher moderna reduziu significativamente a ida ao salão. Hoje, muitas meninas já aprenderam a se virar – e bem – com a escova, prancha, esmaltes, pincéis e tudo mais. Eu sou uma aprendiz iniciante (mas beeeeem iniciante mesmo). E, neste momento, preciso dizer a vocês que nada está perdido para aquelas que se consideram desastres clássicos com o manuseio de tudo o que eu falei acima. Eu sou um exemplo!

Um olhar azul, inspirado no esmalte...

Essa foi minha primeira experiência com o “faça tudo você mesma”. As unhas, para o meu desespero, estavam azuis (cor difícil de combinar), porque tinha acabado de pintá-las com o Cigarrete, para a série do blog “Nas Unhas“. E como algumas já sabem, o Cigarrete é aquele esmalte azul um tanto “cheguei”. Se vacilar, ele não passa despercebido nem por baixo de luvas. Fiquei alguns minutos pensando no que fazer e montei meu plano B.

É o conjunto usado: vestido preto de cetim, meia-calça e unkle boot

As unhas estavam prontas. Não era a cor que eu pintaria para a ocasião, mas, paciência! Não dava para tirar tudo e refazer, com todo o resto da produção ainda na fila. Decidi tentar montar um look que inserisse as unhas no contexto. A ideia era fazer parecer que aquele tom foi “de propósito”, mesmo não tendo sido. Escolhi uma roupa básica em tom neutro (amo o preto.com.br) e tentei – pela primeira vez – arranhar um azul na make.

Comecei com os cabelos. Peguei a minha prancha velha de guerra, que não usava há alguns inúmeros meses e dei um jeito rápido nas madeixas. Abandonei a prancha e o secador, porque suo muito na academia, o que inviabiliza a manutenção do procedimento. Então, tinha trabalho à toa. Depois de um único dia de malhação, meus cabelos ficavam completamente encharcados. Me desapeguei e adotei o estilo relaxado “ao natural”.

Detalhes do vestido (esq.) e da meia e sapato

Cabelos ok, fui para o banho e, em seguida, para a make. Coloquei a maquiagem na frente da roupa, já esperando a tragédia que podia causar. Pensei na hipótese de dar tudo errado e ter de tirar tudo e recomeçar. A tensão certamente causaria um impacto nas minhas glândulas sudoríparas, e eu suaria loucamente. Não dava para estar toda vestidinha, prontinha para o baile, suando feito doida, não é?

Como não sou a rainha da make, e o dinheiro não anda sobrando para adquirir os produtos de marcas famosas, me contentei com os meus Avons, Naturas e um estojinho que trouxe do Chile quando estive por lá em férias e nem sonhava que um dia eu mesma o utilizaria. Confesso para vocês que comprei o estojo muito mais pelo preço do que pela ânsia, na época, em aprender a me maquiar.

Usei: 1 - Estojo de maquiagem comprado em viagem ao Chile TCW (The Color Woskshop); 2 - Base firmadora Natura Unica Extremo Conforto Bege Natural Médio; 3 - Batom Natural Aquarela cor 38 mate; 4 - Pincel para pó Mary Kay; 5 - Pincel para base Avon; 6 - Pincel para pó e blush Natura; 7 - Avon Magix Base Cashmere Bege Médio; 8 - Máscara para cílios Supershock Avon; 9 - Lápis para delinear olhos preto Avon Color Trend; 10 - Iluminador Natura Aquarela; 11 - Corretivo facial neutro em bastão Avon; 12 - Pó compacto facial Avon Ideal Shade Bege Médio

Claro que não ficou lindo de morrer (entendam que é minha primeira vez, e ainda há tudo o que aprender), mas acho que “deu um caldo”. Nas fotos vocês perceberão os errinhos que cometi, as falhas, mas pessoalmente os elogios começaram lá em casa mesmo. Eu já era o “step” da família para ocasiões especiais e o que consegui com minha make foi oficializar o cargo: maquiadora oficial em circuntâncias familiares desesperadoras (fui promovida!).

O bom de tudo isso era que a festa não seria tão formal quanto as formaturas costumam ser. A formanda optou por organizar uma comemoração individual, com menos glamour. Fiquei aliviada, embora tenha recebido a seguinte recomendação: “vá arrumadinha, não precisa ir muito arrumada”. Específico, não é? Tentei arrancar de minha amiga o que ela queria dizer com aquilo, mas foi em vão. Acho que nem ela sabia ao certo (rsrsrs).

Com a make pronta

Fui ao guarda-roupa e peguei meu vestido preto novo de cetim – que me custou R$ 29,90 em um site na internet. Ele é bem simples, mas fica bonitinho no corpo (não fiz foto pronta, porque tive de sair correndo). Adicionei a meia-calça xadrez recém adquirida em uma promoção de clube de compras por R$ 2,00 (sim, dois reais!!!) e terminei o visual com a uncle boot preta comprada há algum tempo em uma loja de departamento.

Espero que gostem do post, que eu não esteja pagando um king kong em mostrar “a cara” maquiada aqui e que, caso sejam tão ignorantes no assunto como eu, se inspirem. No final das contas, é um processo muito gostoso. Digam-me o que acharam, hein? E aceito dicas e sugestões, para errar menos da próxima vez!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *