Atividade Física: cada corpo tem ritmo próprio

Atividade física não tem padrão, porque os corpos não são iguais. A frase óbvia ainda é necessária nesse mundo que teima em confinar pessoas em caixas padronizadas. Lembrei dela um dia desses, enquanto jantava em um restaurante e, perto de mim, um grupo conversava sobre treinos e metas a cumprir. Uma das pessoas da mesa vizinha confessou não conseguir acordar cedo para malhar. Uma outra integrante do grupo, que parecia ser assídua na academia, disparou: “ah, mas você tem de fazer o sacrifício!”. Na verdade, ela não tem. O que ela pode fazer, e que é bem mais saudável, é encontrar o horário do dia em que mais se sente confortável para se exercitar.

Cada corpo tem seu próprio ritmo e vai reagir de uma determinada forma ao exercício. Então, não adianta soprar um apito militar e chamar musculação de ‘mal necessário’ para convencer quem detesta a atividade a aderir. Ou dizer que depois de um tempo de sacrifício, o corpo acostuma a dormir menos e a malhar mais. Ou, ainda, que a endorfina do exercício supre a ausência do sono.

Não é bem assim. Existem centenas de maneiras de trabalhar os músculos, ganhar tônus, elasticidade, flexibilidade e força, ou uma nova silhueta para quem tem esse foco, que não seja uma hora ‘puxando ferro’. Tem gente que naturalmente desperta às 5 das manhã para fazer exercícios, enquanto outros preferem ir à academia no meio da tarde ou à noite. Assim como tem gente que começando o dia às 5, às 22 horas já está nos braços de Morfeu. Enquanto outros preferem, e podem, dormir à meia-noite e acordar somente às 8.

Independente dos horários apertados do nosso cotidiano, é preciso encaixar a atividade física que mais nos agrada, no horário em que nosso corpo reage melhor. Respeitar o ciclo circadiano e as preferências de cada pessoa, acredito, é o primeiro passo para se obter o objetivo desejado com os exercícios. Fazer uma atividade só por obrigação, porque o personal botou pressão e chamou de preguiçosa é um ato de violência autoimposta.

Meus limites, minhas regras

Não gosto das aulas convencionais de musculação, mas amo pilates. Também não me adapto aos personal traineres que parecem estar preparando uma tropa de combate. Na pressão e no grito, mesmo que de incentivo, ninguém tira nada de mim.

O pilates me atrai justamente pela combinação de diversos tipos de exercícios com alongamento, atenção à respiração e a filosofia por trás de cada movimento. Além do respeito ao ritmo, condicionamento, idade e história marcada em cada corpo.

Raramente você encontra instrutor (a) de pilates que te trate como um recruta lerdo. Pelo contrário, mesmo quando exigem mais dedicação, existe o cuidado em não ultrapassar os limites que cada um consegue alcançar. Lógico que existem muitos personal traineres, instrutores de artes marciais e de outras modalidades que também respeitam os ritmos de seus alunos. Por isso, é importante priorizar profissionais com formação adequada.

Também amo atividades na água, como natação e hidroginástica. E dança, que mistura diversão e o trabalho com todos os músculos, ao mesmo tempo em que diverte e dá uma sensação de liberdade e poder. Para mim não tem nada mais encorajador do que aprender a executar um passo novo e deslizar pela vida.

Os atropelos do cotidiano

Assim como a moça da mesa ao lado, que não consegue acordar cedo para ir à academia, eu preciso de oito horas de sono para ficar bem, saudável, criativa e focada nas atividades diárias. Sempre fiz atividade física em horários alternativos, justamente porque meu corpo demora para despertar. Como meus horários de trabalho também variam, encaixo os exercícios de acordo com as demandas do dia e minhas necessidades físicas.

Sou aquela pessoa que desperta sutilmente. Não fico enrolando na cama, mas gosto de levantar com tranquilidade, sem pressão, fazer a higiene matinal, tomar um bom café, ler o noticiário ou um capítulo do livro da vez. Daí em diante, planejo o dia de acordo com as obrigações a cumprir. Tento, na medida do possível, garantir meu tempo de sono, porque me conheço bem e sei que sofrer privação de descanso me faz adoecer.

Na infância, era obrigada a acordar cedo para ir à escola. Sempre estudei de manhã porque a rotina dos adultos da casa assim determinava. Embora, como os gatos, eu seja mais ativa ao cair da tarde e chegada da noite. Infelizmente, acordar fora do ritmo acontece com muitas crianças porque as escolas no Brasil, a maioria, iniciam as aulas às 7 da manhã. Ou porque os pais precisam ir trabalhar e nem sempre tem quem cuide dos filhos no turno matutino. Para as crianças que despertam a pleno vapor, está tudo bem. Mas aquelas que são mais ativas à tarde, aprendem desde cedo que é preciso se violentar para conquistar uma meta, no caso, a educação formal.

Não deveria ser assim. O mundo, desde a infância, poderia respeitar nossos ritmos. E esse respeito se estenderia para a vida adulta, com as pessoas tendo a opção de trabalhar nos horários em que são mais ativas. É um pensamento utópico, eu sei. Ainda não chegamos em um nível de evolução em que as dimensões humanas sejam mais respeitadas do que os índices de produtividade. E, mesmo com tanta tecnologia para facilitar o cotidiano, ao invés de termos mais tempo, estamos cada vez mais cansados e sobrecarregados.

É ingenuidade achar que antigamente, no tempo dos nossos avós, com a vida mais rural, as pessoas viviam em um ritmo mais confortável. Na verdade, muita gente que acordava às 3 da manhã para começar a lida no campo, passava por cima do próprio sono por necessidade: se não plantasse, não comia. Hoje, que a vida é mais urbana, atropelamos nossos ritmos naturais por diversos outros motivos. Mas, em alguns casos, dá para negociar e viver mais perto do ideal.

Foque na meta, mas sem culpa

Somos ‘obrigados’ pelas circunstâncias da vida a cumprir horários pré-determinados de estudo e trabalho. Nas coisas que podemos escolher, ninguém deveria ser forçado a extrapolar seus limites. Atividade física não é obrigação, é escolha. Por mais que seja benéfico para a saúde – e adotar uma rotina de exercícios repercuta de forma positiva em outros aspectos da vida -, ainda assim, é uma opção praticar ou não alguma modalidade. Tem gente que melhora os outros aspectos da vida, como o controle do estresse, com viagens ou meditação. Cada cabeça é um mundo, diz o ditado. E a gente pode ampliar para ‘cada corpo é um mundo, com suas particularidades’.

Ginástica é igual a dieta. Tirando os casos em que a recomendação médica prevalece por risco de vida (diabetes, colesterol ruim elevado, alergias severas, etc.), se privar de comer algo que gostamos para perder peso – por padrões estéticos, por exemplo – sempre vai ser uma escolha individual, pessoal e intransferível.

A questão é perceber se as escolhas que fazemos são conscientes e atendem nossos próprios anseios e necessidades ou se estamos apenas seguindo regras ditadas pelas caixinhas que padronizam pessoas e as hierarquizam de acordo com determinados comportamentos.

Diariamente, digo para mim mesma: “Antes de focar na meta, foque em si mesma e avalie seus caminhos com base nos próprios desejos e em um carinho muito grande pelo que você vê no espelho, respeite os ciclos internos e os limites do seu corpo”. Me esforço para atender a esse chamado interno…

Leia Mais

Preparação física na areia: minha experiência

preparação física na areia | foto: conversa de meninaEu faço preparação física na areia já há algum tempo. Comecei a fazer treinos na praia em 2010, mas, por força das circunstâncias, precisei interromper. Só consegui retomar os treinos ano passado (2016), e desde então tenho mantido a constância e frequência. Sempre posto fotos nas redes sociais e recebi uma grande quantidade de perguntas a respeito dos benefícios, indicações, contraindicações etc.

Decidi conversar com meu preparador físico, Igor Alisson, e reunir informações para escrever esse texto para vocês. Aliado a essa demanda, os treinos na praia me ajudaram muito a melhorar desempenho e condicionamento físico também nas outras atividades, então acho bem bacana compartilhar isso com vocês e, quem sabe, motivá-los a abraçar essa prática esportiva.

Treinar na areia é bem diferente de treinar em um academia, por exemplo. Tem todo um clima por trás do treino em si. Além de estarmos em um terreno diferente, que exige bastante da gente, conseguimos aliar o trabalho do corpo com o trabalho da mente. Ver o sol nascer, estar próximo do mar, colocar o pé no chão e tocar a areia ao mesmo tempo em que você exercita seu corpo não tem preço. Eu treino todos os sábados, às 6h, no Jardim de Alah, e costumo dizer que se você começa o sábado assim, com essa energia, não tem como nada dar errado no restante do final de semana. Ou seja, todo o ambiente é propício para incentivar o desempenho e performance. Imagine você correr em direção ao mar? Não tem como não dar aquele gás!

preparação física na areia | foto: conversa de menina

Preparação física na praia: escolha um bom profissional

O primeiro passo para começar a treinar na areia – e eu diria, o mais importante – é a escolha do profissional que vai orientar seu exercício. O meu preparador físico, Igor Alisson, além de ter sido um dos precursores desse tipo de treino por aqui, é Especialista em Fisiologia e Prescrição do Exercício, pela Gama Filho-RJ, é Avaliador de Aptidão Física e é ainda pós-graduando em Biomecânica e Treinamento de Força Adaptados às Atividades Motoras, pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

preparação física na praia | foto: conversa de meninaAgora vocês entendem por que eu sempre faço questão de ressaltar a qualidade do trabalho dele? O cara é bom mesmo. Aliás, ele foi o grande responsável pela minha mudança de vida em termos físicos. Só para exemplificar essa tal mudança, já se foram cerca de 20kg e uma transformação drástica no formato e composição corporal.  Digam aí se ele não manja dos paranauê? Faço propaganda mesmo. E se você quiser mudar de vida também, ligue pra ele e converse (vou deixar os contatos no final desse post). No primeiro bate-papo você vai concordar comigo, não tenho a menor dúvida disso.

preparação física na praia | foto: conversa de meninaPor que é importante?

Falo da importância da escolha do profissional por uma razão clara. Ao tempo em que o treino na areia auxilia a evolução do atleta, também exige cuidados. Um treinamento displicente pode jogar todo um planejamento no lixo. O profissional precisa avaliar sua atual condição, para te passar o treino adequado. Em um mesmo grupo, nem todos possuem o mesmo condicionamento. Isso deve ser levado em conta. É preciso ter a segurança de que você sendo orientado por um profissional de confiança, que sabe o que está fazendo. Como estamos vivendo uma fase de auge do estilo de vida saudável, não dá para vacilar e colocar sua saúde em risco nas mãos de qualquer um. Lá onde treino, cada pessoa que entra passa por uma avaliação, precisa conversar com ele antes de começar. Você se sente mais seguro e tranquilo. Isso pra mim é fundamental.

Riscos e benefícios

preparação física na praia | foto: conversa de meninaSão inúmeros os benefícios de uma preparação física na areia. Já falei aqui da questão do ambiente, que ajuda demais. O contato direto com a natureza nos deixa mais relaxados, mais à vontade, cria uma atmosfera mais gostosa de treino. A areia também diminui o impacto das articulações e é excelente para desenvolver força, já que exige bastante dos músculos. É um treino muito bom para tonificar os músculos, especialmente das pernas (fica daqui ó). Melhora muito o condicionamento físico e ainda ajuda a emagrecer (se seu objetivo for esse, claro).

Como estamos falando de uma superfície irregular, há risco de lesões. Pedras e objetos deixados na areia podem causar acidentes, já que muitas vezes ficam escondidos e o indivíduo só percebe o risco depois de ser atingido por ele. Embora esse seja um risco efetivo, eu nunca tive qualquer acidente nem lesão na areia em todo esse período de treino. Nem eu nem ninguém da turma que treina comigo. Acho importante também esclarecer isso. Um outro aspecto é que o treino constante na areia pode causa alteração biomecânica, ou seja, a pessoa perder o padrão do movimento, e pode reduzir a velocidade do indivíduo. preparação física na areia | foto: conversa de meninaMas isso vale muito mais para quem é atleta de corrida de asfalto. Não interfere tanto assim na vida de meros mortais como a gente. 🙂

Especificidades do meu treino

Como falei antes, treino com o preparador físico Igor Alisson, todos os sábados, 6h, no Jardim de Alah. Ele usa uma série de equipamentos e acessórios, para intensificar o treino e adaptá-lo a necessidades e objetivos específicos. Ninguém melhor do que ele, para explicar exatamente como funcionam os treinos: “Nos nossos treinamentos, valorizamos a capacidade aeróbia, dando ênfase em valências físicas, como agilidade e coordenação motora, fazendo uso de materiais diversos, como escada de agilidade, cones e barreirinhas. Exercícios estabilizadores do core e mobilidade articular são de fundamental importância para um trabalho seguro, e por isso também fazem parte do nosso trabalho”.

preparação física na areia | foto: conversa de meninaNa prática, é um treino bem intenso, bem forte. A intensidade do treino depende de sua condição física, mas Igor tem algo que eu valorizo demais em um profissional, que é o poder da motivação. Ele te motiva o tempo inteiro, então você passa por processos constantes de evolução. Você percebe sua melhora com o passar do tempo, é nítida. Fato que ele acredita na gente mais do que a gente mesmo. E, minha gente, se vocês soubessem o quanto isso nos dá um gás extra!!!! É um fator diferencial para quem faz preparação física na praia, eu diria.

