Diário Ravenna: Parte 3 – As duas primeiras semanas

A minha primeira semana de dieta não foi tão fácil, mas também não foi tão difícil. Queria que fosse melhor, mas achei que seria pior. Entendem? Pois é. No primeiro dia, estava tão empolgada com as novidades e com a possibilidade de reduzir logo meu peso, que nem tive tempo de sentir fome ou ansiedade. Foi só planejando, organizando… Cheguei ao final do primeiro dia aliviada por ter sobrevivido sem muita dificuldade. O segundo dia também seguiu no mesmo ritmo, me adaptando.

======================
LEIA TAMBÉM:
>> Parte 1: O começo
>> Parte 2: As consultas
======================

O terceiro dia de dieta foi diferente. Senti fome. Já estava mais entrosada com o plano alimentar, com muita coisa já decorada. Bateu uma angústia com a restrição alimentar. Na verdade, não é fome o que a gente sente. É a ansiedade de não poder comer um monte de coisa que já era hábito e que a gente gosta. E a vontade que me deu foi largar tudo, desistir. Essa é a pior fase, quando dá esse sentimento de privação, de não poder, de proibição. Eu, pelo menos, nunca lidei muito bem com o “não pode”.

Embora tenha passado por este drama, resisti, pelo objetivo maior de voltar ao meu peso ideal e estar saudável. Acho que foi a decisão mais acertada que tomei. Os dias seguintes foram de paz absoluta e de tranquilidade com relação a minha decisão de fazer a dieta. Inclusive, no meio do caminho, teve um final de semana num clube com os amigos, regado a churrascão, muita bebida, feijoada, mariscada e adendos. E eu permaneci inerte, na minha saladinha com proteína e frutas. E, gente, foi sem sofrimento, viu?

Claro que os amigos perguntavam da dieta, mas é bacana quando as pessoas que estão contigo entendem sua reeducação alimentar e respeitam. Meus amigos são ótimos. Até na hora de escolher a carne do churrasco, meu amigo pegou especialmente a que não tinha gordura alguma e separou pra mim. É importante isso, facilita demais as coisas. Eu só tenho a agradecer pelos amigos que tenho. Eles sempre ajudam, nunca julgam e ainda entram de dieta junto, se for preciso escolher uma refeição mais light.

O resultado das duas primeiras semanas foi maravilhoso: 3kg a menos. Fiquei vibrando de felicidade. Claro que no início, perdemos muito líquido, o que interfere bastante na quantidade de peso reduzida. E por isso é muito importante se hidratar. Tenho bebido, apenas de água, entre 1,5l e 2l por dia. Fora outros tipos de líquidos, como chás, café e a própria gelatina, que possui bastante líquido. Sei que a partir de agora a redução semanal será mais cadenciada. Mas tudo bem, vamos em frente!

Um comentário em “Diário Ravenna: Parte 3 – As duas primeiras semanas

    1. É isso mesmo, Caroline, o importante é insistir, quando der vontade de desistir. Hoje estou bem mais adaptada. O cardápio do Ravenna exclui os açúcares e os carboidratos. Há uma restrição alimentar, mas a gente acostuma super rápido.. Qualquer dúvida, posso tentar ajudar a esclarecer… Beijão!

    1. Caroline, infelizmente eu não posso repassar o cardápio. É preciso fazer uma série de exames antes, verificar seu estado de saúde, estas coisas.. O que posso fazer é dar diretrizes gerais, como faço nos posts, mas não tenho autorização do centro para repassar a dieta. Se tiver alguma pergunta, é só falar. Beijão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *