Krav maga: meu primeiro exame de faixa

exame de faixa krav maga | foto: conversa de meninaQuem me acompanha por aqui sabe que eu pratico krav maga na Academia Haganá há alguns meses, inclusive já escrevi posts sobre isso (tem os links no meio desse texto). E pela primeira vez na vida passei por um exame de faixa. Quem faz luta que possui níveis de graduação sabe do que estou falando. Dá um misto de ansiedade e de expectativa. Cheguei ao local cedo.

Fiquei observando os colegas que também fariam exame, uns treinavam comigo, outros eram de outras academias. Imagino que havia cerca de cem pessoas ali. Engraçado como cada um reage diferente… Alguns batiam papo tranquilamente, outros demonstravam um pouco de nervosismo, havia ainda aqueles que preferiam revisar os golpes. Eu estava no grupo dos que batiam papo tranquilamente (mas que no fundo guardava um pouco de ansiedade).

====================================================
Leia também:
>>Krav Maga: como a arte da defesa pessoal pode mudar a sua vida
>>Krav Maga para mulheres
>>Meu primeiro contato com o Krav Maga
====================================================

exame de faixa krav maga | foto: conversa de meninaExiste toda uma ritualística no exame de faixa. É fechado para o público externo, ali ficamos diante apenas dos instrutores e do mestre Kobi, que trouxe o krav maga para a América Latina (leia sobre a história do krav maga). Como meu nome começa com a letra A, fiquei na primeira fila. Para ser mais precisa, fui a terceira. Mas quando coloquei o pé no tatame, me veio uma onda intensa de serenidade. Eu tinha consciência de que havia treinado exaustivamente nos últimos meses. E de que havia treinado sob a supervisão de sem dúvida alguma um dos melhores instrutores do País, Roque Jorge, um exemplo de força, disciplina e determinação. Ou seja, não tinha como dar errado! Se tem um ditado que é certo nessa vida é que todo esforço traz sua recompensa. Se você quer alguma coisa, batalhe. Só não vence quem desiste. Persistir é o segredo.

O exame de faixa

A parte física foi puxada, mas foi de boa para mim. Afinal, eu treino muito. Estou bem, condicionamento físico em dia. Deu pra suar bastante, exige muito. Mas eu estava pronta para aquele exame, tanto física quanto psicologicamente. Na hora da parte técnica, tentei me manter concentrada, lembrar das orientações de Roque durante os treinos e realizar os movimentos dando o máximo de mim naquele momento. Não olhei o que os colegas estavam fazendo. Estava confiante. Meu instrutor é o cara. Depois do exame, vieram aquelas sensações maravilhosas de orgulho e de privilégio de tê-lo como mestre. Roque treina seus alunos para serem os melhores dentro de suas possibilidades, para superarem suas limitações. Ele nos treina para nos deixar seguros, é aquele cara que não desiste do aluno. Ele corrige, insiste, repete… isso até que a gente dê o máximo. E isso traz uma autoconfiança muito boa. Traz determinação.

exame de faixa krav maga | foto: conversa de meninaQuando eu terminei o exame, antes mesmo de ter recebido o resultado, eu sabia que tinha ido bem. Eu tinha certeza de que tinha ido bem. Não era só a percepção de que eu iria passar e conquistar a faixa amarela. Era uma aura de que eu tinha dado o meu melhor. E isso para mim era o suficiente. Logo depois que decidi entrar no krav maga, tive uma lesão séria no ombro esquerdo, que acabou me afastando das atividades físicas por muitos meses. Quando voltei ao tatame, tive de começar do zero e aceitei o desafio de encarar logo o primeiro exame de faixa que apareceu. Esse resultado pra mim é motivo de muito orgulho. Superei uma lesão, voltei aos treinos, encarei o exame de faixa… E agora é um novo desafio, treinar mais forte ainda.

