Saúde: Como viver com a Síndrome do Olho Seco

As lágrimas lubrificam os olhos e afastam os germes

A Síndrome do Olho Seco, também conhecida como Síndrome da Disfunção Lacrimal, me acompanha desde que sofri uma alergia grave a medicamentos anti-inflamatórios, durante um tratamento de tendinite, há alguns anos. Como sequela dos problemas acarretados pela alergia, passei a conviver com um arsenal de colírio e gel ocular lubrificantes, compressas de gaze e soro fisiológico; além de precisar de visitas regulares ao oftalmologista. É chato, mas dá para manter a qualidade de vida e a acuidade da visão, se os cuidados certos forem tomados. E a ideia deste texto é falar, justamente, destes cuidados.

Representação do Sistema Lacrimal

Entenda a Síndrome do Olho Seco

A Síndrome do Olho Seco, ou da Disfunção Lacrimal, como o nome já explica, é acarretada quando uma falha no organismo prejudica a formação das lágrimas. Nossas lágrimas são feitas de moléculas de água, gordura e muco. Esse composto serve para manter os olhos lubrificados e limpos, evitando contaminações por germes. A síndrome acontece quando a lágrima passa a ser fabricada com defeito, com excesso ou falta de gordura, o que faz com que evapore depressa e sem cumprir sua função de proteger o globo ocular.

Quem sofre com o problema, geralmente, sente muita ardência, coceira e uma desagradável sensação de que jogaram vidro moído ou areia nos seus olhos. Além disso, os olhos também ficam vermelhos e incham facilmente, como se você estivesse com uma conjuntivite. Se não for tratada e mantida sob controle – a doença não tem cura -, pode ainda causar problemas mais graves, como infecções por bactérias oportunistas e diminuição da acuidade visual.

O que causa o problema?

No meu caso, a Síndrome do Olho Seco foi consequência de uma alergia a um tipo específico de medicamento, anti-inflamatório, que estou terminantemente proibida de voltar a usar para o resto da vida. O problema me afetou porque eu tinha uma condição prévia de doença autoimune que foi negligenciada pelo ortopedista que me tratou da tendinite. O processo infeccioso derivado desse descuido do médico, levou ao desenvolvimento da síndrome.

Outros problemas que acarretam esse ressecamento severo do globo ocular são:

>>Blefarite: inflamação que ataca os cílios e forma uma caspa que bloqueia a glândula lacrimal;

>>Lesões: cistos, conjuntivites, cirurgias para correção de miopia ou blefaroplastia (plástica para levantar as pálpebras) podem afetar a fabricação de lágrimas;

>>Problemas hormonais: menopausa e uso de anticoncepcionais;

>>Medicamentos: antialérgicos, anti-inflamatórios, remédios para hipertensão e psicotrópicos (como aqueles para depressão, ansiedade, etc);

>>Doenças autoimunes: lúpus, Síndrome de Sjögren, Síndrome de Stevens-Johnson;

>>Uso excessivo de computadores, tablets, smartphones, TVs: quanto mais concentrados diante dessas telas, menos piscamos. Piscar é essencial para a produção de lágrimas.

Existem dezenas de colírios lubrificantes. Seu oftalmologista ajudará na melhor escolha, de acordo com a gravidade do problema

Como é que cuida?

Quem tem Síndrome do Olho Seco precisa visitar o oftalmologista de seis em seis meses, para monitorar o problema. Só o especialista pode indicar o tipo de tratamento mais adequado. Em alguns casos, um tampão é usado para bloquear o canal lacrimal, impedindo que a lágrima escoe rápido demais.  Só oftalmologistas podem aplicar tampões.

Mais cuidados essenciais:

>Higienização correta dos olhos, principalmente por quem tem tendência a desenvolver blefarite. Existem líquidos específicos nas farmácias, mas minha oftalmo me deu uma solução simples e barata: usar Shampoo Johnson neutro. Aquele amarelinho que as blogueiras amam para remover maquiagem dos cílios. Duas vezes por dia, de manhã cedo e à noite, com as mãos previamente bem lavadas, pingo duas gotinhas do shampoo na palma da mão, faço uma espuma e com um cotonete, passo delicadamente nos cílios. Depois, enxáguo e aplico compressas de gaze embebidas em soro fisiológico gelado. Dá um alívio imediato, principalmente de manhã cedo!

>Uso de colírios ao longo do dia. Existem de várias marcas. Seu oftalmologista saberá indicar o que melhor atenderá o grau de ressecamento nos seus olhos. Ele também dirá quantas vezes é preciso aplicar. Eu preciso de duas em duas horas.

>Gel lubrificante ocular antes de dormir. Aplico sempre uma gota em cada olho. Mais uma vez, existem inúmeras marcas nas farmácias e o oftalmo saberá orientar a mais adequada ao seu caso.

>Alimentação adequada também ajuda. Beber muita água é essencial, porque ela é o principal componente da lágrima. Vale ainda investir em alimentos ricos em Ômega-3, como peixes (atum, sardinha, salmão), oleaginosas e linhaça. Vitamina A também não pode ficar de fora do prato de quem tem Síndrome do Olho Seco. Já as frituras e o fast-food, cheios de gorduras saturadas, devem ser evitados, porque pioram o problema. Eu amo sanduíches, mas prefiro as versões sem fritura, com frango desfiado ou atum, um pouco de queijo, legumes e verduras.

5 comentários em “Saúde: Como viver com a Síndrome do Olho Seco

  1. Como é sua rotina? Minha mãe sofre de olho seco severo, os médicos ainda não sabem ao certo o motivo, mas parece ser uma sequela e ela terá que usar colírio o resto da vida, ela chega a ter que usar o colírio de meia e meia hora, não pode assistir televisão e nem ficar muito tempo fora de casa porque os olhos logo se irritam. Você também sofre com isso?

    1. Oi Rafaela,
      Eu uso colírio diariamente há 15 anos. Minha síndrome do olho seco também é sequela. Eu tenho uma doença autoimune que provoca esse problema, entre outros. Bom, eu uso colírio de duas em duas horas, principalmente porque por trabalhar muito tempo na frente do computador, os olhos ressecam ainda mais. Antes de dormir, coloco um gel ocular prescrito pela minha oftalmologista, o colírio que uso também foi prescrito por ela. Mantenho os olhos sempre higienizados (minha médica ensinou a lavar com shampoo johnson ao acordar, mas existe gel de limpeza específico pra essa região), também coloco compressas de soro fisiológico (molho uma gaze com o soro gelado), isso alivia bastante, principalmente depois de um dia inteiro na rua ou diante do computador, tela de celular, ou TV. Para viver com conforto com essa síndrome tem de ter a disciplina de fazer diariamente, como rotina, todas essas coisas que eu descrevi acima. Mas o ideal é que uma oftalmologista oriente sua mãe. A síndrome do olho seco não tem cura, eu levo meu colírio e compressas de gaze para todo canto que eu vou, Abraços!

  2. Gostaria de saber que lubrificante ocular em gel utiliza para durante a noite. Não tenho dormido nada pois os geis e gotas que os médicos me passam não resultam…e eles também não sabem porque.. Acreditam que eu é que invento que não funcionam… Enfim…. Obrigada

    1. Oi Marina,
      Eu uso o Vidisic Gel da bausch & lomb. Mas o ideal é seu oftalmologista te prescrever um medicamento adequado para você. Cada organismo reage de uma forma aos medicamentos, então o que serve para mim pode não servir para você. Eu testei vários tipos de gel e de colírios até encontrar a combinação que funciona nos meus olhos e alivia meu ressecamento. Outra coisa, é importante higienizar os olhos e também beber bastante água no decorrer do dia, sucos e outras bebidas hidratantes, como água de coco, porque isso ajuda o organismo a se manter sempre hidratado e alivia o ressecamento ocular. Além disso, maquiagem resseca ainda mais, então eu não uso mais maquiagem nos olhos desde que desenvolvi o problema. Uso colírio de hora em hora quando estou no ar condicionado ou em locais de ar muito seco ou empoeirado. Abraços!

      1. Tenho usado o recugel neste período mas nenhum deles nem este me deixa dormir a noite toda e para juntar a tudo isto ainda tenho bruxismo que desenvolvi na mesma altura que descobri que tinha olhos secos… é uma condição que não me ajuda a que os olhos descansem…pk os músculos da cara ficam sempre em funcionamento durante a noite… 😢 Não utilizo maquilhagem nunca utilizei porque nunca gostei mesmo. Gostaria de saber quais os outros geis que experimentou para poder perguntar ao meu oftalmologista a ver se encontro outra solução que resulte.. gostaria tb de saber o colírio que utiliza. Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *