Campanha de arrecadação: vamos ajudar?

campanha de arrecadaçãoGente, esse post é para fazer um apelo a vocês. Minha nutricionista, Camila Avelar, deu início a uma linda campanha de arrecadação de alimentos, material de limpeza e higiene, para doar a uma instituição que abriga idosos carentes e a uma cuidadora de animais. Que tal a gente ajudar? É uma forma de terminarmos o ano exercendo a solidariedade e o amor ao próximo. E já darmos início a 2017 com uma energia boa e cheia de positividade, contribuindo para melhorar a vida de outras pessoas.

Existem muitas formas de ajudar essa campanha. É possível doar alimentos não perecíveis, materiais de limpeza, fraldas geriátricas, roupas usadas, lençóis e toalhas sem uso, jornal, material para curativo (gaze, algodão, álcool iodado, atadura, pomadas antissépticas etc), medicamentos (soro, dipirona, vermífugo, mata-bicheira etc), ração e tudo o mais que vier do coração de vocês.

Se alguém quiser doar em dinheiro, pela falta de tempo de sair para comprar algum material, eu me comprometo em fazer as compras e a prestar contas do valor doado, apresentando a nota fiscal.

Campanha: onde doar?

São duas unidades que estão passando necessidades e precisam da nossa ajuda para conseguir manter suas atividades. As doações podem ser entregues no consultório de minha nutri. Fica na Rua Ewerton Visgo, 290, Edifício Boulevard Side Empresarial, Sala 806 – Caminho das Árvores. Fica naquela rua atrás do Shopping Sumaré, perto da Caixa Econômica. Se tiverem dúvidas, podem entrar em contato pelo whatsapp: (71) 99227-9007. Quem não puder ir lá entregar, pode me entregar que eu levo lá.

Pode ser qualquer quantidade, gente. Um sabonete que seja, um pacote de algodão, de gaze, um quilo de arroz, de macarrão, uma pomada, um pacote de gaze, jornal velho, roupas que não estão sendo usadas… É tanta possibilidade! E aí, vamos nos mobilizar pra ajudar nessa campanha? Posso contar com vocês?

Leia Mais

Artigo: Sexo frágil e a prevenção da AIDS no carnaval

Para reforçar a campanha sobre sexo seguro no Carnaval, que este ano tem como foco o público feminino jovem, o blog abre espaço para mais um artigo de autoria de Maria Helena Vilela, diretora do Instituto Kaplan. Além de falar da campanha e trazer dados sobre o avanço do HIV/Aids entre as mulheres, Maria Helena dá dicas importantes sobre a sexualidade e autoestima femininas. Mas, embora o foco sejam as garotas na faixa dos 15 aos 24 anos, os conselhos sobre autopreservação valem para as mulheres maduras e também para todos os casais, independente da orientação sexual. Cuidar de si e de quem se ama não é questão restrita a um determinado gênero. Boa leitura!

Sexo frágil e a prevenção da AIDS no Carnaval

*Maria Helena Vilela

A campanha de Carnaval de 2011 terá como público as mulheres de 15 a 24 anos.  O público feminino foi escolhido porque a infecção entre as mulheres está em constante crescimento. Apesar de haver mais casos da doença nos homens, essa diferença diminui ao longo dos anos. Segundo o Ministério da Saúde – Departamento de DST/Aids, em 1989, a razão de sexos era de cerca de 6 casos de aids no sexo masculino para cada 1 caso no sexo feminino. Em 2009, chegou a 1,6 caso em homens para cada 1 em mulheres.

As mulheres lutaram por seus direitos sexuais, pelo direito de estudar, desenvolver uma carreira profissional e conquistar sua autonomia econômica e pessoal. Mas, quando a questão é amor e sexo, a garota volta no tempo, e ainda se comporta de forma submissa aos desejos do namorado e, presa a mitos e tabus que colocam sua vida em risco, como por exemplo, a virgindade. A virgindade ainda é muito valorizada na mulher. Sabendo disso, muitas garotas acabam cometendo equívocos incríveis para não romper o hímen – fazer sexo anal; prática sexual que quando realizada sem preservativo é a de maior risco de infecção pelo HIV. Na contra mão dos fatos, pesquisas mostram a dificuldade de a garota negociar o uso da camisinha por medo de perder o namorado, de ser julgada “galinha”, ou ainda pior: não usar preservativo em nome do amor, acreditando que “quem ama confia”. Tais comportamentos fazem da mulher o verdadeiro sexo frágil.

A infecção pelo HIV se dá pelo contato direto com o sangue, o sêmen e as secreções vaginais, e isto pode acontecer no sexo oral, mas principalmente, na relação vaginal e no sexo anal. O ânus e a vagina são órgãos muito vascularizados, revestidos por um tecido delgado chamado de mucosa. Na relação sexual, especialmente durante a penetração, o pênis provoca atrito na vagina ou no ânus, causando micro-fissuras nas paredes das mucosas, aumentando o risco de que o HIV presente no esperma entre na corrente sangüínea.

Outro fator que aumenta a vulnerabilidade da mulher à Aids é a menstruação. Quando a mulher está menstruada, a descamação da parede do útero o deixa completamente exposto ao HIV. Fazer sexo menstruada é “entregar o ouro para o bandido”, pois o vírus atinge a corrente sangüínea sem precisar fazer esforço.

Como se não bastasse tudo isso, o canal vaginal é um órgão interno, o que dificulta à mulher perceber qualquer alteração na vagina. Muitas vezes, ela só descobre que tem uma infecção, ou mesmo uma DST, se consultar um ginecologista, ou quando a doença já está bastante adiantada. Uma infecção agrava ainda mais a fragilidade da parede vaginal, aumentado a vulnerabilidade da mulher à Aids.

Meninas sejam espertas e fiquem fora desta estatística da Aids. Se existe sexo frágil, estes são o sexo anal e o vaginal, quando o assunto é Aids. Portanto, alguns cuidados são fundamentais na sua vida, e especialmente, no carnaval:

>> Nunca delegue o cuidado com o seu corpo. O corpo só tem um dono, e este é você. Quando você delega, o outro pode não priorizar os seus interesses.

>>Só se previne quem tem convicção dessa necessidade. Busque informações sobre razões para se prevenir, sexualidade, prevenção, DST/Aids e métodos contraceptivos.

>>Não faça qualquer negócio sexual no Carnaval. A auto-estima da mulher está condicionada a sua capacidade de despertar o interesse nos homens, principalmente, em festas como o Carnaval. Se achar que está invisível, mesmo assim, não faça nenhum acordo que possa lhe colocar em risco.

>>Antes de cair na folia escreva uma lista com os nomes das pessoas que você considera importantes e que lhe amam. Isto ajudará você a não esquecer que é amada

>>Sei que é difícil, mas se for transar não beba. A bebida atrapalha o prazer e faz você esquecer seus limites.

>>Nunca negocie o uso da camisinha na hora da transa. O tesão embriaga e lhe deixa entregue a sorte, ou azar!

>>Conheçam a camisinha feminina. Ela é uma opção, e já existem modelos mais simples que facilita a sua colocação.

>>Na falta da camisinha, você não precisa abrir mão do prazer sexual. O casal pode realizar práticas sexuais que não sejam de risco, como a masturbação simultânea entre os parceiros

>>Existem camisinhas de vários tipos e qualidades. Portanto, sempre haverá uma que se adeque ao seu parceiro.

>>Sexo é uma brincadeira de verdade. Quando a gente se machuca, a cicatriz fica para sempre.

*Maria Helena Vilela é diretora do Instituto Kaplanwww.kaplan.org.br

**Conteúdo enviado pela Vera Moreira Comunicação e publicado com autorização, mediante citação da autoria e respeito à integridade do texto.

Leia Mais

Caixa lança campanha de ajuda às vítimas da chuva

Santa Rita, em Teresópolis - RJ. As fotos são de Vladimir Platonow, da Agência Brasil, que é a assessoria de comunicação do governo federal. O material da ABr é de uso gratuito, desde que citados os créditos

Recebi, via email, um release da Caixa Econômica Federal sobre uma campanha que o banco iniciou para ajudar as vítimas da chuva no país. Para não gerar mal-entendidos, vou publicar abaixo, a íntegra do documento. Volto a frisar que a campanha é da Caixa e o texto foi redigido pela assessoria nacional do banco, portanto, o blog está apenas divulgando a iniciativa. Estamos fazendo nossa parte como jornalistas, que é ajudar a informação a circular. Quem quiser dar uma força também, pode divulgar o post nas redes sociais que frequenta. Solidariedade, – lembram? – não sai de moda!

============================

Leia também:

Campanha #SOS Chuva

============================

CAIXA LANÇA CAMPANHA PARA AJUDAR VÍTIMAS DAS CHUVAS

Conjunto de ações prevê abertura de conta para doação, atendimento diferenciado, pagamento de benefícios sociais para famílias atingidas e linhas de crédito especiais para empresas e trabalhadores

A Caixa Econômica Federal lançou, na sexta-feira (14), o plano Ação Integrada Caixa – Rio Solidário, para atendimento às famílias, ao setor produtivo e ao poder público dos municípios em estado de calamidade ou situação de emergência provocados pelas chuvas das últimas semanas.

As medidas incluem ações de atendimento, como criação de força-tarefa com horário estendido para informações gerais, liberação do escalonamento do calendário do Bolsa-Família, pagamento do Abono Salarial e Rendimentos do PIS, além dos benefícios do INSS e Seguro Desemprego, liberação e pagamento de FGTS, indenizações de sinistros, reforço das equipes das agências; informações diferenciadas no SAC CAIXA (0800 726 0101) específico para regiões atingidas, reforço do quadro de engenheiros e analistas, para agilização dos procedimentos técnicos, ação estruturada com o poder público, para diagnóstico da situação, e proposição de soluções e orientação na elaboração de projetos.

A CAIXA destinará linhas de crédito habitacional e comercial, em condições diferenciadas, para a região atingida. Estão previstas ainda campanhas de arrecadação de donativos nas agências da região. Além disso, também foi aberta uma conta corrente para ajudar as vítimas. As doações aos moradores das regiões em estado de emergência podem ser feitas na conta da Defesa Civil do Rio de Janeiro, número 2011-0, agência 0199, operação 006.

CONDIÇÕES PARA PAGAMENTO DO FGTS

O pagamento do FGTS acontece após o recebimento da Declaração de Área Atingida, a ser emitida pelas Prefeituras das cidades envolvidas. Serão beneficiados os trabalhadores das localidades que se enquadrem nas condições estabelecidas pelo Decreto 5.113/2004:

a) decretação de estado de calamidade pública ou situação de emergência pela Prefeitura Municipal;

b) reconhecimento dessa decretação pelo Ministério da Integração;

c) entrega, pela Prefeitura, de Declaração de Áreas Afetadas à CAIXA;

d) habilitação do trabalhador junto à CAIXA, mediante comprovação de titularidade de conta vinculada e de residência em uma das áreas afetadas, constantes da declaração citada acima;

e) o trabalhador tem 90 dias, após a publicação do ato do Ministério da Integração Nacional, reconhecendo o estado de calamidade/emergência decretado pela municipalidade, para solicitar o saque.

Os atos mencionados nas alíneas “a” e “b” já foram editados pelas autoridades competentes.

PARA O SAQUE DO FGTS

Os trabalhadores deverão apresentar os seguintes documentos:

– Identidade, carteira de habilitação ou passaporte;

– Comprovante de residência ou Declaração da Prefeitura;

– Carteira de Trabalho;

– Cartão do Cidadão (opcional).

BOLSA FAMÍLIA

– Cartão social e senha ou Documento de identificação;

Nos casos em que o beneficiário tenha perdido o cartão e documentos de identificação, poderá sacar o benefício mediante apresentação de Declaração da Prefeitura.

*O Cartão Social (Cartão do Cidadão) facilita o recebimento do FGTS, Bolsa Família, Seguro Desemprego, e outros benefícios, permitindo o saque nas Lotéricas, Correspondentes CAIXA Aqui ou autoatendimento no limite de até R$ 1.000,00.

SERVIÇO

CONTA PARA DOAÇÃO

Conta da Defesa Civil – RJ
Banco: Caixa Econômica Federal -104
Agência: 0199
Operação: 006
Conta: 2011-0
CNPJ: 42.498.717/0001-55

Outras informações: SAC Caixa (0800 726 0101)

Leia Mais

Campanha #SOS Chuva

A iniciativa é da Paula, autora do blog Mulherzinha. Pelo Twitter, nesta sexta-feira, fez a convocação para unir a blogosfera – e a twittosfera, lógico – em uma campanha para ajudar as vítimas das enchentes no Rio de Janeiro, Minas e São Paulo.

A situação no Rio é uma das mais críticas e, infelizmente, é tragédia anunciada, como analisou o jornalista Paixão Barbosa, autor do Política & Cidadania.

Atendimento às vítimas da chuva no Rio de Janeiro. Em Teresópolis, médicos e enfermeiros trabalham em posto improvisado na igreja de Santa Luzia. A foto é de Valter Campanato - Agência Brasil

Mas, independente de apontar culpados ou reclamar dos governos da maioria das cidades e estados brasileiros que sofrem com chuvas demais ou de menos todos os anos, o objetivo aqui é atender ao chamado e ajudar na campanha.

Segundo o post de Paula, os itens mais urgentes são esses:

  • Água potável
  • Alimentos não perecíveis: Achocolatado em Pó, Açúcar, Arroz, Biscoito Doce,  Biscoito Salgado, Extrato de Tomate, Farinha de Trigo, Feijão, Fuba, Leite em Pó, Macarrão, entre outros;
  • Roupas
  • Cobertores
  • Colchonetes
  • Itens de higiene pessoal: sabonete, pasta de dente, escova de dente e fralda descartável, entre outros.
Na comunidade de Vieira, em Teresópolis, moradores limpavam a lama e os escombros dos desabamentos nesta sexta-feira, dia 14. A foto é de Valter Campanato - Agência Brasil

Para saber onde doar, tem endereços aqui no site do Jornal Hoje. E há também o site da Cruz Vermelha, que vocês acessam neste link.

Leia Mais

Vamos ajudar Lanny a correr!!

Esta é Lanny, minha gente. Olha que menina sorridente!!!

Eu conheci Lanny por meio de um desabafo lindo de minha amiga Clarissa, que me contou a história dessa princesinha de oito anos que está lutando para conseguir dar seus primeiros passos. Decidi partilhar a história com vocês, não apenas para nos comovermos com mais um drama familiar, mas para que possamos unir nossos esforços para ajudar a realizar o sonho de Lanny, que é andar. Lanny não quer uma roupa bonita, nem uma maquiagem, nem aquele sapato lindo que passa na propaganda da televisão. Ela quer poder andar, Lanny quer ter liberdade para correr.

Ela é filha do primo de minha amiga Clara. O problema de Lanny é decorrente de uma paralisia cerebral. Ela nasceu prematura, aos seis meses, e precisaria de um tratamento muito intenso quando ainda era um bebê, para que a paralisia não causasse sequelas. Mas os pais de Lanny não tiveram acesso às informações necessárias. A consequência foi que a princesinha deles não conseguiu desenvolver os membros inferiores. Apesar de tudo, Lanny continua acreditando que vai andar um dia. Ela não perde as esperanças, nem deixa o sorriso sumir do rosto. Ela aguarda um presente que a família dela só vai conseguir dar se reunir a quantia de R$ 10.500,00 (dez mil e quinhentos reais) para um tratamento.

A família de Lanny precisa de uma ajuda financeira. E nós decidimos abraçar a causa de Lanny por sabermos como é gostoso andar, como é bom poder correr. Lanny tem uma chance e é nessa chance que estamos nos agarrando. Há um tratamento especializado em uma clínica em São Paulo que vai ser fundamental para os primeiros passos de Lanny. A mãe de Lanny contou tudo sobre a história da filha e a maratona da família em busca de um tratamento em um post no blog criado justamente para tentar buscar ajuda (clique aqui para ler). Lá no blog, vocês vão poder acompanhar a trajetória de Lanny em busca de seu sonho.

Lanny quer correr, mas precisa da ajuda da gente!

Para quem quiser ajudar, basta depositar qualquer valor (qualquer valor mesmo, gente, um real que seja), na conta da mãe da menina, Vanessa da Silva Paixão, na Caixa Econômica Federal (Agência: 0061 / Conta: 7217-0 / Operação: 013). Eu não costumo me envolver em campanhas de arrecadação de dinheiro, mas essa campanha eu decidi abraçar. Depois de ver as fotos de Lanny, sorrindo. Depois de ler sobre sua história, de acompanhar sua luta, e, mais ainda, por saber da integridade e da correção da minha amiga Clarissa, que montou um blog e decidiu correr atrás do sonho dessa menina, eu decidi vir aqui pedir a ajuda de vocês.

Eu sei que ninguém tem obrigação de fazer doação, que a vida está difícil para todo mundo. Mas sei também que somos humanos, que temos um coração bom. Sei que se cada um de nós ajudar só um pouquinho, a reunião dos nossos esforços vai resultar nos primeiros passos de Lanny. Quem quiser acompanhar todo o esforço da família de Lanny, é só acessar o blog que eles montaram, o Corra, Lanny! Lá é possível conhecer a história desta criança, ler o desabafo da mãe dela, e até marcar um dia para conhecer Lanny pessoalmente. É isso, meninos e meninas, se vocês puderem, nos ajudem também a fazer Lanny correr!

Leia Mais

Artigo: “Violência contra a mulher”

O artigo da semana escolhido para esta quarta-feira bate numa tecla que as meninas deste blog vivem tocando em alto e bom som: a militância para acabar com a covardia que é a violência contra as mulheres. O texto é da jornalista Marli Gonçalves e reflete sobre os casos mais recentes de violência aqui no Brasil e no resto do mundo (onde ainda se matam mulheres apedrejadas, como há dois mil anos atrás!!). O texto mostra ainda uma história de superação na vida da própria autora, que já viu e sentiu a violência na pele, mas deu a volta por cima. Vale muito a pena ler. No final, tem os contatos da Marli e os links para acessar suas páginas pessoais.

=================================

**Violência contra a mulher: eu me manifesto. E você? Vai ficar olhando?

*Marli Gonçalves

Mulheres apedrejadas, esquartejadas, violentadas, exploradas, baleadas, surradas, torturadas, mutiladas, coagidas, reguladas, censuradas, perseguidas, abandonadas, humilhadas. Até quando a barbaridade inaceitável vai vigorar?

Eu me manifesto, sim, contra tudo que considero inaceitável. E não é de hoje. Desde pequena meto-me em encrencas por causa disso. Uma vez, tinha acho que uns 12 anos, e brincava na portaria do prédio quando ouvi um homem brigando com uma mulher do outro lado da calçada, ameaçando-a de morte, dando-lhe uns sopapos. Não tive dúvidas. Atravessei, entrei pequenina no meio deles, gritando forte por socorro, o que o assustou e fez com que ele parasse as agressões. Para minha surpresa, ao olhar para os lados, vi que havia muitos adultos assistindo à cena, impassíveis.

Nunca me esqueci disso. Inclusive porque, quando voltei para casa, tomei uma bronca daquelas. Atraída pelos meus gritos, minha mãe tinha ido à janela, e assistiu. “E se ele estivesse armado e te matasse?” – ouvi. Creio que respondi que nunca ficaria quieta vendo aquela cena, onde quer que fosse, e que jamais seria resignada. Dentro de minha própria casa já havia assistido a cenas que teriam ido para esse lado, não tivesse sido minha mãe uma guerreira baixinha e desaforada, ela própria vítima de um pai tão violento que não o aceitava nem em sua carteira de identidade, nem em sobrenome. Minha avó materna teria sido morta por um “acidente”, em que um motorista de ônibus, que por ele teria sido pago, acelerou quando ela descia. Caiu, bateu com a cabeça na sarjeta, morrendo horas depois, de hemorragia, na pequena cidade do interior de Minas.

Sakineh Mohammad Ashtiani, condenada a morte por adultério no Irã

Anos depois, senti em minha própria pele o desespero solitário da agressão, da humilhação, do medo. Em plena juventude e viço, em uma ligação amorosa complicada, de paixão e amor intenso que vi virar violência, agressão, loucura e insegurança, só saí viva porque mal ou bem sou de circo, e protegida pelos meus santos e anjos, daqui e do céu… Tentei não envolver ninguém, resolver, e quase virei primeira página policial. Tive a minha vida quase ceifada, ora por ameaça de facadas; ora por canos e barras de ferro, ora pela perda de todas as referências, ora pela coação verbal. Os poucos e únicos amigos que ainda tentaram ajudar também entraram no rol da violência. E os (ex) amigos que viraram as costas, ou faziam-se de cegos, desses também me lembro bem; inclusive de alguns que conseguiam piorar a situação e pareciam gostar disso, insuflando. Ou se calando. Ou me afastando. Deve ser bonito ver o circo pegar fogo.

Desespero solitário, sim. Não há a quem recorrer. Polícia? Apoiam os homens. Delegacia da Mulher? Na época não existia, mas parece que sua existência só atenuou a dimensão do problema, que pode acontecer em qualquer lar, lugar, classe social. Lei? Veja aí a Lei Maria da Penha. Pensava já naquele tempo, meu Deus, e se eu ainda tivesse filhos para proteger, além de mim? Não poderia ter me livrado – concluo ainda hoje, pasma em ver como a situação anda, em pleno Século XXI. Hoje, acredito que curei minhas feridas, que não foram poucas, especialmente as emocionais.

O que choca no caso Eliza Samudio, tanto quanto a violência em si, é o fato de muitas pessoas julgarem o comportamento da vítima, como se isso justificasse a violência que ela sofreu

Há semanas venho tentando defender, aqui do meu cantinho, a libertação da iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani, mais uma das mulheres iranianas cobertas da cabeça aos pés pelo xador, a vestimenta preta que é uma das versões mais radicais do véu muçulmano. Mas esse, a roupa, não é o maior problema dela e de outras iranianas. Viúva, dois filhos, em 2005 Sakineh foi presa pelo regime fundamentalista do Irã. Em 2007, julgada. A pena inicial foram 99 chibatadas. O crime, adultério! Sua pena final, a morte por apedrejamento.

Uma história que lembra a fascinante personagem bíblica de Maria Madalena, a moça que aguardava a morte por apedrejamento até ser salva por Jesus Cristo. Cristo provocou com uma frase que ficou célebre, e revelou-se futurista: “Quem não tiver pecado que atire a primeira pedra”. Esses iranianos estão querendo matar Sakineh e outras a pedradas, e com pedras pequenas, para que sofram mais; talvez porque sejam, acreditam, muito puros? A sharia, lei islâmica, devia prever cortar dedos, língua, furar os olhos desses brucutus modernos, hitlers escondidos sob mantos religiosos, protegidos por petróleo e riquezas?

Não bastasse a novela de Eliza Samudio que, morta ou não, faltou ser chutada igual bola, e de tantas jovens, inclusive adolescentes, mortas pelos namoradinhos, a advogada que morreu no fundo da represa. Todo dia tem violência. No noticiário ou na parede do lado da sua, no andar de baixo, no de cima, na casa da frente.

Cartaz da campanha Basta!, organizada por entidades civis e femininas

Nem bem a semana terminou e outro caso internacional estava na capa da revista Time, com o propósito de pedir a permanência das tropas de ocupação no Afeganistão. Na foto, na capa, a imagem chocante da afegã Aisha, 18 anos, que teve o nariz e as orelhas decepados pelo Talibã. Foi a punição à sua tentativa de fugir de casa, de uma família que a maltratava. Agora, Aisha está guardada em lugar sigiloso, com escolta armada, paga pela ONG Mulheres pelas Mulheres Afegãs. Deve ser submetida a uma cirurgia para a reconstrução do rosto. No Irã, ou melhor, globalmente, porque lá nada se cria, se estabeleceu a campanha “Um Milhão de Assinaturas exigindo mudanças de leis discriminatórias”, com protestos e abaixo-assinados, de grupos internacionais de mulheres e ativistas, organizações de direitos humanos, de universidades e centros acadêmicos e iniciativas de justiça social, que manifestam o apoio às mulheres iranianas para reformar as leis e conseguir o mesmo estatuto dentro do Irã legal do sistema.

O que há? O que está havendo? Mulher é menos importante? A realidade: em cerca de 50 pesquisas do mundo inteiro, de 10% a 50% das mulheres relatam ter sido espancadas ou maltratadas fisicamente de alguma forma por seus parceiros íntimos, em algum momento de suas vidas; 60% das mulheres agredidas no ano anterior à pesquisa o foram mais de uma vez; 20% delas sofreram atos muito fortes de violência mais do que seis vezes. No Brasil, a violência doméstica é a principal causa de lesões em mulheres entre 15 e 44 anos; 20% das mulheres do mundo foram vítimas de abuso sexual na infância; 69% das mulheres já foram agredidas ou violadas. No Nordeste, 20% das mulheres agredidas temem a morte caso rompam a relação; no geral, 1/3 das mulheres agredidas continuam a viver com os seus algozes. E continuam sendo agredidas. É pau, é pedra, é o fim do caminho.

Cartaz de campanha contra a violência

Estudos identificam, ainda, uma lista de “provocadores” de violência: não obedecer ao marido, “responder” ao marido, não ter a comida pronta na hora certa, não cuidar dos filhos ou da casa, questionar o marido sobre dinheiro ou possíveis namoradas, ir a qualquer lugar sem sua permissão, recusar-se a ter relações sexuais ou suspeitar da fidelidade, entre eles.

Até quando ficaremos assistindo a esse filme? Chega. Foi como li a conclamação da amiga e uma das mais respeitáveis profissionais de comunicação do país, Lalá Aranha, em seu Facebook: “Não posso entender como em pleno século XXI as mulheres brasileiras são tão molestadas. Precisamos fazer algo neste sentido. Quem me acompanha?”

Adivinhem quem foi a primeira a responder? Eis, assim, aqui, também, minha primeira contribuição.

*Marli Gonçalves é jornalista, blogueira, escritora, radialista, twitteira e um monte de outras coisas legais.

Para falar com a Marli: marli@brickmann.com.br ou marligo@uol.com.br

Para ler mais Marli: www.brickmann.com.br e marligo.wordpress.com

**Texto enviado por email e publicado neste blog mediante autorização da autora, desde que citada a autoria e respeitada a integridade do texto.

Leia Mais

Curtinhas do mundo fashion

Muitas novidades ao longo da semana no cenário da moda e beleza nacional. Separei as notícias mais quentes para a sessão Curtinhas do Mundo Fashion (algumas notas não são necessariamente curtinhas!). A coluna passa a ser publicada sempre às quintas-feiras.

Bruno Gagliasso em campanha contra o câncer de mama

Pois sim, estão pensando que só eu é que tenho uma bolsa da campanha Avon contra o câncer de mama? Nada disso, o ator Bruno Gagliasso virou estrela da causa também. Clicado por JR Duran, o global veste a camiseta Laço Rosa e faz um apelo aos homens e mulheres para que fiquem atentos, pois o câncer de mama pode ser curado se descoberto ainda no início. Esse ano, a Campanha Avon Contra o Câncer de Mama traz três diferentes modelos de camisetas. A venda de cada peça gera doação de R$ 4 para o Instituto Avon, que aplica o dinheiro em centros de prevenção da doença. Os modelos feminino e masculino (R$ 15) podem ser encontrados nos folhetos Avon com as revendedoras ou no site www.institutoavon.org.br.

2 x Carlos Rodeiro (chiquérrimo!)

O designer baiano de joias Carlos Rodeiro está com uma coleção nova para o Verão 2011 inspirada no universo de Sex & The City. Pensando na mulher baiana moderna, cujo perfil se assemelha ao das personagens da série norte-americana, o artista desenvolveu trevos em diamantes com ouro branco ou amarelo, além de um solitário com diamante negro. Além disso, o Verão do mago da joalheria também se inspira no balneários de Búzios, Praia do Forte, Trancoso e Maresias, com peças  que mergulham no azul do mar em diferentes tons como safiras, topázios, lápis lazuli, ágata e água marinha, misturados aos diamantes, pérolas e ouro branco e amarelo. A coleção terá preview no Barra Fashion Mall (no Shopping Barra), agora em setembro.

Xarmonix inaugura mais uma unidade em Salvador

A Xarmonix, loja especializada em objetos de decoração, presentes e listas de casamento, ganhará em breve uma nova unidade no Salvador Norte Shopping. Será a quarta da capital baiana e quem assina o projeto da loja é a arquiteta Cristina Arcoverde. Enquanto espera a inauguração, confira as novidades nas lojas do Salvador Shopping (piso L2. Tel.: 71 3878-2979); Shopping Barra (piso) L3: Tel.: 71 3267-2334); Shopping Iguatemi (piso L3. Tel.: 71 3450-5925) e na loja virtual, que faz entregas em todo o país: www.xarmonix.com.br.

Michèle Neyret lança coleção meio-ponto

Quem nunca experimentou uma calçado que ficou apertado em determinado número e grande no outro? Pensando nisso, a personal stylist e consultora de imagem Michèle Neyret traz uma nova opção: uma linha de calçados meio-ponto, com numerações intermediárias que variam do 33,5 ao 39,5, muito comuns nos Estados Unidos e Europa. A coleção Verão 2011 traz o meio-ponto em modelos em couro, com texturas variadas e uma mistura de cores escolhidas conforme o perfil e gosto da cliente. Entre as apostas para a próxima estação, a marca destaca as sandálias abotinadas, com design elegante e que valorizam os pés. As cores fortes e mais abertas darão o tom na estação, mas cores neutras que remetem ao natural permanecerão em alta. A grife tem ainda uma linha de bolsas e carteiras e faz entregas em domícilio. Visite o blog da marca.

“Resort”, um preview do Verão 2011 by Vivire

Já está nas vitrines a primeira coleção “resort” da Vivire, que estreia no segmento de roupas para viagens com uma linha exclusiva de kaftãs (aquelas peças soltinhas que parecem um misto de bata e vestido) curtos e longos. Fiel ao “espírito dos trópicos”, a marca capitaneada por Virgínia Moraes segue apostando em estampas exclusivas, cores vibrantes, modelagens e tecido que valorizam o conforto.  A linha resort é um preview da coleção Vivire Verão 2011 – “Ventos que me levam”, apresentada a compradores de multimarcas no último Rio-à-Porter. “Ventos que me levam” faz diversas associações com o vento, elementos da natureza e também sustentabilidade. A coleção abusa de tecidos naturais (viscoses, sedas e linhos puros), tingimentos ecológicos e acabamentos em materiais recicláveis. Em Salvador, você encontra a Vivire no: Shopping Barra (piso L3. Tel: 71 3331-7339); no Shopping Paseo Itaigara (2º piso. Tel: 71 3353-6335) e na Pituba
(R. Minas Gerais, 339. Tel: 71 3240-0612). Em Praia do Forte, as duas lojas ficam na Av. ACM, nos números 61 e 70, anote os telefones: (71) 3676-1522 e (71) 3676-1406.

Prêmio Chico Mendes para a Buona Vita Cosméticos

A Buona Vita Cosméticos recebeu o Prêmio Socioambiental Chico Mendes, do Instituto Chico Mendes. A empresa paranaense foi certificada com o Selo Verde em reconhecimento ao trabalho de proteção ao meio ambiente. Além da certificação, a Buona Vita Cosméticos também poderá utilizar o selo do Instituto Chico Mendes em todos os seus materiais publicitários e realizar ações em conjunto com a instituição para capacitação e conscientização de funcionários, fornecedores, clientes e revendedores. A diretoria da empresa recebeu ainda o Passaporte Socioambiental, firmando o compromisso com o desenvolvimento sustentável e defesa do meio ambiente. Fundada em 1988, a Buona Vita Cosméticos cria produtos cosmecêuticos hipoalergênicos e dermatologicamente testados.

Verão 2011 da Lei BSC

A cidade e toda a sua diversidade urbana é o mote da coleção Verão 2011 da Lei BSC (Lei Básica) grife capixaba. O olhar é ingênuo e pueril, remete a Darwin e sua chegada às Ilhas Galápagos. Revisitando a teoria evolucionista, a marca usa a cidade como laboratório de ideias e experiências. A paisagem é urbana, mas a vontade do natural impera através de estampas com flores e folhagens. As cores ácidas como lima, mandarino e turquesa se mesclam com as mais neutras, como o castanho, gelo e marinho. As calças em sarja colorida são mais uma vez a aposta da temporada, contrastando com os jeans nos tons mais lavados. Nas estampas das camisetas, a marca nos convida a viajar pela evolução da comunicação, brincando com selos, cartas, carimbos e escritas. Os shapes são os mais diversos, passando pelos curtos, longos, amplos, anatômicos, desestruturados, fluídos e densos. As modelagens mais justas – a exemplo dos jeggings – dividem o espaço com as mais amplas, dando mais liberdade e conforto ao corpo através de ganchos alongados e pregas nos quadris. Os tecidos ecofriendly continuam em alta na estação. As malhas são de algodão orgânico, com o beneficiamento controlado para não causar impacto ambiental. No jeans, destaque para a linha bio denin, produzido com sobras de algodão, fibras e fios reciclados, que substitui processos químicos por naturais. Visite o blog da marca.

Nova linha de produtos anti-idade da Adcos

A Adcos lançou a nova linha profissional de produtos Biogen C, que promete combater rugas e atuar contra os radicais livres, ajudando na síntese de colágeno e hidratando a pele. Os novos produtos foram lançados no 18º Congresso Científico Internacional de Estética, realizado entre os dias 12 e 15 de agosto, no Anhembi, em São Paulo. A Adcos lançou também a Máscara Gel de Colágeno na Linha Biogen C, que promete hidratação e nutrição, além de deixar a pele com aspecto iluminado, devolvendo o seu viço. Composto por Retinol, Ácido Hialurônico e 10% de Vitamina C, o programa de tratamento, de uso profissional e direcionado ao mercado de estética, atua desde as camadas mais superficiais até as mais profundas, prometendo deixar a pele visivelmente mais jovem. O tratamento, realizado em três fases, é recomendado para qualquer tipo de pele, marcas de envelhecimento e flacidez. O kit de produtos Biogen C é formado por: na fase 1 – 12 frascos de 2ml, com Vitamina C (10%) e Ácido Ferúlico; fase 2 – 12 bisnagas de 2g, com Retinol 0,3% e Tecnologia Pró-Gen; e, na fase 3 – 1 frasco de 21ml, com Tecnologia Pró-Gen,  Ácido Hialurônico (1%) e Ácido Alfa-Lipóico. Visite o site oficial da marca.

Renner e Lázaro Ramos: homenagem às baianas

A Renner preparou uma homenagem especial a Salvador, com a veiculação de um filme de dois minutos (já está passando na tv desde 17 de agosto), em que o ator Lázaro Ramos aparece cantando Só Você, sucesso de Vinícius Cantuária que se tornou verdadeiro hit na voz de Fábio Júnior. Dia desses, meu filho, de 13 anos e já entrando na fase romântica da adolescência, viu o filminho da Renner e depois correu atrás da música (que era coqueluche na minha própria adolescência!). Criada pela agência Paim Comunicação, a campanha tem Rodrigo Pinto e Carlos Alberto Thunm como diretores de criação; criação de Roberto Pinto; planejamento de Lara Piccoli, Marie Alonso, Fernando Ribeiro, Eduardo Flores, produção da O2 Filmes e direção de Gisele Barraco. Atuam ainda na direção de fotografia,                   Alexandre Ermel, na direção de arte, Zaca Oliveira e na produção musical, Dudu Marote.

Novas makes da Dailus Color

Neste sábado, dia 28, até o dia 31, começa mais uma edição da Beauty Fair, uma das maiores feiras de cosméticos da América Latina, que ocorre no Expo Center Norte, Vila Guilherme-SP. A marca de maquiagem Dailus Color criou produtos inovadores para apresentar na Beauty Fair. A nova coleção chega mais colorida e irreverente com as sombras em pó iluminadoras com pigmentos flúor e cores como verde, roxo, amarelo, laranja, pink e azul. Para quem não se satisfaz apenas com o brilho do flúor, a linha glitter traz brilho intenso e finaliza a maquiagem dos olhos. O fixador de sombra e glitter são ideais para intensificar as cores e prolongar ainda mais a duração. As máscaras para cílios também chegam com uma nova formulação, ideais para dar um efeito 3D, deixando os cílios mais definidos, alongados, volumosos e naturalmente curvados. O lápis delineador retrátil tem textura macia e excelente fixação, e vem acompanhado de um esfumaçador que facilita a aplicação. As sobrancelhas também ganham atenção especial com o lápis para sobrancelhas que promete corrigir imperfeições. Para o contorno dos lábios, há as lapiseiras retráteis com textura macia e de fácil aplicação, que além de aumentarem a durabilidade do batom, deixam os lábios mais definidos. A pele ganha a base em bastão stick 3 em 1, que promete corrigir as imperfeições deixando um efeito matte e uniforme. A nova embalagem facilita a aplicação e dura mais tempo. Para um ar saudável no rosto, o blush vem em novas cores no Duo Blush Mosaico Dailus. E para finalizar, há ainda o pancake artístico, ideal para maquiagem teatral e circense. Acesse o site da marca: www.dailus.com.br.

Urbano chic e pitadas de étnico no Verão Le Lis Blanc

A coleção primavera-verão 2011 Le Lis Blanc aposta em um visual Urban Chic e nas referências étnicas. As peças já podem ser encontradas nas araras e vitrines das lojas do Shopping Iguatemi e Salvador Shopping. Os shapes da coleção seguem a tendência da temporada com peças leves e ao mesmo tempo sofisticadas. Saias rodadas de cintura marcada lembram o glamour e feminilidade que era proposto pela moda dos anos 50.
Mini saias e saias longas fazem contraponto e dão opção para compor looks despojados. Atemporais, a saia lápis e os vestidos tubinhos são peças para as que preferem visuais estruturados. O short-saia é uma peça que merece destaque por sua graciosidade. Blusas amplas, volumosas nas mangas, vestidos com babados, rendados e rebordados bem 70´s levam frescor à moda Le Lis. As calças com estampas exóticas de ikat vão desde a mais estruturada, como a capri de seda coenizada que se ajusta e modela o corpo, às esbeltas pantalonas. O jeans surge forte com lavagem detonada e desgastada e recria um visual hi-lo. Além do ikat, as estampas liberty, florais, xadrez, listras e tye dye dão um frescor britânico nos tecidos de seda pura, georgete de seda, cambraia de algodão, malha, linho, seda adamascada e chambre. As cores passeiam pelo nude, pêssego, off white e branco, com pinceladas em tons vibrantes de coral lavado, azul piscina e amarelo; além de preto e azul marinho. Sandálias altas e fechadas, botas de cano baixo com aspecto de envelhecidas, sapatilhas de variados estilos, cintos com apliques e tachas são acessórios que enriquecem as produções. O clog é a grande aposta da marca. Visite o site: www.lelis.com.br.

Leia Mais

Conversa de Menina “na batalha” para virar livro

Moças e rapazes que nos brindam diariamente com visitas e comentários, decidimos inscrever o Conversa de Menina no Concurso Blogbooks 2010, promovido pela editora virtual Universo do Autor. O concurso tem o objetivo de transformar os blogs mais bacanas do país em livro. Nessa primeira fase, passam pela peneira os blogs mais votados pelos internautas. Daí, uma comissão julgadora vai dar a selecionada final e escolher os 12 vencedores em cada uma das categorias em disputa. O Conversa está disputando na categoria Universo Feminino. Dêem uma força e deixem lá seu votinho. Não somos candidatas a cargo público e não prometemos nada além de continuar escrevendo bons textos para entreter e informar vocês e continuar publicando boas matérias, bons artigos de especialistas e um conteúdo selecionado com carinho. Já devem ter reparado no selo do Blogbooks ali no menu, mas eis aqui o link para a votação. E desde já, agradecemos a força. Vamos lá meu povo, transformar o Conversa de Menina em um super livro!

Leia Mais