A cerimônia de entrega de faixa do krav maga

entrega de faixa krav maga | foto: conversa de meninaEsse é o nosso momento. Depois de deixarmos nossos instrutores orgulhosos do trabalho que fizeram no dia do exame, a cerimônia da entrega de faixas é aquele momento em que a gente simplesmente relaxa e aproveita. Em que nos sentimos orgulhosos de nós mesmos, em que bate aquela realização de termos feito um bom trabalho. Ali temos a certeza de que estamos evoluindo, de que subimos mais um degrau na escada dos desafios que nos propomos a encarar. Ali estamos nós, nossos instrutores, os parceiros de treinos, todos numa vibe tão gostosa e numa sintonia tão massa, que nem dá para explicar.

Graduação no krav maga

Para mim, a graduação é o momento em que você decide que quer realmente levar aquela prática para a sua vida. Decidir passar pela graduação é uma decisão que vai além de mudar de cor de faixa. É uma decisão de continuidade, é o momento em que você resolve abraçar aquela arte, se dedicar a ela. É quando você escolhe progredir, avançar, desenvolver, melhorar. Toda rotina de treino é dura e intensa. E quando eu me proponho a fazer alguma coisa, quem me conhece já sabe, eu quero fazer o melhor. Eu me cobro, eu exijo de mim, eu me dedico. Com essa vida louca que a gente leva hoje em dia, nem sempre é possível manter 100% da rotina em dia, mas dentro do que é viável, eu exijo 100% de mim.

exame de faixa krav maga | foto: conversa de menina

E no krav maga não tem sido diferente. Tenho feito o meu melhor, dentro do que é possível. Então, que venham os novos aprendizados e treinos. Que venham os novos degraus, porque eu quero subir todos!

Leia Mais

Krav Maga: como a arte da defesa pessoal pode mudar a sua vida

krav maga | foto: conversa de meninaTudo o que você decide começar em sua vida vai, de uma forma ou de outra, promover mudanças – simples ou significativas – em sua rotina, no seu dia a dia. E com o Krav Maga não seria diferente. Afinal, dar início à prática de uma arte de defesa pessoal que é utilizada pelo exército israelense, adotada em treinamentos civis e militares nos quatro cantos do mundo, certamente vai impactar na sua forma de encarar o mundo. Ou, pelo menos, de encarar a falta de segurança tão comum das ruas e os riscos a que somos expostos ao sair de casa, para enfrentar a vida que anda cada vez mais atribulada.

Aldair Chaves Krav Maga | foto: conversa de menina
Aldair Chaves

“O Krav Maga me deixa ainda mais antenado às situações diárias. Além de melhorar consideravelmente minha capacidade física, desenvolve e ajuda vários atributos, como a autoconfiança, o controle emocional, a coordenação motora, a segurança em tomar algumas atitudes, além de nos ensinar a lidar com medos e superá-los”, conta Aldair Chaves, 33 anos, faixa verde e praticante da modalidade há quatro anos. Uma das grandes lições do Krav Maga tem a ver justamente com a inexistência de regras e competição: “O Krav Maga dita que não preciso ser melhor do que ninguém. Eu tenho que ser o melhor que eu puder. Dar meu 100% e ser o melhor que posso sem ter como parâmetro as outras pessoas, a nível de comparação”, completa Aldair.

Eduardo Souza Krav Maga | Foto: arquivo pessoal
Eduardo Souza

O mais interessante de tudo isso é que as mudanças são partilhadas pela grande maioria dos praticantes da arte. O faixa branca, Eduardo Souza Leal Júnior, 33 anos, que pratica o Krav Maga desde julho de 2015, também sentiu transformações significativas em sua vida. “Agora vejo a rua com outra visão, pois enxergo tudo à minha volta e sempre me sinto preparado para situações adversas. O Krav Maga me trouxe disciplina e novos hábitos. Hoje sou uma pessoa melhor, com mais senso de controle. Principalmente para quem tem algum tipo de dificuldade com a coordenação motora, sinto que cada dia venho melhorando mais. O Krav Maga hoje para mim é vida, é algo que me faz sentir um ser humano melhor. E com a rigidez do mestre Roque Jorge nos treinos, a rua fica mais fácil de suportar”, desabafa Eduardo.

