Tangerina´s inspiration na Garimpo

A Garimpo Quatro Estações, que agora é moda e decoração, aposta na tangerina como a cor do próximo Verão. Nas fotos, que falam por si, dicas de acessórios, objetos para casa e looks no tom vibrante. Inspirem-se! E para conferir outras novidades ao vivo, a Garimpo fica na Alameda das Espatódeas, 346, Caminho das Árvores. O telefone da loja é o ( 71) 3351-0408 e o site: www.garimpoquatroestacoes.com.br.

Esse vestidinho para um passeio de final de tarde à beira-mar é perfeito!
#Favoritei essa bolsa!

A saia é um charme!

*Um pouco de cromoterapia – Os tons alaranjados, como o tangerina, o laranja (popularmente chamado também de cor-de-abóbora) e o coral têm propriedades que lidam com a força de vontade, criatividade e poder humanos. Além disso, por ser uma combinação de vermelho (paixão) e amarelo (razão, inteligência), esses tons também possuem a fama de manter o equilíbrio emocional e do ambiente.

*Fonte: Site Em Astral.

Leia Mais

Marco Sabino conta a história da moda em livro

O Dicionário da Moda, de Marco Sabino, tornou-se referência para quem trabalha com o tema. Agora, o autor lança História da Moda, compêndio com 416 páginas, que promete um apanhado do comportamento humano e sua relação com o vestuário desde a pré-história até a contemporaneidade, com capítulos detalhados por décadas, nos séculos XX e XXI. A obra traz ainda ricas ilustrações, fotos e depoimentos sobre o assunto; além de capítulo especial sobre o Brasil, desde o descobrimento, passando pelas épocas da colônia e pelos primeiro e segundo reinados. Sem dúvida, uma fonta de pesquisa e tanto!

Ficha Técnica:

História da Moda

Autor: Marco Sabino

Editora Havana pelo selo editorial da ELS2 e patrocínio da Editora Campus/Elsevier

416 páginas

R$ 150,00

Leia Mais

Shopping Barra anuncia os Novos Talentos 2011/2012

O Shopping Barra acaba de divulgar os nomes dos três vencedores da primeira etapa do Concurso Novos Talentos 2011/2012, iniciativa responsável por revelar estilistas baianos. Os três contemplados são: Aládio dos Santos (Cidade Proibida), Carol Barreto (Do Espiritual na Arte) e Jamaccia Sylva (Águas Claras, um reino de beleza e mistério). As três propostas de coleções para a Primavera-Verão serão mostradas no desfile Novos Talentos, promovido pelo Barra, em setembro próximo. Assim que tiver a confirmação da data, divulgo por aqui ou nas redes sociais do Conversa de Menina.

O júri do concurso, que tem coordenação geral da produtora de moda Tininha Viana, foi formado por profissionais ligados ao setor de moda, como os jornalistas Estevão Terceiro, Gabriela Cruz, Jamil Moreira Castro, Nadja Vladi e Roberto Pires; as professoras de Moda, Luciana Aquino e Virgínia Saback, e a estilista Luciana Galeão.

Leia Mais

Bazar Mira Artes

Meninas, lembram da Mira Artes? Já falamos dela por aqui diversas vezes, divulgando as boinas lindas que ela faz (veja aqui, aqui e aqui). A novidade é que a Mira está organizando um mega bazar no ateliê, concedendo descontos que ultrapassam 20% nas peças. Boa notícia, não é?

O evento acontece neste sábado, 23 de julho, no ateliê da artista, localizado no Conjunto Guilherme Marback, apt. 01, setor 2, bloco 13, Imbuí. Para entrar em contato com a Mira, é só ligar para (71) 88359570. Aproveitem e apareçam por lá, meninas!!! A Mira vai recebê-las com o maior carinho.

E quem quiser conhecer melhor o trabalho da Mira, basta entrar no blog.

Leia Mais

Modelo Plus Size brasileira, Fluvia Lacerda, mostra a beleza das meninas GG em editorial da Vogue italiana

Fluvia Lacerda é carioca e vive há 13 anos em Nova York. A carreira começou por acaso, quando ela foi descoberta em um ônibus de Manhattam, quando trabalhava de babá, na Big Apple

Milito em causa própria sem nenhum pudor. Sou menina tamanho G assumida e adoro divulgar por aqui matérias que ajudem outras mocinhas dos manequins plus size a sentirem-se lindas e poderosas. No mundo da moda tem espaço para todos os estilos, não é? Então, tem também espaço para todos os tipos de corpo, todos os tons de pele, todas as texturas de cabelo, todas as sexualidades… Seja a beleza considerada padrão, ou fora dos padrões normativos, nem por isso deixa de ser atraente, de ter seus encantos ou de merecer admiração. Viva a diversidade! Sem ela o mundo seria um tédio, minha gente.

Mas, depois desse “nariz de cera”, vamos ao que interessa, “a notícia”. Antes, porém, outro adendo: blog é um negócio bom danado de escrever, porque a gente pode botar quantos narizes de cera quiser no texto, vira uma coisa quase poética! Quem não é jornalista, explico: nariz de cera é, em jargão jornalístico, quando você dá aquela enrolada bonita antes de partir para o fato em si. Prefiro encarar assim: a depender do meio, e num blog cabe, é um adereço que a gente coloca para deixar a narração dos frios o quê, quando, onde, como  e porque bem mais divertida…(Se tiver algum estagiário meu, da redação do jornal, lendo isso, não se atrevam a botar nariz de cera nas matéris, heim!)

Essa foto é uma das que mais gostei, do preview que o blog recebeu

A NOTÍCIA – Dois narizes de cera e uma bronca nos coitados dos estagiários depois, eis a notícia que me deixou super feliz nesta manhã de inverno soteropolitano (tá um calor aqui que vocês não imaginam, quem achar um invernozinho perdido, manda aqui para Salvador!). A modelo plus size brasileira, Fluvia Lacerda, eleita pela comissão da Semana de Moda Plus Size de Nova York como a modelo do ano, é o destaque da última edição da Vogue Itália. Sorry, anoréxicas!

Essa aqui também está fantástica. Super sensual e ao mesmo tempo discreta, sutil e chique

Pioneira em abrir portas para as meninas plus size no concorrido mundo da moda internacional, Fluvia quer mesmo é quebrar paradigmas. O que a gente percebe logo de cara, vendo as fotos do editorial (algumas ilustram o post). As fotos de Fluvia, que ilustram uma matéria sobre ela e a beleza das meninas G e GG, foram produzidas pelo fotógrafo alemão Florian Sommet. As imagens mostram que uma modelo plus size pode sim fotografar high fashion, com sensualidade, charme e acima de tudo, bom gosto.

E aqui um look que valoriza os atributos da modelo e pode ser copiado sem traumas por outras meninas plus size

É ou não é motivo para comemorar? E atenção meninas plus size, se inspirem na Fluvia e em todas as modelos GG do Brasil para se olharem no espelho, empinarem o narizinho e dizerem a si mesmas: somos lindas!

E para ler a matéria de Fluvia na Vogue italiana, o link é este. (O texto está em inglês)

Leia Mais

Unhas xadrez?! Aprenda a fazer…

Esse post vai para as meninas que curtem muito unhas decoradas e gostam de inovar para além da clássica francesinha. A dica é da marca de esmaltes Risqué, que no texto abaixo, ensina um passo a passo de Unhas Xadrez. Sim, minhas caras, nem só de Festa Junina vive a estampa que se converteu em verdadeiro estilo de vida (vide os grunges de Seatle, os escoceses, as fashionistas descoladas e cia). Aprendam a lição e se alguém se aventurar a fazer, manda a foto aqui para o blog, que publicamos com prazer! Nosso email é o [email protected]

Passo a Passo Unhas Xadrez com Risqué:

A Risqué apresenta um passo a passo que ensina a decorar as unhas de forma quadriculada, reproduzindo a estampa xadrez. Marcela Emi, técnica da Risqué, mostra como inovar no desenho na hora de pintar as unhas, utilizando esmaltes que já são sensação da estação. Basta aplicar métodos simples e usar a criatividade para fazer combinações incríveis e originais. Confira:

Utensílios:

· Pincel de cerdas longas nº 00

· Esmaltes:

>>Seda Base Risqué

>>Esmalte Risqué Rock’n Roll

>>Esmalte Risqué Pink Fluor

>>Esmalte Risqué Preto Sépia

>>Esmalte Risqué Ultrabrilho

Passo a passo:

1. Aplique uma camada de Seda Base Risqué;

2. Em seguida, aplique duas camadas do Esmalte Risqué Rock’n Roll, da Edição Especial Sweet Rock’n Roll;

3. Com um pincel de cerdas longas, faça listras alternadas na vertical utilizando os esmaltes Risqué Pink Fluor e Risqué Preto Sépia. Repita o processo até cobrir toda a superfície da unha;

4. Repita o processo, desta vez com listras na horizontal, também alternando as cores;

5. Para finalizar, passe uma camada do Esmalte Risqué Ultrabrilho.

Quer conferir outros passo a passo? visite o site Risqué: www.risque.com.br.

*Preço médio sugerido para cada esmalte usado acima: R$ 2,75

Serviço: SAC Risqué – 0800 11 11 45

Leia Mais

Foi assim: estreando na autoprodução

Fui pega de surpresa pelo telefonema de uma amiga no meio da tarde de um sábado, seguido de um convite irrecusável para uma formatura naquele mesmo dia, poucas horas depois. Aceitei a proposta imediatamente e logo ao encerrar a ligação, caí na real de que não havia tempo hábil para ir ao salão de beleza cuidar dos cabelos, unhas, maquiagem e me transformar na diva que todas nós merecemos.

Eu sei que a mulher moderna reduziu significativamente a ida ao salão. Hoje, muitas meninas já aprenderam a se virar – e bem – com a escova, prancha, esmaltes, pincéis e tudo mais. Eu sou uma aprendiz iniciante (mas beeeeem iniciante mesmo). E, neste momento, preciso dizer a vocês que nada está perdido para aquelas que se consideram desastres clássicos com o manuseio de tudo o que eu falei acima. Eu sou um exemplo!

Um olhar azul, inspirado no esmalte...

Essa foi minha primeira experiência com o “faça tudo você mesma”. As unhas, para o meu desespero, estavam azuis (cor difícil de combinar), porque tinha acabado de pintá-las com o Cigarrete, para a série do blog “Nas Unhas“. E como algumas já sabem, o Cigarrete é aquele esmalte azul um tanto “cheguei”. Se vacilar, ele não passa despercebido nem por baixo de luvas. Fiquei alguns minutos pensando no que fazer e montei meu plano B.

É o conjunto usado: vestido preto de cetim, meia-calça e unkle boot

As unhas estavam prontas. Não era a cor que eu pintaria para a ocasião, mas, paciência! Não dava para tirar tudo e refazer, com todo o resto da produção ainda na fila. Decidi tentar montar um look que inserisse as unhas no contexto. A ideia era fazer parecer que aquele tom foi “de propósito”, mesmo não tendo sido. Escolhi uma roupa básica em tom neutro (amo o preto.com.br) e tentei – pela primeira vez – arranhar um azul na make.

Comecei com os cabelos. Peguei a minha prancha velha de guerra, que não usava há alguns inúmeros meses e dei um jeito rápido nas madeixas. Abandonei a prancha e o secador, porque suo muito na academia, o que inviabiliza a manutenção do procedimento. Então, tinha trabalho à toa. Depois de um único dia de malhação, meus cabelos ficavam completamente encharcados. Me desapeguei e adotei o estilo relaxado “ao natural”.

Detalhes do vestido (esq.) e da meia e sapato

Cabelos ok, fui para o banho e, em seguida, para a make. Coloquei a maquiagem na frente da roupa, já esperando a tragédia que podia causar. Pensei na hipótese de dar tudo errado e ter de tirar tudo e recomeçar. A tensão certamente causaria um impacto nas minhas glândulas sudoríparas, e eu suaria loucamente. Não dava para estar toda vestidinha, prontinha para o baile, suando feito doida, não é?

Como não sou a rainha da make, e o dinheiro não anda sobrando para adquirir os produtos de marcas famosas, me contentei com os meus Avons, Naturas e um estojinho que trouxe do Chile quando estive por lá em férias e nem sonhava que um dia eu mesma o utilizaria. Confesso para vocês que comprei o estojo muito mais pelo preço do que pela ânsia, na época, em aprender a me maquiar.

Usei: 1 - Estojo de maquiagem comprado em viagem ao Chile TCW (The Color Woskshop); 2 - Base firmadora Natura Unica Extremo Conforto Bege Natural Médio; 3 - Batom Natural Aquarela cor 38 mate; 4 - Pincel para pó Mary Kay; 5 - Pincel para base Avon; 6 - Pincel para pó e blush Natura; 7 - Avon Magix Base Cashmere Bege Médio; 8 - Máscara para cílios Supershock Avon; 9 - Lápis para delinear olhos preto Avon Color Trend; 10 - Iluminador Natura Aquarela; 11 - Corretivo facial neutro em bastão Avon; 12 - Pó compacto facial Avon Ideal Shade Bege Médio

Claro que não ficou lindo de morrer (entendam que é minha primeira vez, e ainda há tudo o que aprender), mas acho que “deu um caldo”. Nas fotos vocês perceberão os errinhos que cometi, as falhas, mas pessoalmente os elogios começaram lá em casa mesmo. Eu já era o “step” da família para ocasiões especiais e o que consegui com minha make foi oficializar o cargo: maquiadora oficial em circuntâncias familiares desesperadoras (fui promovida!).

O bom de tudo isso era que a festa não seria tão formal quanto as formaturas costumam ser. A formanda optou por organizar uma comemoração individual, com menos glamour. Fiquei aliviada, embora tenha recebido a seguinte recomendação: “vá arrumadinha, não precisa ir muito arrumada”. Específico, não é? Tentei arrancar de minha amiga o que ela queria dizer com aquilo, mas foi em vão. Acho que nem ela sabia ao certo (rsrsrs).

Com a make pronta

Fui ao guarda-roupa e peguei meu vestido preto novo de cetim – que me custou R$ 29,90 em um site na internet. Ele é bem simples, mas fica bonitinho no corpo (não fiz foto pronta, porque tive de sair correndo). Adicionei a meia-calça xadrez recém adquirida em uma promoção de clube de compras por R$ 2,00 (sim, dois reais!!!) e terminei o visual com a uncle boot preta comprada há algum tempo em uma loja de departamento.

Espero que gostem do post, que eu não esteja pagando um king kong em mostrar “a cara” maquiada aqui e que, caso sejam tão ignorantes no assunto como eu, se inspirem. No final das contas, é um processo muito gostoso. Digam-me o que acharam, hein? E aceito dicas e sugestões, para errar menos da próxima vez!!!!

Leia Mais

Beleza selvagem

Ainda não comecei a ler, mas está na fila, o livro Mulheres que correm com os lobos, presente de aniversário de uma amiga querida. Atualmente, me dedico a leitura de Grito de guerra da mãe tigre (também por compromisso de trabalho). Mas, não é dos livros que quero falar agora, prometo resenha dos dois quando concluir a leitura. É só que, não podia deixar de abordar essa conexão: o mercado editorial busca animais selvagens que são símbolo de força e lealdade (o tigre e o lobo) para revalorizar o “puro instinto” da natureza feminina. E não são só autores e livreiros de olho nesse nicho. No mundo da moda, que é um perfeito espelho da sociedade (no que isso tem de bom e de ruim), estilistas se inspiram em wild live, wild feelings: é o animal print – apontado como tendência das tendências.

Me pergunto se esse novo apego à liberdade e a uma certa “agressividade” inerente ao bicho gente, mais especificamente às fêmeas, no sentido de garra para batalhar pelos objetivos e de resistência para sobreviver nesse mundo cão, não teria alguma relação com um tipo de “neo-neofeminismo”, que é diferente daquele clássico dos sutiãs queimados na praça em meados do século e daquele chamado de terceira onda, com a teoria queer e tudo mais. Será que essa nova revolução não estaria ocorrendo também a partir do até então considerado fútil universo da beleza? Humm, não tenho ainda uma ideia muito precisa a respeito, só esboços de ideias, mas quero me dedicar a pesquisar um pouco mais o tema. Talvez a leitura dos dois livros ajude, talvez tenha de ler outras coisinhas e bater papo com quem é mais especializado que eu na psiquê humana. Mas estou aberta a saber o que vocês acham do assunto, sempre! #Ficadica também para quem quiser teorizar. Se por acaso já escreveram, ou andaram lendo, algo parecido com esses meus esboços, compartilhem, por favor.

Para dar um exemplo, fiquei viajando nesses conceitos (que ainda não são bem conceitos, mas sementes), depois que vi as fotos do ensaio para a coleção Outono-Inverno 2011 da Di Sampaio, marca da estilista baiana Thiana Di Sampaio, que se chama justamente Animal Urbano. Muita “coincidência ” tanta vida selvagem ter caído no meu colo de uma vez, entre livros e fotos, em um intervalo de tempo de um mês! A beleza selvagem me chama, com toda certeza. Ainda mais que o aniversário da grife é um dia antes do meu, como fiquei sabendo há pouco tempo. Já que não acredito em coincidências, mas em misteriosas conexões profundas entre pessoas que não necessarimente precisam se conhecer (pessoalmente não conheço Thiana), ao invés de fazer o clássico post sobre a coleção, comecei a “filosofar” nas motivações das peças e dessa mulher fera que a criadora traduz.

A coleção da estilista, como vocês devem ter notado pelo nome, tem essa pegada animal print e as fotos (algumas ilustram o post), com esse cenário escolhido, a fluidez dos tecidos (algodão, seda, tule, renda, chiffon e etc), as estampas e o toque despojado, meio hippie, me deram a visão nítida do que acredito ser uma neo-neofeminista. Algo na linha: uma mulher bonita, mas de dentro para fora e sem neuras com idade, peso, altura e cia; romântica, mas destemida; gosta de sofisticação, mas sem abrir mão da liberdade e da beleza das coisas simples; tem atitude, mas sem aquela arrogância vazia, dos ignorantes; quer respeito e igualdade, mas não abre mão de delicadeza nas relações (homens que puxam a cadeira e abrem a porta do carro são bem-vindos, por que não?); tem um toque de exuberância primitiva, mas também é conectada; enfática, porém sutil… É nesse tipo de mulher que eu penso quando vejo as peças criadas por Thiana e associo com as coisas que leio e vejo em certos comportamentos femininos da atualidade.

Além disso, as pesquisas para a coleção aconteceram na Espanha e Itália. Não posso deixar de comentar outra “misteriosa conexão”, justamente com a Espanha, país pelo qual tenho um amor profundo e uma “ciganidade” latente na alma.

Para vocês verem como, infelizmente, algo considerado tão fútil para os de mente fechada, como a moda, pode nos trazer tantas reminiscências de uma só vez.

Serviço: E para quem quer conhecer a coleção ao vivo (algumas fotos ilustram o post), a Di Sampaio fica na rua Almirante Carlos Paraguassu de Sá, nº 02, 1º andar (próximo à Avenida Paulo VI, no bairro da Pituba).

Leia Mais

Editorial da ModaCycle no Centro Histórico já está no ar

O editorial da revista eletrônica ModaCycle feito aqui em Salvador, em fevereiro passado, nas ruas do Centro Histórico, mais precisamente em Santo Antonio Além do Carmo, já está no ar. Compõem o editorial peças  que traduzem as múltiplas influências que formam a cultura brasileira, criadas pelas baianas Luciana Galeão, Márcia Ganem, Goya Lopes e Leila da Cruz, além do estilista André Lima e da dupla Filhas de Gaia. A publicação traz texto de apresentação sobre os estilistas e ressalta os aspectos mais marcantes de cada criador.

A maquiagem de toques tribais foi assinada pela make up artist Valéria Meier, profissional baiana radicada na Suíça desde 2002. As fotos são de Fábio Abu Chacra, a modelo foi a Bruna Cabral (Bi Produções) e o ensaio teve styling da D’Malicuia. A produção de moda usou ainda acessórios de Fabrizio Giannone e sapatos da ABX Contempo.

Para ver o ensaio na íntegra, clique aqui.

E para ler o making off da produção da ModaCycle em Salvador, acesse abaixo o post escrito pela jornalista Jane Fernandes especialmente para o Conversa de Menina:

>>Making off: saiba como se monta um editorial de moda

*Com informações da Quarta Via Comunicação.

Leia Mais