E o melhor de tudo é que não existe competição no grupo que eu participo. É um motivando o outro, incentivando, chamando. Cada um dentro de suas possibilidades e limitações, vamos evoluindo. Sempre acreditei na vida no ditado que diz que gente boa se atrai. E no grupo de Igor é isso que eu vejo. E se você também despertou a vontade de participar, já é sinal de que sua energia também é boa, é só vir com a gente.

preparação física na praia | foto: conversa de meninaAula experimental + contatos

Combinei com meu instrutor de oferecer uma aula experimental gratuita de preparação física na areia a quem tiver curiosidade de conhecer o treino de perto, a quem se interessar em saber como é, testar. É uma forma de conhecer a atividade, de praticar e entender o que eu estou tentando passar nesse post, mas que é difícil de resumir em palavras.

Só sentindo o clima, só sentindo a energia, só sentindo os efeitos do treinamento, só sentindo as mudanças no corpo. Então, se você é de Salvador e tem interesse em conhecer a preparação física na areia, manda uma mensagem. Pode ser para mim ou entra em contato diretamente com Igor, para agendar o dia. E depois vocês me contam o que acharam, tá?

Seguem os contatos dele:
Tel: 71 99919-7110 (whatsapp)
Instagram: @igoralissonqf1

Leia Mais

De Olho na Saúde: a bicicleta e seus benefícios

Bicicleta há muito tempo deixou de ser apenas lazer para virar cultura. Tanto pelos benefícios à saúde quanto pela questão de mobilidade, pedalar demonstra atitude positiva diante da vida e com o planeta. Adotar a ‘magrela’ como meio de transporte, além de diminuir a emissão de gases poluentes na atmosfera e desobstruir o trânsito caótico das cidades, permite fugir do terror do século XXI: o sedentarismo. Mesmo quem não tem tempo para ir à academia, só de deslocar-se de bicicleta, já preenche a cota diária de atividade física recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Pesquisas mostram que uma maior quantidade de ciclistas nas ruas contribui para tornar as cidades mais seguras e amigáveis até para os pedestres, reduzindo as ocorrências de atropelamento. Ao menos essa é a conclusão de um estudo europeu inspirado na realidade de locais como Copenhage (Dinamarca) e Amsterdã (Holanda), onde, respectivamente, 35% e 45% dos deslocamentos diários são feitos de bicicleta.

O Brasil ainda está longe dessa realidade e fatores como o medo de assaltos, por exemplo, impede uma maior adesão ao ciclismo. Mas, aos poucos, essa ideia vem mudando no país, até porque quem é adepto da prática, cobra mais do poder público a construção de ciclovias e uma infraestrutura adequada. Empresas têm investido em vestiários e bicicletários para funcionários que vão trabalhar pedalando. E, campanhas buscam criar maior consciência nos motoristas para respeitar os ciclistas.

Benefícios da bicicleta para a saúde

Para estimular quem pensa em adotar a bicicleta como transporte, eis as vantagens das pedaladas para o corpo:

>>Pernas fortes – O movimento das pedaladas trabalha e fortalece diversos músculos;

>>Coordenação motora – Para ficar estável sobre a magrela é preciso exercitar o equilíbrio, o que favorece a coordenação e a atenção;

>>Bike Zen – Pedalar relaxa, libera endorfina, acalma;

>>Cheio de ar – Pedalar é um exercício aeróbico e que beneficia o sistema cardio-respiratório e reduz risco de enfarto em até 50%;

>>Silhueta enxuta – Para quem quer emagrecer, ir de bike para o trabalho é uma boa ideia;

>>Xô, LDL! – Andar de bicicleta reduz o colesterol ruim (LDL) e aumenta o bom (HDL);

>>Santo remédio para as costas – Desde que observada a postura correta, com a espinha dorsal ereta, as pedaladas exercitam os músculos das vértebras dorsais, o que ajuda a blindar a coluna de transtornos.

Cuidados essenciais antes de subir na bike

>>Ajuste o selim, guidão, quadro, etc. ao seu tamanho. Bicicletas grandes ou pequenas demais para a altura do ciclista geram desconforto nas pedaladas e o corpo reclama;

>>Atenção contínua. Não use celular ou faça estripulias como ler um livro enquanto estiver pedalando;

>>Segurança. Use capacete;

>>Consciência. Observe as regras de trânsito e prefira andar nas ciclovia;

>>Não arrisque. Se vai mudar de direção, sinalize para os motoristas;

>>Acessórios. Se sua bike é seu meio de transporte e você anda com ela no trânsito, adote itens como espelho retrovisor e campainha, além da sinalização noturna obrigatória pelo Código de Trânsito.

*Fonte de pesquisa: Revista Saúde e Código de Trânsito

Leia Mais

Desafio beach cross: eu consegui vencer

beach cross 2017Sou movida por desafios. E falo tanto essa frase, que já virou clichê em minha vida. Mas é um clichê que eu sigo praticando. E hoje, meu assunto por aqui é mais um desafio vencido: a corrida beach cross 2017. Foram 5,5km de corrida na areia, no Jardim de Alah. Vocês me veem nas redes sociais, postando fotos de treino na praia e devem se perguntar por que cargas d´água essa prova seria um desafio para mim, que treino todo sábado na areia.

Pois bem, eu simplesmente não tenho fôlego! Tenho um desvio no septo que me atrapalha muito e me faz cansar demais em pouco tempo. Especialmente na areia. Por isso, todo o meu treino tinha um objetivo: chegar até o Aeroclube e voltar. Minha meta era apenas cumprir metade do percurso. Mas eu terminei! Sim, eu consegui!

Quem tem desvio no septo sabe do que estou falando. Chega uma hora em que o ar que entra pelo nariz já não é bastante, e a gente passa a respirar pela boca muito rapidamente. Respirando pela boca, parte do oxigênio é desviada no meio do caminho e não chega ao pulmão. Resultado: o fôlego se perde, a gente cansa muito mais rápido. É péssimo para quem quer evoluir na atividade física. Por isso, participar de uma prova de beach cross há algum tempo atrás era impensável para mim.

Mas daí que me bato com um instrutor maravilhoso, que conhece minhas limitações, mas me desafia o tempo inteiro, e que, mais importante que tudo, acredita em mim mais do que eu! O nome dele? Igor Alisson. A prova foi no domingo. No sábado tivemos treino, ele conversou muito sobre a prova de domingo.

No treino da véspera

Éramos um grupo. De todos os que treinam com ele aos sábados, umas oito pessoas, incluindo eu, decidiram encarar o desafio de fazer a prova. Eu era a única que não tinha o objetivo de completar os 5,5km. Mas na véspera, após ele passar todas as instruções necessárias para que realizássemos a prova, eu cheguei perto dele e perguntei sobre minha prova. Ele olhou pra mim e me disse: “Sua meta pessoal é até o Aeroclube, mas você está pronta para completar essa prova. Se você quiser, você consegue. Faça no seu ritmo, esqueça quem está a seu lado, quem está a sua frente, nem olhe para trás. Você está pronta para completar”. Quando cheguei domingo para a prova, já tinha internalizado a ideia de fazer a prova até o Aeroclube.

beach cross 2017Chegou a hora da largada do beach cross 2017. Coloquei o som no ouvido e parti. Quando dei o primeiro passo, pensei nas palavras de Igor na véspera. Não olhar para o lado, esquecer quem estava à minha frente ou atrás, fazer a minha prova, no meu ritmo. Me concentrei na música no ouvido e não olhei para a frente. Fiz a prova olhando para o chão o tempo inteiro, olhando cada passo que eu dava, concentrada na respiração e na música, no ritmo que eu achava que dava pra fazer, mais lenta que todos os meus amigos de treino, no meu ritmo.

Em um determinado momento, senti cansaço, as pernas pesaram, eu não sabia em que lugar exatamente estava, porque só olhava para o chão. Me deu vontade de parar de correr, de andar um pouco, mas só ouvia a voz de Igor me dizendo “você está preparada para completar. Você consegue”.

Decidi seguir e decidi olhar para a frente, queria saber se o Aeroclube já estava chegando. Foi quando me dei conta que já havia passado do Aeroclube há tempos. Eu já estava completando a primeira metade da prova. Agora era voltar. Já tinha batido minha meta, o que viesse dali pra frente era lucro. Peguei um copo com água no posto de hidratação e, sem parar de correr, joguei metade no pescoço, bebi uns goles e segui. Em vários momentos, me deu vontade de desistir. beach cross 2017Eu estava cansada, a respiração ofegante, as pernas estavam pesadas.

Mas sempre que me dava vontade de parar de correr e terminar a prova de beach cross andando eu lembrava que havia treinado para realizar aquilo ali e meu instrutor, que me acompanhou durante todo o processo, me disse que eu conseguia. Então, na minha cabeça, além da música que tocava no celular, só passava uma frase: eu consigo!

Os últimos 600m do beach cross

Foram sofridos, eu estava exausta, o sol incomodava, eu estava desidratando rápido, a água tinha acabado. Olhei para a frente de novo, ainda tinha um longo caminho, mas avistei Igor. Ele vinha em minha direção, com uma garrafa de água na mão. Quando chegou perto de mim, ele me disse “não pare, está terminando”. Eu estava esgotada. Bebi um pouco de água, tirei a camisa que estava encharcada de suor, entreguei a ele. E segui correndo. Os passos mais lentos, mas correndo.

Foram os 600m mais longos de minha vida. Até que acabou! Eu cheguei lá. Terminei a prova. Fiz 5,5km de corrida na areia. E não andei, corri todo o percurso. Foi desgastante, exaustivo, mas consegui. E fiquei tão feliz que vocês não imaginam. Foi uma realização. Comecei esse post dizendo que sou movida por desafios. E cada um que  supero, me deixa ainda mais empolgada para enfrentar o próximo.

beach crossPor que consegui terminar?

Mas eu só consegui terminar a prova por causa de Igor. Consegui terminar, porque tenho um treinador que acredita no meu potencial, que exige de mim aquilo que eu posso dar. Um treinador dedicado, minucioso, exigente. Um treinador observador e motivador. Que incentiva, que acredita, que usa as palavras certas nas horas certas. Que trabalha seu corpo e sua cabeça. Que faz uma releitura de nossas limitações e utiliza elas a nosso favor. Que entende e respeita as necessidades de nosso corpo. Ele sempre me diz que eu consigo evoluir porque eu sou disciplinada, porque eu sigo as orientações.

Sim eu sou disciplinada nos treinos e sigo as orientações, porque eu acredito e confio no profissional que me treina. Todo treino é uma parceria. O seu treinador e você precisam estar conectados com um objetivo. É uma relação de troca. E se ele for bom, os resultados vão aparecer. E o meu treinador é bom! Bom, não, ele é excepcional.

No final das contas, o que eu posso dizer é que independente do desafio a que você se propõe, o seu psicológico precisa trabalhar a seu favor. Além de trabalhar seu corpo, trabalhe sua mente. Ela vai ser determinante. Quanto a mim, que venham os próximos desafios. Sempre estarei pronta pra eles. E se eu não estiver pronta, vou ficar. Porque eu consigo, você consegue. A gente só precisa querer!

Leia Mais

4ª Corrida Outubro Rosa do NOB: voltei a correr

4ª Corrida Outubro Rosa | foto: Conversa de MeninaA Corrida Outubro Rosa é uma belíssima iniciativa do Núcleo de Oncologia da Bahia – NOB, para promover a saúde e reiterar a importância da campanha do Outubro Rosa, em prol do combate ao câncer de mama. O evento marcou meu retorno às corridas de rua oficiais, depois de cinco anos! Isso mesmo! Voltei a correr há dois meses, aleatoriamente, sem me preocupar com tempo e percurso, e essa é minha primeira corrida oficial nesse retorno.

Antes de tudo, às meninas que lerem esse texto, não esqueçam de realizar os exames de rastreio do câncer de mama, em especial a mamografia. O câncer é uma doença que muitas vezes surge silenciosamente e pode ser fatal. Vamos aproveitar este incentivo para cuidar da nossa saúde! Então agora eu vou compartilhar tudo com vocês!

Por que voltar a correr com a Corrida Outubro Rosa?

O que mais me motivou a encarar o desafio do retorno às provas de rua foi a proposta do NOB. Não era apenas a atividade física em si. Era o propósito de nos incentivar, mulheres, a mudar o estilo de vida, a acrescentar no dia a dia a prática regular da atividade física. Isso eu já faço, vocês que me acompanham aqui, sabem. Mas participar de uma ação com esta finalidade me motivou bastante.

Quando li o material de divulgação da Corrida Outubro Rosa, lá constava uma informação super importante: a prática de atividade física frequente associada a uma alimentação equilibrada pode reduzir em ate 30% o surgimento de variados tipos de cânceres. Número bem significativo, não é?

Esta é a 4ª edição do evento, que começou a ser realizado pelo NOB, junto ao seu Núcleo de Mama, em 2013. Este ano, a corrida teve largada em Ondina, no estacionamento do Speed Lanches, com direção à Barra, em duas opções de trajeto (ida e volta): 5km de corrida (até o Farol da Barra) ou 2km de caminhada (até o Clube Espanhol).

4ª Corrida Outubro Rosa Percurso

A inscrição foi mediante a doação de leite em pó (duas embalagens com 800g), e a organização foi bem bacana. Você recebia a camisa, tinha posto de hidratação no Farol da Barra, após os primeiro 2,5km, e no retorno ainda tinham frutas e água de coco. E eles ainda presentearam os participantes com aquele suporte de braço, para carregar o celular, documentos e chaves. Bacana, hein?

Minha relação com a corrida

4ª corrida outubro rosa | foto: conversa de meninaQuando passei a me interessar por atividade física, em 2010, comecei pela corrida. Eu não tinha fôlego nem condicionamento físico, mas caí nas mãos de um profissional excepcional. Estava 20kg acima do que peso hoje e não conseguia correr um minuto. Entrei no clube de corrida do preparador físico Igor Alisson por indicação de uma amiga. Muita coisa aconteceu nesses seis anos, que me obrigou a parar por longos períodos. Fiz duas cirurgias e vivi o momento mais difícil da vida, com o falecimento de minha mãe.

O meu retorno à atividade física frequente foi há cerca de dois anos. Conversei com Igor, que virou meu instrutor e é com quem faço os treinos na praia. Ele aceitou o desafio de melhorar minha forma física cada vez mais. Comecei a treinar outras atividades, mas não voltei a correr. A corrida é um desafio. Tenho desvio no septo nasal, o que atrapalha muito. Quem entende sabe que a respiração nasal é fundamental para obter bons resultados na corrida.

Quando a gente respira pelo nariz, obriga que o ar vá direto para os pulmões. O desvio no septo obstrui a passagem do ar, compromete a respiração e obriga o seu portador a respirar pela boca, fazendo com que parte do ar seja desviado para o estômago. Assim, o pulmão não recebe a quantidade de ar que precisa durante a prática de atividade física. Além disso, o nariz filtra o ar, melhorando sua qualidade. Resumindo: respirar pela boca prejudica a performance e acelera a sensação de cansaço e fadiga. Quem tem desvio no septo cansa mais rápido.

Essa explicação quem me deu foi um otorrinolaringologista certa vez. Isso foi há bastante tempo, em uma consulta que fiz. Eu tinha sinusite com frequência e descobri que esse desvio também causava essa sinusite, já que dificulta a saída do líquido do seio da face, acumulando na região e causando a inflamação da mucosa nasal. Então, como a corrida exige muito da respiração, ela se tornou um imenso desafio pra mim. Para melhorar, eu teria de fazer uma cirurgia.

Ainda tem uma anemia…

Além disso, estou enfrentando uma anemia ferropriva, o que dificulta ainda mais. O ferro ajuda no transporte de oxigênio e proteína para os músculos. O nível de ferro baixo causa cansaço, fadiga e fraqueza. Meu último exame já demonstrou uma pequena melhora, o que é ótimo para alguém que vem tendo baixa da reserva de ferro há meses. A melhora veio muito em função de meu acompanhamento nutricional, com Camila Avelar. Breve já estarei 100% de novo!

Meu desempenho na Corrida Outubro Rosa

O visual é inspirador
O visual é inspirador

Como eu não estava treinando para correr, o meu objetivo era terminar a prova correndo, sem andar, mesmo que precisasse seguir em um ritmo mais lento. Quando saio para correr na rua, vou bem cedo, por volta das 5h30/6h, para fugir da quentura, que me incomoda bastante. A largada da Corrida Outubro Rosa foi às 7h30, um horário que não tenho hábito de correr. Além disso, eu suo muito, o que ajuda o corpo a desidratar mais rápido. Pra vocês verem como essas corridas de rua são mesmo desafiadoras pra mim.

Eu fiz a prova em um ritmo bem leve. Bem leve mesmo, com passos mais curtos e baixa velocidade. Consegui cumprir meu objeto de realizar todo o trajeto correndo, sem pausas para caminhadas. Meu tempo foi bem alto, completei os 5km em cerca de 39 minutos (usei o cronômetro do celular). Mas consegui fazer exatamente aquilo a que me propus, e isso pra mim é uma grande vitória. Quero continuar a fazer as provas de rua, para melhorar o desempenho. Minha meta é correr distâncias maiores.

Para quem está em dúvida se consegue, minha dica é: compre um bom tênis e busque um profissional bacana, para dar seus primeiros passos. Corrida de rua é como a vida, a gente nunca deve olhar para trás. É só seguir, mirando seu objetivo. Você pode pensar em cumprir pequenas metas ao longo do percurso, e ao alcança-las, traçar outras. Cada um desenvolve seu próprio método. No meu caso, coloco um super som no ouvido. Quando bate o cansaço, apenas penso que eu consigo. E vou seguindo pensando assim: eu consigo. Porque qualquer um de nós consegue, sejam quais forem os obstáculos.

Sobre o NOB

4ª corrida outubro rosaO Núcleo de Oncologia da Bahia – NOB oferece consultas, tratamento quimioterápico e tudo suporte durante e após o tratamento do câncer. Eles têm uma equipe com mais de vinte especialistas que atuam de forma conjunta, entre oncologistas, hematologistas, reumatologistas, algologistas (tratamento da dor), nutricionistas e psicólogos. Eu sou paciente do NOB, embora não seja portadora de câncer. Com a história da anemia, fui orientada a buscar uma hematologista. E minha hematologista atende lá no NOB.

O NOB recebeu o nível máximo do selo de Acreditação Hospitalar, certificado pela Organização Nacional de Acreditação (ONA). A equipe de lá é muito educada, eles são super acolhedores. E fazem diversos trabalhos lindos. Quem tiver interesse em conhecer um pouco mais sobre o NOB pode acessar o site deles (clique aqui). São três unidades, funcionando em Ondina, Pituba e Lauro de Freitas.

Leia Mais

Pilates: Tirando dúvidas – Parte 2

pilates | foto: conversa de meninaOi, meus amores, esta é a segunda parte das perguntas que tenho recebido pelo blog e redes sociais sobre o pilates. As perguntas foram respondidas pela instrutora de pilates e fisioterapeuta Adriana Oliveira, sócia-proprietária do Fit Studio Salvador. Estou dividindo as perguntas em blocos de dez, para não ficar muito cansativa a leitura. Mas sempre vou colocar os links de umas nas outras, tá? Se sua dúvida ainda não foi respondida nos posts, é só deixar um comentário ou enviar pelas redes sociais, que peço a Adriana para responder. Vamos lá!

————————–
>> Tirando dúvidas – Parte 1

————————–

1.Faço musculação há dois anos, mas não gosto. Estou acompanhando os posts e vejo que o pilates tem muitos exercícios que trabalham a musculatura. Eu posso trocar a musculação pelo pilates? Terei algum prejuízo? (Milena) – Milena, o Pilates vem sendo uma opção para as pessoas que não gostam de musculação. No Pilates você fortalece, enrijece, tonifica os músculos, além de alongar a musculatura e trabalhar postura e respiração. Quanto a ter prejuízo, você deve conversar com um instrutor de pilates sobre quais são os seus objetivos.

2.Acho lindas as posições dos exercícios, tem muita acrobacia. Quanto tempo demora para eu conseguir fazer os exercícios mais difíceis? (Analu) – Oi, Analu! Você vai evoluir nos exercícios gradativamente, não temos como precisar um tempo, pois depende da sua condição física e da sua evolução.

3.Tenho uma dúvida. Observo que os exercícios do pilates não se repetem muito. Isso não é ruim, não? Como vou conseguir um corpo melhor se não trabalho os mesmos músculos com frequência? (André) – Olá, André! Verdade, os exercícios no Pilates não se repetem muito, mas isso porque temos diversas formas de trabalhar o mesmo grupo muscular sem precisar utilizar o mesmo aparelho ou fazer o mesmo exercício em todas as aulas.

4.É verdade que o pilates é bom para quem sofre muito com o estresse? (Joseane) – Sim, Joseane! Geralmente, as pessoas que sofrem muito com o estresse são ansiosas e não respiram corretamente, têm dificuldade de concentração, e no Pilates trabalhamos a respiração, os exercícios necessitam de concentração, há uma conexão mente-corpo, para que se recrie ou adquira uma consciência corporal, sem contar a interação com as outras pessoas da turma, pois algumas vezes podemos fazer exercícios em dupla.

5.Tenho tendinite recorrente nos punhos, porque trabalho muito tempo digitando. O pilates pode ajudar ou é contraindicado? (Alexia) – Alexia, o Pilates ajuda com certeza, pois promove o fortalecimento, além do alongamento da musculatura, sem contar a melhora postural e melhora da consciência corporal, que vai ajudar a melhorar a sua condição.

pilates | foto: conversa de meninan6.Já ouvi falar que o pilates pode atrapalhar o crescimento e desenvolvimento da criança, que pode atrofiar os músculos. É verdade isso? (Sérgio) – Sergio, o Pilates visa a trabalhar preventivamente ou na reabilitação de qualquer acometimento muscular, motor e/ou postural. Desta forma, não teria como atrapalhar o desenvolvimento da criança, atrofiando seus músculos, uma vez que o objetivo é justamente o contrário. Diferente da musculação, no pilates a resistência é feita por molas e pelo peso do próprio corpo, e estamos sempre trabalhando o alongamento e a consciência corporal.

7.Quantas vezes na semana é indicado pilates para quem está começando? Se eu fizer um dia apenas vou sentir resultados? (Julianne) – Julianne, você pode fazer o pilates até todos os dias, vai depender da sua disponibilidade de tempo e objetivo. Geralmente indicamos 2 a 3 vezes por semana, para que o nosso cliente tenha um resultado bom. 1 vez na semana é pouco, os resultados logicamente vão demorar um pouco mais a aparecerem mas vão aparecer, com certeza. Costumamos dizer aos nossos clientes que se eles só podem 1 vez, que iniciem assim, pois é melhor do que ficar alimentando a desculpa.

8.Fiz pilates em um lugar onde o instrutor era educador físico. Nos posts do blog sempre fala que os instrutores são fisioterapeutas. Fiquei com medo de ter feito algo errado que me prejudique futuramente, porque não fiz com fisioterapeuta. E agora? (Eliane) – Eliane, educadores físicos também podem fazer a formação em Pilates. Ás vezes, a dinâmica da aula que muda um pouco, a depender do objetivo do cliente, porque os fisioterapeutas têm uma visão mais ampla com relação a prevenção, reabilitação…

9.Preciso muito emagrecer, mas não gosto muito de atividade física. Achei o pilates legal, queria tentar. É indicado para emagrecimento também? (Samira) – Samira, o Pilates sozinho não vai te fazer emagrecer, assim como nenhuma atividade sozinha. É preciso que você queira emagrecer e junto com a atividade (que pode ser o Pilates) você faça uma dieta. Quando o objetivo do cliente é o emagrecimento, nós acrescentamos exercícios que ajudem nesse processo aqui no Fit Studio Salvador.

10.Quem tem hérnia de disco pode fazer pilates? (Helen) – Helen, com certeza! O Pilates é indicado para quem tem hérnia de disco. O trabalho no Pilates é direcionado ao objetivo do cliente, e os exercícios começam do básico e vão evoluindo de acordo com a sua resposta muscular.

Leia Mais

Pilates: Tirando as dúvidas dos leitores e seguidores

PIlates no Fit Studio SalvadorDesde que comecei a fazer pilates e publicar posts e fotos, comecei a receber muitas perguntas de leitores, a respeito do método. Várias dúvidas envolvem questões que desconheço, então pedi às fisioterapeutas e instrutoras de pilates lá do Fit Studio Salvador, Adriana Oliveira e Livia Torres, para responderem os questionamentos de vocês. Vou fazer blocos de dez perguntas para os posts não ficarem muito longos, tá bom? Também adaptei um pouco as perguntas, para deixá-las em um padrão que facilite a compreensão por todos que lerem.

Se sua pergunta não apareceu aqui, estará no próximo post (clique aqui para acessar). E se você tem alguma dúvida, é só me mandar, que vou buscar as respostas pra vocês. E quero agradecer de coração às fisios do Fit Studio, pelo carinho com minhas leitoras e pela disponibilidade em dedicar um tempinho para responder as questões. Vamos lá!

1.Tenho problema na coluna, mas percebi que sempre faço os mesmos exercícios que todo mundo lá no lugar onde faço pilates. É isso mesmo? Os exercícios são os mesmos pra todo mundo? (Eliana) – Olá, Eliana. Depende da metodologia do lugar. No Fit Studio fazemos um trabalho individualizado, as turmas têm uma média de cinco alunos, mas cada um faz exercícios apropriados a sua condição e de acordo com seus objetivos.

2. Sofri um acidente de carro e perdi parte do meu braço. Eu posso fazer pilates? É recomendado pra pessoas como eu? (Luciano) – Sim, Luciano, você pode praticar pilates. Existem exercícios que você podePIlates no Fit Studio Salvador fazer sem usar os braços, específicos para outras regiões como abdômen, membros inferiores e troncos, e pode até exercitar o coto.

3. Sinto muitas dores nas costas, já fui ao médico e os exames não deram nada. O pilates pode me ajudar? (Glória) – Sim, Glória. É comum a presença de queixa álgica sem achados nos exames. Alguns fatores podem ocasionar essas dores, como a má postura e até fatores emocionais. O Pilates ajuda, porque ele trabalha corpo e mente, promovendo melhora na respiração, ajudando na ansiedade e no combate ao stress, além de corrigir a postura corporal.

4.Tenho crises de labirintite e acompanho no blog que muitos exercícios exigem equilíbrio. Eu poderia fazer também? Já cai algumas vezes e tenho muito medo! (Soraia) – Sim, Soraia, os exercícios são feitos de acordo com o condicionamento de cada paciente. Se você apresenta uma “limitação”, você fará exercícios que não te exponham a riscos e que melhorem essa “limitação”, te ajudando a ter mais independência no dia a dia.

PIlates no Fit Studio Salvador5. Meu filho de sete anos é hiperativo e ouvi dizer que o pilates pode ser uma boa indicação para melhorar a concentração. É verdade? (Alessandra) – Oi, Alessandra! O pilates é indicado para crianças a partir dos oito anos ou desde quando ela já atenda comandos. Os exercícios do Pilates exigem concentração, e com as crianças mesclamos os exercícios com brincadeiras e atividades lúdicas para que elas se concentrem.

6. Queria enrijecer os músculos, e não tenho paciência pra musculação. O pilates também serve pra isso? (Sofia) – Sim, Sofia. O pilates promove o enrijecimento, alongamento e fortalecimento muscular. É uma ótima opção para quem não gosta da musculação.

7. Homens são comuns nas turmas de pilates? Tenho vontade de fazer, mas tenho vergonha. (José Carlos) – Olá, José Carlos, os homens estão cada vez mais adeptos ao pilates. Durante muito tempo foi disseminada a ideia de que pilates era coisa de mulher e idoso, mas hoje isso já caiu por terra. O pilates tem exercícios que exigem força, coordenação e equilíbrio, desafiando o praticante, o que tem conquistado cada dia mais adeptos do sexo masculino. Lá no Fit Studio, por exemplo, temos muitos alunos homens, crianças, jovens, adultos e idosos.

PIlates no Fit Studio Salvador8. Quero fazer uma atividade física que mexa meu corpo, mas que promova relaxamento. O pilates é assim? (Maria de Fátima) – Oi, Maria de Fátima! Sim, o pilates é assim. À medida em que você trabalha a respiração, associada aos exercícios do método, vai alcançando também o relaxamento. Um dos princípios do pilates é exatamente trabalhar corpo e mente associados.

9. Vejo alguns exercícios e acho que nunca vou conseguir fazer. Qualquer pessoa é capaz de fazer esses malabarismos do pilates? (Melinda) – Olá, Melinda. Sim, qualquer pessoa é capaz de fazer os “malabarismos”, mas é claro que cada uma tem seu ritmo e isso requer treino. Sem contar que, às vezes, algumas adaptações são necessárias para que o objetivo seja alcançado.

10. Quais os benefícios que o pilates proporciona? (Andrea) – Oi, Andrea. O Pilates é considerado hoje uma das melhoras práticas para a pessoa que quer aperfeiçoar e condicionar os músculos do corpo, prevenir doenças cardiovasculares, eliminar o estresse ocasionado pela correria do dia a dia, corrigir a postura, aumentar a flexibilidade, estimular a coordenação, prevenir lesões, melhorar a concentração e amenizar dores. Os benefícios, portanto, são inúmeros.

Leia Mais

Progressive Fitball: O que é isso?

A primeira vez que ouvi falar do progressive fitball foi durante uma das minhas aulas de pilates, lá no Fit Studio Salvador. Minha instrutora, Adriana Oliveira, estava falando sobre a técnica, explicando um pouco do que se tratava. Até então, confesso minha ignorância completa sobre o assunto, nunca havia ouvido falar. Daí que ela informou que o progressive fitball era um método de atividade física desenvolvido pelo fisioterapeuta Rafael Rabelo. Inicialmente, o objetivo dele era melhorar seu condicionamento físico, mas o método hoje é utilizado com objetivos variados e por um número imenso de pessoas.

11“O progressive fitball utiliza a bola como instrumento, possibilitando infinitos movimentos, trabalhando o corpo como um todo, de maneira desafiadora. Pode ser usado tanto na reabilitação quanto no treinamento pessoal ou esportivo e proporciona benefícios diversos, como fortalecimento, flexibilidade, equilíbrio, agilidade, lateralidade, estabilidade, além da melhora significativa do condicionamento físico”, conta Adriana. A técnica combina vários movimentos, explorando ao máximo o uso da bola, desafiando e instigando o praticante. Adriana explica ainda que, como há o respeito à individualidade de cada um, todos podem praticar o progressive fitball, já que o programa de exercícios é montado com base nas necessidades e objetivos de cada indivíduo.

Hoje em dia a modalidade integra meu treinamento no pilates. Faço aulas de progressive fitball e o que mais me motiva é justamente o desafio. Há exercícios mais simples e outros bem difíceis. Mas o segredo está mesmo em praticar, repetir, insistir. Estou muuuuuuito longe de ser uma expert, muito longe mesmo! Mas hoje em dia realizo exercícios de que achei que nunca seria capaz, como por exemplo, ficar em pé em cima da bola. E isso graças à própria Adriana, minha instrutora. No meu caso especificamente, toda a evolução do treino, o acompanhamento e as dicas têm feito uma diferença absurda. Não foi algo do tipo: pisei na bola e levantei! Não, não. É uma série de exercícios que fui fazendo ao longo das aulas, até conseguir a consciência corporal necessária para, um determinado dia, levantar!

11E não é só o desafio em si que está em pauta. Uma das facetas que acho mais instigantes no progressive fitball é justamente a consciência corporal, que envolve também a concentração, a respiração, o domínio do equilíbrio. A modalidade abrange todo o seu corpo e, aliado a isso, também sua mente. Inclusive, em breve, farei um post sobre a influência da prática do pilates no dia a dia, porque isso fez uma grande diferença em minha vida! Mas isso é pra depois! Pois bem, hoje sou realmente uma amante do pilates, do progressive fitball, uma apaixonada pela bolinha e por todos os estímulos que ela me proporciona. Lá no Fit Studio, tem uma coisa muito massa, que é a possibilidade de realizar uma aula experimental. Ou seja, você pode agendar um dia, fazer uma aula e avaliar. Para quem quiser tirar dúvidas ou marcar uma aula experimental, podem entrar em contato com a Adriana, pelo número/whatsapp (71) 99138-9754.

Leia Mais

Minha primeira semana de pilates

Fazer pilates era uma vontade antiga. Antes mesmo de a modalidade se popularizar. Há muito tempo apresentei dores na coluna, e o pilates foi uma das opções de tratamento oferecidas pelo médico. Mas meu plano só cobria a segunda opção. Minha sócia no escritório é adepta do pilates há anos e vive elogiando. Me animei. Ao começar as pesquisas por um local, me deparei com o instagram do Fit Studio – Pilates e Fisioterapia. Fiquei encantada com as imagens e vídeos dos exercícios, achei a proposta bem inovadora para o que eu já tinha pesquisado e acabei entrando em contato e me matriculando por lá.

Pilates Fit studio salvador | foto: conversa de meninaFui atendida pela fisioterapeuta Adriana Oliveira. Ela me explicou que o pilates melhora a qualidade de vida, reduz os estresses do dia a dia, trabalhando mente e corpo em equilíbrio. Seus princípios básicos são a concentração, o controle, a centralização, a precisão e a respiração, responsáveis pela harmonização do corpo e do organismo durante a prática. É indicado para dores crônicas, correção postural, condicionamento físico e até definição muscular. Pode ser praticado por pessoas de todas as idades, como método preventivo ou reabilitação. É indicado também para gestantes e idosos. Os exercícios são prescritos individualmente, respeitando as limitações de cada pessoa. Gente, isso tudo aí quem me explicou foi a Adriana, viu? Fiz um interrogatório, pra poder trazer informações bacanas pra vocês!

Adriana, fisioterapeuta do Fit Studio
Adriana, fisioterapeuta do Fit Studio

O saldo da minha primeira semana é: o que foi isso, meu povo??? Eu nunca, jamais, em nenhum momento, imaginei que era algo tão pesado. Sempre tive a falsa ideia de que os exercícios eram leves e simples. Não, nada disso. Os exercícios são difíceis, trabalham os músculos até da alma. Saí da primeira aula tremendo toda (hahahahaha), com tudo doído e completamente suada. Sim, praticar pilates sua horrores! Eu nunca senti tanto meu abdômen, e olha que treinei dois anos de boxe e fazia um monte de abdominais por aula.

A Adriana é bem paciente e cuidadosa, reproduz o movimento a ser feito e não desgruda até que a gente esteja executando com perfeição. Acho isso realmente um diferencial, porque já frequentei academias, por exemplo, em que o instrutor malmente indicava o que deveria ser feito.

As turmas possuem quantidade de alunos restrita, o que me dá a segurança de estar sendo monitorada o tempo todo. Isso porque há exercícios que são mais complicados e que exigem muito da gente. E para completar, cai numa turma maravilhosa, as meninas que treinam comigo são ótimas, muito divertidas e companheiras. Estou tão empolgada que vocês não imaginam.

Fit studio salvador | foto: conversa de menina
Minhas companheiras de Pilates: Patrícia, Rita, Cíntia e Larissa!

Meu objetivo, além de melhorar a postura, claro, é o fortalecimento muscular, a queima de gordura e o enrijecimento. Estou bem animada por começar a sentir dor em músculos que eu nem sabia que existiam! Hahahaha… E olha que eu malho com frequência há dois anos. Sabe uma coisa que fez toda a diferença? Os exercícios para aprender a respirar! Eu nunca me preocupei com a respiração durante os exercícios, e o pilates está mudando completamente minha relação com isso. Agora estou cuidando da respiração até na academia e na corrida.

Pilates no Fit Studio Salvador | foto: conversa de meninaAo longo do tempo, vou contando minha evolução pra vocês! Caso tenham alguma dúvida, tenho certeza que a Adriana e a Livia, a outra fisioterapeuta de lá, terão o maior carinho em responder. Elas são muito legais e comprometidas com o trabalho. Ah, gente, e lá não tem só pilates, não, depois conto os detalhes do que elas oferecem por lá a vocês, em um outro post.

O Fit Studio fica localizado na Rua Helio de Oliveira, 160, Luis Anselmo. O telefone é o 3021-0649. Dá para chegar lá pela Bonocô e pela Rótula do Abacaxi. E é super simples, logo abaixo eu explico os trajetos.

Fit Studio Salvador | foto: conversa de meninaPela Rótula do Abacaxi – sobe a ladeira do Extra e vira a primeira à esquerda. Segue nessa rua, que é atrás do Extra, e entra à direita na rua que tem um prédio branco e preto (é a última entrada à direita da rua). Sobe a ladeira e, no final dela, vira à direita de novo. O Fit Studio é logo ali, em frente à delicatessen DeliGuy.

Pela Bonocô – Sobe a ladeira depois da Revisa/Ford e vira à direita logo depois da Chesf. Você se mantém à esquerda, é a segunda casa à esquerda, em frente à delicatessen DeliGuy.

Leia Mais

Projeto reeducação física e alimentar: desânimo geral

Não dá pra vir só falar de projeto de reeducação alimentar, de como alcançar uma vida saudável, se isso aqui é um blog feito por um ser humano, não é? Que tem altos e baixos, ânimos e desânimos. Pois é, meninas, vim desabafar com vocês: estou mega desanimada com reeducação alimentar, sem saco, sem disciplina, precisando de um profissional da área de nutrição que realmente me faça sentir motivada, sem aquelas dietas prontas que alguns profissionais fazem pra todo mundo, sei lá.

Fato é que ando desanimada, desmotivada, querendo emagrecer, mas sem um norte e, neste momento, sem poder investir financeiramente no custeio de tudo isso. Porque profissional bom tem seu preço e é isso mesmo, precisa dar valor ao seu conhecimento e cobrar por ele. Muito justo. De qualquer forma, estou mantendo a rotina de exercícios físicos, frequentando a academia com constância e animada nesta parte.

1Aceito dicas, frases de apoio e motivacionais.. kkkkk.. também aceito dicas de nutricionistas ou alguma ideia bacana pra reanimar o espírito e prosseguir. Ainda tenho muitos quilos a perder, mas sinto que demoro muuuuuito pra perder uma graminha e sei que estou fazendo algo muito errado. Mas o que, afinal? Bem, meninas, precisava dividir essa fase com vocês. Dividam as angústias de vocês comigo também, vamos nos dar as mãosss… rsrsrs.

 

Leia Mais