Aline Sabatini | foto: arquivo pessoal
Aline Sabadini

Se os homens já sentem tanta diferença, imaginem as mulheres, que estamos sempre mais vulneráveis às agressões. Aline Sabadini, 37 anos, começou a praticar o Krav Maga depois que sua filha de dez anos apresentou-a à arte. E lá se vão sete meses de treinos intensos. “Apesar do pouco tempo, me sinto muito mais segura. Fora que o meu instrutor Roque Jorge é um cara mega incentivador, deixando seus alunos sempre com muita vontade de alcançar novas metas. Sempre falo que o Krav Maga mudou minha vida, e a faixa amarela será meu primeiro troféu, de muitos que ainda virão. Passei por um problema sério de coluna há alguns anos, que tirou a minha felicidade de tanta dor que sentia. Hoje a minha vida é outra”, relata Aline.

Comigo, especialmente, tenho sentido também muito mais segurança nas ruas. Comecei a treinar há apenas um mês, mas ainda que eu não domine exatamente a técnica – porque isso a gente só consegue com a persistência dos treinos -, já consigo compreender perfeitamente a lógica dos golpes, a intenção. Já sei exatamente onde devo atingir se for necessário reagir e sei de que forma preciso me posicionar para que o golpe seja o mais rápido e indefensável possível. Além disso, o Krav Maga me tornou uma pessoa mais tranquila, mas centrada, Acho que essa mudança foi bem significativa, além de ter melhora e muito minha consciência corporal. E o que realmente me encanta é poder conviver nos treinos com pessoas de todas as idades, homens e mulheres, com todos os tipos de porte físico e tamanho. É uma arte realmente democrática.

Outro praticante da arte de defesa pessoal, Raimundo Sampaio, 53 anos, decidiu pelo Krav Maga por afinidade. “Sei que a idade acaba dificultando algumas coisas, mas não é impedimento. Hoje tenho o Krav Maga como uma atividade que faz parte da minha vida”, confessa. Ele também faz questão de destacar o papel do instrutor em todo o processo de entendimento e aprendizado: “Roque Jorge, além de bom e dedicado, tem um diferencial: humildade, paixão e carinho, sempre incentivando os alunos”.

krav maga | foto: conversa de meninaPara o instrutor Roque Jorge, da Academia Haganá, filiado à Federação Sul Americana de Krav Maga, a modalidade é um caminho de vida, que não apenas ensina seus praticantes a lidarem com as situações de violência ao redor. “O Krav Maga também proporciona a seus praticantes uma rotina menos estressante. Ensina a pensar de maneira simples, concisa e rápida sobre eventuais problemas do cotidiano. A autoestima é outro fator que fica bem evidenciado. E aliado a tudo isso, os praticantes ainda ganham uma melhoria significativa na qualidade vida, pois adquirem um condicionamento físico satisfatório e uma boa higiene mental”, explica.

Para quem tiver interesse em experimentar o Krav Maga, lá na Academia Haganá eles permitem a realização de uma aula experimental, basta entrar em contato pelo telefone ou whatsapp (71) 99964-5948.

Leia Mais

Krav Maga para mulheres

Desde que comecei a praticar o Krav Maga já sabia que em algum momento escreveria este post. Falar da questão do empoderamento, da participação mais ativa das mulheres em atividades que sempre foram masculinizadas, como as aulas de lutas marciais e de defesa pessoal é sempre muito importante, diria até fundamental. Por mais que a sociedade tenha evoluído, e o conceito de “sexo frágil” tenha deixado de ser pertinente quando o assunto é mulher, nós ainda somos frágeis no sentido da força física. Pelo menos a grande maioria das mulheres ainda o são. Desde que me matriculei lá na Academia Haganá, tenho refletido bastante sobre esse assunto.

krav maga em salvador | foto: conversa de meninaQuando cheguei para o primeiro dia de aula, encontrei várias mulheres por lá. Inicialmente, achei que a turma seria composta em sua totalidade por homens. E me surpreendi muito, confesso. Especialmente porque encontrei mulheres mais maduras, jovens e até meninas que nem chegaram à adolescência ainda. Fiquei bem feliz com isso, ao perceber que nós estamos ocupando cada vez mais espaços. Também me surpreendi muito positivamente com a conduta do instrutor, Roque Jorge. Imaginei que seríamos tratadas de forma diferenciada, que haveria algum tipo de separação na hora do treino, mas não. O tratamento é exatamente o mesmo, somos exigidas da mesma forma, a cobrança, a dedicação e o empenho para conosco são os mesmos.

krav maga em salvador | foto: conversa de meninaComo já falei aqui em um post anterior (clique aqui para ler), o Krav Maga é a técnica de defesa pessoal utilizada pelo exército israelense. Na prática, o que se busca é o golpe perfeito, para anular o ataque com perfeição técnica, a partir dos movimentos naturais do corpo. O lema é que você não pode dar uma segunda chance ao agressor. Nas aulas, são trabalhadas simulações de situações de risco real. A arte marcial em momento algum estimula a violência, mas ensina o cidadão de bem a reagir em situações extremas, na proporção da necessidade. A cada treino, o que percebo é que meus reflexos vão melhorando, a velocidade de minha reação vai melhorando, vou conseguindo compreender melhor cada movimento. O Krav Maga não trabalha apenas com o corpo, trabalha o tempo inteiro com a sua mente, com o autocontrole, com a concentração. Você precisa controlar os seus sentidos, controlar os seus músculos, controlar a sua ansiedade. E tudo isso se consegue com a prática exaustiva dos movimentos.krav maga em salvador | foto: conversa de menina

A ideologia do krav maga é a de que você tem de voltar pra casa vivo. Isso significa que nem sempre você vai ter de reagir; que não é todo tipo de agressão que merece uma reação mais incisiva; que a reação deve ser proporcional ao ataque e à necessidade da situação. O krav maga tem resposta pra tudo, e isso é o mais interessante! Além de poder ser praticado por pessoas de qualquer idade, gênero ou estrutura física. O que você vai precisar é ter o amadurecimento emocional para saber como agir, e esse lado emocional também é bastante trabalhado e ressaltado nas aulas. Isso é fundamental: ter o controle do emocional.

krav maga em salvador | foto: conversa de meninaAinda tenho muito pouco tempo de prática, mas a sensação de mudança é nítida. Me sinto mais segura, menos ameaçada. O Krav Maga mexeu inclusive com minha autoestima, melhorou significativamente meu condicionamento físico. Empoderamento tem a ver com isso, sim. Conhecer a técnica, persistir para dominá-la, se sentir em pé de igualdade com os homens que a praticam, perceber que sua evolução acompanha o ritmo da evolução deles. Perceber que seus golpes estão mais direcionados, que você está muito mais ágil, tudo isso contribui efetivamente para me sentir ainda mais forte, menos frágil. E às mulheres que conheço e àquelas que não conheço, o que tenho a dizer é: experimentem! Para quem mora em Salvador, na Academia Haganá é possível fazer uma aula experimental. É só entrar em contato pelo whatsapp (71) 999645948.

Leia Mais

Meu primeiro contato com o Krav Maga

Lá nos idos dos meus 20 anos, tomei conhecimento da existência do Krav Maga em uma reportagem na TV, e me despertou a vontade de praticá-lo. Na época, no entanto, apenas uma academia em Salvador oferecia os treinos, mas era distante demais de toda a minha rotina de vida, e desisti. Este ano, busquei novamente um local e encontrei a Academia Haganá, que é um Centro de Treinamento de Artes Marciais localizado em Brotas. O bom de lá é que você pode fazer uma aula experimental gratuita, para avaliar, sem ter a obrigação de simplesmente pagar a mensalidade e acabar não gostando. Agendei a tal aula com o instrutor Roque Jorge, filiado à Federação Sul Americana de Krav Maga. Saí de lá com a certeza de que era aquilo que eu queria e me perguntando por que não havia me matriculado antes.

aula de krav maga na haganá | foto: conversa de meninaPara quem não sabe do que se trata, o Krav Maga é a única luta reconhecida mundialmente como arte de defesa pessoal. Portanto, não é arte marcial, é a técnica de defesa pessoal do exército de Israel. Toda a sua técnica tem o objetivo de treinar o indivíduo para exercer a legítima defesa de forma precisa em situações de perigo real no dia a dia. E considero uma arte bastante democrática, porque pode ser praticada por qualquer pessoa, independente de sexo, idade e condicionamento físico. Em uma época da vida em que estamos tão expostos à violência, acho muito oportuno ter o conhecimento necessário para, se você precisar reagir, que o faça com domínio, conhecimento e técnica.

Minha primeira experiência foi bastante curiosa. Cheguei muito receosa na aula, me questionando internamente se me sairia bem, se conseguiria aprender os golpes, com um pouco de receio mesmo, confesso. Enquanto aguardava o horário da aula – acabei chegando um pouco mais cedo que o previsto-, me perguntava se haveria mulheres e mais novatos. Fiquei positivamente surpresa ao perceber que várias mulheres já aderiram ao Krav Maga. Especialmente na turma em que treinei, há várias delas, de idades sortidas, inclusive crianças. Até me senti mais tranquila com isso, por mais bobo que isso possa parecer.

aula de krav maga na hagana | foto: conversa de meninaO aquecimento é bem intenso e pesado, gostei bastante! Suei horrores!!! E a aula em si é sensacional. Claro que tudo depende muito do instrutor, e Roque Jorge é ótimo. Além de dar uma atenção especial a quem está chegando, ele consegue enturmar o novato ao treino com facilidade, além de reunir em um único profissional o bom humor e o conhecimento preciso da técnica. Isso facilita demais o processo de aprendizado. Depois da aula, me senti bastante segura e animada. Consegue desenvolver os golpes, depois de algumas tentativas, lógico! E meu desempenho ganhou até um singelo elogio de uma colega de turma. Fiquei bem feliz e isso me motivou demais.

Duas coisas que me chamaram bastante atenção foram a facilidade de chegar ao local e de estacionar e a estrutura da academia. Ela fica na Dom João VI, nº 579, 1º andar, Brotas. Trocando em miúdos, quase em frente ao Banco do Brasil, em cima da Escola de Inglês Skill. É muito fácil de chegar e bastante tranquilo de estacionar nas ruas transversais. O acesso por meio de ônibus também é bem tranquilo, tem ponto pertinho. A estrutura é ótima! O ambiente é bem ventilado, a parte do tatame é enorme, o banheiro é impecável e amplo, tem até lugar para tomar banho, e tem diversos equipamentos de treino. Como falei antes, lá é um centro de treinamento, então eles também oferecem aulas de Judô, Jiu Jitsu, Kung Fu, Karatê, Muay Thai, Krav Maga, Boxe e Pilates.

aula de krav maga na haganaPara quem quiser mais informações, o telefone de lá é o (71) 3017 – 3402. Eles também passam informações pelo Whatsapp (71) 99964-5948 e pelo e-mail [email protected] Minhas aulas são às segundas e quartas, às 17h, mas eles têm uma variedade imensa de horários. Com certeza farei vários posts ao longo do tempo e, aos pouquinhos, vou esclarecendo pra vocês todas as dúvidas sobre o Krav Maga.

Leia Mais